Tradução Brasileira (2010) (TB)
4

Louvor da esposa na festa nupcial

41

4.1
Ct 1.15
Como és formosa, amada minha, como és formosa!

Os teus

4.1
Ct 1.15
5.12
olhos são como pombas
4.1
Ct 6.7
por detrás do teu véu:

Os teus

4.1
Ct 6.5
cabelos são como o rebanho das cabras,

Que repousam nos flancos do monte

4.1
Mq 7.14
Gileade.

2Os teus

4.2
Ct 6.6
dentes são como o rebanho de ovelhas recém-tosquiadas,

Que sobem do lavadouro,

Das quais cada uma tem gêmeos,

E nenhuma delas é desfilhada.

3Os teus lábios são como um

4.3
Js 2.18
fio de escarlate,

E a tua

4.3
Ct 5.16
boca é formosa.

4.3
Ct 6.7
As fontes da tua cabeça são como um pedaço de romã,

Por detrás do teu véu.

4

4.4
Ct 7.4
O teu pescoço é como a torre de Davi, edificada para
4.4
Ne 3.19
depósito de armas;

No qual

4.4
Ez 27.10-11
pendem mil broquéis, todos os
4.4
2Sm 1.21
escudos dos poderosos.

5Os teus

4.5
Ct 7.3
dois peitos são como duas crias gêmeas de uma veada,

E que se

4.5
Ct 2.16
6.2-3
apascentam entre as açucenas.

6

4.6
Ct 2.17
Antes que refresque o dia e fujam as sombras,

Ir-me-ei à fonte da

4.6
4.14
mirra e ao monte do incenso.

7Tu és

4.7
Ct 1.15
toda formosa, amada minha,

E em ti não há mancha.

8Vem comigo do

4.8
1Rs 4.33
Sl 72.16
Líbano,
4.8
Ct 5.1
Is 62.5
noiva minha,

Vem comigo do Líbano.

Olha do cume de

4.8
2Rs 5.12
Amana,

Do cume de

4.8
Dt 3.9
1Cr 5.23
Ez 27.5
Senir e de Hermom,

Dos covis dos leões,

Dos montes dos leopardos.

9Enlevaste-me o coração,

4.9
4.10,12
Ct 5.1-2
irmã minha, noiva minha,

Enlevaste-me o coração com um dos teus olhares,

Com um dos

4.9
Gn 41.42
Pv 1.9
Ez 16.11
Dn 5.7
colares do teu pescoço.

10

4.10
Ct 7.6
Que lindo é o teu amor, irmã minha, noiva minha!

Quanto

4.10
Ct 1.2,4
melhor é o teu amor do que o vinho!

E melhor o

4.10
Ct 1.3
cheiro dos teus unguentos do que toda a sorte de especiarias!

11Os teus lábios, noiva minha,

4.11
Pv 5.3
destilam como
4.11
Sl 19.10
Pv 24.13
favos de mel.

Mel e leite estão debaixo da tua língua;

E o cheiro dos teus vestidos é como

4.11
Gn 27.27
Os 14.6
cheiro do Líbano.

12Um jardim fechado é minha irmã, minha noiva;

Um manancial fechado, uma

4.12
Pv 5.15-18
fonte
4.12
Gn 29.3
selada.

13Os teus renovos são: um

4.13
Ne 2.8
Ec 2.5
pomar de
4.13
Ct 6.11
7.12
romãs, com
4.13
4.16
Ct 2.3
7.13
frutos preciosos;

4.13
Ct 1.14
A hena com as plantas do nardo;

14

4.14
Ct 1.12
O nardo e o narciso,

4.14
Êx 30.23
O cálamo e o cinamomo com todas as árvores do
4.14
4.6
incenso;

4.14
Ct 3.6
Sl 45.8
Jo 19.39
A mirra e o aloé com todas as principais especiarias.

15És a fonte dos jardins,

O poço das

4.15
Zc 14.8
águas vivas,

E as torrentes que correm do Líbano.

Resposta da noiva e do noivo

16Desperta-te, vento norte; e vem tu, vento sul;

Assopra no meu

4.16
Ct 5.1
6.2
jardim, e espalha os seus perfumes.

Entre

4.16
Ct 1.13
2.3,8
6.2
o meu amado no seu jardim,

E coma os seus

4.16
4.13
frutos preciosos.

5

51

5.1
Ct 6.2
entrei no meu jardim,
5.1
Ct 4.9
irmã minha, noiva minha;

Colhi a minha

5.1
Ct 1.13
4.14
mirra com o meu bálsamo;

Comi o meu

5.1
Ct 4.11
favo com o meu mel;

5.1
Pv 9.5
Is 55.1
Bebi o meu vinho com o meu leite:

Comei,

5.1
Jz 14.11,20
Jo 3.29
amigos,

Bebei, sim, embriagai-vos, caríssimos.

A separação temporária

2Eu estava dormindo, mas o meu coração vigiava;

É a voz do meu amado que bate, dizendo:

Abre-me,

5.2
Ct 4.9
irmã minha, amada minha,
5.2
Ct 2.14
6.9
pomba minha, imaculada minha,

Porque a minha cabeça está coberta de orvalho,

As minhas

5.2
5.11
guedelhas, das gotas da noite.

3

5.3
Lc 11.7
despi a minha túnica; como a vestirei?

5.3
Gn 19.2
Lavei os meus pés; como os tornarei a sujar?

4O meu amado meteu a mão pelo buraco da porta,

E o meu

5.4
Jr 31.20
coração estremeceu por amor dele.

5Eu me levantei para abrir ao meu amado;

As minhas mãos

5.5
5.13
destilaram mirra,

E os meus dedos mirra líquida,

Sobre a aldrava do ferrolho.

6Eu abri ao meu amado,

Mas ele tinha-se

5.6
Ct 6.1
retirado e tinha ido embora.

A minha alma desfaleceu quando ele

5.6
5.2
falou.

5.6
Ct 3.1
Busquei-o, porém não o pude encontrar;

5.6
Pv 1.28
Chamei-o, mas ele não me respondeu.

7Encontraram-me

5.7
Ct 3.3
os guardas que rondam a cidade,

Bateram-me, feriram-me;

Os guardas dos muros tiraram-me o meu manto.

8

5.8
Ct 2.7
3.5
Conjuro-vos, filhas de Jerusalém, que, se encontrardes o meu amado,

Lhe façais saber que

5.8
Ct 2.5
desfaleço de amor.

9Que é o teu amado mais do que outro amado,

Ó tu,

5.9
Ct 1.8
6.1
a mais bela das mulheres?

Que é o teu amado mais do que outro amado,

Que assim nos conjuras?

10O meu amado é cândido e

5.10
1Sm 16.12
rubicundo,

5.10
Sl 45.2
O primeiro entre dez mil.

11A sua cabeça é como o ouro mais apurado,

5.11
5.2
As suas guedelhas são crespas e pretas como o corvo.

12Os seus

5.12
Ct 1.15
4.1
olhos são como pombas junto às torrentes das águas,

Lavados em leite, como pedras

5.12
Êx 25.7
bem ajustadas no engaste.

13As suas faces são como

5.13
Ct 6.2
canteiros de bálsamo, como montões de plantas aromáticas,

Os seus lábios são como

5.13
Ct 2.1
açucenas que
5.13
5.5
destilam mirra líquida.

14As suas mãos são como cilindros de ouro, guarnecidos de

5.14
Êx 28.20
39.13
Ez 1.16
Dn 10.6
crisólitos,

O seu corpo é como obra de marfim, coberta de

5.14
Êx 24.10
28.18
Jó 28.16
Is 54.11
safiras.

15As suas pernas são como colunas de mármore branco, colocadas sobre bases de ouro,

O seu aspecto é como o

5.15
Ct 7.4
Líbano, distinto como os
5.15
1Rs 4.33
Sl 80.10
Ez 17.23
31.8
cedros.

16

5.16
Ct 7.9
O seu falar é muitíssimo suave; ele é
5.16
2Sm 1.23
inteiramente precioso.

Tal é o meu amado, e tal é o meu amigo,

Ó filhas de Jerusalém.

6

61

6.1
Ct 5.6
Para onde foi o teu amado,

Ó tu,

6.1
Ct 1.8
a mais bela das mulheres?

Para onde se retirou o teu amado,

A fim de que o busquemos juntamente contigo?

2O meu amado desceu ao seu

6.2
Ct 4.16
5.1
jardim, aos
6.2
Ct 5.13
canteiros de bálsamo,

6.2
Ct 1.7
Para apascentar nos jardins, e para colher
6.2
Ct 2.1
5.13
as açucenas.

3

6.3
Ct 2.16
7.10
Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu,

Ele

6.3
Ct 2.16
4.5
apascenta entre as açucenas.

Louvores mútuos do noivo e da noiva

4

6.4
Ct 1.15
Formosa és, amada minha, como
6.4
1Rs 14.17
Tirza,

6.4
Ct 1.5
Bela como
6.4
Sl 48.2
50.2
Jerusalém,

6.4
6.10
Terrível como um exército com bandeiras.

5Desvia de mim os teus olhos,

Porque eles já me tomaram de assalto.

6.5
Ct 4.1
Os teus cabelos são como os rebanhos das cabras,

Que repousam nos flancos de Gileade.

6

6.6
Ct 4.2
Os teus dentes são como um rebanho de ovelhas,

Que sobem do lavadouro,

Das quais cada uma tem gêmeos,

E nenhuma delas é desfilhada.

7

6.7
Ct 4.3
As fontes da tua cabeça são como um pedaço de romã,

Por detrás do teu véu.

8Há sessenta

6.8
1Rs 11.3
rainhas, oitenta concubinas,

6.8
Ct 1.3
E donzelas sem número.

9Uma só é a

6.9
Ct 2.14
5.2
minha pomba, a minha imaculada;

Ela é a única de sua mãe, a escolhida da que lhe deu à luz.

6.9
Gn 30.13
As mulheres viram-na, e chamaram-lhe bem-aventurada;

Viram-na as rainhas e as concubinas, e louvaram-na.

10Quem é esta que aparece como a aurora,

Formosa como a

6.10
Jó 31.26
lua,

Pura

6.10
Mt 17.2
Ap 1.16
como o sol,

6.10
6.4
Terrível como um exército com bandeiras?

11Desci ao jardim das nogueiras,

Para ver os renovos do vale,

Para examinar se as

6.11
Ct 7.12
vides lançavam olhos,

E se as

6.11
Ct 4.13
romãs estavam em flor.

12Sem que eu soubesse como, pôs-me a minha alma

Nos carros do meu nobre povo.

13Volta, volta, ó Sulamita;

Volta, volta, para que te contemplemos.

Por que quereis contemplar a Sulamita,

Como a

6.13
Jz 21.21
dança de
6.13
Gn 32.2
2Sm 17.24
Maanaim?