Tradução Brasileira (2010) (TB)
6

A união do cristão com Cristo

61

6.1
cp.
Que diremos, pois? Havemos de
6.1
Rm 6.15Rm 3.8
permanecer no pecado, para que abunde a graça? 2
6.2
Lc 20.16
Rm 6.15
De modo nenhum! Nós que
6.2
Rm 6.11
Rm 7.4,6
Gl 2.19
Cl 2.20
3.3
1Pe 2.24
já morremos ao pecado, como viveremos ainda nele? 3Porventura, ignorais que todos os que fomos
6.3
Mt 28.19
batizados
6.3
At 2.38
8.16
19.5
Gl 3.27
em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? 4Fomos, pois,
6.4
Cl 2.12
sepultados com ele na morte pelo batismo, para que, como Cristo foi
6.4
At 2.24
Rm 6.9
ressuscitado dentre os mortos pela
6.4
cp.
glória do Pai, assim também nós andemos
6.4
cp.
em novidade de vida. 5
6.5
2Co 4.10
Fp 3.10Cl 2.12
3.1
Se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, com certeza o seremos também na da sua ressurreição; 6reconhecendo isto: que o nosso
6.6
Ef 4.22
Cl 3.9
homem velho foi
6.6
Gl 2.20
5.24
6.14
crucificado com ele, para que seja destruído o
6.6
cp.
corpo do pecado, a fim de não servirmos mais ao pecado; 7porque
6.7
1Pe 4.1
aquele que está morto justificado está do pecado. 8Mas,
6.8
2Tm 2.112Co 4.10
Rm 6.4
se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele, 9sabendo que, havendo Cristo sido
6.9
At 2.24
Rm 6.4
ressuscitado dentre os mortos, já não morre mais; a
6.9
Ap 1.18
morte não domina mais sobre ele. 10Pois, quanto ao morrer, ele morreu uma só vez ao pecado; mas, quanto ao viver, vive para Deus. 11Assim vós também considerai-vos
6.11
Rm 6.2
Rm 7.4,6
Gl 2.19
Cl 2.20
3.3
1Pe 2.24
mortos ao pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus.

12Não

6.12
Rm 6.14
reine, pois, o pecado no vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências, 13nem
6.13
Rm 7.5Cl 3.5
Rm 6.16,19
ofereçais os vossos membros ao pecado, como instrumentos de injustiça, mas
6.13
Rm 12.1
2Co 5.141Pe 2.24
oferecei-vos a Deus, como ressuscitados dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça. 14Porque
6.14
Rm 8.2,12
o pecado não
6.14
Rm 6.12
terá domínio sobre vós; visto que
6.14
cp.
não estais debaixo da lei, mas
6.14
Rm 5.17,21
debaixo da graça.

A lei e a graça. Analogia de escravidão

15Pois quê?

6.15
Rm 6.1
Havemos de pecar, porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça?
6.15
Lc 20.16
Rm 6.2
De modo nenhum! 16
6.16
Rm 11.2
1Co 3.16
5.6
6.2-3,9,15-16,19
9.13,24
Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, deste mesmo a quem obedeceis
6.16
Jo 8.342Pe 2.19
sois servos, quer seja do
6.16
Rm 6.21,23
pecado, para a morte, quer da obediência, para a justiça? 17Porém
6.17
cp.
graças a Deus que, embora fôsseis servos do pecado, obedecestes de coração
6.17
cp.
à forma de doutrina a que fostes entregues; 18e,
6.18
cp.
libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça. 19Humanamente
6.19
Rm 3.5
falo por causa da fraqueza da vossa carne. Assim
6.19
Rm 6.13
como oferecestes os vossos membros como servos à imundícia e à iniquidade para a iniquidade, assim oferecei agora os vossos membros como servos à justiça para santificação. 20Pois,
6.20
Rm 6.16
Mt 6.24
quando éreis escravos do pecado, fostes livres em relação à justiça. 21Que
6.21
Rm 7.5Jr 12.13
Ez 16.63
proveito tivestes então? Apenas coisas de que agora vos envergonhais; pois o fim delas é
6.21
Rm 6.16,23
Rm 1.32
8.6,13
Gl 6.8Rm 5.12
morte. 22Mas, agora, libertados do pecado e feitos
6.22
1Co 7.22
1Pe 2.16
servos de Deus, tendes o vosso
6.22
cp.
proveito para a santificação
6.22
1Pe 1.9
e, por fim, a vida eterna. 23Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom de Deus é
6.23
Rm 5.21
8.39
Mt 25.46
a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

7

A lei e a graça. Analogia de casamento

71Porventura, ignorais,

7.1
Rm 1.13
irmãos pois falo aos que conhecem a lei, que ela tem domínio sobre o homem durante todo o tempo que ele vive? 2
7.2
1Co 7.39
A mulher casada está ligada pela lei a seu marido, enquanto ele vive; mas, se o marido morrer, desligada fica da lei do marido. 3Assim, pois, enquanto o marido vive, se ela for de outro homem, será chamada adúltera; mas, se morrer o marido, livre está da lei, de maneira que não é adúltera, se for de outro homem. 4De modo que, meus irmãos, também vós
7.4
Rm 7.6
Rm 6.2
fostes mortos
7.4
Gl 2.19
5.18Rm 8.2
à Lei,
7.4
Cl 1.22
pelo corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, àquele que foi ressuscitado dentre os mortos, a fim de que déssemos fruto a Deus. 5Pois, quando estávamos
7.5
Rm 8.82Co 10.3
na carne, as paixões dos pecados que havia
7.5
Rm 7.7
pela Lei operaram
7.5
Rm 6.13,21,23
em nossos membros, a fim de darem fruto à morte; 6mas, agora,
7.6
Rm 7.2
desligados estamos da Lei,
7.6
Rm 6.2
por termos morrido para aquilo em que estávamos presos, de sorte que sirvamos
7.6
Rm 6.4
em novidade
7.6
Rm 2.29
de espírito e não na velhice da letra.

A lei e o pecado

7

7.7
Rm 3.5
Que diremos, pois? É a Lei pecado?
7.7
Lc 20.16
De modo nenhum! Mas
7.7
Rm 3.20
4.15
5.20
eu não teria conhecido o pecado, senão pela Lei; pois eu não teria conhecido a cobiça, se a Lei não dissera:
7.7
Êx 20.17
Dt 5.21
Não cobiçarás. 8Mas o pecado,
7.8
Rm 7.11
achando ocasião, operou em mim,
7.8
Rm 3.20
Rm 7.11
pelo mandamento, toda a cobiça; porque,
7.8
1Co 15.56
sem a Lei, o pecado está morto. 9Em outro tempo, eu vivia sem a Lei, mas, quando veio o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri. 10O mandamento que era
7.10
Lv 18.5
Rm 10.5
Gl 3.12Lc 10.28
para vida, esse achei que era para morte; 11porque o pecado,
7.11
Rm 7.8
achando ocasião,
7.11
cp.
me enganou pelo mandamento e por ele me matou. 12
7.12
Rm 7.16
1Tm 1.8
De modo que a Lei é santa, e o mandamento é santo, justo e bom. 13Logo, o que é bom tornou-se morte para mim?
7.13
Lc 20.16
De modo nenhum! Mas sim o pecado, para se mostrar pecado, operando em mim a morte por meio do que é bom, a fim de que, pelo mandamento, o pecado se fizesse excessivamente mau. 14Sabemos que a Lei é
7.14
1Co 3.1
espiritual; mas eu sou de carne,
7.14
cp.
vendido
7.14
Rm 3.9
para estar sujeito ao pecado. 15Pois o que
7.15
cp.
faço não entendo: não pratico
7.15
Gl 5.17
o que quero, mas faço o que aborreço. 16Mas, se faço aquilo que não quero, admito que a Lei é boa. 17Porém, agora,
7.17
Rm 7.20
não sou eu mais o que faço isso, mas o pecado que em mim habita. 18Eu sei que em mim, isto é, na minha
7.18
cp.
carne, não habita o bem; o querer o bem está comigo, mas o efetuá-lo não está. 19Pois não faço
7.19
Rm 7.15
o bem que quero; mas o mal que não quero, este pratico. 20Mas, se eu faço aquilo que não quero, já não sou eu o que faço, mas sim o pecado que em mim habita. 21Portanto, querendo eu fazer o bem, acho
7.21
cp.
a lei de que está comigo o mal. 22Pois eu me deleito na Lei de Deus, no
7.22
2Co 4.16
Ef 3.16
1Pe 3.4
homem interior; 23mas vejo uma
7.23
cp.
lei diferente nos meus membros, guerreando
7.23
Rm 7.25
a lei do meu espírito e fazendo-me preso na lei do pecado, a qual está nos meus membros. 24Infeliz homem eu! Quem me livrará do
7.24
cp.
corpo desta
7.24
Rm 8.2
morte? 25
7.25
1Co 15.57
Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. Assim, pois, eu mesmo, com o espírito, sirvo à lei de Deus, mas com a carne sirvo à lei do pecado.

8

A vida no Espírito. Os frutos da encarnação. A vida da carne e a vida do Espírito

81Agora, pois, nada de

8.1
Rm 8.34Rm 5.16
condenação há para os que estão
8.1
Rm 8.9
em
8.1
Rm 8.2,11,39
Rm 16.3
Cristo Jesus. 2Pois
8.2
cp.
a lei do Espírito da vida
8.2
Rm 6.14,18
7.4Jo 8.32,36
te livrou, em Cristo Jesus, da lei do pecado e da morte. 3
8.3
Hb 10.1At 13.39
O que a Lei não podia fazer, no que
8.3
Hb 7.18
Rm 7.18
se achava fraca pela carne, Deus, enviando a seu próprio Filho em
8.3
Fp 2.7
Hb 2.14,17
4.15
semelhança de carne de pecado e por causa do pecado, condenou o pecado na carne; 4para que a
8.4
Lc 1.6
Rm 2.26
exigência justa da Lei se cumprisse em nós, que
8.4
Gl 5.16,25
não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito. 5Os que são segundo a carne põem a sua mente
8.5
Gl 5.19-21
nas coisas da carne, mas os que são segundo o Espírito põem a sua mente nas
8.5
Gl 5.22-25
coisas do Espírito. 6
8.6
Gl 6.8
A mente da carne é
8.6
Rm 6.21
Rm 8.13
morte, mas a mente do Espírito é vida e paz. 7Pois a mente da carne é
8.7
Tg 4.4
inimizade contra Deus, visto que não é sujeita à lei de Deus, nem o pode ser; 8os que estão sujeitos
8.8
Rm 7.5
à carne não podem agradar a Deus. 9Vós, porém, não estais sujeitos à carne, mas ao Espírito, se realmente o Espírito de Deus
8.9
Rm 8.11
1Co 3.16
6.19
2Co 6.16
2Tm 1.14Jo 14.23
habita em vós. Mas,
8.9
Jo 14.17
Gl 4.6
Fp 1.19
1Jo 4.13
se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse não é dele. 10
8.10
Gl 2.20
Ef 3.17
Cl 1.27Jo 17.23
Se Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida por causa da justiça. 11Mas, se o Espírito daquele que
8.11
At 2.24
Rm 6.4
ressuscitou a Jesus dentre os mortos habita em vós,
8.11
Jo 5.21
aquele que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos também dará vida aos vossos corpos mortais, pelo seu Espírito, que habita em vós.

Filhos e herdeiros

12Portanto, irmãos, somos devedores não à carne, para que vivamos segundo a carne. 13

8.13
Rm 8.6
Se viverdes segundo a carne, haveis de morrer; mas, se pelo Espírito
8.13
Cl 3.5
mortificardes as obras do corpo, vivereis. 14Pois todos os que são
8.14
Gl 5.18
guiados pelo Espírito de Deus, estes são
8.14
Os 1.10
Rm 9.26
Mt 5.9
Jo 1.12
2Co 6.18
Gl 3.26
1Jo 3.1
Ap 21.7
Rm 8.16,19
Rm 9.8
filhos de Deus. 15
8.15
2Tm 1.7Hb 2.15
Não recebestes o espírito de escravidão, para estardes outra vez com temor,
8.15
Gl 4.5Rm 8.23
mas recebestes o espírito de adoção, pelo qual clamamos:
8.15
Mc 14.36
Gl 4.6
Aba, Pai. 16O Espírito mesmo
8.16
cp.
dá testemunho com o nosso espírito de que somos filhos de Deus. 17E, se filhos, também
8.17
Gl 4.7At 20.32
Gl 3.29
Ef 3.6
Tt 3.7
Hb 1.14
Ap 21.7
herdeiros; herdeiros de Deus e coerdeiros de Cristo,
8.17
2Co 1.5,7
Fp 3.10
2Tm 2.12
1Pe 4.13Cl 1.24
se realmente padecemos com ele, para que também com ele sejamos glorificados.

Os sofrimentos do presente conduzem à glória do futuro

18Tenho para mim que os sofrimentos da vida presente

8.18
2Co 4.171Pe 4.13
não têm valor em comparação com a
8.18
Cl 3.4
Tt 2.13
1Pe 5.11.5
glória que há de ser revelada em nós. 19
8.19
Fp 1.20
A ardente expectativa da criação aguarda
8.19
1Co 1.7Cl 3.4
1Pe 1.7,13
1Jo 3.2Rm 8.18
a manifestação dos
8.19
Rm 8.14
filhos de Deus. 20Pois a criação
8.20
Gn 3.17-19
ficou sujeita
8.20
cp.
à vaidade, não voluntariamente, mas
8.20
Gn 3.17
5.29
por causa daquele que a sujeitou, 21na esperança de que também
8.21
cp.
a própria criação será libertada do cativeiro da corrupção para a liberdade da glória dos filhos de Deus. 22Ora, sabemos que toda a criação, juntamente,
8.22
cp.
geme e está com dores de parto até agora; 23
8.23
Rm 5.3
e não só ela, mas também nós, embora tenhamos as
8.23
2Co 1.22Rm 8.16
primícias do Espírito,
8.23
2Co 5.2,4
gememos ainda em nós mesmos,
8.23
Rm 8.19,2515
Gl 5.5
aguardando a nossa adoção, isto é,
8.23
Rm 7.24
a redenção do nosso corpo. 24Pois,
8.24
cp.
na esperança, fomos salvos; porém
8.24
2Co 5.74.18
Hb 11.1
a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê, como o espera? 25Mas,
8.25
1Ts 1.3
se esperamos o que não vemos, com perseverança o aguardamos.

O auxílio do Espírito

26Do mesmo modo, também o Espírito ajuda a nossa fraqueza; porque

8.26
cp.
não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas
8.26
cp.
o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis; 27e
8.27
Sl 139.1Lc 16.15
Ap 2.23
At 1.24
aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a
8.27
cp.
intenção do Espírito, que ele, segundo a vontade de Deus,
8.27
cp.
intercede pelos santos. 28Sabemos que aos que amam a Deus,
8.28
Rm 8.32
todas as coisas lhes cooperam para o bem, a saber, aos que são
8.28
Rm 8.30
Rm 9.24
1Co 1.9
Gl 1.6,15
5.8
Ef 1.11
3.11
2Ts 2.14
Hb 9.15
1Pe 2.9
3.9
Rm 11.29
chamados segundo o seu propósito. 29Porque os que
8.29
Rm 11.2
1Pe 1.2,202Tm 1.9
1Co 8.3
dantes conheceu também
8.29
1Co 2.7
Ef 1.5,11Rm 9.23
predestinou para
8.29
1Co 15.49
Fp 3.21
Cl 3.10
1Jo 3.2
serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele fosse
8.29
Cl 1.18
Hb 1.6
o primogênito entre muitos irmãos; 30e aos que predestinou, a estes também chamou; e aos que chamou, a estes também
8.30
1Co 6.11
justificou; e aos que justificou, a estes também
8.30
Jo 17.22
1Co 2.7
Rm 8.21
Rm 9.23
glorificou.

As provas e a certeza do amor de Deus

31

8.31
cp.
Que diremos, pois, à vista dessas coisas?
8.31
Sl 118.6Mt 1.23
Se Deus é por nós, quem será contra nós? 32Aquele que
8.32
Jo 3.16
Rm 5.8
não poupou a seu próprio Filho, mas por todos nós
8.32
Rm 4.25
o entregou, como não nos dará também com ele todas as coisas? 33Quem formará acusação contra
8.33
Lc 18.7
os escolhidos de Deus?
8.33
Is 50.8
É Deus quem os justifica. 34Quem é o que os
8.34
Rm 8.1
condena? Cristo Jesus é o que
8.34
Rm 5.6
morreu ou, antes, o que foi
8.34
At 2.24
ressuscitado, o que está
8.34
Mc 16.19
à mão direita de Deus, o que também
8.34
Hb 7.25
Rm 8.27Hb 9.24
1Jo 2.1
intercede por nós! 35Quem nos separará do
8.35
cp.
amor de Cristo? Será
8.35
Rm 2.92Co 4.8
tribulação, ou angústia, ou
8.35
1Co 4.11
2Co 11.26
perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada? 36Como está escrito:

8.36
Sl 44.22
1Co 4.9
15.302Co 1.9
4.106.9
11.23At 20.24
Por amor de ti, somos entregues à morte o dia todo,

fomos considerados como ovelhas para o matadouro.

37Mas, em todas essas coisas, somos mais que
8.37
cp.
vencedores por
8.37
Gl 2.20
Ef 5.2
Ap 1.5
aquele que nos amou. 38Pois estou persuadido de que nem
8.38
1Co 3.22
a morte, nem a vida, nem os
8.38
cp.
anjos, nem os principados, nem as
8.38
1Co 3.22
coisas presentes 39nem as futuras, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar
8.39
Rm 5.8
do amor de Deus, que é
8.39
Rm 8.1
em Cristo Jesus, nosso Senhor.