Tradução Brasileira (2010) (TB)
6

A união do cristão com Cristo

61

6.1
cp.
Que diremos, pois? Havemos de
6.1
Rm 6.15Rm 3.8
permanecer no pecado, para que abunde a graça? 2
6.2
Lc 20.16
Rm 6.15
De modo nenhum! Nós que
6.2
Rm 6.11
Rm 7.4,6
Gl 2.19
Cl 2.20
3.3
1Pe 2.24
já morremos ao pecado, como viveremos ainda nele? 3Porventura, ignorais que todos os que fomos
6.3
Mt 28.19
batizados
6.3
At 2.38
8.16
19.5
Gl 3.27
em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte? 4Fomos, pois,
6.4
Cl 2.12
sepultados com ele na morte pelo batismo, para que, como Cristo foi
6.4
At 2.24
Rm 6.9
ressuscitado dentre os mortos pela
6.4
cp.
glória do Pai, assim também nós andemos
6.4
cp.
em novidade de vida. 5
6.5
2Co 4.10
Fp 3.10Cl 2.12
3.1
Se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, com certeza o seremos também na da sua ressurreição; 6reconhecendo isto: que o nosso
6.6
Ef 4.22
Cl 3.9
homem velho foi
6.6
Gl 2.20
5.24
6.14
crucificado com ele, para que seja destruído o
6.6
cp.
corpo do pecado, a fim de não servirmos mais ao pecado; 7porque
6.7
1Pe 4.1
aquele que está morto justificado está do pecado. 8Mas,
6.8
2Tm 2.112Co 4.10
Rm 6.4
se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele, 9sabendo que, havendo Cristo sido
6.9
At 2.24
Rm 6.4
ressuscitado dentre os mortos, já não morre mais; a
6.9
Ap 1.18
morte não domina mais sobre ele. 10Pois, quanto ao morrer, ele morreu uma só vez ao pecado; mas, quanto ao viver, vive para Deus. 11Assim vós também considerai-vos
6.11
Rm 6.2
Rm 7.4,6
Gl 2.19
Cl 2.20
3.3
1Pe 2.24
mortos ao pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus.

12Não

6.12
Rm 6.14
reine, pois, o pecado no vosso corpo mortal, para obedecerdes às suas concupiscências, 13nem
6.13
Rm 7.5Cl 3.5
Rm 6.16,19
ofereçais os vossos membros ao pecado, como instrumentos de injustiça, mas
6.13
Rm 12.1
2Co 5.141Pe 2.24
oferecei-vos a Deus, como ressuscitados dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça. 14Porque
6.14
Rm 8.2,12
o pecado não
6.14
Rm 6.12
terá domínio sobre vós; visto que
6.14
cp.
não estais debaixo da lei, mas
6.14
Rm 5.17,21
debaixo da graça.

A lei e a graça. Analogia de escravidão

15Pois quê?

6.15
Rm 6.1
Havemos de pecar, porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça?
6.15
Lc 20.16
Rm 6.2
De modo nenhum! 16
6.16
Rm 11.2
1Co 3.16
5.6
6.2-3,9,15-16,19
9.13,24
Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, deste mesmo a quem obedeceis
6.16
Jo 8.342Pe 2.19
sois servos, quer seja do
6.16
Rm 6.21,23
pecado, para a morte, quer da obediência, para a justiça? 17Porém
6.17
cp.
graças a Deus que, embora fôsseis servos do pecado, obedecestes de coração
6.17
cp.
à forma de doutrina a que fostes entregues; 18e,
6.18
cp.
libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça. 19Humanamente
6.19
Rm 3.5
falo por causa da fraqueza da vossa carne. Assim
6.19
Rm 6.13
como oferecestes os vossos membros como servos à imundícia e à iniquidade para a iniquidade, assim oferecei agora os vossos membros como servos à justiça para santificação. 20Pois,
6.20
Rm 6.16
Mt 6.24
quando éreis escravos do pecado, fostes livres em relação à justiça. 21Que
6.21
Rm 7.5Jr 12.13
Ez 16.63
proveito tivestes então? Apenas coisas de que agora vos envergonhais; pois o fim delas é
6.21
Rm 6.16,23
Rm 1.32
8.6,13
Gl 6.8Rm 5.12
morte. 22Mas, agora, libertados do pecado e feitos
6.22
1Co 7.22
1Pe 2.16
servos de Deus, tendes o vosso
6.22
cp.
proveito para a santificação
6.22
1Pe 1.9
e, por fim, a vida eterna. 23Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom de Deus é
6.23
Rm 5.21
8.39
Mt 25.46
a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.