Tradução Brasileira (2010) (TB)
16

A primeira praga

161Ouvi uma grande voz, vinda do

16.1
Ap 11.19
santuário, dizendo aos
16.1
Ap 15.1
sete anjos: Ide e
16.1
Ap 16.2Sl 79.6
Jr 10.25
Ez 22.31
Sf 3.8
derramai sobre a terra as
16.1
cp.
sete taças da ira de Deus.

2Foi o primeiro e derramou a sua taça

16.2
cp.
sobre a terra. Veio uma
16.2
Ap 16.11Êx 9.9-11
Dt 28.35
chaga cruel e maligna sobre os homens
16.2
Ap 13.15-17
14.9
que tinham a marca da besta e sobre os que adoravam a sua imagem.

A segunda praga

3Derramou o segundo anjo a sua taça

16.3
cp.
sobre o mar. O mar tornou-se em sangue como de um morto, e morreu toda alma vivente das que estavam no mar.

A terceira praga

4Derramou o terceiro a sua taça sobre

16.4
Ap 8.10
os rios e sobre as fontes das águas. Estas
16.4
Êx 7.17-20Ap 11.6
se converteram em sangue. 5E ouvi o anjo das águas dizendo:
16.5
Jo 17.25
Tu és justo, tu
16.5
Ap 11.17
que és e que eras,
16.5
Ap 15.4
o Santo, porque isso
16.5
Ap 6.10
julgaste; 6pois derramaram
16.6
Ap 18.2417.6
sangue de santos e de profetas, e tu lhes tens dado
16.6
cp.
sangue a beber; eles o merecem. 7Ouvi
16.7
Ap 6.9
14.18
o altar dizendo: Certamente,
16.7
Ap 1.8
Senhor Deus, Todo-Poderoso,
16.7
Ap 19.215.3
verdadeiros e justos são os teus juízos.

A quarta praga

8O quarto derramou a sua taça sobre

16.8
cp.
o sol.
16.8
cp.
Foi-lhe permitido queimar os homens com fogo. 9Os homens foram queimados com grande calor, e eles
16.9
Ap 16.11,21
blasfemaram o nome de Deus, que tinha poder sobre essas pragas;
16.9
Ap 2.21
e não se arrependeram para
16.9
Ap 11.13
lhe darem glória.

A quinta praga

10O quinto derramou a sua taça sobre

16.10
Ap 13.2
o trono da besta. O seu reino foi mergulhado
16.10
cp.
em trevas, e os homens mordiam, de dor, as suas línguas, 11e blasfemaram
16.11
Ap 11.13
o Deus do céu, por causa das suas dores e das suas chagas; e não se arrependeram das suas obras.

A sexta praga

12O sexto derramou a sua taça sobre o

16.12
Ap 9.14
grande rio Eufrates.
16.12
cp.
Secaram-se as suas águas, para
16.12
cp.
que fosse preparado o caminho para os reis vindos
16.12
Ap 7.2
do oriente. 13Vi, saindo da boca do
16.13
Ap 12.3
dragão, e da boca da
16.13
Ap 13.1
besta, e da boca do
16.13
Ap 19.20
20.1013.11,14
falso profeta, três
16.13
Ap 18.2
espíritos imundos semelhantes a
16.13
cp.
rãs; 14pois estes são
16.14
cp.
espíritos de demônios,
16.14
Ap 13.13
fazendo milagres, que saem ao encontro dos reis do
16.14
Ap 3.10
mundo inteiro,
16.14
Ap 20.817.14
19.19
1Rs 22.21-23
para os ajuntar para a guerra do
16.14
Ap 6.17
Grande Dia do Deus Todo-Poderoso 15(Eis que
16.15
Ap 3.3,11
venho como ladrão;
16.15
Lc 12.37
bem-aventurado aquele que vigia e que guarda as suas vestes,
16.15
Ap 3.18
para que não ande nu, e vejam a sua vergonha.) 16Eles
16.16
Ap 19.19
os ajuntaram no lugar chamado,
16.16
Ap 9.11
em hebraico,
16.16
Jz 5.19
2Rs 23.292Cr 35.22Zc 12.11
Armagedom.

A sétima praga

17O sétimo derramou a sua taça no

16.17
cp.
ar. Saiu uma
16.17
Ap 11.15
grande voz do
16.17
Ap 14.15
santuário, da banda do trono, dizendo:
16.17
Ap 21.610.6
Está feito! 18Sobrevieram
16.18
Ap 4.5
relâmpagos, vozes e trovões, e houve um
16.18
Ap 6.12
grande terremoto, tão grande e tão forte,
16.18
Dn 12.1
Mt 24.21
como nunca houve semelhante desde que existiram homens sobre a terra. 19
16.19
Ap 17.18
18.10,18-19,2111.8
A grande cidade foi dividida em três partes, e as cidades das nações caíram.
16.19
Ap 18.5
Deus lembrou-se da
16.19
Ap 14.8
grande Babilônia, para lhe dar a beber
16.19
Ap 14.10
o cálice do vinho do furor da sua ira. 20
16.20
Ap 6.1420.11
Toda a ilha fugiu, e os montes não foram achados. 21Uma
16.21
Ap 11.198.7
grande chuva de pedras, cada pedra quase do peso de um talento, caiu do céu sobre os homens; e os homens
16.21
Ap 16.9,11
blasfemaram de Deus, por causa da praga da chuva de pedras, pois a sua
16.21
cp.
praga era grande em extremo.

17

A visão da grande prostituta. A explicação da visão

171

17.1
Ap 21.91.1
Veio um dos
17.1
Ap 15.1
sete anjos que tinham as
17.1
Ap 15.7
sete taças e falou comigo: Vem cá, e mostrar-te-ei a
17.1
cp.
sentença da
17.1
Ap 17.5,15Ap 19.2
Na 3.4Is 1.21
Jr 2.20
grande prostituta
17.1
Ap 17.15Jr 51.13
que está sentada sobre muitas águas. 2Com ela fornicaram
17.2
Ap 18.3,92.22
os reis da terra,
17.2
Ap 17.83.10
e os habitantes da terra
17.2
Ap 14.8
foram embebedados com o vinho da sua fornicação. 3Então,
17.3
Ap 21.10
ele me levou,
17.3
cp.
pelo Espírito, a
17.3
Ap 12.6,1421.10
um deserto. Vi uma mulher sentada sobre
17.3
cp.
uma besta cor de escarlata, cheia de
17.3
Ap 13.1
nomes de blasfêmia, que tinha
17.3
Ap 17.7,9,12,1612.3
sete cabeças e dez chifres. 4A mulher estava
17.4
Ap 18.1612
Ez 28.13
vestida de púrpura e de escarlata e adornada de ouro, de pedras preciosas e de pérolas, tendo na mão
17.4
Jr 51.7Ap 18.6
um cálice de ouro, cheio de abominações, isto é, as imundícias da sua fornicação. 5Na sua testa estava escrito um nome:
17.5
Ap 17.7
2Ts 2.7Ap 1.20
MISTÉRIO,
17.5
Ap 14.8
16.19
A GRANDE BABILÔNIA, A MÃE DAS PROSTITUTAS E DAS
17.5
cp.
ABOMINAÇÕES DA TERRA. 6Vi a mulher embriagada com
17.6
Ap 16.6
o sangue dos santos e com o sangue dos mártires de Jesus. Quando a vi, fiquei espantado, com grande admiração. 7O anjo perguntou-me: Por que te admiraste? Eu te direi o mistério da mulher e da besta que a leva, que tem as sete cabeças e os dez chifres. 8A besta que viste
17.8
Ap 17.1113.3,12,14
era, e já não é, e ela
17.8
Ap 11.713.1
há de subir do
17.8
Ap 9.1
13.1
abismo, e
17.8
Ap 17.1113.10
vai-se para a perdição.
17.8
Ap 3.10
Os habitantes da terra,
17.8
Ap 3.5
cujos nomes não estão escritos no livro da vida
17.8
Ap 13.8
Mt 25.34
desde o princípio do mundo,
17.8
Ap 13.3
se admirarão, vendo a besta que era, e que já não é, e que virá. 9
17.9
cp.
Aqui está a mente que tem sabedoria.
17.9
Ap 17.3
As sete cabeças são sete montes, sobre os quais está sentada a mulher. 10Elas são também sete
17.10
cp.
reis; estão caídos cinco, existe um, e o outro ainda não veio. Quando vier, importa que dure pouco tempo. 11A besta que era, e que já não é, é também o oitavo rei e é um dos sete; e vai-se para a perdição. 12
17.12
Ap 17.1612.313.1
Os dez chifres que viste são dez reis, os quais ainda não receberam o reino; mas eles receberam autoridade como reis, juntamente com a besta,
17.12
cp.
por uma hora. 13Estes estão
17.13
cp.
todos de acordo e entregam o seu poder e autoridade à besta. 14Eles
17.14
cp.
pelejarão contra o Cordeiro, e o Cordeiro
17.14
cp.
os vencerá, porque é
17.14
Ap 19.16
1Tm 6.15
Senhor dos senhores e Rei dos reis; também
17.14
Ap 2.10
vencerão os que estão com ele,
17.14
cp.
os chamados, os escolhidos e os fiéis. 15Disse-me: As
17.15
Ap 17.1Is 8.7
Jr 47.2
águas que viste, sobre as quais está sentada a prostituta, são
17.15
Ap 5.9
povos, multidões, nações e línguas. 16Os
17.16
Ap 17.12
dez chifres que viste e a besta, estes odiarão a prostituta, e a farão
17.16
Ap 18.17,19
desolada e
17.16
Ez 16.37,39
nua, e
17.16
Ap 19.18
comerão as suas carnes, e
17.16
Ap 18.8
a queimarão no fogo. 17Pois
17.17
2Co 8.16
Deus lhes pôs nos corações o executarem o que é do agrado dele,
17.17
cp.
e o chegarem a um acordo, e entregarem o seu reino à besta, até que
17.17
Ap 10.7
as palavras de Deus fossem cumpridas. 18A mulher que viste é
17.18
Ap 16.1911.8
a grande cidade, que reina sobre os reis da terra.

18

A queda da Babilônia. O terror na terra, mas a alegria nos céus

181Depois disso, vi

18.1
Ap 10.1
descendo do céu
18.1
cp.
outro anjo, que tinha grande autoridade, e a terra ficou
18.1
Ez 43.2
iluminada com a sua glória. 2Clamou com voz forte, dizendo:
18.2
Ap 14.8
Caiu, caiu a grande Babilônia;
18.2
cp.
tem-se tornado uma morada de demônios, guarida de todos os
18.2
Ap 16.13
espíritos impuros e guarida de aves imundas e detestáveis, 3porque todas as nações têm bebido do
18.3
Ap 14.8
vinho da ira da sua fornicação.
18.3
Ap 18.9
Ap 17.2
Os reis da terra fornicaram com ela, e os
18.3
Ap 18.11,1518.23
Ez 27.9-25
mercadores da terra se enriqueceram com a sua
18.3
cp.
excessiva luxúria.

4Ouvi outra voz do céu, dizendo:

18.4
Is 52.11
Jr 50.8
51.6,9,45
2Co 6.17
Sai dela, povo meu, para não serdes participantes dos seus pecados, nem terdes parte nas suas pragas; 5porque os seus pecados
18.5
Jr 51.9
se acumularam até o céu, e Deus
18.5
Ap 16.19
lembrou-se dos atos iníquos dela. 6
18.6
Sl 137.8
Jr 50.15,29
Retribuí-lhe também como ela retribuiu, pagai-lhe com dobro segundo as suas obras. No
18.6
cp.
cálice que ela preparou, preparai para ela o dobro. 7
18.7
cp.
Quanto teve ela de glória e de luxúria, tanto lhe dai de tormento e de pranto. Pois diz no seu coração:
18.7
Is 47.7Sf 2.15
Estou sentada como rainha, e não sou viúva e não verei o pranto. 8Por isso,
18.8
Is 47.9
Jr 50.31Ap 18.10
num só dia, virão as suas pragas: a morte, e o pranto, e a fome, e ela será
18.8
Ap 17.16
queimada no fogo; porque
18.8
cp.
forte é o Senhor Deus, que a julgou. 9
18.9
Ap 18.9
Ap 17.2
Os reis da terra, que fornicaram com ela e
18.9
cp.
participaram da sua luxúria,
18.9
cp.
chorarão e se lamentarão sobre ela,
18.9
Ap 18.18Ap 14.11
19.3
ao verem o fumo do seu incêndio, 10
18.10
Ap 18.15,17
estando de longe, por medo dos tormentos dela, dizendo:
18.10
Ap 18.16,19
Ai! Ai da
18.10
Ap 18.16,18-19,2111.8
16.19
grande cidade, da Babilônia, da cidade forte! Pois, em
18.10
Ap 18.17,19
Ap 17.12Ap 18.8
uma só hora, veio a tua sentença. 11Os
18.11
Ap 18.3,1518.23
Ez 27.9-25
mercadores da terra
18.11
Ez 27.27-34
chorarão e prantearão sobre ela, porque ninguém compra mais as suas mercadorias, 12mercadorias de
18.12
cp.
ouro, e de prata, e de pedras preciosas, e de pérolas, e de linho finíssimo, e de púrpura, e de seda, e de escarlata, e de toda madeira de tuia, e de todos os móveis de marfim, e de todos os móveis de madeiras preciosíssimas, e de latão, e de ferro, e de mármore, 13e de cinamomo, e de amomo, e de perfume, e de mirra, e de incenso, e de vinho, e de azeite, e de flor de farinha, e de trigo, e de gado, e de ovelhas, e de cavalos, e de carros, e de escravos,
18.13
cp.
e de almas de homens. 14Os frutos que a tua alma cobiçou apartaram-se de ti, e todas as coisas delicadas e esplêndidas se perderam de ti, e não as acharão os homens jamais. 15Os mercadores
18.15
Ap 18.12,13
dessas coisas, que, por ela, se enriqueceram,
18.15
Ap 18.10
ficarão de longe, por medo dos tormentos dela, chorando e pranteando, 16dizendo:
18.16
Ap 18.10,19
Ai! Ai da grande cidade, da que
18.16
Ap 17.4
estava vestida de linho finíssimo, e de púrpura, e de escarlata, e que se adornava de ouro, e de pedras preciosas, e de pérolas! 17Porque,
18.17
Ap 18.19
Ap 17.16
numa só hora, se têm perecido tantas riquezas.
18.17
Ez 27.28
Todos os comandantes, e todos os que navegam para qualquer porto, e os marinheiros, e todos os que vivem do mar estiveram ao longe 18e, ao verem a fumaça do incêndio dela,
18.18
Ez 27.30
clamavam, dizendo:
18.18
Ez 27.32Ap 13.4
Que cidade é semelhante à grande cidade? 19Lançavam
18.19
Js 7.6
Jó 2.12
Lm 2.10
pó sobre as suas cabeças e clamavam, chorando e pranteando: Ai! Ai da grande cidade, onde, por sua opulência,
18.19
Ap 18.3,15
se enriqueceram todos quantos tinham navios sobre o mar! Pois, em uma só hora, foi ela transformada em deserto. 20
18.20
Jr 51.48
Ap 12.12
Exulta sobre ela, ó céu, e vós santos, e
18.20
cp.
apóstolos, e profetas, porque
18.20
Ap 19.2Ap 18.66.10
Deus julgou a vossa causa quanto a ela.

A ruína é completa

21Um

18.21
Ap 5.2
10.1
forte anjo
18.21
cp.
levantou uma pedra como uma grande pedra de moinho e lançou-a no mar, dizendo: Assim com violência será precipitada Babilônia, a grande cidade, e ela não será mais achada. 22
18.22
Is 24.8
Ez 26.13
Mt 9.23
O som dos harpistas, dos músicos, dos tocadores de flauta e de trombeta não se ouvirá mais em ti, nem se achará mais em ti artífice de qualquer arte que seja;
18.22
Ec 12.4
Jr 25.10
o ruído do moinho não se ouvirá mais em ti, 23nem a luz de candeeiro luzirá mais em ti; e jamais se ouvirá em ti
18.23
Jr 7.34
16.9
a voz de noivo ou de noiva; pois os teus
18.23
Is 23.8Ap 18.3
Ap 6.15
mercadores eram os príncipes da terra, porque,
18.23
Na 3.4
Ap 9.21
por tua feitiçaria, foram seduzidas todas as nações, 24e nela foi achado
18.24
Ap 16.617.6
o sangue dos profetas, dos santos e
18.24
cp.
de todos os que foram mortos sobre a terra.