Tradução Brasileira (2010) (TB)
16

A primeira praga

161Ouvi uma grande voz, vinda do

16.1
Ap 11.19
santuário, dizendo aos
16.1
Ap 15.1
sete anjos: Ide e
16.1
Ap 16.2Sl 79.6
Jr 10.25
Ez 22.31
Sf 3.8
derramai sobre a terra as
16.1
cp.
sete taças da ira de Deus.

2Foi o primeiro e derramou a sua taça

16.2
cp.
sobre a terra. Veio uma
16.2
Ap 16.11Êx 9.9-11
Dt 28.35
chaga cruel e maligna sobre os homens
16.2
Ap 13.15-17
14.9
que tinham a marca da besta e sobre os que adoravam a sua imagem.

A segunda praga

3Derramou o segundo anjo a sua taça

16.3
cp.
sobre o mar. O mar tornou-se em sangue como de um morto, e morreu toda alma vivente das que estavam no mar.

A terceira praga

4Derramou o terceiro a sua taça sobre

16.4
Ap 8.10
os rios e sobre as fontes das águas. Estas
16.4
Êx 7.17-20Ap 11.6
se converteram em sangue. 5E ouvi o anjo das águas dizendo:
16.5
Jo 17.25
Tu és justo, tu
16.5
Ap 11.17
que és e que eras,
16.5
Ap 15.4
o Santo, porque isso
16.5
Ap 6.10
julgaste; 6pois derramaram
16.6
Ap 18.2417.6
sangue de santos e de profetas, e tu lhes tens dado
16.6
cp.
sangue a beber; eles o merecem. 7Ouvi
16.7
Ap 6.9
14.18
o altar dizendo: Certamente,
16.7
Ap 1.8
Senhor Deus, Todo-Poderoso,
16.7
Ap 19.215.3
verdadeiros e justos são os teus juízos.

A quarta praga

8O quarto derramou a sua taça sobre

16.8
cp.
o sol.
16.8
cp.
Foi-lhe permitido queimar os homens com fogo. 9Os homens foram queimados com grande calor, e eles
16.9
Ap 16.11,21
blasfemaram o nome de Deus, que tinha poder sobre essas pragas;
16.9
Ap 2.21
e não se arrependeram para
16.9
Ap 11.13
lhe darem glória.

A quinta praga

10O quinto derramou a sua taça sobre

16.10
Ap 13.2
o trono da besta. O seu reino foi mergulhado
16.10
cp.
em trevas, e os homens mordiam, de dor, as suas línguas, 11e blasfemaram
16.11
Ap 11.13
o Deus do céu, por causa das suas dores e das suas chagas; e não se arrependeram das suas obras.

A sexta praga

12O sexto derramou a sua taça sobre o

16.12
Ap 9.14
grande rio Eufrates.
16.12
cp.
Secaram-se as suas águas, para
16.12
cp.
que fosse preparado o caminho para os reis vindos
16.12
Ap 7.2
do oriente. 13Vi, saindo da boca do
16.13
Ap 12.3
dragão, e da boca da
16.13
Ap 13.1
besta, e da boca do
16.13
Ap 19.20
20.1013.11,14
falso profeta, três
16.13
Ap 18.2
espíritos imundos semelhantes a
16.13
cp.
rãs; 14pois estes são
16.14
cp.
espíritos de demônios,
16.14
Ap 13.13
fazendo milagres, que saem ao encontro dos reis do
16.14
Ap 3.10
mundo inteiro,
16.14
Ap 20.817.14
19.19
1Rs 22.21-23
para os ajuntar para a guerra do
16.14
Ap 6.17
Grande Dia do Deus Todo-Poderoso 15(Eis que
16.15
Ap 3.3,11
venho como ladrão;
16.15
Lc 12.37
bem-aventurado aquele que vigia e que guarda as suas vestes,
16.15
Ap 3.18
para que não ande nu, e vejam a sua vergonha.) 16Eles
16.16
Ap 19.19
os ajuntaram no lugar chamado,
16.16
Ap 9.11
em hebraico,
16.16
Jz 5.19
2Rs 23.292Cr 35.22Zc 12.11
Armagedom.

A sétima praga

17O sétimo derramou a sua taça no

16.17
cp.
ar. Saiu uma
16.17
Ap 11.15
grande voz do
16.17
Ap 14.15
santuário, da banda do trono, dizendo:
16.17
Ap 21.610.6
Está feito! 18Sobrevieram
16.18
Ap 4.5
relâmpagos, vozes e trovões, e houve um
16.18
Ap 6.12
grande terremoto, tão grande e tão forte,
16.18
Dn 12.1
Mt 24.21
como nunca houve semelhante desde que existiram homens sobre a terra. 19
16.19
Ap 17.18
18.10,18-19,2111.8
A grande cidade foi dividida em três partes, e as cidades das nações caíram.
16.19
Ap 18.5
Deus lembrou-se da
16.19
Ap 14.8
grande Babilônia, para lhe dar a beber
16.19
Ap 14.10
o cálice do vinho do furor da sua ira. 20
16.20
Ap 6.1420.11
Toda a ilha fugiu, e os montes não foram achados. 21Uma
16.21
Ap 11.198.7
grande chuva de pedras, cada pedra quase do peso de um talento, caiu do céu sobre os homens; e os homens
16.21
Ap 16.9,11
blasfemaram de Deus, por causa da praga da chuva de pedras, pois a sua
16.21
cp.
praga era grande em extremo.