Tradução Brasileira (2010) (TB)
139

A onipresença e a onisciência de Deus

Ao cantor-mor. Salmo de Davi

1391Jeová, tu me

139.1
Sl 17.3
44.21
Jr 12.3
sondas e conheces.

2Tu

139.2
2Rs 19.27
conheces o meu sentar e o meu levantar;

de longe,

139.2
Sl 94.11
Is 66.18
entendes o meu pensamento.

3

139.3
Jó 14.16
31.4
Esquadrinhas a minha vereda e o meu pouso;

estás ciente de todos os meus caminhos.

4Pois ainda a palavra não está na minha língua,

já tu, Jeová, a

139.4
Hb 4.13
conheces toda.

5Por detrás e por diante, me

139.5
Sl 34.7
125.2
cercas

e

139.5
Jó 9.33
pões sobre mim a tua mão.

6Tal

139.6
Rm 11.33
conhecimento é
139.6
Jó 42.3
maravilhoso demais para mim;

elevado é, não o posso atingir.

7

139.7
Jr 23.24
Para onde me irei do teu Espírito?

Ou para onde fugirei da tua presença?

8

139.8
Am 9.2-4
Se eu subir aos céus, lá tu estás;

se eu fizer a minha cama no Sheol, eis

139.8
Jó 26.6
Pv 15.11
que estás ali.

9Se eu tomar as asas da alva,

e habitar nas extremidades do mar,

10ainda lá me

139.10
Sl 23.2-3
guiará a tua mão,

e me susterá a tua destra.

11Se eu disser: Certamente, as

139.11
Jó 22.13
trevas me encobrirão,

e a luz ao redor de mim se tornará noite;

12até as

139.12
Jó 34.22
Dn 2.22
trevas não são demasiado escuras para ti,

mas a noite resplandece como o dia.

Para ti, tanto fazem as

139.12
1Jo 1.5
trevas como a luz.

13Pois tu

139.13
Sl 119.73
Is 44.24
formaste os meus rins,

139.13
Jó 10.11
entrelaçaste-me no ventre de minha mãe.

14Graças te darei, pois sou assombrosa e maravilhosamente feito.

139.14
Sl 40.5
Maravilhosas são as tuas obras,

e a minha alma o sabe muito bem.

15Não te era oculta a minha

139.15
Jó 10.8-10
Ec 11.5
forma,

quando fui feito às ocultas

e primorosamente tecido nas

139.15
Sl 63.9
profundezas da terra.

16Os teus olhos viram a minha substância ainda informe;

e no

139.16
Sl 56.8
teu livro, foram escritos os dias,

todos

139.16
Jó 14.5
os dias que foram ordenados,

quando nenhum deles ainda existia.

17Para mim, quão preciosos são os teus

139.17
Sl 92.5
pensamentos, ó Jeová!

Quão grande é a soma deles!

18Se eu os contasse, são eles

139.18
Sl 40.5
mais numerosos do que a areia.

Quando

139.18
Sl 3.5
acordo, ainda estou contigo.

19Oxalá que

139.19
Is 11.4
tirasses a vida ao perverso, ó Deus.

139.19
Sl 6.8
119.115
Apartai-vos de mim,
139.19
Sl 5.6
homens sanguinários.

20Eles se

139.20
Jd 15
rebelam malvadamente contra ti,

e os teus inimigos

139.20
Êx 20.7
Dt 5.11
tomam em vão o teu nome.

21Não

139.21
Sl 26.5
31.6
aborreço eu, Jeová, os que te aborrecem?

Não

139.21
Sl 119.158
abomino eu os que se levantam contra ti?

22Aborreço-os com ódio completo;

eles se tornaram os meus inimigos.

23

139.23
Sl 26.2
Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração;

139.23
Sl 7.9
Pv 17.3
Jr 11.20
1Ts 2.4
prova-me e conhece os meus pensamentos;

24vê se em mim há algum

139.24
Sl 146.9
Pv 15.9
28.10
Jr 25.5
36.3
caminho de perversidade

e

139.24
Sl 5.8
143.10
guia-me pelo
139.24
Sl 16.11
caminho eterno.

140

O salmista ora para que seja livre de inimigos potentes e injustos

Ao cantor-mor. Salmo de Davi

1401

140.1
Sl 17.13
59.2
71.4
Livra-me, Jeová, do homem perverso,

preserva-me do homem

140.1
Sl 18.48
86.14
140.11
violento,

2os quais

140.2
Sl 7.14
36.4
52.2
Pv 6.14
Is 59.4
Os 7.15
imaginam maldades no seu coração;

estão sempre

140.2
Sl 56.6
forjando guerras.

3

140.3
Sl 57.4
64.3
Aguçam, qual serpente, a sua língua;

140.3
Sl 58.4
Rm 3.13
Tg 3.8
veneno de áspides está debaixo da sua língua. (Selá)

4Guarda-me, Jeová, das mãos dos perversos,

140.4
Sl 140.1
preserva-me do homem violento,

os quais procuram

140.4
Sl 36.11
transtornar os meus passos.

5Os soberbos

140.5
Sl 35.7
141.9
142.3
Jó 18.9
esconderam-me laços e cordas,

estenderam

140.5
Sl 31.4
57.6
Lm 1.13
uma rede à beira do caminho,

puseram-me

140.5
Sl 141.9
Is 8.14
Am 3.5
armadilhas. (Selá)

6

140.6
Sl 16.2
31.14
Digo a Jeová: Tu és o meu Deus;

140.6
Sl 143.1
dá ouvidos, Jeová,
140.6
Sl 116.1
130.2
à voz das minhas súplicas.

7Ó Senhor Jeová,

140.7
Sl 28.8
118.14
força da minha salvação,

tu

140.7
Sl 144.10
cobriste a minha cabeça no dia da batalha.

8Não concedas, Jeová, os

140.8
Sl 112.10
desejos do perverso;

não vá por diante

140.8
Sl 10.2-3
Et 9.25
o seu mau propósito, para que se não exaltem. (Selá)

9Quanto à cabeça dos que me cercam,

seja coberta com o

140.9
Sl 7.16
Pv 18.7
mal que fazem os seus lábios.

10Sobre eles caiam

140.10
Sl 11.6
brasas vivas;

140.10
Sl 21.9
Mt 3.10
ao fogo sejam eles atirados,

a abismos, para que não se

140.10
Sl 36.12
levantem mais.

11Não se estabelecerá na terra o caluniador;

140.11
Sl 34.21
o mal perseguirá o homem violento com golpe sobre golpe.

12Sei que Jeová

140.12
Sl 9.4
18.27
82.3
1Rs 8.45,49
manterá a causa do aflito

e o

140.12
Sl 12.5
35.10
direito do necessitado.

13Decerto os

140.13
Sl 97.12
justos darão graças ao teu nome;

os

140.13
Sl 11.7
16.11
17.15
retos habitarão na tua presença.

141

Uma oração vespertina para santificação e proteção

Salmo de Davi

1411Jeová, tenho

141.1
Sl 22.19
38.22
70.5
clamado a ti; dá-te pressa em me acudir;

141.1
Sl 5.1
143.1
dá ouvidos à minha voz, quando a ti clamo.

2Apresente-se a minha oração

141.2
Êx 30.8
Lc 1.10
Ap 5.8
8.3-4
como incenso diante de ti,

o erguer das minhas mãos, como

141.2
Êx 29.41
1Rs 18.29,36
Dn 9.21
a oblação da tarde.

3Põe

141.3
Sl 34.13
39.1
Pv 13.3
21.23
vigia, Jeová, à minha boca,

guarda as

141.3
Mq 7.5
portas dos meus lábios.

4Não

141.4
Sl 119.36
inclines o meu coração para o mal,

juntamente com homens que

141.4
Is 32.6
Os 6.8
Ml 3.15
obram iniquidade;

e não

141.4
Pv 23.6
coma eu das suas gulodices.

5Fira-me

141.5
Pv 9.8
19.25
25.12
27.6
Ec 7.5
Gl 6.1
o justo, e isso será uma mercê;

repreenda-me, e isso será como

141.5
Sl 23.5
133.2
óleo sobre a minha cabeça;

não o recuse à minha cabeça,

mas

141.5
Sl 35.14
continue ainda a minha oração contra a perversidade deles.

6Quando os seus juízes forem

141.6
2Cr 25.12
precipitados duma penha abaixo,

ouvirão eles as minhas palavras, que são suaves

7Como quando se

141.7
Sl 129.3
lavra e sulca a terra,

são

141.7
Sl 53.5
espalhados os nossos ossos à
141.7
Sl 88.3-5
Nm 16.32-33
entrada da sepultura.

8Pois em ti, Senhor Jeová, estão fitos

141.8
Sl 25.15
123.2
os meus olhos;

em ti

141.8
Sl 2.12
11.1
busco refúgio; não
141.8
Sl 27.9
derrames a minha vida.

9Guarda-me do

141.9
Sl 38.12
64.5
91.3
laço que eles me armaram

e das

141.9
Sl 140.5
armadilhas dos que obram iniquidade.

10

141.10
Sl 7.15
57.6
Caiam os perversos nas suas próprias redes,

enquanto que eu, ao mesmo tempo,

141.10
Sl 124.7
escape incólume.