Tradução Brasileira (2010) (TB)
105

As maravilhosas obras de Jeová a favor de Israel

1051Rendei graças a Jeová, invocai o seu nome;

fazei conhecidos os seus feitos entre os povos.

2Cantai-lhe, cantai-lhe louvores;

meditai em todas as suas maravilhas.

3Gloriai-vos no seu santo nome;

regozije-se o coração dos que buscam a Jeová.

4Buscai a Jeová e a sua fortaleza.

Buscai perpetuamente a sua face.

5Lembrai-vos das maravilhas que ele tem feito,

dos seus prodígios e dos juízos da sua boca,

6vós, descendência de Abraão, seu servo;

vós, filhos de Jacó, escolhidos seus.

7Ele, Jeová, é o nosso Deus;

os seus juízos estão em toda a terra.

8Lembra-se para sempre da sua aliança,

da palavra que ele ordenou para mil gerações;

9da aliança que fez com Abraão

e do juramento que deu a Isaque;

10e o confirmou a Jacó, por decreto,

a Israel, por aliança perpétua,

11dizendo: A ti darei a terra de Canaã

como quinhão da vossa herança,

12quando eles eram em pequeno número,

muito poucos e forasteiros nela;

13e andavam de nação em nação,

dum reino para outro povo.

14Não permitiu que alguém os ofendesse;

antes, por amor deles, repreendeu a reis,

15dizendo: Não toqueis os meus ungidos,

nem maltrateis os meus profetas.

16Chamou a fome sobre a terra;

quebrou todo o báculo do pão.

17Enviou diante deles um homem;

José foi vendido para ser escravo.

18Torturaram-lhe os pés com grilhões;

ele foi posto a ferros;

19até que chegasse o tempo para o cumprimento da sua palavra,

a promessa de Jeová o provou.

20O rei mandou soltá-lo;

o dominador dos povos deu-lhe liberdade.

21Constituiu-o senhor da sua casa

e governador de toda a sua fazenda,

22para sujeitar à sua vontade os seus príncipes

e ensinar aos seus anciãos a sabedoria.

23Israel também entrou no Egito,

e Jacó peregrinou na terra de Cam.

24Ele multiplicou grandemente ao seu povo

e o tornou mais forte do que os seus adversários.

25Mudou-lhes o coração, para que odiassem o seu povo

e usassem de enganos para com os seus servos.

26Ele enviou Moisés, seu servo,

e a Arão, a quem escolhera.

27Mostrou entre eles os seus sinais

e maravilhas na terra de Cam.

28Ele enviou trevas, e ficou escuro;

e não rebelaram contra as suas palavras.

29Converteu-lhes as águas em sangue

e matou-lhes os peixes.

30A terra deles produziu rãs em abundância,

até na câmara dos seus reis.

31Ele falou, e vieram enxames de moscas,

e piolhos, em todos seus termos.

32Deu-lhes saraiva por chuva

e fogo chamejante, na sua terra.

33Feriu-lhes também as vinhas e as figueiras

e quebrou-lhes as árvores dos seus termos.

34Ele falou, e vieram gafanhotos

e pulgões inumeráveis,

35que comeram toda a erva da terra

e comeram o fruto dos campos.

36Feriu também todos os primogênitos na terra deles,

as primícias de toda a sua força.

37Fê-los sair com prata e ouro,

e, entre as suas tribos, não havia quem tropeçasse.

38Regozijou-se o Egito, quando eles saíram,

porque foi presa do terror deles.

39Ele estendeu uma nuvem para servir de cobertura

e fogo, para alumiar de noite.

40Eles pediram, e ele fez vir codornizes

e os saciou do pão do céu.

41Fendeu a rocha, e brotaram águas,

as quais correram, qual rio, pelos lugares áridos.

42Porquanto ele se lembrou da sua santa palavra

e de Abraão, seu servo.

43Fez sair com alegria o seu povo

e, com canto de júbilo, os seus escolhidos.

44Deu-lhes as terras das nações,

e eles se apossaram dos trabalhos dos povos,

45para que lhe guardassem os estatutos

e lhe observassem as leis.

Louvai a Jeová!

106

As rebeliões de Israel e as libertações de Jeová

1061Louvai a Jeová.

Rendei graças a Jeová, porque ele é bom,

porque a sua benignidade dura para sempre.

2Quem poderá referir os poderosos feitos de Jeová

ou manifestar todo o seu louvor?

3Felizes são os que guardam a retidão,

e aquele que pratica a justiça, em todos os tempos.

4Lembra-te de mim, Jeová, com a misericórdia que dispensas ao teu povo;

visita-me com a tua salvação,

5para que veja eu a prosperidade dos teus escolhidos,

para que me regozije com a alegria da tua nação,

para que me glorie juntamente com a tua herança.

6Pecamos com nossos pais,

cometemos iniquidade e praticamos o mal.

7Nossos pais não entenderam as tuas maravilhas no Egito,

não se lembraram da multidão das tuas benignidades,

e foram rebeldes junto ao mar, ao mar Vermelho.

8Todavia, ele os salvou por amor do seu nome,

para lhes dar a conhecer o seu grande poder.

9Repreendeu também o mar Vermelho, o qual ficou enxuto;

assim, os conduziu pelos abismos como pelo deserto.

10Salvou-os da mão de quem os odiava

e remiu-os do poder do inimigo.

11As águas cobriram os seus adversários;

não ficou deles nem um só.

12Então, deram crédito às suas palavras

e cantaram-lhe o louvor.

13Bem depressa se esqueceram das suas obras

e não lhe aguardaram o conselho;

14mas deixaram-se levar da cobiça no deserto

e tentaram a Deus no ermo.

15Deu-lhes o que pediram,

mas enviou-lhes magreza às suas almas.

16Eles invejaram a Moisés no acampamento

e a Arão, o santo de Jeová.

17Abriu-se a terra, que tragou a Datã

e cobriu a gente de Abirão.

18Ateou-se um fogo no meio da sua gente;

a chama abrasou os perversos.

19Em Horebe, fizeram um bezerro

e adoraram uma imagem fundida.

20Assim, trocaram a sua glória

pelo simulacro de um boi que come erva.

21Esqueceram-se de Deus, seu Salvador,

que no Egito fizera grandezas,

22maravilhas na terra de Cam

e coisas tremendas junto ao mar Vermelho.

23Portanto, ele disse que ia exterminá-los; assim o teria feito,

se Moisés, seu escolhido, se não lhe houvesse interposto,

para impedir que a sua ira os destruísse.

24Eles desprezaram a terra aprazível

e não deram crédito à sua palavra;

25mas murmuraram nas suas tendas

e não deram ouvidos à voz de Jeová.

26Portanto, levantando a mão, jurou-lhes

que os havia de derribar no deserto;

27e que também lhes derribaria entre as nações a sua descendência

e os dispersaria pelas terras.

28Uniram-se também com Baal-Peor

e comeram os sacrifícios dos mortos.

29Assim, o provocaram à ira com as suas ações;

e a praga os assaltou.

30Então, se levantou Fineias e executou o juízo.

Assim, cessou a praga.

31Isso lhe foi imputado por justiça,

em todas as gerações para sempre.

32Também o indignaram junto às águas de Meribá,

de sorte que, por causa deles, resultou mal a Moisés.

33Porque eram rebeldes ao Espírito de Deus,

e Moisés falou imprudentemente com os seus lábios.

34Não exterminaram aos povos,

como Jeová lhes ordenou;

35antes, se mesclaram com as nações

e aprenderam-lhes as obras.

36Serviram-lhes os ídolos,

os quais se lhes converteram em laços.

37Sacrificaram seus filhos e filhas aos demônios

38e derramaram o sangue inocente, o sangue de seus filhos e filhas,

que eles sacrificaram aos ídolos de Canaã.

A terra foi manchada com sangue.

39Assim, se contaminaram com as suas obras

e se prostituíram nos seus feitos.

40Por isso, se acendeu a ira de Jeová contra o seu povo,

e ele abominou a sua herança.

41Entregou-os ao poder das nações,

e, sobre eles, dominavam os que os odiavam.

42Oprimiram-nos também os seus inimigos,

e, sob o poder destes, foram humilhados.

43Muitas vezes, os livrou;

mas eles, rebeldes, permaneceram no seu conselho

e, por sua iniquidade, foram abatidos.

44Todavia, olhou para a sua angústia,

quando lhes ouviu o clamor;

45recordou a favor deles a sua aliança

e se arrependeu segundo a multidão das suas benignidades.

46Fê-los também receber compaixão

da parte de todos os que os levaram cativos.

47Salva-nos, Jeová, Deus nosso,

e congrega-nos dentre as nações,

para darmos graças ao teu santo nome

e gloriarmo-nos no teu louvor.

48Bendito seja Jeová, Deus de Israel,

desde a eternidade até a eternidade!

E diga o povo todo: Amém!

Louvai a Jeová!

107

LIVRO V

A bondade de Deus em proteger os viajantes, os encarcerados, os doentes, os que navegam e, em geral, todos os homens

1071Dai graças a Jeová, porque ele é bom;

porque a sua benignidade dura para sempre.

2Digam-no os remidos de Jeová,

os quais ele remiu da mão do adversário

3e os congregou dentre as terras,

do Oriente e do Ocidente,

do Norte e do Sul.

4Andaram no deserto errantes por caminho ermo;

não acharam cidade alguma em que morassem.

5Andavam famintos e sedentos;

neles, desfalecia a sua alma.

6Na sua tribulação, clamaram a Jeová,

e ele os livrou das suas angústias.

7Conduziu-os também por caminho direito,

para que fossem ter a uma cidade em que morassem.

8Deem graças a Jeová pela sua benignidade

e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens!

9Porque ele sacia a alma sequiosa

e enche de bens a alma faminta.

10Aqueles que se assentaram nas trevas e na sombra da morte,

presos em aflição e em ferros,

11por se rebelarem contra as palavras de Deus

e desprezarem o conselho do Altíssimo,

12de modo que lhes abateu com trabalho o coração;

caíram, e não houve quem os socorresse.

13Então, clamaram a Jeová, na sua tribulação,

e ele os livrou das suas angústias.

14Tirou-os das trevas e da sombra da morte

e despedaçou-lhes as cadeias.

15Deem graças a Jeová pela sua benignidade

e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens!

16Porque arrombou as portas de bronze

e cortou as trancas de ferro.

17Os estultos, por causa da sua transgressão

e por causa das suas iniquidades, são aflitos.

18A sua alma aborrece toda sorte de comida,

e eles se aproximam das portas da morte.

19Na sua tribulação, clamam a Jeová,

e ele os livra das suas angústias.

20Envia a sua palavra, e os sara,

e livra-os dos seus perigos.

21Deem graças a Jeová pela sua benignidade

e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens!

22Ofereçam sacrifícios de ação de graças

e celebrem as suas obras com canto de júbilo.

23Aqueles que descem ao mar, embarcando em navios,

aqueles que fazem tráfico nas grandes águas,

24estes veem as obras de Jeová

e as suas maravilhas no profundo.

25Pois ele manda e faz levantar o vento tempestuoso,

que eleva as ondas do mar.

26Eles montam ao céu, descem ao abismo;

esvaece-lhes a alma de aflição.

27Balouçam, e cambaleiam como um bêbado,

e perdem todo o tino.

28Na sua tribulação, clamam a Jeová,

e ele os tira das suas angústias.

29Torna a tempestade em bonança,

de maneira que acalmam as ondas.

30Então, eles se alegram, porque as ondas se aquietaram;

assim, ele os conduz ao porto que desejam.

31Deem graças a Jeová pela sua benignidade

e pelas suas maravilhas para com os filhos dos homens!

32Exaltem-no também na assembleia do povo

e louvem-no no concílio dos anciãos!

33Ele converte rios em deserto

e mananciais de água, em terra sedenta;

34terra fértil, em deserto salgado,

por causa da maldade dos que nela habitam.

35Converte o deserto em lago de água

e a terra seca, em mananciais de água.

36Ali, faz habitar os famintos,

os quais edificam uma cidade em que habitem.

37Eles semeiam campos e plantam vinhas

que produzam frutos abundantes.

38Também os abençoa, de sorte que se multiplicam sobremaneira;

e não permite que o seu gado diminua.

39São, depois, reduzidos a poucos e abatidos

Pela opressão, pela adversidade e pela tristeza.

40Ele lança o desprezo sobre príncipes

e os faz vagar no ermo, onde não há caminho.

41Todavia, põe o necessitado num alto retiro, fora do alcance da aflição,

e dá-lhe famílias como um rebanho.

42Veem os retos e alegram-se;

e toda a iniquidade fechará a boca.

43Quem é sábio observe essas coisas,

e ponderem os que são tais as benignidades de Jeová.