Tradução Brasileira (2010) (TB)
29

291Aquele que, sendo

29.1
Pv 1.24-31
1Sm 2.25
2Cr 36.16
muitas vezes repreendido, endurece a sua cerviz

será,

29.1
Pv 6.15
de repente, quebrantado, sem que haja remédio.

2Quando se multiplicam

29.2
Pv 11.10
28.12
Et 8.15
os justos, regozija-se o povo;

mas,

29.2
Pv 28.15
quando o perverso toma o governo, o povo geme.

3O homem que

29.3
Pv 10.1
15.20
27.11
28.7
ama a sabedoria alegra a seu pai;

mas quem

29.3
Pv 5.10
6.26
Lc 15.30
frequenta a companhia das prostitutas disperdiça a sua fazenda.

4

29.4
Pv 29.14
8.15
2Cr 9.8
O rei pela justiça estabelece a terra,

mas o

29.4
Pv 15.27
amigo de impostos a transtorna.

5O homem que

29.5
Sl 5.9
lisonjeia ao seu próximo

arma-lhe uma rede aos passos.

6Na transgressão do homem mau, há

29.6
Pv 22.5
Ec 9.12
laço,

mas o justo

29.6
Êx 15.1
jubila e se regozija.

7

29.7
Pv 31.8-9
Jó 29.16
Sl 41.1
O justo toma conhecimento da causa dos pobres;

o perverso não tem conhecimento para a conhecer.

8Os homens escarnecedores

29.8
Pv 11.11
abrasam a cidade,

mas os

29.8
Pv 16.14
sábios desviam a ira.

9Se o homem sábio disputar com o insensato,

quer se agaste, quer se ria, não haverá descanso.

10

29.10
Gn 4.5-8
1Jo 3.12
Os sanguinolentos aborrecem o íntegro;

e, quanto ao reto, procuram tirar-lhe a vida.

11

29.11
Pv 12.16
14.33
O tolo derrama toda a sua ira,

mas

29.11
Pv 19.11
o sábio a reprime e aplaca.

12Se

29.12
1Rs 12.14
o governador atende às mentiras,

todos os seus servos são perversos.

13

29.13
Pv 22.2
O pobre e o opressor se encontram;

Jeová

29.13
Ed 9.8
Sl 13.3
alumia os olhos de ambos.

14

29.14
Sl 72.4
Is 11.4
O rei que julga fielmente os pobres

terá

29.14
Pv 16.12
25.5
o seu trono estabelecido para sempre.

15

29.15
Pv 13.24
22.15
A vara e a repreensão dão sabedoria,

mas a criança deixada a si

29.15
Pv 10.1
17.25
envergonha a sua mãe.

16Quando os perversos se multiplicam, multiplicam-se as transgressões;

mas os

29.16
Pv 21.12
Sl 37.34,36
58.10
91.8
92.11
justos verão a queda deles.

17

29.17
Pv 29.15
Corrige o teu filho, e ele te fará descansar;

ele

29.17
Pv 10.1
trará delícias à tua alma.

18Onde não há

29.18
1Sm 3.1
Sl 74.9
Am 8.11-12
revelação, o povo fica
29.18
Êx 32.25
sem freio;

mas aquele

29.18
Pv 8.32
Sl 1.1-2
106.3
119.2
Jo 13.17
que guarda a lei, este é feliz.

19O servo se não emendará com palavras,

porque, ainda que entenda, não obedecerá.

20Vês tu um homem

29.20
Tg 1.19
precipitado no falar?

29.20
Pv 26.12
Mais esperança há para o tolo do que para ele.

21Aquele que cria delicadamente ao seu servo desde a meninice,

nele, terá por fim

29.21
Pv 30.23
um filho.

22

29.22
Pv 15.18
26.21
O homem irascível excita rixas,

29.22
Pv 17.19
e o furioso multiplica transgressão.

23

29.23
Pv 11.2
16.18
2Sm 22.28
Dn 4.30-31
Mt 23.12
Tg 4.6
A soberba do homem o abaterá,

mas o

29.23
Pv 15.33
18.12
22.4
Is 66.2
Lc 14.11
18.14
Tg 4.10
humilde de espírito receberá honra.

24Aquele que é sócio dum ladrão

29.24
Pv 15.32
aborrece a sua alma;

29.24
Lv 5.1
ouve-o sob juramento e nada denuncia.

25

29.25
Gn 12.12
20.2
Lc 12.4
Jo 12.42-43
O medo do homem traz um laço,

mas quem

29.25
Pv 18.10
28.25
Sl 91.1-16
confia em Jeová está seguro.

26

29.26
Pv 19.6
Muitos procuram o favor do governador,

mas a

29.26
Is 49.4
1Co 4.4
sentença de cada um vem de Jeová.

27

29.27
Pv 12.8
Sl 6.8
139.21-22
O homem injusto é abominação aos justos,

29.27
Pv 29.10
Sl 69.4
Mt 10.22
24.9
Jo 15.18
17.14
1Jo 3.13
e o reto no seu caminho é abominação ao perverso.

30

Várias observações referentes aos homens e às coisas

301Palavras de Agur, filho de Jaque:

30.1
Pv 31.1
o oráculo.

Diz o homem a Itiel, a Itiel e a Ucal:

2Na verdade, sou mais

30.2
Pv 12.1
Sl 49.10
estúpido do que qualquer homem;

não tenho a inteligência de homem.

3Não tenho aprendido a sabedoria,

nem tenho

30.3
Pv 9.10
conhecimento do Santo.

4Quem

30.4
Sl 68.18
Jo 3.13
Ef 4.8
subiu ao céu e desceu?

Quem encerrou o

30.4
Êx 15.10
Sl 135.7
vento nos seus punhos?

Quem

30.4
Jó 26.8
38.8-9
amarrou as águas num vestido?

Quem

30.4
Sl 24.2
Is 45.18
estabeleceu todas as extremidades da terra?

Qual é o seu

30.4
Ap 19.12
nome, e qual é o nome de seu filho, se o sabes?

5Toda

30.5
Sl 12.6
18.30
palavra de Deus é provada.

Ele é um

30.5
Pv 2.7
Sl 3.3
84.11
escudo para os que nele confiam.

6

30.6
Dt 4.2
12.32
Ap 22.18
Nada acrescentes às suas palavras,

para que ele não te repreenda, e tu sejas achado mentiroso.

7Duas coisas te peço;

não mas negues, antes que eu morra:

8Alonga de mim a vaidade e as mentiras,

não me dês nem a pobreza nem as riquezas;

dá-me o

30.8
Jó 23.12
Mt 6.11
alimento que me é necessário,

9para não suceder que, estando eu

30.9
Dt 8.12
31.20
Ne 9.25
Os 13.6
farto, eu
30.9
Js 24.27
Jó 31.28
te negue e diga: Quem é Jeová?

Ou que, estando

30.9
Pv 6.30
pobre, me ponha a furtar

30.9
Êx 20.7
e profane o nome do meu Deus.

10Não calunies o servo diante do seu senhor,

para que ele não te

30.10
Ec 7.21
amaldiçoe, e tu sejas tido por culpado.

11Há gente que

30.11
Pv 20.20
Êx 21.17
amaldiçoa a seu pai

e que não abençoa a sua mãe.

12Há gente que é

30.12
Pv 16.2
Lc 18.11
pura aos seus olhos

e, contudo, não foi lavada da sua imundícia.

13Há gente (Ó quão

30.13
Pv 6.17
Is 2.11
5.15
altivos são os seus olhos!)

cujas pálpebras são levantadas para cima.

14Há gente cujos

30.14
Sl 57.4
dentes são como espadas e cujos
30.14
Jó 29.17
queixais são como facas,

30.14
Sl 14.4
Am 8.4
para devorar da terra os pobres e, dentre os homens, os necessitados.

15A sanguessuga tem duas filhas, que dizem: Dá! Dá!

Há três coisas que nunca se fartam,

sim, quatro que não dizem: Basta:

16

30.16
Pv 27.20
a sepultura,
30.16
Gn 30.1
a madre estéril,

a terra que não se farta de água,

e o fogo que não diz: Basta.

17Os olhos de quem

30.17
Gn 9.22
zomba de seu pai

e de quem

30.17
Pv 15.20
23.22
despreza a obediência a sua mãe,

30.17
Dt 28.26
os corvos do vale os arrancarão,

e os filhos da águia os comerão.

18Há três coisas que são maravilhas demais para mim,

sim, há quatro que não conheço:

19O caminho da

30.19
Dt 28.49
Jr 48.40
49.22
águia no ar,

o caminho da serpente sobre a pedra,

o caminho do navio no meio do mar,

e o caminho do homem com uma moça.

20Tal é o caminho duma

30.20
Pv 5.6
mulher adúltera:

ela come e limpa a boca

e diz: Não fiz mal nenhum.

21Com três coisas estremece a terra

e com quatro não pode subsistir:

22com o

30.22
Pv 19.10
escravo quando reina,

com o tolo quando

30.22
Pv 30.9
se farta de comer,

23com a

30.23
Pv 12.4
mulher desdenhada quando se casa

e com a escrava que é

30.23
Pv 29.21
herdeira da sua senhora.

24Quatro coisas há na terra que são pequenas,

mas que são extremamente sábias:

25

30.25
Pv 6.6-8
as formigas são povo sem força;

contudo, preparam no verão a sua comida;

26

30.26
Lv 11.5
Sl 104.18
os querogrilos são povo débil;

contudo, fazem as suas casas nos rochedos;

27os gafanhotos não têm rei;

contudo, todos saem em

30.27
Jl 2.7
bandos;

28a lagartixa que se apanha com as mãos;

contudo, anda nos palácios dos reis.

29Há três coisas que andam com elegância,

sim, quatro que se movem airosamente:

30o leão que é o

30.30
Jz 14.18
2Sm 1.23
mais forte entre os animais

30.30
Mq 5.8
e que não se desvia de ninguém;

31o galgo, também o bode

e o rei a quem não se pode resistir.

32Se tiveres procedido insensatamente em te exaltares

ou se tiveres planejado o mal,

30.32
Jó 21.5
40.4
Mq 7.16
põe a tua mão sobre a boca.

33Pois o bater do leite produz manteiga,

e o torcer do nariz produz sangue,

e o espremer da

30.33
Pv 10.12
29.22
ira produz contenda.

31

Os conselhos que a mãe do rei Lemuel deu a seu filho

311Palavra do rei Lemuel, o oráculo que sua mãe lhe ensinou.

2Que te direi, filho meu? Que te direi,

31.2
Is 49.15
filho do meu ventre?

E que te direi, filho concedido aos meus

31.2
1Sm 1.11
votos?

3

31.3
Pv 5.9
Não dês às mulheres a tua força,

nem os teus caminhos às que

31.3
Dt 17.17
1Rs 11.1
Ne 13.26
perdem os reis.

4Não é dos

31.4
Ec 10.17
reis, Lemuel, não é dos reis
31.4
Pv 20.1
Is 5.22
Os 4.11
beber vinho;

nem dos príncipes dizer: Onde está bebida forte?

5Para não suceder que bebam, e se esqueçam da lei,

31.5
Pv 17.15
Êx 23.6
Dt 16.19
e pervertam o direito de quem anda aflito.

6Dai bebida forte ao que

31.6
Jó 29.13
está para perecer

e vinho, ao que está em

31.6
Jó 3.20
Is 38.15
amargura de coração.

7Beba um tal, e se esqueça da sua pobreza,

e não se lembre mais da sua miséria.

8

31.8
Pv 24.11
Jó 29.12-17
Sl 82.3
Abre a tua boca a favor do mudo,

na defesa de todos os que estão desolados.

9Abre a boca,

31.9
Lv 19.15
Dt 1.16
julga retamente

e faze

31.9
Is 1.17
Jr 22.16
justiça ao pobre e ao necessitado.

Descrição duma mulher digna

10

31.10
Pv 12.4
19.14
Rt 3.11
A mulher virtuosa, quem a pode achar?

Porque a sua valia muito excede

31.10
Pv 8.11
Jó 28.18
a dos corais.

11O coração de seu marido confia nela,

e não lhe haverá falta de lucro.

12Ela lhe faz o bem e não o mal,

em todos os dias da sua vida.

13Ela busca

31.13
Pv 31.21-24
lã e linho

e de bom grado trabalha com as suas mãos.

14É como os

31.14
Ez 27.25
navios do negociante;

de longe traz o seu pão.

15Também

31.15
Pv 20.13
Rm 12.11
se levanta, quando ainda está escuro,

31.15
Lc 12.42
e dá mantimento à sua casa,

e, às suas escravas, a tarefa.

16Considera um campo e compra-o;

com o fruto das suas mãos planta uma vinha.

17

31.17
1Rs 18.46
2Rs 4.29
Jó 38.3
Cinge os seus lombos de fortaleza

e corrobora os seus braços.

18Percebe que a sua negociação é proveitosa;

a sua lâmpada não se apaga de noite.

19Estende as suas mãos ao fuso

e com a mão pega na roca.

20

31.20
Pv 22.9
Dt 15.11
Jó 31.16-20
Rm 12.13
Ef 4.28
Abre a sua mão para o pobre,

estende ao necessitado as suas mãos.

21Não tem medo da neve pela sua família,

pois todos os da sua casa estão

31.21
2Sm 1.24
vestidos de escarlate.

22Faz para si

31.22
Pv 7.16
cobertas,

veste-se de

31.22
Gn 41.42
Ap 19.8,14
linho finíssimo e de
31.22
Jz 8.26
Lc 16.19
púrpura.

23Conhece-se seu marido

31.23
Rt 4.1,11
nas portas,

quando se assenta entre os anciãos da terra.

24Faz

31.24
Jz 14.12
vestidos de linho e vende-os;

e entrega cintas ao negociante.

25

31.25
Pv 31.17
A força e a dignidade são os seus vestidos,

e ri-se do tempo vindouro.

26

31.26
Pv 10.31
Abre a sua boca com sabedoria,

e a instrução amável está na sua língua.

27Atende ao bom andamento da sua casa

e não come o

31.27
Pv 19.15
pão da preguiça.

28Seus filhos levantam-se e chamam-na bem-aventurada;

também seu marido a louva, dizendo:

29Muitas filhas têm procedido

31.29
Pv 12.4
virtuosamente,

mas tu a todas sobrepujas.

30A graça é enganadora, e a

31.30
Pv 6.25
formosura é vã;

mas a mulher que

31.30
Pv 22.4
teme a Jeová, esta será louvada.

31Dai-lhe do fruto das suas mãos;

e, nas portas, louvem-na as suas obras.