Tradução Brasileira (2010) (TB)
15

Jesus perante Pilatos

151

15.1
Mt 27.1
Logo pela manhã, entraram em conselho os principais sacerdotes com os anciãos, escribas e todo o
15.1
Mt 5.22
Sinédrio e, maniatando a Jesus, levaram-no, e entregaram-no a Pilatos. 2
15.2
Mc 15.2-5
Mt 27.11-14
Lc 23.2-3
Jo 18.29-38
Pilatos perguntou-lhe: És tu o rei dos judeus? Respondeu Jesus: Tu o dizes. 3Os principais sacerdotes fizeram-lhe muitas acusações. 4Pilatos tornou a perguntar-lhe: Nada respondes? Vê quantas acusações te fazem. 5Mas Jesus
15.5
Mt 27.12
nada mais respondeu, de modo que Pilatos se admirava.

Barrabás é preferido

6

15.6
Mc 15.6-15
Mt 27.15-26
Lc 23.18-25
Jo 18.39—19.16
Por ocasião da festa, o governador soltava um preso, a pedido do povo. 7Havia um chamado Barrabás, preso com outros sediciosos, os quais, em um motim, haviam feito uma morte. 8Chegando o povo, começou a pedir a graça que lhe costumava fazer. 9Disse-lhe Pilatos: Quereis que eu vos solte o rei dos judeus? 10Pois ele percebia que, por inveja, os principais sacerdotes o haviam entregado. 11Mas estes instigaram a multidão,
15.11
At 3.14
para que Pilatos lhes soltasse antes a Barrabás. 12Pilatos tornou a dizer-lhes: Que farei, então, daquele a quem chamais o rei dos judeus? 13Eles clamaram de novo: Crucifica-o! 14Disse-lhes Pilatos: Pois que mal fez ele? Mas clamaram cada vez mais: Crucifica-o! 15Pilatos, querendo contentar a multidão, soltou-lhe a Barrabás e, depois de mandar
15.15
Mt 27.26
açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.

Jesus entregue aos soldados

16

15.16
Mc 15.16-20
Mt 27.27-31
Os soldados levaram-no
15.16
Mt 27.2726.3
ao pátio, que é o Pretório, e reuniram toda a
15.16
At 10.1
coorte. 17Vestiram-no de púrpura, e puseram-lhe na cabeça uma coroa de espinhos, que haviam tecido, 18e começaram a saudá-lo: Salve, rei dos judeus! 19Davam-lhe com uma cana na cabeça, cuspiam nele e, ajoelhando-se, prestaram-lhe homenagem. 20Depois de o terem escarnecido, despiram-lhe a púrpura e puseram-lhe as vestes. Então, o levaram para fora, a fim de o crucificar.

Simão leva a cruz de Jesus

21

15.21
Mc 15.21
Mt 27.32
Lc 23.26
Obrigaram a Simão, cireneu, pai de Alexandre e de Rufo, que passava, vindo do campo, a carregar a cruz de Jesus.

A crucificação

22

15.22
Mc 15.22-32
Mt 27.33-44
Lc 23.33-43
Jo 19.17-24
Levaram-no para o
15.22
Jo 19.17Lc 23.33
Gólgota, que quer dizer Lugar da Caveira. 23Deram-lhe
15.23
cp.
vinho misturado com mirra, mas ele não o tomou. 24Crucificaram-no e repartiram entre si as vestes dele,
15.24
Jo 19.24
deitando sortes sobre elas, para ver o que cada um havia de levar. 25Era a
15.25
cp.
hora terceira, quando o crucificaram. 26O título da sua acusação estava escrito em cima:
15.26
Mt 27.37
O REI DOS JUDEUS. 27Com ele crucificaram dois salteadores, um à sua direita, e outro à sua esquerdaAlguns manuscritos inserem v. 28: E cumpriu-se a Escritura que diz: E com os malfeitores foi contado. Is 53.12; Lc 22.37.. 28[E cumpriu-se a Escritura que diz: E com os malfeitores foi contado.] 29Os que iam passando blasfemavam dele,
15.29
Mt 27.39
meneando as cabeças e dizendo: Oh! Tu que
15.29
Mc 14.58
destróis o santuário e o reedificas em três dias, 30desce da cruz e salva-te a ti mesmo. 31Do mesmo modo, os principais sacerdotes com os escribas, escarnecendo-o, entre si diziam:
15.31
Mt 27.42
Lc 23.35
Ele salvou aos outros, a si mesmo não se pode salvar; 32desça agora da cruz o Cristo,
15.32
Mt 27.42Mc 15.26
o rei de Israel, para que vejamos e creiamos.
15.32
Mc 15.27Mt 27.44
Lc 23.39-43
Também os que foram crucificados com ele dirigiam-lhe impropérios.

A morte de Jesus

33

15.33
Mc 15.33-41
Mt 27.45-56
Lc 23.44-49
Chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até à
15.33
Mt 27.45Lc 23.44Mc 15.25
hora nona. 34À hora nona, bradou Jesus em alta voz:
15.34
cp.
Eloí, Eloí, lamá sabactâni? Que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? 35Alguns que ali estavam, ouvindo isso, disseram: Ele chama por Elias. 36Um deles, correndo, ensopou uma esponja em vinagre e, pondo-a numa cana, deu-lhe de beber, dizendo: Deixai, vejamos se Elias vem tirá-lo. 37
15.37
Mt 27.50
Lc 23.46
Jo 19.30
Jesus, dando um grande brado, expirou. 38
15.38
Mt 27.51
Lc 23.45
O véu do santuário rasgou-se em duas partes, de alto a baixo. 39O
15.39
Mt 27.54
Lc 23.47
Mc 15.45
centurião que estava em frente de Jesus, vendo-o assim expirar, disse: Verdadeiramente, este homem era Filho de Deus. 40
15.40
Mc 15.40-41
Mt 27.55Lc 23.49
Jo 19.25
Estavam ali também algumas mulheres observando de longe; entre elas, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago,
15.40
cp.
o menor, e de José,
15.40
Mc 15.1
e Salomé; 41as quais, quando Jesus estava na Galileia, o acompanhavam e
15.41
Mt 27.55
serviam; e além, destas, muitas outras que tinham subido com ele a Jerusalém.

O enterro de Jesus

42

15.42
Mc 15.42-47
Mt 27.57-61
Lc 23.50-56
Jo 19.38-42
Sendo já tarde, como era a
15.42
Mt 27.62
Parasceve (que é véspera do sábado), 43veio José de Arimateia,
15.43
cp.
ilustre membro do Sinédrio, que também
15.43
At 13.50
17.12Mt 27.57
esperava o reino de Deus, e,
15.43
Lc 23.51
2.25,38Mt 27.57
Jo 19.38
cobrando ânimo, foi a Pilatos, e pediu o corpo de Jesus. 44Pilatos admirou-se de que já tivesse morrido. Chamando o
15.44
cp.
centurião, perguntou-lhe se, com efeito, estava morto; 45e, depois que o soube do
15.45
Mc 15.39
centurião, deu o corpo a José. 46Este, tirando-o da cruz, o envolveu em um pano de linho que havia comprado, e o depositou em um túmulo que tinha sido aberto em rocha, e rolou uma pedra para a entrada do túmulo. 47
15.47
Mc 16.1
Mc 15.40
Mt 27.56
Maria Madalena e Maria, mãe de José, observaram onde ele foi posto.