Tradução Brasileira (2010) (TB)
3

A pregação de João Batista

31No décimo quinto ano do reinado de Tibério César, sendo

3.1
Mt 27.2
Pôncio Pilatos governador da Judeia,
3.1
Mt 14.1
Herodes, tetrarca da Galileia, seu irmão Filipe, tetrarca da região da Itureia e Traconites, e Lisânias, tetrarca de Abilene, 2sendo sumos sacerdotes
3.2
Jo 18.13,24
At 4.6
Anás e
3.2
Mt 26.3
Caifás,
3.2
Lc 3.3-10
Mt 3.1-10
Mc 1.3-5
veio a palavra de Deus a João, filho de Zacarias, no deserto. 3Ele percorreu toda a
3.3
Mt 3.5
circunvizinhança do Jordão, pregando o batismo de arrependimento para remissão de pecados, 4como está escrito no livro das palavras do profeta Isaías:

3.4
Is 40.3
Voz do que clama no deserto:

Preparai o caminho do Senhor,

endireitai as suas veredas.

5Todo vale será aterrado,

e todo monte e outeiro será arrasado;

os caminhos tortos far-se-ão direitos,

e os escabrosos, planos;

6e todo homem

3.6
Lc 2.30
verá a salvação de Deus.

7Dizia, então, às multidões que saíam para ser batizadas por ele: Raça de víboras, quem vos recomendou que fugísseis da ira vindoura? 8Dai, pois, frutos dignos do vosso arrependimento

3.8
Lc 5.21
13.25-26
14.9
e não comeceis a dizer dentro de vós: Temos como pai a Abraão; porque vos declaro que destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão. 9O machado já está posto à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não dá bom fruto é cortada e lançada no fogo. 10Perguntava-lhe o povo: Que havemos, então, de fazer? 11Respondeu-lhes: Aquele que tem duas túnicas, dê uma ao que não a tem; e aquele que tem comida, faça o mesmo. 12Foram também publicanos para serem batizados e perguntaram-lhe: Mestre, que havemos de fazer? 13Respondeu ele: Não cobreis mais do que aquilo que vos está prescrito. 14Perguntaram-lhe também uns soldados: E nós, que havemos de fazer? Respondeu-lhes: A ninguém façais violência, nem deis denúncia falsa e contentai-vos com o vosso soldo.

João dá testemunho de Jesus

15Estando o povo na expectativa, e discorrendo todos nos seus corações a respeito de João,

3.15
Jo 1.19
se, porventura, seria ele o Cristo, 16disse
3.16
Lc 3.16-17
Mt 3.11-12
Mc 1.7-8
João a todos: Eu, na verdade, vos batizo com água, mas vem aquele que é mais poderoso do que eu, e não sou digno de desatar-lhe as correias das sandálias; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo. 17
3.17
cp.
A sua pá, ele a tem na sua mão para limpar a sua eira e recolher o trigo no seu celeiro, mas queimará a palha
3.17
Mc 9.43,48
em fogo inextinguível.

João é encarcerado

18Assim, pois, com muitas outras exortações anunciava o evangelho ao povo; 19mas

3.19
Mt 14.3
Mc 6.17
o tetrarca Herodes, sendo repreendido por ele por causa de Herodias, mulher de seu irmão, e por todas as maldades que
3.19
Lc 3.1
Mt 14.1
Herodes havia feito, 20acrescentou ainda sobre todas a de fazer
3.20
Jo 3.24
encerrar a João no cárcere.

O batismo de Jesus

21

3.21
Lc 3.21-22
Mt 3.13-17
Mc 1.9-11
Quando todo o povo havia recebido o batismo, tendo sido Jesus também batizado
3.21
Lc 5.16
9.18,28Mt 14.23
e estando a orar, o céu abriu-se, 22e o Espírito Santo desceu como pomba sobre ele em forma corpórea, e veio uma voz do céu:
3.22
Mt 3.17
Tu és o meu Filho dileto, em ti me agrado.

A genealogia de Jesus

23Ora, o mesmo Jesus,

3.23
Mt 4.17
At 1.1
ao começar o seu ministério, tinha cerca de trinta anos, sendo filho (como se julgava) de
3.23
Lc 3.23-27Mt 1.13-16
José, filho de Heli, 24filho de Matã, filho de Levi, filho de Melqui, filho de Janai, filho de José, 25filho de Matatias, filho de Amós, filho de Naum, filho de Esli, filho de Nagai, 26filho de Máate, filho de Matatias, filho de Semei, filho de José, filho de Jodá, 27filho de Joanã, filho de Resá,
3.27
Mt 1.12
filho de Zorobabel, filho de Salatiel, filho de Neri, 28filho de Melqui, filho de Adi, filho de Cosã, filho de Elmadã, filho de Er, 29filho de Josué, filho de Eliézer, filho de Jorim, filho de Matã, filho de Levi, 30filho de Simeão, filho de Judá, filho de José, filho de Jonã, filho de Eliaquim, 31filho de Meleá, filho de Mená, filho de Matatá, filho de Natã, filho de Davi, 32
3.32
Lc 3.32-34
Mt 1.1-6
filho de Jessé, filho de Obede, filho de Boaz, filho de Salá, filho de Naassom, 33filho de Aminadabe, filho de Admim, filho de Arni, filho de Esrom, filho de Farés, filho de Judá, 34filho de Jacó, filho de Isaque,
3.34
Lc 3.34-36
Gn 11.10-26
1Cr 1.24-27
filho de Abraão, filho de Tera, filho de Naor, 35filho de Serugue, filho de Ragaú, filho de Faleque, filho de Éber, filho de Salá, 36filho de Cainã, filho de Arfaxade, filho de Sem,
3.36
Lc 3.36-38
Gn 5.3-32
1Cr 1.1-4
filho de Noé, filho de Lameque, 37filho de Matusalém, filho de Enoque, filho de Jarete, filho de Maleleel, filho de Cainã, 38filho de Enos, filho de Sete, filho de Adão, filho de Deus.

4

A tentação de Jesus

41

4.1
Lc 4.1-13
Mt 4.1-11
Mt 1.12-13
Cheio do Espírito Santo,
4.1
Lc 3.3,21
voltou Jesus do Jordão e foi guiado pelo Espírito, no deserto, 2durante quarenta dias, sendo tentado pelo Diabo. Nada comeu nesses dias; mas, passados eles, teve fome. 3Então, lhe disse o Diabo: Se és Filho de Deus, manda que esta pedra se torne em pão. 4Respondeu-lhe Jesus:
4.4
Dt 8.3
Está escrito que não só de pão viverá o homem. 5
4.5
Mt 4.8-10
Levando-o a uma altura, mostrou-lhe, num relance, todos os reinos do
4.5
Mt 24.14
mundo. 6Disse-lhe o Diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos,
4.6
cp.
porque ela me tem sido entregue, e a dou a quem eu quiser; 7se tu, pois, me adorares, tudo será teu. 8Respondeu-lhe Jesus: Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele darás culto. 9
4.9
Mt 4.5-7
Então o levou a Jerusalém, o colocou sobre o pináculo do templo e lhe disse: Se és Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; 10porque está escrito:

4.10
Sl 91.11-12
Aos seus anjos ordenará a teu respeito para te guardarem,

11e:

Eles te susterão nas suas mãos,

Para não tropeçares em alguma pedra.

12Respondeu-lhe Jesus:
4.12
Dt 6.16
Dito está que não tentarás o Senhor teu Deus.

13Tendo o Diabo acabado toda a sorte de tentação, apartou-se dele até ocasião oportuna.

Jesus volta para a Galileia, e principia a sua missão

14

4.14
Mt 4.12
Regressou Jesus para a Galileia no poder do Espírito, e
4.14
Lc 4.37
Mt 9.26
a sua fama correu por toda a circunvizinhança. 15Ele
4.15
Mt 4.23
ensinava nas sinagogas, sendo glorificado por todos.

Jesus prega na sinagoga de Nazaré

16Indo a

4.16
Lc 2.39,51
Nazaré, onde se criara, ao sábado
4.16
cp.
entrou na sinagoga segundo o seu costume,
4.16
cp.
e levantou-se para ler. 17Foi-lhe entregue o livro do profeta Isaías e, abrindo-o, achou o lugar em que estava escrito:

18

4.18
Is 61.1Mt 12.1811.5
Jo 3.34
O Espírito do Senhor está sobre mim,

Pelo que me ungiu para anunciar boas novas aos pobres;

Enviou-me para proclamar libertação aos cativos,

E restauração da vista aos cegos,

Para pôr em liberdade os oprimidos,

19E

4.19
Lv 25.10
proclamar o ano aceitável do Senhor.

20Tendo
4.20
Lc 4.17
fechado o livro, o entregou ao assistente
4.20
Mt 26.55
e sentou-se; e todos na sinagoga tinham os olhos fixos nele. 21Então começou Jesus a dizer-lhes: Hoje se cumpriu esta Escritura nos vossos ouvidos. 22Todos lhe davam testemunho e se maravilhavam das palavras cheias de graça que saíam da sua boca, e perguntavam:
4.22
cp.
Não é este o filho de José? 23Disse-lhes Jesus: Sem dúvida citar-me-eis este provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo; tudo o que soubemos que fizeste em
4.23
Mt 4.13
Mc 1.212.1Jo 4.46Lc 4.35
Cafarnaum, faze-o também aqui na tua
4.23
Lc 4.16
Lc 2.39,51
Mc 6.1
terra. 24Prosseguiu: Em verdade vos afirmo que
4.24
Mt 13.57
Mc 6.4
Jo 4.44
nenhum profeta é aceito na sua terra. 25Porém, com certeza, vos digo que muitas viúvas havia em Israel nos
4.25
1Rs 17.1
18.1
Tg 5.17
dias de Elias, quando se fechou o céu por três anos e seis meses, de modo que houve uma grande fome em toda a terra; 26e a nenhuma delas foi Elias enviado,
4.26
1Rs 17.9
senão a uma viúva de Sarepta
4.26
cp.
de Sidom. 27Havia também muitos leprosos em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles ficou limpo,
4.27
2Rs 5.1-14
senão Naamã, o siro. 28Todos na sinagoga se encheram de ira, ao ouvir essas coisas; 29e, levantando-se,
4.29
cp.
expulsaram-no da cidade e o levaram até o cume do monte sobre o qual estava edificada a cidade, para o precipitarem. 30Mas Jesus,
4.30
cp.
passando por meio deles, seguiu o seu caminho.

A cura de um endemoninhado em Cafarnaum

31

4.31
Lc 4.31-37
Mc 1.21-28
Desceu
4.31
Mt 4.13Lc 4.23
a Cafarnaum, cidade da Galileia. Ele os ensinava no sábado. 32
4.32
Mt 7.28
E admiravam-se da
4.32
Lc 4.36Jo 7.46
sua doutrina, porque a sua palavra era com autoridade. 33Estava na sinagoga um homem possesso do espírito de um demônio imundo, e bradou em alta voz: 34Deixa-nos!
4.34
Mt 8.29
Que temos nós contigo, Jesus,
4.34
Mc 1.24
Nazareno? Vieste a perder-nos? Bem sei quem és; és o
4.34
Mc 1.24
Santo de Deus. 35Jesus
4.35
Lc 4.39,41
Mt 8.26
Mc 4.39
Lc 8.24
repreendeu-o, dizendo: Cala-te e sai deste homem. O demônio, depois de o ter lançado por terra no meio de todos, saiu dele sem tê-lo ofendido. 36Todos ficaram admirados e perguntavam uns aos outros: Que palavra é esta, pois,
4.36
Lc 4.32
com autoridade e poder, ordena aos espíritos imundos, e eles saem? 37E por
4.37
Lc 4.14
todos os lugares da circunvizinhança divulgava-se a sua fama.

A cura da sogra de Pedro

38

4.38
Lc 4.38-39
Mt 8.14-15
Mc 1.29-31
Tendo saído da sinagoga, entrou na casa de Simão. A sogra deste estava com
4.38
Mt 4.24
uma febre violenta, e pediram-lhe a favor dela. 39Ele, inclinando-se para ela,
4.39
Lc 4.35,41
repreendeu a febre; a febre a deixou, e logo se levantou e os servia.

Muitos outros curados

40

4.40
Lc 4.40-41
Mt 8.16-17
Mc 1.32-34
Ao
4.40
cp.
pôr do sol, todos os que tinham enfermos de várias moléstias lhos trouxeram; e ele,
4.40
Mc 5.23
pondo as mãos sobre cada um deles,
4.40
Mt 4.23
os curou. 41Também de muitos saíram os demônios, gritando: Tu és
4.41
Mt 4.3
o Filho de Deus. Ele,
4.41
Lc 4.35
repreendendo-os,
4.41
Mc 1.34Mt 8.4
não lhes permitiu que falassem, porque sabiam que ele era o Cristo.

Jesus vai a um lugar deserto

42

4.42
Lc 4.42-43
Mc 1.35-38
Sendo já dia, saiu e foi a um lugar deserto; as multidões procuravam-no e, encontrando-o, queriam detê-lo, para que não as deixasse. 43Mas ele lhes disse: É necessário que eu anuncie o evangelho do reino de Deus também às outras cidades, pois
4.43
cp.
para isso é que fui enviado.

Jesus prega na Judeia

44

4.44
Mt 4.23
E pregava nas sinagogas da Judeia.

5

A pesca maravilhosa

51

5.1
Lc 5.1-11Mt 4.18-22
Mc 1.16-20
Jo 1.40-42
Apertado pela multidão que ouvia a palavra de Deus, achava-se Jesus na praia do
5.1
Nm 34.11
Dt 3.17
Js 12.3
13.27
Mt 4.18
lago de Genesaré; 2e viu duas barcas junto à terra; mas os pescadores, havendo desembarcado, lavavam as redes. 3
5.3
cp.
Entrando em uma das barcas, que era de Simão, pediu-lhe que a afastasse um pouco da terra; e, sentando-se na barca, dali ensinava a multidão. 4Quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao largo,
5.4
cp.
e lançai as vossas redes para a pesca. 5Disse Simão:
5.5
Lc 8.24-25
9.33,49
17.13
Senhor, tendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; porém, sobre a tua palavra, lançarei as redes. 6Feito isso, apanharam uma grande quantidade de peixe; e as redes rompiam-se. 7Acenaram aos seus companheiros que estavam na outra barca, para virem ajudá-los; eles vieram e encheram ambas as barcas, a ponto de começarem elas a afundar. 8Mas, vendo isso, Simão Pedro caiu aos pés de Jesus, dizendo: Retira-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador. 9Pois, à vista da pesca que haviam feito, a admiração apoderou-se de Pedro e de todos os seus companheiros, 10bem como de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram sócios de Simão. Disse Jesus a Simão:
5.10
Mt 14.27
Não temas; de ora em diante, serás
5.10
cp.
pescador de homens. 11Eles, levadas as barcas para a terra,
5.11
Mt 4.20,22
Mc 1.18,20
Lc 5.28Mt 19.29
deixando tudo, seguiram-no.

A cura dum leproso

12

5.12
Lc 5.12-14
Mt 8.2-4
Mc 1.40-44
Quando ele estava numa das cidades, apareceu um homem cheio de lepra; vendo a Jesus, prostrou-se com o rosto em terra e rogou-lhe: Senhor, se quiseres, bem podes tornar-me limpo. 13Jesus, estendendo a mão, tocou-o, dizendo: Quero; fica limpo! No mesmo instante, desapareceu-lhe a lepra. 14Ordenou-lhe Jesus que não contasse isto a ninguém; mas, disse ele, vai mostrar-te ao sacerdote e fazer a oferta pela tua purificação, conforme Moisés ordenou, para lhes servir de testemunho. 15Porém
5.15
Lv 13.49
14.22
a sua fama cada vez mais se divulgava, e grandes multidões afluíam para ouvir e ser curadas de suas enfermidades; 16mas ele costumava retirar-se para os lugares desertos e
5.16
Mt 14.23
Mc 1.35
Lc 6.12
orar.

A cura dum paralítico em Cafarnaum

17Um dia em que ele estava ensinando, achavam-se assentados perto dele

5.17
cp.
fariseus e
5.17
cp.
doutores da lei,
5.17
cp.
vindos de todas as aldeias da Galileia, da Judeia e de Jerusalém;
5.17
Mc 5.30
Lc 6.19
8.46
e o poder do Senhor estava com ele para curar. 18
5.18
Lc 5.18-26
Mt 9.2-8
Mc 2.3-12
Vieram uns homens, trazendo um paralítico em um leito; e procuravam introduzi-lo e pô-lo diante de Jesus. 19Não achando por onde introduzi-lo, por causa da multidão, subiram ao
5.19
Mt 24.17
eirado e, por
5.19
cp.
entre os ladrilhos, o desceram no colchão para o meio de todos, diante de Jesus. 20Vendo este a fé que eles tinham, disse: Homem,
5.20
Mt 9.2
são perdoados os teus pecados. 21
5.21
Lc 3.8
Começaram os escribas e os fariseus a discorrer, dizendo:
5.21
Is 43.25
Quem é este que profere blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão só Deus? 22Mas Jesus, percebendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Que discorreis nos vossos corações? 23Qual é mais fácil? Dizer: Perdoados são os teus pecados; ou dizer: Levanta-te e anda? 24Para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados — disse ao
5.24
Mt 4.24
paralítico: A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa. 25Imediatamente, se levantou diante deles, tomou o leito em que jazia e partiu para sua casa,
5.25
Mt 9.8
glorificando a Deus. 26Todos ficaram atônitos, glorificaram a Deus e encheram-se
5.26
Lc 7.161.65
de temor, dizendo: Hoje, vimos coisas extraordinárias.

A vocação de Levi

27

5.27
Lc 5.27-39
Mt 9.9-17
Mc 2.14-22
Depois disso, saiu, e viu um publicano, chamado
5.27
Mt 9.9
Levi, sentado na coletoria, e disse-lhe: Segue-me! 28Ele,
5.28
Lc 5.11
deixando tudo, se levantou e o seguiu.

Jesus come com pecadores

29Levi deu-lhe um grande banquete em sua casa; e era grande o número de

5.29
cp.
publicanos e outras pessoas que estavam com eles à mesa. 30Os fariseus e
5.30
cp.
seus escribas murmuravam contra os discípulos de Jesus, perguntando: Por que comeis e bebeis com os publicanos e pecadores? 31Respondeu-lhes Jesus:
5.31
Mt 9.12-13
Mc 2.17
Os sãos não necessitam de médico, mas sim os enfermos. 32Não vim chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento.

A questão do jejum

33Disseram-lhe eles:

5.33
cp.
Os discípulos de João jejuam frequentemente e fazem orações; assim também os dos fariseus, mas os teus comem e bebem. 34Jesus disse-lhes: Podeis fazer jejuar os convidados para o casamento, enquanto o noivo está com eles? 35
5.35
cp.
Dias, porém, virão, dias em que lhes será tirado o noivo; nesses dias, hão de jejuar. 36Propôs-lhes também uma parábola: Ninguém tira remendo de vestido novo e o põe em vestido velho; de outra forma, rasgará o novo, e o remendo do novo não condirá com o velho. 37Outrossim, ninguém põe vinho novo em odres velhos; de outra forma, o vinho novo arrebentará os odres, e ele se derramará, e estragar-se-ão os odres. 38Pelo contrário, vinho novo deve ser posto em odres novos. 39Ninguém que já bebeu vinho velho quer o novo; porque diz: O velho é bom.