Tradução Brasileira (2010) (TB)
18

Bildade acusa a Jó de presunção e impaciência

181Então, respondeu Bildade, suíta:

2Até quando andareis à caça de palavras?

Entendei, e depois falaremos.

3Por que somos

18.3
Sl 73.22
reputados por animais

e feitos imundos aos vossos olhos?

4Tu que te despedaças na tua ira,

acaso, por amor de ti, será abandonada a terra?

Ou será a penha removida do seu lugar?

Bildade descreve os perigos dos pecadores

5Na verdade,

18.5
Jó 21.17
Pv 13.9
20.20
24.20
a luz do iníquo se apagará,

e não resplandecerá a chama do seu fogo.

6A luz

18.6
Jó 12.25
se obscurecerá na sua tenda,

e a lâmpada que está por cima dele se apagará.

7Estreitar-se-ão os passos do seu poder,

e o

18.7
Jó 15.6
seu conselho o derribará.

8Pois, pelos seus próprios pés,

18.8
Jó 22.10
Sl 9.15
35.8
Is 24.17-18
é lançado na rede

e anda sobre as malhas.

9O alçapé o apanha pelo calcanhar,

e o laço o prende.

10A corda está-lhe escondida na terra,

e a armadilha, na vereda.

11De todos os lados o amedrontam

18.11
Jó 15.21
terrores,

e, de perto,

18.11
Jó 18.18
20.8
perseguem-lhe os pés.

12O seu vigor será

18.12
Is 8.21
consumido pela fome,

e a calamidade estará pronta ao seu lado.

13Serão devorados os membros do seu corpo;

o primogênito da morte

18.13
Zc 14.12
devorará os seus membros.

14

18.14
Jó 18.6
8.2227.18
Será arrancado da sua tenda, em que confia,

será levado ao rei dos

18.14
Jó 15.21
terrores.

15Na sua tenda, habitarão os que não lhe pertencem,

espalhar-se-á

18.15
Sl 11.6
enxofre sobre a sua habitação.

16Por baixo,

18.16
Is 5.24
Os 9.16
Am 2.9
Ml 4.1
as suas raízes secarão,

e, por cima, murcharão

18.16
Jó 15.30,32
os seus ramos.

17A sua

18.17
Jó 24.20
Sl 34.16
Pv 10.7
memória perecerá do país,

e o seu nome não ficará sobre a face da terra.

18Será lançado da luz

18.18
Jó 5.14Is 8.21
5.30
Jó 20.8
para as trevas

e

18.18
Jó 27.21-23
afugentado do mundo.

19Não terá

18.19
Jó 27.14-15
Is 14.22
nem filho nem neto entre o seu povo,

nem alguém que fique onde ele peregrinava.

20Os do Ocidente pasmam

18.20
Sl 37.13
Jr 50.27
Ob 12
do dia dele,

assim como se espantam os do Oriente.

21Na verdade, tais são as

18.21
Jó 21.28
moradas do ímpio,

e este é o paradeiro daquele que não conhece a Deus.

19

Jó queixa-se da obstinação e dureza dos seus amigos

191Então, respondeu Jó:

2Até quando afligireis a minha alma

e me despedaçareis com palavras?

3Já são dez vezes que me haveis vituperado.

Não vos envergonhais de me oprimir?

4Embora tenha eu de fato errado,

o meu erro fica comigo.

5Se

19.5
Sl 35.26
38.16
55.12
vos engrandecerdes na verdade contra mim

e me incriminardes pelo meu opróbrio,

6sabei que

19.6
Jó 16.11
27.2
Deus não me fez justiça

e me cercou com a

19.6
Jó 18.8-10
Sl 66.11
Lm 1.13
sua rede.

7Eis que

19.7
Jó 9.24
30.20,24
Hc 1.2
clamo: Violência! Porém não sou ouvido;

peço socorro, porém não há justiça.

8

19.8
Jó 3.23
Lm 3.7,9
Com muros, fechou ele o meu caminho, de modo que não posso passar,

e pôs

19.8
Jó 30.26
trevas nas minhas veredas.

9

19.9
Jó 12.17,19
Sl 89.44
Despojou-me da minha glória

e tirou-me da cabeça

19.9
Jó 16.15
Sl 89.39
Lm 5.16
a coroa.

10De todos os lados,

19.10
Jó 12.14
me derrui, e eu me vou,

e a minha

19.10
Jó 7.6
esperança, arranca-a
19.10
Jó 24.20
como uma árvore.

11

19.11
Jó 16.9
Acende também a sua ira contra mim,

e

19.11
Jó 13.24
33.10
sou tido por ele como um dos seus adversários.

12Avançam-se

19.12
Jó 16.13
as suas tropas juntas,

19.12
Jó 30.12
levantam um caminho alto contra mim,

e acampam-se ao redor da minha tenda.

13Ele

19.13
Jó 16.7
Sl 69.8
pôs longe de mim a meus irmãos,

19.13
Jó 16.20
Sl 88.8,18
e os que me conhecem são de todo alienados de mim.

14Meus parentes faltaram,

e

19.14
Jó 19.19
os meus conhecidos esqueceram-se de mim.

15Os que moram em minha casa e as minhas servas me têm por estranho.

Sou estrangeiro aos seus olhos.

16Chamo ao meu servo, e ele não me responde.

Tenho que suplicar-lhe com a minha boca.

17O meu bafo é intolerável à minha mulher,

sou repugnante aos filhos de minha mãe.

18Até os pequeninos me

19.18
Jó 12.4
desprezam.

Tentando levantar-me, falam de mim.

19Todos os

19.19
Sl 38.11
55.13
meus amigos íntimos me abominam,

e os que eu amava me voltam as costas.

20Os

19.20
Jó 16.8
33.21
Sl 102.5
Lm 4.8
meus ossos apegam-se à minha pele e à minha carne,

e escapei-me com a pele dos meus dentes.

21Compadecei-vos de mim, compadecei-vos de mim, amigos meus,

pois a

19.21
Jó 1.11
Sl 38.2
mão de Deus me tocou.

22Por que me

19.22
Jó 19.6
13.24-25
Sl 69.26
16.11
perseguis como Deus

e não cessais de devorar a minha carne?

23Oxalá que as minhas palavras fossem agora escritas!

Oxalá que fossem

19.23
Is 30.8
Jr 36.2
inscritas num livro!

24Que com uma pena de ferro e com chumbo,

fossem para sempre gravadas na rocha!

25Sei, porém, que

19.25
Jó 16.19
Sl 78.35
Pv 23.11
Is 43.14
Jr 50.34
o meu Redentor vive,

e o que vem depois de mim se levantará em pé sobre o pó;

26E, depois de destruída esta minha pele,

mesmo fora da minha carne

19.26
Sl 17.15
Mt 5.8
1Co 13.12
1Jo 3.2
verei a Deus.

27Vê-lo-ei ao meu lado,

e os meus olhos o contemplarão, não mais como adversário.

Eis que os meus rins

19.27
Sl 73.26
desfalecem dentro em mim.

28Se disserdes: Como o havemos

19.28
Jó 19.22
de perseguir!

E que a causa deste mal se acha em mim,

29temei a

19.29
Jó 15.22
espada.

Terríveis são os castigos dela,

para que saibais

19.29
Jó 22.4
Sl 1.5
9.7
Ec 12.14
que há juízo.

20

Zofar descreve as calamidades que os ímpios sofrem

201Então, respondeu Zofar, naamatita:

2Os meus pensamentos forçam-me a responder,

sinto-me agitado no meu íntimo.

3Ouvi

20.3
Jó 19.3
repreensões que me envergonham,

mas, no meu entendimento, responde-me o meu espírito.

4Não sabes isto desde

20.4
Jó 8.8
tempos remotos,

desde que o homem foi posto sobre a terra,

5que é breve o

20.5
Jó 8.12-13
Sl 37.35-36
triunfo dos iníquos,

e que é de um momento

20.5
Jó 8.13
a alegria do ímpio?

6Ainda que a sua exaltação

20.6
Is 14.13-14
Ob 3-4
se remonte aos céus,

e a sua cabeça chegue até as nuvens,

7contudo,

20.7
Jó 4.20
14.20
perecerá para sempre como o seu esterco.

Os que o viam

20.7
Jó 7.10
8.18
perguntarão: Onde está?

8Voará como um

20.8
Sl 73.20
90.5
sonho e não será achado;

será

20.8
Jó 18.18
27.21-23
afugentado como uma visão noturna.

9

20.9
Jó 7.8
8.18
Os olhos que me viram não me verão mais;

nem

20.9
Jó 7.10
o seu lugar o contemplará mais.

10

20.10
Jó 5.4
27.14
Seus filhos procurarão o favor dos pobres,

e as suas mãos

20.10
Jó 20.18
27.16-17
restituirão os bens que roubou.

11

20.11
Jó 21.23-24
Os seus ossos são cheios de mocidade.

Esta, porém, se deitará com ele no pó.

12Embora

20.12
Jó 15.16
a maldade lhe seja doce na boca,

embora ele a esconda debaixo da sua língua;

13embora a poupe e não a queira largar,

mas a guarde ainda

20.13
Jó 20.23
Nm 11.20,33
dentro da sua boca,

14contudo, nas suas entranhas, a comida é transformada;

Dentro dele se torna em fel de áspides.

15Engoliu riquezas

20.15
Jó 20.10
e vomitá-las-á;

do ventre dele, as lançará Deus.

16Chupará o

20.16
Dt 32.24,33
veneno dos áspides,

a língua da víbora o matará.

17Não olhará para

20.17
Jó 29.6
Dt 32.13-14
os rios,

ribeiros e torrentes de mel e de manteiga.

18O que adquiriu, isso

20.18
Jó 20.10,15
restituirá e não o engolirá;

não terá gozo proporcional à fazenda que ajuntou.

19Pois

20.19
Jó 24.2-4
35.9
oprimiu e desamparou os pobres,

a casa de que se apoderou por violência não prosperará.

20Por não haver limites na sua cobiça,

20.20
Ec 5.13-15
nada salvará daquilo em que se deleita.

21Nada escapou à sua voracidade.

Portanto,

20.21
Jó 15.29
a sua prosperidade não perdurará.

22

20.22
Jó 15.21
Na plenitude da sua abundância, ver-se-á apertado;

virá sobre ele

20.22
Jó 5.5
a mão de todo o que está na miséria.

23Estando ele

20.23
Jó 20.13-14
para encher a sua barriga,

Deus enviará sobre ele o furor da sua ira,

20.23
Nm 11.20,33
Sl 78.30-31
que fará cair sobre ele quando estiver comendo.

24Se fugir da arma de ferro,

o arco de cobre o traspassará.

25Ele tira do seu corpo a flecha,

que vem resplandecendo do seu

20.25
Jó 16.13
fel;

20.25
Jó 18.11,14
terrores se apoderam dele.

26Todas as

20.26
Jó 18.18
trevas são reservadas para os seus tesouros.

Devorá-lo-á um

20.26
Jó 15.30
fogo não assoprado por homem,

que consumirá o que for deixado na sua tenda.

27

20.27
Dt 31.28
Os céus revelarão a sua iniquidade,

e a terra se levantará contra ele.

28

20.28
Dt 28.31
As rendas da sua casa ir-se-ão,

e os seus bens se desfarão

20.28
Jó 20.15
21.30
no dia da ira de Deus.

29Esta é

20.29
Jó 27.13
31.2-3
a porção que Deus dará ao iníquo

e a herança que por Deus lhe é decretada.