Tradução Brasileira (2010) (TB)

Jó protesta contra a severidade de Deus

101

10.1
Jó 7.16
A minha alma tem tédio à minha vida;

darei livre curso à

10.1
Jó 7.11
minha queixa,

falarei na amargura da minha alma.

2Direi a Deus:

10.2
Jó 9.29
Não me condenes;

faze-me saber porque contendes comigo.

3Porventura, tens prazer em

10.3
Jó 9.22-24
16.11
19.6
27.2
oprimir,

em rejeitar a

10.3
Jó 10.8
14.15
Sl 138.8
Is 64.8
obra das tuas mãos

e em favorecer o

10.3
Jó 21.16
22.18
conselho dos iníquos?

4Acaso, tens tu olhos de carne

ou

10.4
Jó 28.24
34.21
1Sm 16.7
vês tu como vê o homem?

5São os teus dias como os dias do homem

ou

10.5
Jó 36.26
os teus anos, como os anos do homem,

6para

10.6
Jó 14.16
te informares da minha iniquidade

e averiguares o meu pecado?

7Sabendo tu que

10.7
Jó 9.21
13.18
eu não sou iníquo,

não há

10.7
Jó 9.12
23.13
27.22
ninguém que possa livrar da tua mão.

8

10.8
Jó 10.3Sl 119.73
As tuas mãos me fizeram e me formaram,

todo em roda…

10.8
Jó 9.22
e tu me consomes!

9Lembra-te, pois, de que,

10.9
Jó 4.19
33.6
como barro, me fizeste;

e queres

10.9
Jó 7.21
reduzir-me a pó?

10Porventura, não me vazaste como leite

e não me coalhaste como queijo?

11De pele e de carne me vestiste

e de ossos e de nervos me teceste.

12Vida e misericórdia

10.12
Jó 33.4
me tens concedido,

e a tua providência tem conservado o meu espírito.

13Contudo, ocultaste

10.13
Jó 23.13
essas coisas no teu coração;

sei que isso está no teu espírito.

14Se eu pecar,

10.14
Jó 7.20
tu me observas

e

10.14
Jó 7.21
9.28
não me absolverás da minha iniquidade.

15

10.15
Jó 10.7
Se eu for iníquo, ai de mim;

10.15
Jó 6.29
ainda que seja justo, não levantarei a minha cabeça,

estando farto de ignomínia, e de contemplar a minha aflição.

16Se a minha cabeça se exaltar,

10.16
Is 38.13
Lm 3.10
Os 13.7
tu me caçarás como um leão feroz;

e tornarás a mostrar-te em

10.16
Jó 5.9
maravilhas contra mim.

17Renovarás

10.17
Jó 16.8
Rt 1.21
as tuas testemunhas contra mim

e multiplicarás a tua indignação sobre mim.

Revezar-se-ão contra mim

10.17
Jó 7.1
tropas de males.

18

10.18
Jó 3.11-13
Por que, pois, me tiraste da madre?

Eu tivera expirado, e nenhum olho me tivera visto.

19Eu teria sido como se nunca fora;

da madre teria sido levado para a sepultura.

20Não são poucos

10.20
Jó 14.1
os meus dias? Cessa, pois,

10.20
Jó 7.19
e deixa-me, para que, por um pouco, eu tome alento.

21Antes que eu vá para o

10.21
Jó 3.13-1916.22
2Sm 12.23
lugar de que não voltarei,

para a terra das trevas e

10.21
Jó 10.22
34.22
38.17
da sombra da morte,

22terra escuríssima, como a mesma escuridão,

terra da sombra da morte, sem ordem alguma

e onde a própria luz é escuridão.

Zofar repreende a Jó, mostra a sabedoria de Deus e exorta ao arrependimento

111Então, respondeu Zofar, naamatita:

2Não se dará resposta à multidão de palavras?

Acaso, será justificado

11.2
Jó 8.2
15.2
18.2
o falador?

3Porventura, as tuas jactâncias farão calar as gentes?

Quando

11.3
Jó 17.2
21.3
zombares, ninguém te fará envergonhar?

4Pois

11.4
Jó 6.10
dizes: A minha doutrina é pura,

11.4
Jó 10.7
e limpo sou aos teus olhos.

5Porém oxalá que Deus falasse,

e abrisse os seus lábios contra ti

6e te mostrasse os segredos da sabedoria,

pois complicada é a verdadeira

11.6
Jó 9.4
sabedoria.

Sabe, portanto, que Deus te remite algo

11.6
Jó 15.5
22.5
da tua iniquidade.

7

11.7
Jó 33.12-13
36.26
37.5,23
Poderás descobrir as coisas profundas de Deus?

Poderás descobrir perfeitamente o Todo-Poderoso?

8Como as

11.8
Jó 22.12
35.5
alturas do céu é a sua sabedoria; que poderás fazer?

Mais profunda do que o

11.8
Jó 26.6
38.17
Sheol; que poderás saber?

9A sua medida é mais comprida do que a terra

e mais larga do que o mar.

10Se ele passar, prender a alguém

e chamar a juízo,

11.10
Jó 9.12
quem o poderá proibir?

11Pois

11.11
Jó 34.21-23
conhece os homens vãos

e

11.11
Jó 24.23
28.24
31.4
vê sem esforço a iniquidade,

12mas

11.12
Sl 39.5,11
62.9
144.4
Ec 1.2
11.10
um homem vão se tornará sábio,

quando a cria dum

11.12
Jó 39.5
asno montês nascer homem.

13

11.13
Jó 11.13-20
5.17-27
Se tu
11.13
Sl 78.8
preparares o teu coração

11.13
Jó 22.27
Sl 88.9
143.6
e estenderes as mãos para ele;

14

11.14
Jó 22.23
se lançares para longe a iniquidade da tua mão,

e não habitar a iniquidade nas tuas tendas;

15então, na verdade,

11.15
Jó 22.26
levantarás o teu rosto sem mácula;

sim, estarás firme e

11.15
Sl 27.3
46.2
não temerás,

16pois tu te

11.16
Is 65.16
esquecerás da tua miséria

e te lembrarás dela como

11.16
Jó 22.11
de águas que passaram.

17A tua vida será

11.17
Jó 22.26
mais clara do que o meio-dia;

ainda que haja escuridão, será como a manhã.

18Estarás firme, porque há esperança;

olharás ao redor de ti e pousarás seguro.

19

11.19
Lv 26.6
Is 17.2
Sf 3.13
Mq 4.4
Deitar-te-ás, e ninguém te amedrontará;

e muitos

11.19
Is 45.14
procurarão obter o teu favor.

20Mas

11.20
Jó 17.5
Dt 28.65
os olhos dos iníquos desfalecerão,

não lhes

11.20
Jó 27.22
34.22
ficará refúgio,

e a sua

11.20
Jó 8.13
esperança será o
11.20
Jó 6.9
render do espírito.

Jó defende-se das acusações dos seus amigos

121Então, respondeu Jó:

2Na verdade,

12.2
Jó 12.2-3
16.1-2
17.10
vós sois o povo,

e a sabedoria morrerá convosco.

3Mas

12.3
Jó 13.2
eu tenho entendimento como vós,

eu não vos sou inferior.

Quem não sabe tais coisas como essas?

4Eu sou como quem se torna

12.4
Jó 17.6
30.1,9,10
34.7
o ludíbrio do seu vizinho;

eu, homem, que invocava a Deus, e ele me respondia;

o homem justo e

12.4
Jó 6.29
sincero servindo de ludíbrio.

5No pensamento de quem está seguro há desprezo para a desgraça.

Ela está preparada para aquele cujos pés resvalam.

6As

12.6
Jó 9.24
21.9
tendas dos salteadores são prósperas,

e os que provocam a Deus

12.6
Jó 24.23
estão seguros;

12.6
Jó 22.18
tudo lhes põe Deus nas mãos.

7Mas pergunta, agora, às bestas da terra, e elas te ensinarão;

e às aves do céu, e elas te farão saber.

8Ou fala com a terra, e ela te ensinará;

e os peixes do mar to declararão.

9Quem não aprendeu de todos estes

12.9
Is 41.20
que a mão de Jeová faz isso?

10

12.10
At 17.28
Na mão dele está a alma de todo ser vivente

12.10
Jó 27.3
33.4
e o espírito de todo o gênero humano.

11Porventura, não provará

12.11
Jó 34.3
o ouvido as palavras,

assim como o paladar experimenta a sua comida?

12Com

12.12
Jó 15.10
32.7
os velhos está a sabedoria,

e, na vida dilatada, o entendimento.

13Com Deus está a

12.13
Jó 9.4
sabedoria e a
12.13
Jó 9.4
força.

Ele tem conselho e

12.13
Jó 11.6
26.12
32.8
36.5
38.36
entendimento.

14Eis que

12.14
Jó 19.10
Is 25.2
derriba, e não se pode reedificar;

12.14
Jó 37.7
lança na prisão, e não se pode abrir.

15

12.15
Dt 11.17
1Rs 8.35
17.1
Retém as águas, e elas secam;

12.15
Gn 7.11-24
solta-as, e elas transtornam a terra.

16Com ele está a fortaleza e a verdadeira sabedoria;

são dele

12.16
Jó 13.7,9
os enganados e os que enganam.

17

12.17
Jó 19.9
Despoja os
12.17
Jó 3.14
conselheiros,

e faz os

12.17
Jó 9.24
juízes tolos.

18

12.18
Sl 116.16
Dissolve a autoridade dos reis

e cinge os lombos deles com um cinto.

19Despoja os sacerdotes

e abate os

12.19
Jó 21.7
22.8
24.22
34.24-28
35.9
poderosos.

20Emudece os que são dignos da fé

12.20
Jó 17.4
32.9
e tira o entendimento aos anciãos.

21

12.21
Jó 34.19
Sl 107.40
Derrama desprezo sobre os príncipes

12.21
Jó 12.18
e afrouxa o cinto dos fortes.

22Das trevas

12.22
Dn 2.22
1Co 4.5
revela coisas profundas

e traz à luz a sombra da morte.

23

12.23
Is 9.3
26.15
Multiplica as nações e fá-las perecer;

dissipa as nações e as congrega.

24

12.24
Jó 12.20
Tira o entendimento aos príncipes do povo da terra

e fá-los errar num deserto em que não há caminho.

25Eles

12.25
Jó 5.14
apalpam trevas e não luz;

e fá-los

12.25
Is 24.20
cambalear como um ébrio.