Tradução Brasileira (2010) (TB)
18

Jesus em Getsêmani

181Depois de assim falar,

18.1
Mt 26.30,36
Mc 14.26,32
Lc 22.39
saiu Jesus com seus discípulos para o outro lado
18.1
2Sm 15.23
1Rs 2.37
15.13
2Rs 23.4,6,12
2Cr 15.16
29.16
30.14
Jr 31.40
do ribeiro de Cedrom, onde havia
18.1
Mt 26.36
Mc 14.32
Jo 18.26
um jardim; e aí entrou com seus discípulos. 2Judas, que o traía, também conhecia o lugar, porque Jesus ali
18.2
cp.
estivera muitas vezes com seus discípulos. 3
18.3
Jo 18.3-11
Mt 26.47-56
Mc 14.43-50
Lc 22.47-53
Judas, portanto, tendo recebido a
18.3
Jo 18.12
At 10.1
coorte e alguns
18.3
Jo 7.32
Jo 18.12,18
oficiais de justiça dos principais sacerdotes e dos fariseus, chegou a esse lugar com lanternas,
18.3
Mt 25.1
archotes e armas. 4Jesus,
18.4
cp.
sabendo tudo o que lhe ia acontecer, adiantou-se e perguntou-lhes:
18.4
Jo 18.7
A quem buscais? 5Eles lhe responderam: A Jesus, o Nazareno. Disse-lhes Jesus: Sou eu. Judas, que o traía, estava também com eles. 6Logo que Jesus lhes disse: Sou eu, recuaram e caíram por terra. 7Jesus, de novo, perguntou-lhes: A quem buscais? Eles responderam: A Jesus, o Nazareno. 8Disse-lhes Jesus: Já vos declarei que sou eu; se é a mim, pois, que buscais, deixai ir estes, 9para se cumprirem as palavras que ele dissera:
18.9
Jo 17.12
Não perdi nenhum dos que me deste. 10Simão Pedro,
18.10
cp.
que tinha uma espada, puxou dela e, dando um golpe no servo do sumo sacerdote, decepou-lhe a orelha direita; e o servo chamava-se Malco. 11Jesus disse a Pedro: Mete a tua espada na bainha; não hei de beber
18.11
Mt 20.22
o cálice que o Pai me deu?

Jesus perante Anás

12

18.12
Jo 18.12Mt 26.57
Assim a
18.12
Jo 18.3
coorte, o tribunoComandante de mil soldados. e
18.12
Jo 18.3
os oficiais de justiça dos judeus prenderam a Jesus, maniataram-no 13e conduziram-no primeiramente
18.13
Jo 18.24
Lc 3.2
a Anás, pois era sogro de
18.13
Mt 26.3
Jo 11.49,51
Caifás, sumo sacerdote naquele ano; 14era Caifás quem aconselhara aos judeus que
18.14
Jo 11.50
convinha morrer um homem pelo povo.

Pedro nega a Jesus

15

18.15
cp.
Simão Pedro e um outro discípulo seguiam a Jesus. Sendo esse discípulo conhecido do sumo sacerdote, entrou
18.15
Mt 26.3
Jo 18.24,28
no pátio da casa deste com Jesus; 16
18.16
Jo 18.16-18
Mt 26.69Mc 14.66-68
Lc 22.55-57
Pedro, porém, ficou de fora, à porta. Saindo, pois, o outro discípulo, que era conhecido do sumo sacerdote, falou com a porteira e levou a Pedro para dentro. 17Então,
18.17
At 12.13
a criada que guardava a porta perguntou a Pedro:
18.17
Jo 18.25
Não és tu também um dos discípulos deste homem? Não sou, respondeu ele. 18Ora, os servos e os
18.18
Jo 18.3
oficiais de justiça estavam ali,
18.18
cp.
tendo acendido
18.18
Jo 21.9
um braseiro por causa do frio, e aquentavam-se. Pedro estava também no meio deles, aquentando-se.

Anás interroga a Jesus

19

18.19
Jo 18.19-24Mt 26.59-68
Mc 14.55-65
Lc 22.63-71
Então, o sumo sacerdote interrogou a Jesus acerca de seus discípulos e acerca do seu ensino. 20Disse-lhe Jesus:
18.20
Jo 7.268.26
Eu tenho falado abertamente ao mundo; eu
18.20
Mt 4.23Jo 6.59
ensinei continuadamente nas sinagogas
18.20
Mt 26.55
e no templo, onde se reúnem todos os judeus, e nada falei ocultamente. 21Por que me interrogas? Pergunta aos meus ouvintes o que lhes falei; eles sabem o que eu disse. 22Havendo dito isso, um dos oficiais de justiça que estava perto de Jesus
18.22
Jo 19.3
deu-lhe uma bofetada, dizendo: É assim que respondes ao sumo sacerdote? 23
18.23
cp.
Respondeu-lhe Jesus: Se eu falei mal, dá testemunho do mal; mas, se falei bem, porque me feres? 24Então,
18.24
Jo 18.13
Anás o enviou, maniatado, a Caifás, o sumo sacerdote.

De novo, Pedro nega a Jesus

25

18.25
Jo 18.25-27
Mt 26.71-75
Mc 14.69-72
Lc 22.58-62
Simão
18.25
Jo 18.18
Pedro lá estava, aquentando-se. Perguntaram-lhe, pois:
18.25
Jo 18.17
Não és tu também um de seus discípulos? Ele negou, dizendo: Não sou. 26Um dos servos do sumo sacerdote, parente daquele a
18.26
Jo 18.10
quem Pedro tinha decepado a orelha, perguntou: Não te vi eu no
18.26
Jo 18.1
jardim com ele? 27De novo, Pedro o negou, e no mesmo instante
18.27
Jo 13.38
cantou o galo.

Jesus perante Pilatos

28

18.28
Mt 27.2
Mc 15.1
Lc 23.1
Conduziram a Jesus da casa de Caifás para
18.28
Jo 18.33
19.9
Mt 27.27
o Pretórioou, palácio.. Era de manhã cedo. Eles não entraram no Pretório
18.28
cp.
para não se contaminarem, mas para poderem comer a Páscoa. 29
18.29
Jo 18.29-38
Mt 27.11-14
Mc 15.2-5
Lc 23.2-3
Pilatos saiu para ir ter com eles e perguntou-lhes: Que acusação trazeis contra este homem? 30Responderam-lhe: Se ele não fosse malfeitor, não to entregaríamos. 31Replicou-lhes Pilatos: Tomai-o vós mesmos e julgai-o segundo a vossa Lei. Disseram-lhe os judeus: A nós não nos é permitido tirar a vida a ninguém; 32para
18.32
Jo 12.323.14
8.28
Mt 20.19
26.2
Mc 10.33Lc 18.32
se cumprir o que dissera Jesus, significando o modo por que havia de morrer.

Pilatos interroga a Jesus

33Pilatos

18.33
cp.
tornou a entrar no Pretórioou, palácio., chamou a Jesus e perguntou-lhe:
18.33
Lc 23.3Jo 19.12
És tu o Rei dos Judeus? 34Respondeu Jesus: Dizes tu isso por ti mesmo ou foram outros os que to disseram de mim? 35Replicou Pilatos: Porventura, sou eu judeu? A tua própria nação e os principais sacerdotes entregaram-te nas minhas mãos. Que fizeste? 36Respondeu Jesus:
18.36
cp.
O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus súditos pelejariam, para não ser eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui. 37Perguntou-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Respondeu Jesus:
18.37
Mt 27.11
Mc 15.2
Lc 22.70
23.3
Tu dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim
18.37
Jo 3.32
8.141.14
de dar testemunho da verdade.
18.37
Jo 8.47
1Jo 4.6
Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. 38Perguntou-lhe Pilatos: Que é a verdade?

Depois de dizer isso,

18.38
Jo 19.4Jo 18.33
saiu outra vez para ir ter com os judeus e disse-lhes:
18.38
Lc 23.4
Jo 19.4
Eu não acho nele crime algum. 39
18.39
Jo 18.39—19.16
Mt 27.15-18,20-23
Mc 15.6-15
Lc 23.18-25
Mas é costume entre vós que eu vos solte alguém por ocasião da Páscoa; quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus? 40Eles tornaram a clamar:
18.40
At 3.14
Não a este, mas a Barrabás. Ora, Barrabás era salteador.

19

191Então, Pilatos tomou a Jesus e o mandou

19.1
Mt 27.26
açoitar. 2
19.2
Mt 27.27-30
Mc 15.16-19
Os soldados, tendo tecido uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça e vestiram-no com um manto de púrpura; 3chegavam-se a ele e diziam:
19.3
Mt 27.29
Mc 15.18
Salve, Rei dos Judeus! E
19.3
Jo 18.22
davam-lhe bofetadas. 4Outra vez,
19.4
Jo 18.3818.33
saiu Pilatos e disse-lhes: Eis que vo-lo trago fora, para que saibais que
19.4
Jo 18.38
Jo 19.6
Lc 23.4
não acho nele crime algum. 5Saiu, pois, Jesus,
19.5
Jo 19.2
trazendo a coroa de espinhos e o manto de púrpura. Disse-lhes Pilatos: Eis o homem! 6Logo que o viram, os principais sacerdotes e
19.6
Jo 18.3
Mt 26.58
os oficiais de justiça clamaram: Crucifica-o! Crucifica-o! Disse-lhes Pilatos: Tomai-o vós mesmos e crucificai-o, porque
19.6
Jo 18.38
Jo 19.6
Lc 23.4
eu não acho nele crime. 7Responderam-lhe os judeus:
19.7
Lv 24.16
Mt 26.63-66
Nós temos uma Lei, e, segundo a nossa Lei ele deve morrer, porque
19.7
Jo 5.18
10.33
se fez Filho de Deus. 8Pilatos, ouvindo isso, temeu ainda mais 9e,
19.9
Jo 18.33
tornando a entrar no Pretórioou, palácio., perguntou a Jesus: Donde és? Mas
19.9
Mt 26.63
27.12,14Jo 18.34-37
Jesus não lhe respondeu. 10Perguntou-lhe Pilatos: Não me falas? Não sabes que tenho poder para te soltar e poder para te crucificar? 11Respondeu Jesus:
19.11
Rm 13.1
Não terias sobre mim poder algum, se ele te não fosse dado lá de cima; por isso,
19.11
Jo 18.13-14,28At 3.13
o que me entregou a ti tem maior pecado. 12Desde então, Pilatos procurava soltá-lo, mas os judeus clamavam:
19.12
Lc 23.2Jo 18.33
Se soltares este homem, não és amigo de César; todo aquele que se faz rei opõe-se a César. 13Pilatos, ouvindo essas palavras, trouxe a Jesus para fora e
19.13
Mt 27.19
sentou-se no tribunal, no lugar chamado Pavimento e, em
19.13
Jo 5.2
Jo 19.17,20
hebraico, Gábata. 14Era
19.14
Mt 27.62
Jo 19.31,42
a Parasceve, e cerca da
19.14
cp.
hora sexta. Pilatos disse aos judeus: Eis
19.14
Jo 19.19,21
o vosso Rei! 15Eles, porém, clamaram:
19.15
Lc 23.18
Tira-o! Tira-o! Crucifica-o! Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso Rei? Responderam os principais sacerdotes: Não temos outro rei, senão César. 16Então, Pilatos lhes
19.16
Mt 27.26
Mc 15.15
Lc 23.25
entregou Jesus para ser crucificado.

A crucificação

17

19.17
Jo 19.17-24
Mt 27.33-44
Mc 15.22-32
Lc 23.33-43
Eles tomaram a Jesus; e ele próprio,
19.17
Lc 14.27Mt 27.32
Mc 15.21
Lc 23.26
carregando a sua cruz, saiu para o lugar chamado
19.17
cp.
Calvário
19.17
Jo 19.13
e, em hebraico, Gólgota, 18onde o crucificaram e, com ele,
19.18
Lc 23.32
outros dois, um de cada lado e Jesus no meio. 19Pilatos escreveu também um título e o mandou colocar no alto da cruz; nele estava escrito:
19.19
cp.
JESUS, O NAZARENO,
19.19
Jo 19.14,21
REI DOS JUDEUS. 20Muitos judeus leram esse título, porque o lugar em que Jesus fora crucificado era perto da cidade; e estava escrito em hebraico, latim e grego. 21Os principais sacerdotes disseram a Pilatos: Não escrevas: Rei dos Judeus, mas sim que ele disse: Eu sou Rei dos Judeus. 22Respondeu Pilatos:
19.22
cp.
O que escrevi escrevi.

Os soldados deitaram sortes

23

19.23
Mt 27.35
Mc 15.24
Lc 23.34
Os soldados, depois de terem crucificado a Jesus, tomaram-lhe as vestes (dividiram-nas em
19.23
cp.
quatro partes, uma para cada um) e também a túnica. Ora, a túnica não tinha costura, porque era toda tecida de alto a baixo. 24Disseram, pois, uns aos outros:
19.24
Mt 27.35
Mc 15.24
Lc 23.34Êx 28.32
Não a rasguemos, mas deitemos sortes sobre ela, para ver a quem tocará,
19.24
Jo 19.28,36Sl 22.18
para se cumprir a Escritura:

Repartiram entre si as minhas vestes

e deitaram sortes sobre a minha vestidura.

25Assim, pois, fizeram os soldados.

19.25
cp.
Perto da cruz de Jesus, estavam
19.25
Mt 12.46
sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria, mulher de
19.25
Lc 24.18
Cléopas, e
19.25
Jo 20.1,18
Lc 8.2
Maria Madalena. 26Jesus, vendo a sua mãe e, perto dela,
19.26
Jo 13.23
o discípulo a quem ele amava, disse a sua mãe:
19.26
Jo 2.4
Mulher, eis aí teu filho! 27Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe! Dessa hora em diante, o discípulo a tomou
19.27
Lc 18.28
Jo 1.11
16.32
At 21.6
para sua casa.

A morte de Jesus

28Depois disso,

19.28
Jo 13.1
17.4
sabendo Jesus que tudo já estava consumado,
19.28
Jo 19.24,36Sl 69.21
para se cumprir a Escritura, disse: Tenho sede. 29Estava ali um vaso cheio de vinagre;
19.29
Jo 19.29-30Mt 27.48,50
Mc 15.36Lc 23.36
ensopando nele uma esponja e pondo-a em um hissopo, chegaram-lha à boca. 30Jesus, depois de ter tomado o vinagre, disse:
19.30
Jo 17.4
Está consumado; e, inclinando a cabeça,
19.30
Mt 27.50
Mc 15.37
Lc 23.46
rendeu o espírito.

Um soldado abriu o lado de Jesus com uma lança

31Os judeus, porém, como era a

19.31
Jo 19.14,42
Parasceve e para que os
19.31
Dt 21.23
Js 8.29
10.26
corpos não ficassem na cruz ao sábado (pois aquele sábado era um
19.31
Êx 12.16
grande dia), pediram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas e que fossem eles dali retirados. 32Os soldados foram e quebraram as pernas ao primeiro e ao outro que
19.32
Jo 19.18
fora com ele crucificado; 33chegando-se, porém, a Jesus, como o vissem já morto, não lhe quebraram as pernas, 34mas um dos soldados lhe abriu o lado com uma lança, e logo saiu
19.34
cp.
sangue e água. 35Aquele que isso viu
19.35
Jo 15.2721.24
deu testemunho, e o seu testemunho é verdadeiro; e ele sabe que diz a verdade, para que também vós creiais. 36Pois essas coisas aconteceram
19.36
Jo 19.24,28
Êx 12.46
Nm 9.12
Sl 34.20
para se cumprir a Escritura: Nenhum dos seus ossos será quebrado. 37Diz ainda
19.37
Zc 12.10
outra passagem: Olharão para aquele a quem traspassaram.

O enterro de Jesus

38

19.38
Jo 19.38-42
Mt 27.57-61
Mc 15.42-47
Lc 23.50-56
Depois disso, José de Arimateia, que era discípulo de Jesus, ainda
19.38
cp.
que oculto,
19.38
Jo 7.13
por medo dos judeus, pediu a Pilatos permissão para tirar o corpo de Jesus; e Pilatos concedeu-a. Foi José e tirou o corpo. 39
19.39
Jo 3.1
Nicodemos, aquele que no princípio viera ter com Jesus de noite, foi também,
19.39
Mc 16.1
levando uma composição de cerca de
19.39
cp.
cem libras de
19.39
Sl 45.8
Pv 7.17
Ct 4.14
Mt 2.11
mirra e aloés. 40Tomaram o corpo de Jesus e
19.40
cp.
envolveram-no em
19.40
Jo 20.5,7
Lc 24.12
panos de linho com os aromas, como é costume entre os judeus sepultar os mortos. 41No lugar em que Jesus fora crucificado, havia um jardim, e, neste, um
19.41
Mt 27.60
túmulo novo,
19.41
Lc 23.53
em que ninguém tinha sido ainda posto. 42Ali, pois, por causa da
19.42
Jo 19.14,31
Parasceve dos judeus e por estar
19.42
Jo 19.20,41
perto o túmulo, depositaram a Jesus.

20

A ressurreição de Jesus

201

20.1
Jo 20.1-8Mt 28.1-8
Mc 16.1-8
Lc 24.1-10
No primeiro dia da semana,
20.1
Jo 19.25
Jo 20.18
Maria Madalena foi cedo ao túmulo, sendo ainda escuro, e viu
20.1
Mt 27.60,66
28.2
Mc 15.46
16.3Lc 24.2
Jo 11.38
a pedra removida. 2Correu ela, e foi ter com Simão Pedro e com o outro
20.2
Jo 13.23
discípulo a quem Jesus amava, e disse-lhes:
20.2
Jo 20.13
Tiraram do túmulo o Senhor, e não sabemos onde o puseram. 3
20.3
Jo 20.3-10Lc 24.12
Então, saíram Pedro e o outro discípulo e foram ao túmulo. 4Corriam ambos juntos, mas o outro discípulo correu mais ligeiro do que Pedro e chegou primeiro ao túmulo; 5
20.5
Jo 20.11
tendo-se abaixado e olhando para dentro, viu
20.5
Jo 19.40
os panos de linho postos no chão, porém não entrou. 6Chegou Simão Pedro, que o seguia, e entrou no túmulo. Ele também viu os panos de linho e
20.6
cp.
o lenço 7que estivera sobre a cabeça de Jesus e que não estava com os panos, mas dobrado num lugar à parte. 8Então, entrou também o outro discípulo, que
20.8
Jo 20.4
tinha chegado primeiro ao túmulo, e viu, e creu. 9Pois ainda
20.9
cp.
não compreendiam a Escritura,
20.9
Lc 24.26-35,46
que era necessário ressuscitar ele dentre os mortos. 10E voltaram os discípulos
20.10
Lc 24.12
para casa.

Jesus aparece a Maria Madalena

11

20.11
cp.
Maria, porém, estava junto à entrada do túmulo, chorando. Enquanto chorava,
20.11
Jo 20.5
abaixou-se, e olhou para dentro do túmulo, 12e viu
20.12
Lc 24.4Mt 28.2Mc 16.5
dois anjos com vestes brancas, sentados onde o corpo de Jesus fora posto, um à cabeceira e outro aos pés. 13Eles lhe perguntaram:
20.13
Jo 20.15
Mulher, por que choras? Respondeu ela: Porque
20.13
Jo 20.2
tiraram o meu Senhor, e não sei onde o puseram. 14Tendo dito isso, virou-se para trás e
20.14
Mc 16.9Mt 28.9
viu a Jesus em pé, mas
20.14
cp.
sem saber que era ele. 15Perguntou-lhe Jesus:
20.15
Jo 20.13
Mulher, por que choras? A quem procuras? Ela, supondo ser ele o jardineiro, respondeu: Senhor, se tu o tiraste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei. 16Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, virando-se, lhe disse
20.16
Jo 5.2
em hebraico:
20.16
Mc 10.51Mt 23.7
Rabôni! (que quer dizer, Mestre). 17Disse-lhe Jesus: Não me toques; porque ainda não subi ao Pai, mas vai a
20.17
Mt 28.10
meus irmãos e dize-lhes que
20.17
cp.
subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus. 18
20.18
Jo 20.1
Maria Madalena foi
20.18
Mc 16.10Lc 24.10,23
contar aos discípulos: Vi o Senhor, e ele disse-me essas coisas.

Jesus aparece a dez dos discípulos

19Nesse dia, que era o primeiro da semana, à tarde, trancadas as portas da casa onde se achavam os discípulos,

20.19
Jo 7.13
por medo que tinham dos judeus, veio Jesus, e pôs-se no meio deles, e disse-lhes:
20.19
Jo 20.21,26
Lc 24.36Jo 14.27
Paz seja convosco! 20Dito isso,
20.20
Lc 24.39-40
Jo 19.34
mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos
20.20
Jo 16.20,22
alegraram-se muito ao verem o Senhor. 21Jesus, de novo, disse-lhes: Paz seja convosco!
20.21
Jo 17.18
Como o Pai me enviou a mim, assim eu vos envio a vós. 22Dito isso, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. 23
20.23
Mt 18.1816.19
Àqueles a quem perdoardes os pecados, lhes serão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes, lhes serão retidos.

A incredulidade de Tomé

24Porém

20.24
Jo 11.16
Tomé, chamado Dídimo, um dos
20.24
Jo 6.67
doze, não estava com eles quando veio Jesus. 25Disseram-lhe os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele respondeu: Se eu não vir nas
20.25
Jo 20.20
suas mãos o sinal dos cravos, e não puser o meu dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão
20.25
Jo 20.20
no seu lado,
20.25
Mc 16.11
de modo algum hei de crer.

Jesus aparece aos onze discípulos

26Oito dias depois, estavam outra vez ali reunidos seus discípulos, e Tomé, com eles. Estando as portas trancadas, veio Jesus, pôs-se em pé no meio deles e disse:

20.26
Jo 20.21,26
Lc 24.36Jo 14.27
Paz seja convosco! 27Em seguida, disse a Tomé:
20.27
cp.
Chega aqui o teu dedo e olha as minhas mãos; chega também a tua mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. 28Respondeu Tomé: Senhor meu e Deus meu! 29Disse-lhe Jesus: Creste, porque me viste?
20.29
1Pe 1.8
Bem-aventurados os que não viram e creram.

O objetivo deste Evangelho

30

20.30
Jo 21.25
Jesus fez na presença dos discípulos muitos outros
20.30
Jo 2.11
sinais, que não estão escritos neste livro; 31estes, porém, estão escritos para
20.31
Jo 19.35
que creiais que Jesus é o Cristo,
20.31
Mt 4.3
o Filho de Deus, e para que,
20.31
Jo 3.15
crendo, tenhais vida em seu nome.