Tradução Brasileira (2010) (TB)
16

A missão do Paráclito

161Eu tenho dito

16.1
Jo 15.18-27
essas coisas, para que não vos
16.1
Mt 11.6
escandalizeis. 2
16.2
Jo 9.22
Expulsar-vos-ão das sinagogas; ainda mais
16.2
Jo 4.21Jo 16.25
vem a hora em que
16.2
At 26.9-11Is 66.5
Ap 6.9
todo o que vos mata julgará oferecer um culto a Deus. 3Isso farão,
16.3
Jo 15.218.15,55
17.25
At 3.17
1Jo 3.1
porque não conheceram ao Pai, nem a mim. 4Ora, eu vos tenho dito essas coisas,
16.4
cp.
para que, quando chegar aquela hora, vos lembreis de que eu vo-las disse. Não vo-las disse
16.4
Lc 1.2
Jo 15.27
desde o princípio, porque estava convosco. 5Agora, porém,
16.5
Jo 7.33
Jo 16.10,17,28
vou para aquele que me enviou, e nenhum de vós me pergunta:
16.5
Jo 13.36
14.5
Para onde vais? 6Antes, porque vos tenho falado essas coisas,
16.6
Jo 16.22Jo 14.1
encheu-se o vosso coração de tristeza. Contudo, eu vos digo a verdade: 7convém-vos que eu vá. Pois, se eu não for, não virá a vós o
16.7
Jo 14.16
15.26
Paráclito; mas, se eu for,
16.7
Jo 14.26
15.26
enviar-vo-lo-ei. 8Quando ele vier, convencerá o mundo de pecado, de justiça e de juízo; 9de pecado,
16.9
Jo 15.22,24
porque não creem em mim; 10de
16.10
cp.
justiça,
16.10
Jo 16.5
porque vou para o Pai, e não me vereis mais; 11
16.11
Jo 12.31
de juízo, porque o príncipe deste mundo está julgado. 12Tenho ainda muito que vos dizer, mas não o podeis suportar agora; 13quando vier, porém, aquele
16.13
Jo 14.17
Espírito da verdade,
16.13
Jo 14.26
ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que estão para vir. 14Ele me
16.14
Jo 7.39
glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. 15
16.15
Jo 17.10
Tudo o que o Pai tem é meu; por isso eu vos disse que ele receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 16
16.16
Jo 7.33
Um pouco
16.16
Jo 16.16-24Jo 14.18-24
e já não me vereis, e outra vez um pouco
16.16
Jo 16.22
e ver-me-eis. 17Então alguns de seus discípulos perguntaram entre si: Que vem a ser isso que ele nos diz:
16.17
Jo 16.16
Um pouco e já não me vereis, e outra vez um pouco e ver-me-eis; e: Porque
16.17
Jo 16.5
eu vou para o Pai? 18Diziam, pois: Que vem a ser esse “um pouco”? Não compreendemos o que está ele dizendo. 19
16.19
cp.
Jesus, percebendo que desejavam interrogá-lo, perguntou-lhes: Indagais entre vós sobre o que vos disse: Um pouco e já não me vereis, e outra vez um pouco e ver-me-eis? 20Em verdade, em verdade vos digo que
16.20
Mc 16.10
Lc 23.27
vós haveis de chorar e lamentar, mas o mundo há de regozijar-se; vós vos entristecereis,
16.20
Jo 20.20
mas a vossa tristeza se tornará em gozo. 21
16.21
cp.
A mulher, quando dá à luz, enche-se de tristeza, porque chegou a sua hora; mas depois de nascida a criança, já não se lembra da aflição pelo gozo de haver um homem nascido ao mundo. 22
16.22
Jo 16.6
Assim também vós estais agora em tristeza; mas
16.22
Jo 16.16
eu vos tornarei a ver, e o vosso coração se encherá de gozo, e esse gozo ninguém vo-lo tirará. 23
16.23
Jo 16.26
Jo 14.20
Naquele dia
16.23
cp.
nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo que,
16.23
Jo 15.16
se pedirdes alguma coisa ao Pai, ele vo-la concederá em meu nome. 24
16.24
Jo 14.14
Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi, e recebereis, para que o
16.24
Jo 3.2915.11
vosso gozo seja completo.

Palavras de despedida

25Estas coisas vos tenho falado por

16.25
Jo 16.29Jo 10.6
Mt 13.34
figuras;
16.25
Jo 16.2
vem a hora, em que não vos falarei mais por figuras, mas vos falarei abertamente acerca do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que eu rogarei ao Pai por vós; 27
16.27
Jo 14.21,23
pois o Pai mesmo vos ama, visto que vós me tendes amado e
16.27
Jo 16.302.11
crido que
16.27
Jo 8.42Jo 16.30
eu saí de Deus. 28Saí do Pai e vim ao mundo, outra vez deixo o mundo
16.28
Jo 16.5,10,17
Jo 13.1,3
e volto para o Pai. 29Disseram seus discípulos: Agora é que falas abertamente e não usas mais de
16.29
Jo 16.25Jo 10.6
Mt 13.34
figuras. 30Agora vemos que tu sabes todas as coisas, e que não precisas de ser interrogado; por isso
16.30
Jo 16.272.11
cremos que
16.30
Jo 8.42Jo 16.27-28
saíste de Deus. 31Disse-lhes Jesus: Agora credes? 32Eis que
16.32
Jo 4.23Jo 16.2,25
vem a hora e é já chegada,
16.32
Mt 26.31Zc 13.7
em que sereis espalhados cada um para
16.32
Jo 19.27
o seu lado e me deixareis só; mas
16.32
Jo 8.29
eu não estou só, porque o Pai está comigo. 33Eu vos tenho falado essas coisas para que
16.33
Jo 14.27
tenhais paz em mim.
16.33
Jo 15.18
No mundo tereis tribulações;
16.33
Mt 9.2
mas tende bom ânimo;
16.33
cp.
eu tenho vencido o mundo.

17

A oração sacerdotal de Jesus

171Depois de assim falar, Jesus,

17.1
Jo 11.41
levantando os olhos ao céu, disse: Pai, é chegada a hora;
17.1
cp.
glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti, 2assim como
17.2
Jo 3.35
lhe deste poder sobre toda a humanidade, a fim de que ele
17.2
Jo 10.28
conceda vida eterna
17.2
Jo 17.6,9,24
Jo 6.37,39
a todos aqueles que tu lhe tens dado. 3A vida eterna, porém, é esta: que conheçam a ti,
17.3
Jo 5.44
único verdadeiro Deus, e a Jesus Cristo,
17.3
Jo 3.17
Jo 17.8,18,21,23,25
aquele que tu enviaste. 4
17.4
cp.
Eu te glorifiquei na terra,
17.4
Jo 4.34Lc 22.37
cumprindo a obra que me tens dado para fazer; 5agora,
17.5
Jo 17.1
glorifica-me tu, Pai, contigo mesmo com a glória que eu tive
17.5
cp.
junto de ti, antes que houvesse mundo. 6
17.6
Jo 17.26
Manifestei o teu nome aos homens que me deste do mundo.
17.6
Jo 17.9
Eram teus, e tu mos deste, e eles têm
17.6
Jo 8.51
guardado a tua palavra. 7Agora, eles conhecem que todas as coisas que me tens dado vêm de ti; 8porque
17.8
Jo 17.14,26
Jo 15.15
eu lhes tenho dado
17.8
Jo 6.68
12.49
as palavras que me deste, e eles as receberam, e verdadeiramente conheceram que
17.8
Jo 8.42
16.27,30
saí de ti, e creram que tu me enviaste. 9
17.9
cp.
Eu rogo por eles;
17.9
cp.
não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me tens dado, porque são teus; 10
17.10
Jo 16.15
tudo o que é meu é teu; e tudo o que é teu é meu; e neles sou glorificado. 11Não estou mais no mundo, mas
17.11
Jo 13.1
eles estão no mundo,
17.11
Jo 17.13Jo 7.33
e eu vou para ti.
17.11
cp.
Pai santo, guarda-os no teu nome,
17.11
cp.
no nome que me deste, para que
17.11
Jo 17.21Rm 12.5
Gl 3.28
eles sejam um, assim como nós. 12Quando eu estava com eles, guardava-os no teu nome,
17.12
cp.
que me deste, e protegi-os,
17.12
Jo 6.39
18.9
e nenhum deles se perdeu, a não ser
17.12
cp.
o filho da perdição, para que se cumprisse
17.12
Sl 41.9
a Escritura. 13Mas agora
17.13
Jo 17.13Jo 7.33
vou para ti, e
17.13
Jo 15.11
isso falo no mundo, para que eles tenham
17.13
Jo 3.29
o meu gozo completo em si mesmos. 14Eu lhes tenho dado a tua palavra,
17.14
Jo 15.19
e o mundo os aborreceu, porque
17.14
Jo 17.16
Jo 8.23
eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. 15Não rogo que os tires do mundo, mas que os guardes do
17.15
Mt 5.37
Maligno. 16
17.16
Jo 17.14
Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. 17
17.17
cp.
Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade. 18Assim
17.18
Jo 17.3,8,21,23,25
Jo 3.17
como tu me enviaste ao mundo,
17.18
Jo 20.21Mt 10.5
Jo 4.38
também eu os enviei ao mundo. 19Por amor deles,
17.19
cp.
me santifico, para que eles também em mim mesmo sejam santificados
17.19
2Co 7.14
Cl 1.6
1Jo 3.18
em verdade. 20Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que creem em mim por meio da sua palavra; 21a fim de que todos sejam um; e que,
17.21
Jo 10.38
Jo 17.23Jo 17.11
como tu, Pai, és em mim, e eu, em ti, também sejam eles em nós; para que
17.21
cp.
o mundo creia que tu me enviaste. 22Eu lhes tenho dado
17.22
Jo 17.24Jo 1.14
a glória que tu me tens dado, para que sejam um como nós somos um; 23eu neles, e tu em mim, para que sejam aperfeiçoados em um; e para que o mundo conheça que tu me enviaste e que
17.23
Jo 16.27
tu os amaste, como também amaste a mim. 24Pai, quero que,
17.24
Jo 12.26
onde eu estou, estejam comigo os que
17.24
Jo 17.2
me tens dado, a fim de verem a minha glória que me tens dado, pois me amaste antes
17.24
Mt 25.34Jo 17.5
da fundação do mundo. 25
17.25
cp.
Pai justo,
17.25
Jo 7.29
15.21
o mundo não te conheceu, mas eu te conheci; e estes conheceram que tu me enviaste. 26
17.26
Jo 17.6
Eu lhes fiz conhecer o teu nome e o farei conhecer, a fim de que
17.26
Jo 15.9
o amor com que me amaste esteja neles, e eu, neles.

18

Jesus em Getsêmani

181Depois de assim falar,

18.1
Mt 26.30,36
Mc 14.26,32
Lc 22.39
saiu Jesus com seus discípulos para o outro lado
18.1
2Sm 15.23
1Rs 2.37
15.13
2Rs 23.4,6,12
2Cr 15.16
29.16
30.14
Jr 31.40
do ribeiro de Cedrom, onde havia
18.1
Mt 26.36
Mc 14.32
Jo 18.26
um jardim; e aí entrou com seus discípulos. 2Judas, que o traía, também conhecia o lugar, porque Jesus ali
18.2
cp.
estivera muitas vezes com seus discípulos. 3
18.3
Jo 18.3-11
Mt 26.47-56
Mc 14.43-50
Lc 22.47-53
Judas, portanto, tendo recebido a
18.3
Jo 18.12
At 10.1
coorte e alguns
18.3
Jo 7.32
Jo 18.12,18
oficiais de justiça dos principais sacerdotes e dos fariseus, chegou a esse lugar com lanternas,
18.3
Mt 25.1
archotes e armas. 4Jesus,
18.4
cp.
sabendo tudo o que lhe ia acontecer, adiantou-se e perguntou-lhes:
18.4
Jo 18.7
A quem buscais? 5Eles lhe responderam: A Jesus, o Nazareno. Disse-lhes Jesus: Sou eu. Judas, que o traía, estava também com eles. 6Logo que Jesus lhes disse: Sou eu, recuaram e caíram por terra. 7Jesus, de novo, perguntou-lhes: A quem buscais? Eles responderam: A Jesus, o Nazareno. 8Disse-lhes Jesus: Já vos declarei que sou eu; se é a mim, pois, que buscais, deixai ir estes, 9para se cumprirem as palavras que ele dissera:
18.9
Jo 17.12
Não perdi nenhum dos que me deste. 10Simão Pedro,
18.10
cp.
que tinha uma espada, puxou dela e, dando um golpe no servo do sumo sacerdote, decepou-lhe a orelha direita; e o servo chamava-se Malco. 11Jesus disse a Pedro: Mete a tua espada na bainha; não hei de beber
18.11
Mt 20.22
o cálice que o Pai me deu?

Jesus perante Anás

12

18.12
Jo 18.12Mt 26.57
Assim a
18.12
Jo 18.3
coorte, o tribunoComandante de mil soldados. e
18.12
Jo 18.3
os oficiais de justiça dos judeus prenderam a Jesus, maniataram-no 13e conduziram-no primeiramente
18.13
Jo 18.24
Lc 3.2
a Anás, pois era sogro de
18.13
Mt 26.3
Jo 11.49,51
Caifás, sumo sacerdote naquele ano; 14era Caifás quem aconselhara aos judeus que
18.14
Jo 11.50
convinha morrer um homem pelo povo.

Pedro nega a Jesus

15

18.15
cp.
Simão Pedro e um outro discípulo seguiam a Jesus. Sendo esse discípulo conhecido do sumo sacerdote, entrou
18.15
Mt 26.3
Jo 18.24,28
no pátio da casa deste com Jesus; 16
18.16
Jo 18.16-18
Mt 26.69Mc 14.66-68
Lc 22.55-57
Pedro, porém, ficou de fora, à porta. Saindo, pois, o outro discípulo, que era conhecido do sumo sacerdote, falou com a porteira e levou a Pedro para dentro. 17Então,
18.17
At 12.13
a criada que guardava a porta perguntou a Pedro:
18.17
Jo 18.25
Não és tu também um dos discípulos deste homem? Não sou, respondeu ele. 18Ora, os servos e os
18.18
Jo 18.3
oficiais de justiça estavam ali,
18.18
cp.
tendo acendido
18.18
Jo 21.9
um braseiro por causa do frio, e aquentavam-se. Pedro estava também no meio deles, aquentando-se.

Anás interroga a Jesus

19

18.19
Jo 18.19-24Mt 26.59-68
Mc 14.55-65
Lc 22.63-71
Então, o sumo sacerdote interrogou a Jesus acerca de seus discípulos e acerca do seu ensino. 20Disse-lhe Jesus:
18.20
Jo 7.268.26
Eu tenho falado abertamente ao mundo; eu
18.20
Mt 4.23Jo 6.59
ensinei continuadamente nas sinagogas
18.20
Mt 26.55
e no templo, onde se reúnem todos os judeus, e nada falei ocultamente. 21Por que me interrogas? Pergunta aos meus ouvintes o que lhes falei; eles sabem o que eu disse. 22Havendo dito isso, um dos oficiais de justiça que estava perto de Jesus
18.22
Jo 19.3
deu-lhe uma bofetada, dizendo: É assim que respondes ao sumo sacerdote? 23
18.23
cp.
Respondeu-lhe Jesus: Se eu falei mal, dá testemunho do mal; mas, se falei bem, porque me feres? 24Então,
18.24
Jo 18.13
Anás o enviou, maniatado, a Caifás, o sumo sacerdote.

De novo, Pedro nega a Jesus

25

18.25
Jo 18.25-27
Mt 26.71-75
Mc 14.69-72
Lc 22.58-62
Simão
18.25
Jo 18.18
Pedro lá estava, aquentando-se. Perguntaram-lhe, pois:
18.25
Jo 18.17
Não és tu também um de seus discípulos? Ele negou, dizendo: Não sou. 26Um dos servos do sumo sacerdote, parente daquele a
18.26
Jo 18.10
quem Pedro tinha decepado a orelha, perguntou: Não te vi eu no
18.26
Jo 18.1
jardim com ele? 27De novo, Pedro o negou, e no mesmo instante
18.27
Jo 13.38
cantou o galo.

Jesus perante Pilatos

28

18.28
Mt 27.2
Mc 15.1
Lc 23.1
Conduziram a Jesus da casa de Caifás para
18.28
Jo 18.33
19.9
Mt 27.27
o Pretórioou, palácio.. Era de manhã cedo. Eles não entraram no Pretório
18.28
cp.
para não se contaminarem, mas para poderem comer a Páscoa. 29
18.29
Jo 18.29-38
Mt 27.11-14
Mc 15.2-5
Lc 23.2-3
Pilatos saiu para ir ter com eles e perguntou-lhes: Que acusação trazeis contra este homem? 30Responderam-lhe: Se ele não fosse malfeitor, não to entregaríamos. 31Replicou-lhes Pilatos: Tomai-o vós mesmos e julgai-o segundo a vossa Lei. Disseram-lhe os judeus: A nós não nos é permitido tirar a vida a ninguém; 32para
18.32
Jo 12.323.14
8.28
Mt 20.19
26.2
Mc 10.33Lc 18.32
se cumprir o que dissera Jesus, significando o modo por que havia de morrer.

Pilatos interroga a Jesus

33Pilatos

18.33
cp.
tornou a entrar no Pretórioou, palácio., chamou a Jesus e perguntou-lhe:
18.33
Lc 23.3Jo 19.12
És tu o Rei dos Judeus? 34Respondeu Jesus: Dizes tu isso por ti mesmo ou foram outros os que to disseram de mim? 35Replicou Pilatos: Porventura, sou eu judeu? A tua própria nação e os principais sacerdotes entregaram-te nas minhas mãos. Que fizeste? 36Respondeu Jesus:
18.36
cp.
O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus súditos pelejariam, para não ser eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui. 37Perguntou-lhe, pois, Pilatos: Logo tu és rei? Respondeu Jesus:
18.37
Mt 27.11
Mc 15.2
Lc 22.70
23.3
Tu dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim
18.37
Jo 3.32
8.141.14
de dar testemunho da verdade.
18.37
Jo 8.47
1Jo 4.6
Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz. 38Perguntou-lhe Pilatos: Que é a verdade?

Depois de dizer isso,

18.38
Jo 19.4Jo 18.33
saiu outra vez para ir ter com os judeus e disse-lhes:
18.38
Lc 23.4
Jo 19.4
Eu não acho nele crime algum. 39
18.39
Jo 18.39—19.16
Mt 27.15-18,20-23
Mc 15.6-15
Lc 23.18-25
Mas é costume entre vós que eu vos solte alguém por ocasião da Páscoa; quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus? 40Eles tornaram a clamar:
18.40
At 3.14
Não a este, mas a Barrabás. Ora, Barrabás era salteador.