Tradução Brasileira (2010) (TB)
6

Opressão sob os midianitas

61

6.1
Jz 2.11
Fizeram os filhos de Israel o mal à vista de Jeová, e ele os entregou nas mãos de
6.1
Nm 22.4
25.15-18
31.1-3
Midiã sete anos. 2A mão de Midiã prevaleceu sobre Israel, por cuja causa fizeram para si os filhos de Israel as covas que estão nos montes, e as cavernas, e as fortalezas. 3Tendo Israel feito as suas semeaduras, subiam contra ele os midianitas, os amalequitas e os filhos do Oriente; 4e, acampando-se,
6.4
Lv 26.16
destruíram as novidades da terra até a vizinhança de Gaza, e
6.4
Dt 28.31
nada deixavam em Israel para sustentar a vida, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos. 5Pois eles subiam com os seus gados e tendas, e vinham tanto eles como os seus camelos em multidão inumerável
6.5
Jz 7.12
8.10
como gafanhotos; e entravam na terra para a destruir. 6Israel ficou
6.6
Dt 28.43
muito extenuado por causa de Midiã; e clamavam os filhos de Israel a Jeová.

7Quando os filhos de Israel clamaram a Jeová por causa de Midiã, 8mandou-lhes ele um profeta,

6.8
Jz 2.1-2
que lhes disse: Assim diz Jeová, Deus de Israel: Eu vos fiz subir do Egito e vos tirei da casa da servidão; 9e vos livrei das mãos dos egípcios, e de todos os que vos oprimiam, e os desapossei de diante de vós e dei-vos a sua terra. 10Eu vos disse: Eu sou Jeová, vosso Deus; não temais os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Porém não obedecestes à minha voz.

Gideão visitado por um anjo de Jeová

11Veio

6.11
Jz 6.14
Jz 2.1
13.3
o Anjo de Jeová, e sentou-se debaixo do terebinto que estava em Ofra e pertencia a Joás,
6.11
Jz 6.15
Js 17.2
abiezrita, cujo filho
6.11
Hb 11.32
Gideão estava malhando trigo no lagar, para o esconder dos midianitas. 12Então lhe apareceu o Anjo de Jeová e lhe disse: Jeová é contigo, valentíssimo varão. 13Respondeu-lhe Gideão: Ó senhor meu, se Jeová é conosco, por que, então, nos tem sucedido tudo isto? Onde estão todas as suas obras maravilhosas, de que nos falaram nossos pais, dizendo: Não nos fez Jeová subir do Egito? Porém,
6.13
Jz 6.1
Sl 44.9
agora, ele nos desamparou e nos entregou nas mãos de Midiã. 14Virou-se para ele Jeová e disse: Vai nessa tua força e livra a Israel da mão de Midiã; porventura não te enviei? 15
6.15
Êx 3.11
Replicou-lhe Gideão: Ó Senhor, como livrarei a Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em
6.15
Jz 6.11
Manassés, e eu sou o menor na casa de meu pai. 16
6.16
Êx 3.12
Js 1.5
Tornou-lhe Jeová: Certamente serei contigo, e ferirás aos midianitas como a um só homem. 17Prosseguiu Gideão: Se achei graça aos teus olhos, dá-me um
6.17
Jz 6.37
Is 38.7-8
sinal de que tu és quem fala comigo. 18Não te vás daqui até que eu volte, e traga o meu presente e ponha diante de ti. Respondeu ele: Eu esperarei até que voltes.

19Gideão entrou, e

6.19
Gn 18.6-8
preparou um cabrito, e fez dum efa de farinha bolos asmos; pôs a carne num cesto, e o caldo, numa panela, e trouxe-lhe tudo para debaixo do terebinto, e lho apresentou. 20Disse-lhe o Anjo de Deus: Toma a carne e os bolos, põe-nos sobre esta rocha, e derrama-lhes por cima o caldo. Assim fez Gideão. 21Estendeu o Anjo de Jeová a ponta da vara que tinha na mão, e tocou a carne e os bolos asmos;
6.21
Lv 9.24
da rocha subiu fogo e consumiu a carne e os bolos asmos; e o anjo de Jeová desapareceu-lhe dos olhos. 22
6.22
Jz 13.21-22
Gn 32.30
Êx 33.20
Vendo que era o Anjo de Jeová, disse Gideão: Ai de mim, Deus Jeová, porque vi o Anjo de Jeová face a face. 23Disse-lhe Jeová: Paz seja contigo; não temas: não morrerás! 24Ali edificou Gideão um altar a Jeová, e chamou-lhe Jeová-Shalom: ainda está o altar até o dia de hoje em Ofra dos abiezritas.

Gideão destrói o altar de Baal

25Naquela noite lhe disse Jeová: Toma o touro de teu pai, a saber, o segundo touro de sete anos, e derruba o altar de Baal, que é de teu pai, e corta a

6.25
Êx 34.13
Aserá que está junto ao altar. 26Edifica um altar a Jeová, teu Deus, no cume deste lugar forte, na forma devida, toma o segundo touro, e oferece um holocausto, usando da lenha da Aserá que cortarás. 27Gideão tomou dez dos seus servos e fez segundo Jeová lhe falara; mas, porque teve medo da casa de seu pai e dos homens da cidade, não o fez de dia, fê-lo de noite.

28Levantando-se os homens da cidade de madrugada, eis que estava o altar de Baal derrubado, cortada a Aserá que estava junto a ele e oferecido o segundo touro sobre o altar que havia sido edificado. 29Falaram uns aos outros: Quem fez isto? Depois de investigarem e inquirirem, disseram: Foi Gideão, filho de Joás, quem fez isso. 30Os homens da cidade disseram a Joás: Tira para fora teu filho, para que morra, porque derrubou o altar de Baal e cortou a Aserá que estava junto a ele. 31Respondeu Joás a todos os que se puseram contra ele: Pleiteareis vós por Baal? Ou salvá-lo-eis vós? (Quem pleitear por ele será morto ainda esta manhã.) Se ele é deus, pleiteie por si mesmo, porque alguém derrubou o seu altar. 32Naquele dia, chamou a Gideão

6.32
Jz 7.1
Jerubaal, dizendo: Pleiteie Baal contra ele, pois derrubou o seu altar.

33Ajuntaram-se todos os midianitas, os amalequitas e os filhos do Oriente; passaram e acamparam-se

6.33
Js 17.16
no vale de Jezreel. 34Mas o
6.34
Jz 3.10
Espírito de Jeová tomou posse de Gideão, que
6.34
Jz 3.27
tocou o alarme; congregou-se Abiezer após ele. 35Enviou mensageiros por toda a tribo de Manassés, que se congregou após ele; enviou também mensageiros a Aser, a
6.35
Jz 4.6,10
5.13
Zebulom e a Naftali,
6.35
Jz 7.3
que lhes saíram ao encontro.

36Disse Gideão a Deus:

6.36
Jz 6.14,16-17
Se tu hás de livrar a Israel por minha mão, como disseste, 37eis que porei eu um velo de lã na eira: se o orvalho estiver só no velo, e toda a terra ficar seca, conhecerei que hás de livrar a Israel por minha mão, como disseste. 38Assim sucedeu, porque se levantou cedo no dia seguinte, apertou o velo, e do velo espremeu o orvalho, enchendo de água uma taça. 39Disse mais Gideão a Deus:
6.39
Gn 18.32
Não se acenda a tua ira contra mim, e só falarei mais uma vez. Permite que eu faça a prova ainda esta vez com o velo; rogo-te que só o velo esteja seco, e que haja orvalho sobre a terra toda. 40Deus assim o fez naquela noite: só no velo houve secura, e orvalho na terra toda.

7

Gideão com trezentos homens vence os midianitas

71Levantando-se de madrugada

7.1
Jz 6.32
Jerubaal, que é Gideão, e todo o povo que estava com ele, acamparam-se junto à fonte
7.1
Jz 7.3
Harode: o arraial de Midiã estava da banda do norte, perto do outeiro de
7.1
Gn 12.6
Dt 11.30
Moré, no vale.

2Disse Jeová a Gideão: Tens contigo gente demais para eu entregar os midianitas nas suas mãos,

7.2
Dt 8.17-18
sem que Israel se glorie contra mim, dizendo: Foi a minha própria mão que me salvou. 3Agora apregoa aos ouvidos do povo, dizendo:
7.3
Dt 20.8
Quem é medroso e tímido, volte e retire-se do monte Gileade. Voltaram do povo vinte e dois mil; e ficaram dez mil.

4

7.4
1Sm 14.6
Disse mais Jeová a Gideão: Ainda há povo em demasia. Faze-o descer às águas, e ali tos provarei: Irá contigo aquele de quem eu te disser: Este irá contigo; porém não irá aquele de quem eu te disser: Este não irá contigo. 5Fez descer o povo às águas; e disse Jeová a Gideão: Todo homem que lamber as águas com a língua, como faz o cão, a esse porás à parte; como também a todo aquele que se abaixar de joelhos para beber. 6Foi o número daqueles que lamberam, levando a mão à boca, trezentos homens; mas todo o resto do povo abaixou-se de joelhos para beber água. 7Então, disse Jeová a Gideão: Com estes trezentos homens que lamberam a água vos salvarei, e entregarei os midianitas nas tuas mãos. Quanto a todo o povo, vá cada um ao seu lugar. 8Tomou o povo provisões na sua mão e as suas trombetas: Gideão enviou todos os homens de Israel, cada um à sua tenda, porém reteve os trezentos homens. Estava o arraial de Midiã em baixo do vale.

9Disse-lhe naquela noite Jeová: Levanta-te, desce ao arraial,

7.9
Js 2.24
10.8
11.6
porque to entreguei nas mãos. 10Mas, se tu tiveres medo de descer, desce tu e teu moço, Pura, ao arraial; 11ouvirás o que dizem;
7.11
Jz 7.15
depois, serão fortalecidas as tuas mãos para desceres sobre o arraial. Desceu ele e o seu moço Pura ao extremo das sentinelas que estavam no arraial. 12Os midianitas, os amalequitas e todos os filhos do Oriente estavam estendidos no vale
7.12
Jz 6.5
8.10
como gafanhotos em multidão; eram os seus camelos uma multidão inumerável
7.12
Js 11.4
como areia que há na praia do mar. 13No momento em que Gideão chegou, um homem estava contando um sonho ao seu companheiro e dizia: Tive um sonho. Eis que um pão de cevada torrado veio rolando sobre o arraial de Midiã, chegou a uma tenda, bateu nela de sorte que ela caiu, e virou-a de cima para baixo, de modo que ficou estendida por terra. 14Respondeu-lhe o companheiro: Isso não é outra coisa senão a espada de Gideão, filho de Joás, homem israelita;
7.14
Js 2.9
nas mãos dele entregou Deus a Midiã e a todo o arraial.

O estratagema das trombetas e dos cântaros

15Tendo Gideão ouvido a narração do sonho e a sua interpretação, prostrou-se para adorar; voltou ao arraial de Israel e disse: Levantai-vos, pois Jeová vos entregou nas mãos o arraial de Midiã. 16Dividiu os trezentos homens em três companhias e pôs nas mãos de todos eles trombetas e cântaros vazios, contendo tochas. 17Disse-lhes: Olhai para mim e fazei assim como eu fizer. Quando eu chegar à extremidade do arraial, como eu fizer, assim fareis vós. 18Quando eu tocar a trombeta, eu e todos os que estiverem comigo, tocai também vós as trombetas ao redor de todo o arraial e dizei: por Jeová e por Gideão!

19Gideão e os cem homens que com ele iam chegaram à extremidade do arraial ao princípio da vigília média, havendo sido de pouco colocadas as guardas; tocaram as trombetas e despedaçaram os cântaros que tinham nas mãos. 20As três companhias tocaram as trombetas, despedaçaram os cântaros, segurando com as mãos esquerdas as tochas e com as direitas as trombetas para as tocarem e clamaram: A espada de Jeová e de Gideão! 21Conservou-se cada um no seu lugar ao redor do arraial, que todo deitou a correr: gritaram e puseram-nos em fuga. 22Tocaram as trezentas trombetas, e

7.22
1Sm 14.20
Jeová fez voltar a espada de um contra outro, e contra todo o arraial, que fugiu até Bete-Sita em direção de Zererá, até ao termo de
7.22
1Rs 4.12
19.16
Abel-Meolá, junto a Tabate. 23Foram convocados os homens de Israel, de
7.23
Jz 6.35
Naftali, de Aser e de toda a tribo de Manassés, e perseguiam a Midiã.

24Gideão enviou mensageiros por toda a região montanhosa de Efraim, dizendo: Descei ao encontro de Midiã e

7.24
Jz 3.28
tomai-lhes as águas até Bete-Bara, isto é, o Jordão. Foram convocados todos os homens de Efraim, e tomaram as águas até Bete-Bara, o Jordão. 25
7.25
Sl 83.11
Is 10.26
Aprisionaram aos dois príncipes de Midiã, a Orebe e a Zeebe; mataram a Orebe no penhasco de Orebe, e a Zeebe, no lagar de Zeebe. Perseguiram a Midiã; e trouxeram as cabeças de Orebe e de Zeebe a Gideão, da banda
7.25
Jz 8.4
dalém do Jordão.

8

Gideão aplaca os efraimitas e mata os reis dos midianitas

81Então lhe disseram os homens de Efraim:

8.1
Jz 12.1
Que é isso que nos fizeste, em não nos chamares, quando foste pelejar contra Midiã? Repreenderam-no asperamente. 2Respondeu-lhes: Que fiz eu comparável com o que vós fizestes? Não são os rabiscos de Efraim melhores do que a vindima de Abiezer? 3Deus vos entregou nas mãos os príncipes de Midiã, Orebe e Zeebe; que pude eu fazer de comparável com o que vós fizestes? Então se lhes aplacou a ira, depois que ele dissera isso.

4Veio Gideão

8.4
Jz 7.25
ao Jordão, que passou juntamente com os trezentos homens que estavam com ele, desfalecidos, mas perseguindo. 5Disse aos homens de
8.5
Gn 33.17
Sucote: Dai uns pães ao povo que me segue, pois estão desfalecidos, e eu vou perseguindo a Zeba e a Zalmuna, reis de Midiã. 6Responderam os príncipes de Sucote:
8.6
Jz 8.15
Porventura, já se acham no teu poder as mãos de Zeba e Zalmuna, para que déssemos pão ao teu exército? 7Tornou-lhes Gideão: Pois,
8.7
Jz 7.15
quando Jeová me tiver entregado nas mãos a Zeba e a Zalmuna, hei de vos rasgar as carnes com os espinhos do deserto e com os abrolhos. 8Dali subiu a
8.8
Gn 32.30-31
Penuel, e falou-lhes da mesma maneira. Os homens de Penuel responderam-lhe como os homens de Sucote lhe haviam respondido. 9Disse também aos homens de Penuel: Quando eu voltar em paz,
8.9
Jz 8.17
derrubarei esta torre.

10Estavam Zeba e Zalmuna em Carcor, com as suas hostes, uns quinze mil homens, os restantes de todo o exército dos filhos do Oriente:

8.10
Jz 6.5
7.12
Sl 83.9
Is 9.4
pois caíram cento e vinte mil homens que puxavam da espada. 11Subiu Gideão pelo caminho dos nômades, ao oriente de Noba e Jogbeá, e feriu a hoste inimiga, porque ela se dava por segura. 12Fugiram Zeba e Zalmuna: Gideão perseguiu-os, prendeu os dois reis de Midiã, Zeba e Zalmuna, e desbaratou toda a hoste.

13Gideão, filho de Joás, voltou da peleja desde a subida de Heres. 14Tendo prendido a um moço dos homens de Sucote, o inquiriu. Este lhe deu por escrito os nomes dos príncipes de Sucote, e dos seus anciãos, setenta e sete homens. 15Veio aos homens de Sucote e disse: Eis aqui Zeba e Zalmuna, a respeito dos quais me motejastes, dizendo:

8.15
Jz 8.6
Porventura, se acham no teu poder as mãos de Zeba e Zalmuna, para que déssemos pão aos teus homens que estão desfalecidos? 16Tomou os anciãos da cidade, e espinhos do deserto e abrolhos e, com eles, ensinou aos homens de Sucote. 17
8.17
Jz 8.9
Derrubou também a torre de Penuel e matou os homens da cidade.

18Disse a Zeba e Zalmuna: Que sorte de homens eram os que matastes em Tabor? Responderam eles: Como és tu, assim eram eles; cada um parecia filho de rei. 19Gideão tornou: Eles eram meus irmãos, filhos de minha mãe; por Jeová, que se vós tivésseis poupado a vida a eles, eu não vos mataria! 20Então, disse a Jéter, seu primogênito: Levanta-te e mata-os. O mancebo, porém, não puxou da espada; pois temia, porque ainda era moço. 21Disseram Zeba e Zalmuna: Levanta-te e lança-te sobre nós, porque qual o homem, tal a sua força.

8.21
Sl 83.11
Levantando-se Gideão, matou a Zeba e a Zalmuna, e
8.21
Jz 8.26
tirou os colares que estavam aos pescoços dos seus camelos.

Gideão recusa governar, faz um éfode e morre

22Então, disseram os homens de Israel a Gideão: Domina sobre nós, tanto tu, e teu filho, bem como o filho de teu filho; porque nos livraste do poder de Midiã. 23Gideão respondeu-lhes: Eu não dominarei sobre vós, nem sobre vós dominará meu filho; Jeová vos dominará. 24Disse-lhes mais Gideão: Permiti-me fazer-vos um pedido: dá-me cada um as arrecadas do seu despojo. (Porque os ismaelitas usavam arrecadas de ouro.) 25Eles responderam: De boa vontade as daremos. Estenderam uma capa, e cada um deles deitou ali as arrecadas do seu despojo. 26O peso das arrecadas de ouro, que pediu, foi mil e setecentos siclos de ouro (afora os colares, e os pendentes, e os vestidos de púrpura que os reis de Midiã trajavam, e afora as cadeias que estavam aos pescoços dos seus camelos). 27Dele fez Gideão um

8.27
Jz 17.5
18.14-20
Êx 28.6-35
éfode, e colocou-o na sua cidade de Ofra; ali ia todo o Israel a idolatrá-lo; e foi um laço para Gideão e sua casa. 28Foram abatidos os midianitas diante dos filhos de Israel e nunca mais levantaram a cabeça. A terra teve descanso quarenta anos nos dias de Gideão.

29Retirou-se

8.29
Jz 7.1
Jerubaal, filho de Joás, e habitou em sua casa. 30Gideão teve
8.30
Jz 9.2,5
setenta filhos que saíram da sua coxa, porque tinha muitas mulheres. 31A sua concubina que morava em Siquém deu-lhe à luz também um filho; e ele lhe pôs por nome Abimeleque. 32Morreu Gideão, filho de Joás, numa boa velhice, e foi sepultado no sepulcro de seu pai, Joás, em Ofra dos abiezritas.

33Logo que morreu Gideão,

8.33
Jz 2.11-12
tornaram os filhos de Israel a idolatrarem os Baalins e fizeram a
8.33
Jz 9.4,27,46
Baal-Berite o seu deus. 34Os filhos de Israel
8.34
Jz 3.7
Dt 4.9
não se lembraram de Jeová, seu Deus, que os havia libertado da mão de todos os seus inimigos ao redor; 35nem usaram de beneficência para com a casa de Jerubaal, o qual é Gideão, segundo toda a bondade que ele havia mostrado para com Israel.