Tradução Brasileira (2010) (TB)

Opressão sob os midianitas

61

6.1
Jz 2.11
Fizeram os filhos de Israel o mal à vista de Jeová, e ele os entregou nas mãos de
6.1
Nm 22.4
25.15-18
31.1-3
Midiã sete anos. 2A mão de Midiã prevaleceu sobre Israel, por cuja causa fizeram para si os filhos de Israel as covas que estão nos montes, e as cavernas, e as fortalezas. 3Tendo Israel feito as suas semeaduras, subiam contra ele os midianitas, os amalequitas e os filhos do Oriente; 4e, acampando-se,
6.4
Lv 26.16
destruíram as novidades da terra até a vizinhança de Gaza, e
6.4
Dt 28.31
nada deixavam em Israel para sustentar a vida, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos. 5Pois eles subiam com os seus gados e tendas, e vinham tanto eles como os seus camelos em multidão inumerável
6.5
Jz 7.12
8.10
como gafanhotos; e entravam na terra para a destruir. 6Israel ficou
6.6
Dt 28.43
muito extenuado por causa de Midiã; e clamavam os filhos de Israel a Jeová.

7Quando os filhos de Israel clamaram a Jeová por causa de Midiã, 8mandou-lhes ele um profeta,

6.8
Jz 2.1-2
que lhes disse: Assim diz Jeová, Deus de Israel: Eu vos fiz subir do Egito e vos tirei da casa da servidão; 9e vos livrei das mãos dos egípcios, e de todos os que vos oprimiam, e os desapossei de diante de vós e dei-vos a sua terra. 10Eu vos disse: Eu sou Jeová, vosso Deus; não temais os deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Porém não obedecestes à minha voz.

Gideão visitado por um anjo de Jeová

11Veio

6.11
Jz 6.14
Jz 2.1
13.3
o Anjo de Jeová, e sentou-se debaixo do terebinto que estava em Ofra e pertencia a Joás,
6.11
Jz 6.15
Js 17.2
abiezrita, cujo filho
6.11
Hb 11.32
Gideão estava malhando trigo no lagar, para o esconder dos midianitas. 12Então lhe apareceu o Anjo de Jeová e lhe disse: Jeová é contigo, valentíssimo varão. 13Respondeu-lhe Gideão: Ó senhor meu, se Jeová é conosco, por que, então, nos tem sucedido tudo isto? Onde estão todas as suas obras maravilhosas, de que nos falaram nossos pais, dizendo: Não nos fez Jeová subir do Egito? Porém,
6.13
Jz 6.1
Sl 44.9
agora, ele nos desamparou e nos entregou nas mãos de Midiã. 14Virou-se para ele Jeová e disse: Vai nessa tua força e livra a Israel da mão de Midiã; porventura não te enviei? 15
6.15
Êx 3.11
Replicou-lhe Gideão: Ó Senhor, como livrarei a Israel? Eis que a minha família é a mais pobre em
6.15
Jz 6.11
Manassés, e eu sou o menor na casa de meu pai. 16
6.16
Êx 3.12
Js 1.5
Tornou-lhe Jeová: Certamente serei contigo, e ferirás aos midianitas como a um só homem. 17Prosseguiu Gideão: Se achei graça aos teus olhos, dá-me um
6.17
Jz 6.37
Is 38.7-8
sinal de que tu és quem fala comigo. 18Não te vás daqui até que eu volte, e traga o meu presente e ponha diante de ti. Respondeu ele: Eu esperarei até que voltes.

19Gideão entrou, e

6.19
Gn 18.6-8
preparou um cabrito, e fez dum efa de farinha bolos asmos; pôs a carne num cesto, e o caldo, numa panela, e trouxe-lhe tudo para debaixo do terebinto, e lho apresentou. 20Disse-lhe o Anjo de Deus: Toma a carne e os bolos, põe-nos sobre esta rocha, e derrama-lhes por cima o caldo. Assim fez Gideão. 21Estendeu o Anjo de Jeová a ponta da vara que tinha na mão, e tocou a carne e os bolos asmos;
6.21
Lv 9.24
da rocha subiu fogo e consumiu a carne e os bolos asmos; e o anjo de Jeová desapareceu-lhe dos olhos. 22
6.22
Jz 13.21-22
Gn 32.30
Êx 33.20
Vendo que era o Anjo de Jeová, disse Gideão: Ai de mim, Deus Jeová, porque vi o Anjo de Jeová face a face. 23Disse-lhe Jeová: Paz seja contigo; não temas: não morrerás! 24Ali edificou Gideão um altar a Jeová, e chamou-lhe Jeová-Shalom: ainda está o altar até o dia de hoje em Ofra dos abiezritas.

Gideão destrói o altar de Baal

25Naquela noite lhe disse Jeová: Toma o touro de teu pai, a saber, o segundo touro de sete anos, e derruba o altar de Baal, que é de teu pai, e corta a

6.25
Êx 34.13
Aserá que está junto ao altar. 26Edifica um altar a Jeová, teu Deus, no cume deste lugar forte, na forma devida, toma o segundo touro, e oferece um holocausto, usando da lenha da Aserá que cortarás. 27Gideão tomou dez dos seus servos e fez segundo Jeová lhe falara; mas, porque teve medo da casa de seu pai e dos homens da cidade, não o fez de dia, fê-lo de noite.

28Levantando-se os homens da cidade de madrugada, eis que estava o altar de Baal derrubado, cortada a Aserá que estava junto a ele e oferecido o segundo touro sobre o altar que havia sido edificado. 29Falaram uns aos outros: Quem fez isto? Depois de investigarem e inquirirem, disseram: Foi Gideão, filho de Joás, quem fez isso. 30Os homens da cidade disseram a Joás: Tira para fora teu filho, para que morra, porque derrubou o altar de Baal e cortou a Aserá que estava junto a ele. 31Respondeu Joás a todos os que se puseram contra ele: Pleiteareis vós por Baal? Ou salvá-lo-eis vós? (Quem pleitear por ele será morto ainda esta manhã.) Se ele é deus, pleiteie por si mesmo, porque alguém derrubou o seu altar. 32Naquele dia, chamou a Gideão

6.32
Jz 7.1
Jerubaal, dizendo: Pleiteie Baal contra ele, pois derrubou o seu altar.

33Ajuntaram-se todos os midianitas, os amalequitas e os filhos do Oriente; passaram e acamparam-se

6.33
Js 17.16
no vale de Jezreel. 34Mas o
6.34
Jz 3.10
Espírito de Jeová tomou posse de Gideão, que
6.34
Jz 3.27
tocou o alarme; congregou-se Abiezer após ele. 35Enviou mensageiros por toda a tribo de Manassés, que se congregou após ele; enviou também mensageiros a Aser, a
6.35
Jz 4.6,10
5.13
Zebulom e a Naftali,
6.35
Jz 7.3
que lhes saíram ao encontro.

36Disse Gideão a Deus:

6.36
Jz 6.14,16-17
Se tu hás de livrar a Israel por minha mão, como disseste, 37eis que porei eu um velo de lã na eira: se o orvalho estiver só no velo, e toda a terra ficar seca, conhecerei que hás de livrar a Israel por minha mão, como disseste. 38Assim sucedeu, porque se levantou cedo no dia seguinte, apertou o velo, e do velo espremeu o orvalho, enchendo de água uma taça. 39Disse mais Gideão a Deus:
6.39
Gn 18.32
Não se acenda a tua ira contra mim, e só falarei mais uma vez. Permite que eu faça a prova ainda esta vez com o velo; rogo-te que só o velo esteja seco, e que haja orvalho sobre a terra toda. 40Deus assim o fez naquela noite: só no velo houve secura, e orvalho na terra toda.