Tradução Brasileira (2010) (TB)
18

Os danitas buscam uma herança e tomam Laís

181

18.1
Jz 17.6
19.1
Naqueles dias, não havia rei em Israel, e a
18.1
Js 19.40-48
tribo dos danitas buscava para si herança onde habitar; porque, até então, não lhe tinha caído entre as tribos de Israel a sua herança. 2De
18.2
Jz 13.25
Zorá e de Estaol os filhos de Dã enviaram da sua família cinco homens, tirados dos seus vários ramos, homens de valor, a espiar e explorar a terra. Disseram-lhes: Ide explorar a terra. Eles chegaram à
18.2
Jz 17.1
região montanhosa de Efraim, à casa de Mica, e ali pousaram. 3Estando eles perto da casa de Mica, reconheceram a voz do mancebo levita; e dirigindo-se para lá, perguntaram-lhe: Quem te trouxe para cá? Que é o que estás fazendo aqui? Que é o que tens aqui? 4Respondeu-lhes ele: Tais e tais coisas me tem feito Mica, ele me assalariou, e
18.4
Jz 17.12
eu me tornei o seu sacerdote. 5Disseram-lhe: Consulta a Deus, para que saibamos se será próspero o caminho que seguimos. 6Disse-lhes o sacerdote: Ide em paz; perante Jeová está o caminho que seguis.

7Partiram os cinco homens e, indo a

18.7
Jz 18.29
Js 19.47
Laís, viram o povo que estava nela, como quieto e em paz habitava seguro, conforme o costume dos sidônios. Não havia na terra nenhuma autoridade que o envergonhasse em coisa alguma, achava-se longe dos sidônios e não tinha relações com outra gente. 8Voltaram aos seus irmãos em Zorá e Estaol, os quais lhes perguntaram: Que dizeis vós? 9Responderam eles: Levantai-vos e subamos contra eles; porque vimos a terra, e é ela muito fértil. Vós estais quietos! Não vos demoreis em irdes ocupar a terra. 10Quando fordes, achareis um povo descuidado, e a terra é muito espaçosa; pois Deus vo-la entregou nas mãos, lugar em que não há falta de coisa alguma que há na terra.

11Da família dos danitas partiram dali, de Zorá e de Estaol, seiscentos homens armados em guerra. 12Tendo subido, acamparam-se em Quiriate-Jearim, em Judá, pelo que esse lugar ficou sendo chamado

18.12
Jz 13.25
Maané-Dã até hoje; eis que está ao ocidente de Quiriate-Jearim. 13Dali, passaram à região montanhosa de Efraim e chegaram à casa de Mica.

Os danitas levam da casa de Mica a imagem e o levita

14Disseram aos seus irmãos os cinco homens que foram a espiar a terra de Laís: Sabeis, porventura, que há nestas casas um

18.14
Jz 17.5
éfode, e terafins, e uma imagem de escultura e de fundição? Agora, considerai o que haveis de fazer. 15Dirigiram-se para lá e chegaram à casa do mancebo levita, à casa de Mica, e saudaram-no com amizade. 16Os seiscentos homens, filhos de Dã, armados em guerra, ficaram à entrada da porta. 17Mas os cinco homens que foram espiar a terra subiram, entraram ali e tomaram a imagem de escultura, o éfode, os terafins e a imagem de fundição. O sacerdote estava em pé à entrada da porta com os seiscentos homens, armados em guerra. 18Quando eles entraram na casa de Mica e levaram a imagem de escultura, o éfode, os terafins e a imagem de fundição, perguntou-lhes o sacerdote: Que estais fazendo? 19Responderam-lhe: Cala-te, põe a mão sobre a tua boca, vem conosco e serve-nos de
18.19
Jz 17.10
pai e de sacerdote. É-te melhor ser sacerdote na casa de um particular, ou sê-lo numa tribo e numa família em Israel? 20Alegrou-se o coração do sacerdote, que tomou o éfode, os terafins e a imagem de escultura e se foi com o povo.

21Viraram-se e partiram, tendo posto diante de si os pequeninos, e o gado, e os seus bens. 22Estando eles já longe da casa de Mica, foram convocados os homens que estavam nas casas vizinhas à de Mica e alcançaram aos filhos de Dã. 23Gritaram atrás deles, e eles, virando o rosto, perguntaram a Mica: Que queres, visto que vens com tanta gente? 24Respondeu-lhes: Tomastes

18.24
Jz 17.5
os meus deuses que fiz e o sacerdote, e fostes embora, e que tenho eu mais? Que pergunta é essa que me fazes: Que queres? 25Replicaram-lhe os filhos de Dã: Não faças ouvir a tua voz entre nós, para que não suceda que se lancem sobre vós uns homens violentos, e percas a vida e bem assim a vida dos da tua casa. 26Assim, seguiram o seu caminho os filhos de Dã. Mica, vendo que eles eram mais fortes do que ele, virou-se e voltou para sua casa.

27Eles levaram o que Mica havia feito e o sacerdote que tivera, chegando a

18.27
Jz 18.7
Js 19.47
Laís, a um povo quieto e descuidado, passaram-no ao fio da espada e puseram fogo à cidade. 28Não havia quem o livrasse, porque estava longe de Sidom, e eles não tinham relações com outra gente; estava a cidade no vale que pertence a
18.28
2Sm 10.6
Bete-Reobe. Tendo reedificado a cidade, habitaram nela 29e chamaram-lhe Dã, do nome de seu pai Dã, que nascera a Israel. Todavia, o nome da cidade era originalmente Laís. 30Os filhos de Dã erigiram para si a
18.30
Jz 17.3,5
imagem de escultura. Jônatas, filho de
18.30
Êx 2.22
18.3
Gérson, filho de Moisés,
18.30
Jz 17.3,5
juntamente com seus filhos foram sacerdotes da tribo dos danitas até o dia do cativeiro da terra. 31Estabeleceram a imagem de escultura que fizera Mica por todo o tempo em que a casa de Deus estava em Siló.

19

Os homens de Gibeá abusam da mulher dum levita

191Nos dias em que

19.1
Jz 18.1
não havia rei em Israel, habitava um levita nas partes remotas da região montanhosa de Efraim, o qual tomou para si uma concubina de Belém-Judá. 2A sua concubina lhe foi infiel e, deixando-o, foi para a casa de seu pai em Belém-Judá. Ali ficou uns quatro meses. 3Seu marido, tendo consigo o seu servo e dois jumentos, levantou-se e foi atrás dela para lhe
19.3
Gn 34.3
50.21
falar bondosamente, a fim de tornar a trazê-la. Ela o fez entrar na casa de seu pai. Quando o pai da moça o viu, saiu alegre a recebê-lo. 4Seu sogro, o pai da moça, o deteve, de modo que ficou com ele três dias. Assim, comeram, beberam e se alojaram ali. 5Ao quarto dia, levantaram-se de manhã, e ele se ergueu para partir. O pai da moça disse ao seu genro:
19.5
Jz 19.8
Gn 18.5
Fortalece-te com um bocado de pão e, depois, partirás. 6Sentaram-se ambos juntos, e comeram e beberam; e disse o pai da moça ao homem: Peço-te que te deixes passar aqui a noite, e
19.6
Jz 19.9,22
Jz 16.25
Rt 3.7
1Rs 21.7
Et 1.10
alegre-se o teu coração. 7O homem ergueu-se para partir, porém o seu sogro, instando com ele, fê-lo pernoitar ali. 8Ao quinto dia, levantou-se de manhã para partir; e disse o pai da moça: Conforta o teu coração. Assim se detiveram até o declinar do dia; e comeram ambos juntos. 9O homem se ergueu para partir, com a sua concubina e com o seu servo, e disse-lhe o seu sogro, o pai da moça: Eis que o dia declina para a tarde; peço-te que passes aqui a noite. Eis que o dia se vai acabando; passa aqui a noite, para que se alegre o teu coração. Amanhã, levanta-te cedo para encetares viagem e irás para tua casa.

10Porém o homem não quis passar ali a noite, mas, erguendo-se, partiu e chegou à altura de

19.10
1Cr 11.4-5
Jebus (que é Jerusalém). Levava consigo dois jumentos albardados e também a sua concubina. 11Quando passavam por Jebus, o dia estava a terminar; e
19.11
Jz 19.19
o servo disse ao seu senhor: Vem, tomemos o caminho desta cidade dos jebuseus e passemos nela a noite. 12Respondeu-lhe o seu senhor: Não tomaremos o caminho da cidade de gente estrangeira, que não é dos filhos de Israel; mas passaremos até Gibeá. 13Disse mais o seu servo: Vinde, vamos a um destes lugares; e passaremos a noite em Gibeá, ou em Ramá. 14Passaram adiante e continuaram o seu caminho; e o sol se lhes pôs perto de Gibeá, que pertence a Benjamim. 15Dirigiram-se para lá, a fim de passarem ali a noite. Entrando ele, sentou-se na praça da cidade, porque não havia quem os recolhesse em casa para ali pernoitarem.

16Eis que, ao anoitecer, vinha do campo, do seu trabalho, um homem velho,

19.16
Jz 19.1
que era da região montanhosa de Efraim, e forasteiro em Gibeá; porém os habitantes do lugar eram
19.16
Jz 19.14
benjamitas. 17Levantando o velho os olhos, viu na praça da cidade o viajante e perguntou-lhe: Para onde vais? Donde vens? 18Respondeu-lhe: Estamos viajando de Belém-Judá para as partes remotas da região montanhosa de Efraim, donde sou; fui a Belém-Judá, e agora estou de viagem para a Casa de Jeová; e não há quem me receba em sua casa. 19Todavia, temos palha e pasto para os nossos jumentos; há pão e vinho para mim, e para a tua serva, e para o
19.19
Jz 19.11
criado que está com os teus servos; não há falta de coisa alguma. 20Então, disse o velho: Paz seja contigo; porém tudo o que faltar ficará ao meu cargo; somente não passes a noite na praça. 21
19.21
Gn 24.32-33
Fê-lo entrar em sua casa e deu pasto aos jumentos; e havendo eles lavado os pés, comeram e beberam.

22Enquanto eles se alegravam, eis que

19.22
Gn 19.4-5
Ez 16.46-48
uns homens da cidade,
19.22
Dt 13.13
1Sm 2.12
1Rs 21.10
filhos de Belial, cercaram a casa, batendo à porta; e falaram ao dono da casa, ao velho, dizendo: Traze cá para fora o homem que entrou na tua casa, para que o conheçamos. 23O dono da casa saiu a ter com eles e disse-lhes: Não, meus irmãos, não cometais semelhante maldade; visto que o homem já entrou em minha casa,
19.23
Jz 20.6
Gn 34.7
Dt 22.21
2Sm 13.12
não façais essa loucura. 24
19.24
Gn 19.8
Eis aqui está minha filha virgem e a concubina do homem. Trá-las-ei cá para fora, humilhai-as a elas, e fazei-lhes o que parecer bem aos vossos olhos; porém a este homem não façais tal loucura. 25Mas os homens não o queriam ouvir; o homem pegou na sua concubina e a fez sair a eles, para fora. Eles a conheceram e dela abusaram a noite toda até pela manhã: largaram-na ao raiar da alva. 26Ao romper do dia, veio a mulher e caiu à porta da casa do homem, onde estava o seu senhor, e ali ficou até que se fez claro.

27Levantando-se pela manhã o seu senhor, abriu as portas da casa e saiu para seguir o seu caminho; eis que a mulher, sua concubina, estava estirada à porta da casa com as mãos sobre o limiar. 28Ele lhe disse: Levanta-te, e vamo-nos;

19.28
Jz 20.5
mas ninguém respondeu. Então a pôs sobre o jumento e, levantando-se o homem, foi para o seu lugar. 29Quando chegou em casa, tomou um cutelo, e pegou na sua concubina, e
19.29
1Sm 11.12
dividindo-a, membro por membro, em doze pedaços, enviou-os por todo o território de Israel. 30Dizia todo homem que aquilo via: Nunca tal coisa se fez nem se viu desde o dia em que os filhos de Israel subiram da terra do Egito até hoje. Ponderai isto, consultai e não caleis.

Os israelitas vingam o ultraje feito ao levita

201Saíram todos os filhos de Israel, e reuniu-se perante Jeová em

20.1
1Sm 7.5
Mispa a congregação como se fora um só homem, desde Dã até Berseba, como também a terra de Gileade. 2Os homens principais de todo o povo, a saber, de todas as tribos de Israel, apresentaram-se na assembleia do povo de Deus, em número de quatrocentos mil que tiravam a espada. 3(Ouviram os filhos de Benjamim que os filhos de Israel haviam subido a Mispa.) Disseram os filhos de Israel: Dizei-nos, de que modo se cometeu esta maldade? 4Respondeu o levita, marido da mulher que fora morta: Em Gibeá, que pertence a Benjamim, entrei eu com minha concubina para ali passar a noite. 5Os cidadãos de Gibeá levantaram-se contra mim e cercaram de noite a casa em que eu estava; a mim me tencionaram matar e a minha concubina a violaram, de maneira que morreu. 6Então, peguei na minha concubina, dividi-a em pedaços e enviei-os por todo o país da herança de Israel, porque cometeram tal abominação e loucura em Israel. 7Eis aqui estais todos vós, israelitas; dai a vossa palavra e conselho neste caso.

8Todo o povo se levantou como um só homem, dizendo: Nenhum de nós irá para a sua tenda, e nenhum de nós voltará para a sua casa. 9Porém isto é o que faremos a Gibeá; subiremos contra ela por sorte; 10tomaremos de todas as tribos de Israel dez homens de cada cem, e cem de cada mil, e mil de cada dez mil para procurarem víveres para o povo, a fim de que, vindo a Gibeá de Benjamim, lhe deem o pago de toda a loucura que fez em Israel. 11Assim se ajuntaram contra a cidade todos os homens de Israel, coligados como um só homem.

12As tribos de Israel mandaram homens por toda a tribo de Benjamim, para que lhe dissessem: Que maldade é essa que se fez entre vós? 13Entregai-nos, agora, os homens, filhos de Belial, que estão em Gibeá, para que os façamos morrer e para que tiremos de Israel este mal. Porém Benjamim não quis ouvir a voz de seus irmãos, os filhos de Israel. 14Das cidades ajuntaram-se em Gibeá os filhos de Benjamim para saírem a pelejar contra os filhos de Israel. 15Contaram-se naquele dia os filhos de Benjamim, das cidades,

20.15
Nm 1.36-37
2.23
26.41
vinte e seis mil homens que tiravam a espada, afora os habitantes de Gibeá, de que se contaram setecentos homens escolhidos. 16Entre todo este povo havia setecentos homens escolhidos que usavam da mão esquerda em vez da direita, cada um podia dar tiros de funda num cabelo sem errar.

O povo consulta a Deus

17Foram contados dos homens de Israel, excluindo a Benjamim, quatrocentos mil que tiravam a espada, todos eles homens de guerra. 18Tendo-se levantado os filhos de Israel, subiram a Betel e

20.18
Jz 20.23,27
Nm 27.21
consultaram a Deus, perguntando: Quem de nós subirá primeiro para pelejar contra os filhos de Benjamim? Respondeu Jeová: Judá subirá primeiro.

19Levantaram-se de manhã os filhos de Israel e acamparam-se contra Gibeá. 20Saíram os homens de Israel para pelejar contra Benjamim, e ordenaram batalha contra eles junto a Gibeá. 21Então, os filhos de Benjamim saíram de Gibeá,

20.21
Jz 20.25
e derrubaram por terra, naquele dia, vinte e dois mil homens dos israelitas. 22Esforçou-se o povo, os homens de Israel, e tornaram a ordenar batalha no lugar em que a tinham ordenado no primeiro dia. 23
20.23
Js 7.6-7
Subiram os filhos de Israel e choraram diante de Jeová até à tarde, e
20.23
Jz 20.18
perguntaram-lhe: Tornarei a pelejar contra os filhos de meu irmão Benjamim? Respondeu Jeová: Subi contra eles.

24Marcharam os filhos de Israel contra os filhos de Benjamim no segundo dia. 25Também Benjamim, nesse mesmo dia, lhes saiu de Gibeá ao encontro, e

20.25
Jz 20.21
derrubou por terra dos filhos de Israel mais dezoito mil homens; todos estes tiravam a espada. 26
20.26
Jz 20.23
Jz 21.2
Todos os filhos de Israel e todo o povo subiram a Betel, choraram, ali se assentaram diante de Jeová e jejuaram aquele dia até à tarde. Diante de Jeová ofereceram holocaustos e ofertas pacíficas. 27Os filhos de Israel
20.27
Jz 20.18
perguntaram a Jeová (porque a arca da aliança de Deus estava ali naqueles dias, 28e Fineias, filho de Eleazar, filho de Arão, lhe assistia): Tornarei ainda a sair à peleja contra os filhos de meu irmão Benjamim, ou desistirei? Respondeu Jeová: Subi,
20.28
Jz 7.9
porque amanhã tos entregarei nas mãos.

29

20.29
Js 8.4
Israel pôs emboscadas ao redor de Gibeá. 30Ao terceiro dia, subiram os filhos de Israel contra os filhos de Benjamim, e como das outras vezes ordenaram batalha contra Gibeá. 31
20.31
Js 8.16
Saíram os filhos de Benjamim ao encontro do povo e foram atraídos da cidade; como das outras vezes, começaram a ferir e mataram do povo uns trinta homens de Israel no campo, pelas estradas, uma das quais sobe para Betel, e a outra, para Gibeá. 32Disseram os filhos de Benjamim: Estão derrotados diante de nós como dantes. Porém os filhos de Israel disseram: Fujamos, e atraiamo-los da cidade para as estradas. 33Todos os homens de Israel se levantaram do seu lugar e ordenaram batalha em Baal-Tamar. A
20.33
Js 8.19
emboscada de Israel surgiu de repente do seu lugar ao ocidente de Gibeá. 34Vieram contra Gibeá dez mil homens escolhidos de todo o Israel e travou-se renhido combate; mas os de Gibeá não sabiam que a derrota vinha sobre eles. 35Jeová feriu a Benjamim diante de Israel, que lhe destruiu, naquele dia, vinte e cinco mil e cem homens: todos estes tiravam a espada.

A derrota dos filhos de Benjamim

36Assim, os filhos de Benjamim viram que estavam derrotados; pois os homens de Israel cederam lugar a Benjamim, porque confiaram na emboscada que haviam posto contra Gibeá. 37A emboscada apressou-se, correu impetuosamente para Gibeá e, apresentando-se ali, feriu a cidade toda ao fio da espada. 38Os homens de Israel tinham combinado com a emboscada

20.38
Js 8.20
que fizesse subir uma nuvem de fumo como sinal do tempo 39em que deviam voltar ao combate. Benjamim começou a ferir e a matar dos homens de Israel quase trinta pessoas,
20.39
Jz 20.32
pois disseram: Sem dúvida estão derrotados diante de nós, como na peleja anterior. 40Mas, quando a nuvem começou a subir da cidade numa coluna de fumo, os benjamitas olharam para trás, e eis que a cidade toda subia em fumo ao céu. 41Os homens de Israel deram volta, e os homens de Benjamim pasmaram, pois viram que a derrota lhes tinha sobrevindo. 42Portanto, viraram as costas diante dos filhos de Israel em busca
20.42
Js 8.15,24
do caminho do deserto; porém a peleja os apertou; os das cidades os destruíram ao passar por eles. 43Cercaram aos benjamitas, perseguiram-nos e pisaram-nos desde Menuá até a altura de Gibeá, para o nascente do sol. 44Caíram de Benjamim dezoito mil homens, todos eles homens de valor. 45Então, viraram as costas e fugiram para o deserto até a penha de
20.45
Jz 21.13
Rimom. Rabiscaram deles nas veredas ainda cinco mil homens; seguiram-nos de perto até Gidom e mataram deles uns dois mil homens. 46Assim que todos os que de Benjamim caíram, naquele dia, foram vinte e cinco mil homens que tiravam a espada, todos eles homens de valor. 47Mas seiscentos homens viraram as costas e, fugindo para o deserto até a penha de Rimom, ficaram ali quatro meses. 48Os filhos de Israel voltaram para os filhos de Benjamim e feriram ao fio da espada a cidade com os homens e animais e tudo o que se achava ali; além disso, puseram fogo a todas as cidades que acharam.