Tradução Brasileira (2010) (TB)
47

A queda de Babilônia

471

47.1
Is 3.26
Jr 48.18
Desce e assenta-te no pó,
47.1
Is 23.12
37.22
Jr 46.11
virgem
47.1
Sl 137.8
Jr 50.42
51.33
Zc 2.7
filha de Babilônia; assenta-te no chão sem trono, filha dos caldeus. Pois não serás chamada mais
47.1
Dt 28.56
mimosa e delicada. 2Toma a
47.2
Êx 11.5
Jr 25.10
mó e
47.2
Jó 31.10
Ec 12.4
Mt 24.41
mói a farinha; tira
47.2
Is 3.23
Gn 24.65
1Co 11.5
o teu véu e
47.2
Is 32.11
arranca a cauda da vestidura, descobre as pernas e passa os rios. 3
47.3
Is 3.17
Ez 16.37
A tua nudez será descoberta, ver-se-á a tua vergonha;
47.3
Is 34.8
63.4
tomarei vingança e não pouparei a homem algum. 4Quanto ao nosso
47.4
Is 41.14
Redentor, Jeová dos Exércitos é o seu nome, o Santo de Israel. 5
47.5
Is 23.2
Jr 8.14
Lm 2.10
Senta-te calada e entra
47.5
Is 13.10
nas trevas, filha dos caldeus; porque não serás chamada mais
47.5
Is 47.7
Gn 16.4,8,9
Pv 30.23
a senhora
47.5
Is 13.19
Dn 2.37-38
Ap 17.18
18.7
dos reinos. 6Eu me agastei contra o meu povo,
47.6
Is 43.28
profanei a minha herança e entreguei-os nas tuas mãos;
47.6
Is 10.14
14.6
tu não usaste de misericórdia com eles,
47.6
Dt 28.50
sobre os velhos fizeste muito pesado o teu jugo. 7Disseste: Eu serei
47.7
Is 47.5
senhora para sempre; assim, não
47.7
Is 42.25
57.11
te importaste dessas coisas, nem te lembraste
47.7
Dt 32.29
Jr 5.31
Ez 7.2-3
do fim delas.

A futilidade da confiança própria

8Agora, pois, ouve isso, tu, a que estás

47.8
Is 22.13
32.9
Jr 50.11
entregue a prazeres,
47.8
Is 32.9,11
Sf 2.15
que habitas descuidada e que dizes no teu coração:
47.8
Is 47.10
45.5-6,18
Sf 2.15
Eu sou, e fora de mim não há outra;
47.8
Ap 18.7
não me sentarei como viúva, nem conhecerei a perda de filhos. 9Porém,
47.9
Sl 73.19
1Ts 5.3
Ap 18.8,10
num momento, num só dia, virão sobre ti ambos
47.9
Is 13.16,18
14.22
esses males: a perda de filhos e a viuvez — em toda a sua plenitude virão sobre ti apesar da multidão das
47.9
Is 47.13
Na 3.4
Ap 18.23
tuas feitiçarias e da grande abundância dos teus encantamentos. 10
47.10
Is 59.4
Sl 52.7
62.10
Pois confiaste na tua maldade; disseste:
47.10
Is 29.15
Ez 8.12
9.9
Ninguém me vê.
47.10
Is 5.21
44.20
A tua sabedoria e a tua ciência, essas te perverteram. Disseste no teu coração:
47.10
Is 47.8
Eu sou, e fora de mim não há outra. 11Por isso,
47.11
Is 45.7
57.1
virá sobre ti o mal de que, por encantamentos, não saberás livrar-te; cairá sobre ti uma calamidade, que não poderás espiar, e virá sobre ti
47.11
Is 47.9
repentinamente uma
47.11
Jr 51.8,43
desolação que ignorarás.

12Deixa-te estar com os teus

47.12
Is 47.9
encantamentos e com a multidão das tuas feitiçarias, em que tens trabalhado desde a tua mocidade, para ver se, acaso, podes tirar algum proveito, se, acaso, podes prevalecer. 13Tens-te
47.13
Jr 51.58,64
cansado na multidão dos teus conselhos; apresentem-se, pois, e
47.13
Is 47.15
te salvem os teus
47.13
Is 47.9
8.19
44.25
Dn 2.2,10
astrólogos, os que contemplam os astros, os que te anunciam de lua nova em lua nova o que há de vir sobre ti. 14Eis que se tornarão como o
47.14
Is 5.24
Na 1.10
Ml 4.1
restolho;
47.14
Is 10.17
Jr 51.30,32,58
o fogo os queimará, e eles não se poderão livrar do poder das chamas. Essas chamas não serão
47.14
Is 44.16
umas brasas a que se aquentem, nem fogo, para que diante dele se assentem. 15Assim te virão a parar as coisas em que tens trabalhado; os que tiveram
47.15
Ap 18.11
negócios contigo desde a tua mocidade andarão errantes, cada um para o seu lugar; não haverá
47.15
Is 5.29
43.13
46.7
quem te salve.