Tradução Brasileira (2010) (TB)
3

A idolatria de Israel tem de cessar

31Pois eis que o Senhor, Jeová dos Exércitos,

3.1
Is 5.13
9.20
Lv 26.26
Ez 4.16
tira de Jerusalém e de Judá o sustento e o bordão, todo o sustento de pão e todo o sustento de água; 2
3.2
Is 9.14-15
2Rs 24.14
Ez 17.12-13
o valente e o guerreiro; o juiz e o profeta, o adivinho e o ancião; 3o capitão de cinquenta, e o homem acatado, e o conselheiro, e o artífice hábil, e o encantador perito. 4Dar-lhes-ei
3.4
Ec 10.16
meninos por príncipes, e caprichos infantis dominarão sobre eles. 5O povo
3.5
Mq 7.3-6
oprimirá uns aos outros, homem a homem,
3.5
Is 9.19
Jr 9.3-8
e próximo a próximo; mostrar-se-ão atrevidos; o menino, contra o ancião, e o vil, contra o nobre. 6Quando alguém
3.6
Is 4.1
pegar de seu irmão na casa de seu pai, dizendo: Tu tens roupa, tu dominarás sobre nós, e fique esta ruína debaixo da tua mão, 7naquele dia, exclamará, dizendo: Não quero ser
3.7
Ez 34.4
Os 5.13
médico, pois em minha casa não há pão nem roupa; não me haveis de constituir dominador sobre o povo. 8Pois
3.8
Is 1.7
6.11
Jerusalém está arruinada, e Judá, caído; porque a sua
3.8
Is 9.17
59.3
Sl 73.9-11
língua e as suas ações são contra Jeová, para
3.8
Is 65.3,5
2Cr 33.6
Ne 4.5
Hb 3.16
desafiarem os olhos da sua glória. 9O aspecto do seu semblante dá testemunho contra eles; e, como
3.9
Is 1.10
Gn 13.13
Sodoma, publicam o seu pecado, sem o disfarçar. Ai das suas almas! Porque eles
3.9
Pv 8.36
15.32
Rm 6.23
fazem mal a si mesmos. 10Dizei do
3.10
Is 54.17
Dt 28.1-14
Ec 8.12
justo que ele será próspero, pois comerá o fruto das suas ações. 11Ai do perverso! Não será próspero, pois lhe será feito a ele
3.11
Is 65.6-7
Dt 28.15-68
o que fizeram as suas mãos. 12Quanto ao meu povo, os que o oprimem são
3.12
Is 3.4
crianças, e mulheres dominam sobre eles. Ó povo meu, os
3.12
Is 9.16
28.14-15
que te guiam te enganam e destroem o caminho das tuas veredas.

13

3.13
Is 66.16
Os 4.1
Mq 6.2
Jeová põe-se de pé para pleitear e apresenta-se para julgar os povos. 14Jeová
3.14
Ez 20.35-36
Jó 22.4
Sl 143.2
entrará em juízo com os anciãos do seu povo e com os príncipes do mesmo. Vós sois os que
3.14
Mq 3.3
Sl 14.4
consumistes a vinha; o
3.14
Is 10.1-2
Jó 24.9,14
Sl 10.9
Pv 30.14
Ez 18.12
Tg 2.6
despojo do aflito está em vossas casas. 15Que quereis vós os que
3.15
Sl 94.5
esmigalhais o meu povo e moeis o rosto dos aflitos? — diz o Senhor, Jeová dos Exércitos.

Mulheres emproadas condenadas

16Ainda mais disse Jeová:

3.16
Is 3.16—4.1
32.9-15
Porque as
3.16
Is 4.4
Ct 3.11
filhas de Sião são altivas, e andam com o pescoço emproado, fazendo acenos com os olhos, e passeiam andando a passos contados e fazendo tinir os ornamentos dos seus pés, 17portanto Jeová tornará caspenta a mioleira da cabeça das filhas de Sião e
3.17
Is 47.3
Ez 16.37
descobrir-lhes-á a nudez. 18Naquele dia, tirará Jeová o enfeite dos anéis dos artelhos, e das coifas, e das
3.18
Jz 8.21,26
luetas; 19os pendentes, e os braceletes, e os véus leves; 20
3.20
Êx 39.28
os diademas, e as cadeias para regularem os passos, e os cintos, e os vasos de perfume, e os amuletos; 21os anéis, e
3.21
Gn 24.47
Ez 16.12
as joias pendentes do nariz; 22os vestidos de gala, e os mantos, e os xales, e os bolsos; 23os espelhos, e as camisas de linho, e os turbantes, e os véus grandes. 24Será que, em lugar de
3.24
Et 2.12
perfume, haverá mau cheiro; e, por
3.24
Pv 31.24
cinto, corda; e, por
3.24
1Pe 3.3
cabelo encrespado,
3.24
Is 22.12
Ez 27.31
Am 8.10
calva; e, por faixa de peito,
3.24
Is 15.3
Lm 2.10
cinto de cilício; marca a fogo em lugar de formosura. 25Os teus homens
3.25
Is 1.20
65.12
cairão à espada, e os teus valentes, na guerra. 26As
3.26
Jr 14.2
Lm 1.4
portas de Sião lamentarão e prantearão; ela será desolada e se
3.26
Lm 2.10
assentará no chão.

4

41Sete mulheres, naquele dia, lançarão mão

4.1
Is 13.12
dum só homem, dizendo: Do nosso pão comeremos e dos nossos vestidos nos vestiremos; concede-nos apenas que sejamos chamados do teu nome;
4.1
Is 54.4
Gn 30.23
tira o nosso opróbrio.

Um resto a ser salvo

2Naquele dia, o

4.2
Is 11.1
53.2
Jr 23.5
33.15
Zc 3.8
6.12
renovo de Jeová se tornará em beleza e glória, e o
4.2
Sl 72.16
fruto da terra, em orgulho e adorno para os de Israel que tiverem
4.2
Is 10.20
37.31-32
Jl 2.32
Ob 17
escapado. 3Será que quem for
4.3
Is 28.5
46.3
Rm 11.4-5
deixado em Sião, e ficar em Jerusalém
4.3
Is 52.1
62.12
chamar-se-á santo; todo aquele que está
4.3
Êx 32.32
Sl 69.28
Lc 10.20
inscrito entre os vivos em Jerusalém; 4quando Jeová tiver lavado a
4.4
Is 3.24
imundícia das
4.4
Is 3.16
filhas de Sião e tiver purgado a Jerusalém do
4.4
Is 1.15
sangue que há no meio dela pelo
4.4
Is 28.6
sopro do juízo e pelo
4.4
Is 1.31
9.19
Ml 3.2
Mt 3.11
Lc 3.17
sopro do incêndio. 5Jeová criará, sobre toda a extensão do monte de Sião e sobre as assembleias dela,
4.5
Êx 13.21-22
Nm 9.15-23
uma nuvem e fumo de dia, e o resplendor dum fogo chamejante de noite. Pois sobre toda a
4.5
Is 60.1-2
glória se estenderá um dossel. 6Haverá um
4.6
Is 25.4
32.1-2
Sl 27.5
pavilhão para sombra de dia contra o calor e para refúgio e esconderijo contra a tempestade e a chuva.

5

A parábola da vinha e a sua aplicação

51Seja-me permitido, pois, cantar para o meu bem amado o cântico do meu amado no tocante à sua

5.1
Is 5.1-7
27.2-6
vinha. O meu bem amado teve uma
5.1
Sl 80.8
Jr 12.10
Mt 21.33
Mc 12.1
Lc 20.9
vinha num alto fertilíssimo. 2Revolveu-a com enxada, e limpou-a das pedras, e plantou-a de
5.2
Jr 2.21
vides escolhidas, e edificou no meio dela uma torre, e abriu nela um lagar. Ele
5.2
Mt 21.19
Mc 11.13
Lc 13.6
esperava que desse uvas, mas deu uvas bravas.

3Agora, moradores de Jerusalém e homens de Judá,

5.3
Mt 21.40
julgai entre mim e a minha vinha. 4
5.4
2Cr 36.15
Jr 2.5
7.25-26
Mq 6.3
Mt 23.37
Que havia ainda a fazer à minha vinha, que eu não lhe tenha feito? Por que, esperando eu que ela desse uvas, veio a dar uvas bravas? 5Agora, pois, vos direi o que eu hei de fazer à minha vinha:
5.5
Sl 89.40
tirar-lhe-ei a sebe, para que sirva de
5.5
Is 6.13
Os 2.12
pasto;
5.5
Sl 80.12
derrubar-lhe-ei o muro, para que seja
5.5
Is 10.6
28.18
Lm 1.15
Lc 21.24
Ap 11.2
pisada; 6e, de todo, a
5.6
Is 7.19-25
24.1,3
2Cr 36.19-21
Jr 25.11
destruirei. Não será podada, nem será revolvida com enxada, mas crescerão nela espinhos e
5.6
Hb 6.8
abrolhos. Também às nuvens darei ordem
5.6
1Rs 8.35
17.1
Jr 14.1-22
que não derramem chuva sobre ela. 7Pois a
5.7
Sl 80.8-11
vinha de Jeová dos Exércitos é a casa de Israel, e os homens de Judá são a sua plantação dileta. Ele esperou a justiça, mas eis aí a
5.7
Is 3.14-15
30.12
59.13
opressão; a retidão, mas eis aí o clamor.

8Ai dos que

5.8
Jr 22.13-17
Mq 2.2
Hc 2.9-12
ajuntam casa a casa, achegam campo a campo, até que não haja mais lugar, de modo que habitem sós no meio da terra! 9
5.9
Is 22.14
Aos meus ouvidos diz Jeová dos Exércitos: Na verdade,
5.9
Is 6.11-12
muitas casas se tornarão
5.9
Mt 23.38
desoladas, sim, casas grandes e belas não terão habitadores. 10Pois
5.10
Is 7.23
Lv 26.26
Ag 1.6
2.16
dez jeiras da vinha darão um bato, e um
5.10
Ez 45.11
ômer de semente dará apenas um efa. 11Ai dos que se levantam de manhã cedo para correrem atrás de
5.11
Is 5.22
22.13
28.1,3,7,8
Pv 23.29-30
Ec 10.16-17
bebidas fortes e continuam até alta noite, até que o vinho os esquente! 12
5.12
Am 6.5-6
O alaúde e a harpa, o tamboril e a flauta e o vinho se acham no seu
5.12
2Pe 2.13
festim; porém não
5.12
Jó 34.27
Sl 28.5
olham para as obras de Jeová, nem consideram as operações das suas mãos.

13Portanto, o meu povo é levado cativo,

5.13
Is 1.3
27.11
Os 4.6
por lhes faltar conhecimento; os seus
5.13
Is 3.3
9.14-15
homens ilustres são famintos, e a sua multidão seca-se de sede. 14Por isso, o
5.14
Pv 30.16
Hc 2.5
Sheol alarga a sua garganta e
5.14
Nm 16.30-34
abre a sua
5.14
Sl 141.7
boca desmesuradamente; para lá desce a glória deles, e o seu tumulto, e o seu arruído, e quem entre eles se regozija. 15Assim, o homem é abatido, e
5.15
Is 2.9
o varão, humilhado, e os
5.15
Is 2.11
10.33
olhos dos altivos são humilhados; 16mas
5.16
Is 28.17
30.18
61.8
Jeová dos Exércitos é
5.16
Is 2.11,17
33.5,10
exaltado pelo juízo, e Deus, o Santo, é
5.16
Is 8.13
29.23
1Pe 3.15
santificado pela justiça. 17
5.17
Is 7.25
Mq 2.12
Sf 2.6
Então, os cordeiros pastarão como no seu pasto, e os nômades apascentarão nos campos abandonados dos ricos.

Ais pronunciados sobre os ímpios

18Ai dos que puxam a

5.18
Is 59.4-8
Jr 23.10-14
iniquidade com cordas de impiedade e o pecado, como com tirantes de carro! 19
5.19
Ez 12.22
2Pe 3.4
Os quais dizem: Apresse-se Deus, avie-se a sua obra, para que a vejamos; chegue-se e venha o conselho do Santo de Israel, para que o conheçamos. 20Ai dos que ao mal
5.20
Pv 17.15
Am 5.7
chamam bem, e ao bem, mal! Os quais
5.20
Jó 17.12
Mt 6.22-23
Lc 11.34-35
põem trevas por luz e luz, por trevas e mudam o amargo em doce e o doce em amargo! 21Ai dos que são
5.21
Pv 3.7
Rm 12.16
1Co 3.18-20
sábios aos seus próprios olhos e prudentes em seu conceito! 22
5.22
Is 5.11
56.12
Pv 23.20
Hc 2.15
Ai dos que são poderosos para beberem vinho e valentes para misturarem bebidas fortes! 23
5.23
Is 1.23
10.1-2
Êx 23.8
Mq 3.11
7.3
os quais, por peitas, justificam o ímpio e ao justo lhe
5.23
Sl 94.21
Tg 5.6
tiram a sua justiça!

24Por isso, como a

5.24
Is 9.18-19
Jl 2.5
língua do fogo devora a palha, e como o feno se desfaz na chama, assim
5.24
Jó 18.16
a raiz deles se tornará
5.24
Os 5.12
como podridão, e a sua flor subirá como o pó; porque
5.24
Is 8.6
30.9,12
At 13.41
rejeitaram a lei de Jeová dos Exércitos e desprezaram a palavra do Santo de Israel. 25Pelo que a
5.25
Is 66.15
2Rs 22.13,17
ira de Jeová já se acendeu contra Israel; Jeová estendeu a mão contra ele e o feriu de modo que tremeram os
5.25
Is 64.3
Sl 18.7
Jr 4.24
Na 1.5
montes e os seus
5.25
Is 14.19
2Rs 9.37
Sl 83.10
Jr 16.4
cadáveres ficaram como lixo no meio das ruas.
5.25
Is 9.12,17,21
10.4
Jr 4.8
Dn 9.16
Com tudo isso, não se aplacou a sua ira, mas a
5.25
Is 23.11
Êx 7.19
sua mão ainda está estendida.

26Ele arvorará um

5.26
Is 13.2-3
estandarte para as nações de longe e
5.26
Is 7.18
Zc 10.8
assobiará a elas
5.26
Dt 28.49
desde a extremidade da terra; eis que
5.26
Is 13.4-5
virão à pressa, velozmente. 27
5.27
Jl 2.7-8
Não haverá entre eles quem esteja cansado, nem tropece; ninguém dormitará, nem dormirá;
5.27
Jó 12.18
Dn 5.6
nem se lhe desatará dos lombos o cinto, nem se lhe quebrará dos sapatos a correia. 28As
5.28
Is 13.18
Sl 7.12-13
45.5
suas setas são agudas, e todos os seus arcos, entesados; as unhas dos seus cavalos são reputadas como pederneira, e as
5.28
Is 21.1
Jr 4.13
rodas dos seus carros como, redemoinho. 29O
5.29
Jr 51.38
Sf 3.3
Zc 11.3
seu rugido será como o da leoa, e rugirão como os cachorros dos leões; e, rosnando,
5.29
Is 10.6
49.24-25
Mq 5.8
agarrarão a presa e levá-la-ão com segurança, e não haverá
5.29
Is 42.22
quem lha tire. 30
5.30
Is 17.12
Jr 6.23
Lc 21.25
Bramirão contra eles, naquele dia, como o bramido do mar;
5.30
Is 8.22
Jr 4.23-28
Jl 2.10
Lc 21.25-26
olhando para a terra, ver-se-ão trevas e angústia, e as nuvens sobre ela escurecem a luz.