Tradução Brasileira (2010) (TB)
34

A indignação de Deus contra as nações

341Chegai-vos,

34.1
Is 41.1
43.9
Sl 49.1
nações, para ouvir, e escutai, povos;
34.1
Is 1.2
Dt 32.1
ouça a terra e a sua plenitude, o mundo e tudo o que ele produz. 2Pois Jeová tem
34.2
Is 26.20-21
indignação contra todas as nações e furor contra todo o seu exército; tem-nas destruído totalmente,
34.2
Is 13.5
24.1-2
tem-nas entregue à
34.2
Is 30.25
63.6
65.12
matança. 3Os seus mortos também serão
34.3
Is 5.25
14.19
arrojados, subirá o
34.3
Jl 2.20
Am 4.10
mau cheiro dos seus cadáveres, e os montes serão derretidos pelo seu
34.3
Ez 14.19
35.6
38.22
sangue. 4
34.4
Is 13.13
51.6
Ez 32.7-8
Jl 2.31
Mt 24.29
2Pe 3.10
Todo o exército do céu dissolverá,
34.4
Ap 6.12-14
e os céus se enrolarão como um livro; todo o seu exército desvanecerá, como cai a folha da vide e da figueira. 5Pois a minha
34.5
Dt 32.41-42
Jr 46.10
Ez 21.3-5
espada se tem embriagado no céu; eis que descerá sobre
34.5
Is 63.1
Jr 49.20
Ml 1.4
Edom e sobre o povo
34.5
Is 24.6
43.28
devotado por mim à destruição, para exercer juízo. 6A espada de Jeová está cheia de sangue, está engrossada com gordura, com o sangue de cordeiros e de bodes, com a gordura dos rins de carneiros; porque Jeová tem sacrifício em
34.6
Is 63.1
Jr 49.13
Bozra e grande matança na terra de
34.6
Is 63.1
Edom. 7Descerão com eles
34.7
Nm 23.22
Sl 22.21
os bois monteses e
34.7
Sl 68.30
Jr 50.27
os novilhos com os touros; a sua terra
34.7
Is 29.9
49.26
63.6
embriagar-se-á de sangue, e o seu pó se engrossará de gordura.

8Pois é o dia da

34.8
Is 13.6
35.4
47.3
61.2
63.4
vingança de Jeová e o ano da retribuição na controvérsia de Sião. 9Converter-se-ão em pez as suas torrentes, e o seu pó, em
34.9
Is 30.33
Sl 11.6
Dt 29.23
enxofre, a sua terra tornar-se-á em pez ardente. 10Nem de noite nem de dia,
34.10
Is 1.31
66.24
se apagará;
34.10
Ap 14.11
19.3
o seu fumo subirá para sempre;
34.10
Is 34.10-15
13.20-22
24.1
Ml 1.3-4
de geração em geração, ficará deserta; pelos séculos dos séculos,
34.10
Ez 29.11
ninguém por ela passará. 11Mas
34.11
Is 14.23
Sf 2.14
Ap 18.2
o pelicano e o ouriço a possuirão; o bufo e o corvo nela habitarão. Estender-se-á sobre ela a
34.11
Is 24.10
2Rs 21.13
Lm 2.8
regra de confusão e o prumo de vaidade. 12Os seus nobres serão chamados ao reino,
34.12
Jr 27.20
39.6
porém não haverá nenhum; e todos os seus príncipes serão reduzidos
34.12
Is 29.20
41.11-12
a nada. 13Nascerão espinhos nos seus
34.13
Is 13.22
25.2
32.13
palácios, urtigas e cardos, nas suas fortalezas. Será uma habitação de
34.13
Sl 44.19
Jr 9.11
10.22
chacais, pastagem de avestruzes. 14
34.14
Is 13.21
As feras do deserto se encontrarão com as hienas, e os sátiros clamarão uns para os outros; a bruxa se pousará ali e achará para si um lugar de descanso. 15Ali, fará a serpente o seu ninho, porá os ovos e os chocará; e, debaixo da sua sombra, ajuntará os seus filhotes. Ali, se ajuntarão
34.15
Dt 14.13
os abutres, macho e fêmea.

16Buscai

34.16
Is 30.8
no livro de Jeová e lede; nenhuma dessas criaturas faltará,
34.16
Is 14.31
nenhuma será privada do seu companheiro, porque
34.16
Is 1.20
40.5
58.14
a boca de Jeová o ordenou, e o seu Espírito as ajuntou. 17Ele deitou
34.17
Is 17.13-14
Jr 13.25
sortes por elas, e a sua mão lhes repartiu por
34.17
Is 34.11
medida esta terra; possuí-la-ão para sempre;
34.17
Is 34.10
de geração em geração, nela habitarão.

35

A futura felicidade de Sião

351O

35.1
Is 6.11
7.21-25
27.10
41.18
55.12-13
deserto e a terra sedenta se regozijarão; o
35.1
Is 41.19
51.3
ermo exultará e florescerá como o narciso. 2
35.2
Is 27.6
32.15
Florescerá abundantemente, e
35.2
Is 35.10
25.9
55.12-13
66.10,14
exultará de júbilo, e romperá em cânticos;
35.2
Is 60.13
dar-se-lhe-á
35.2
Ct 7.5
a glória do Líbano, a excelência de Carmelo e de Sarom. Eles verão
35.2
Is 25.9
a glória de Jeová, a excelência de nosso Deus.

3

35.3
Jó 4.3-4
Hb 12.12
Confortai as mãos fracas e firmai os joelhos que vacilam. 4Dizei aos
35.4
Is 32.4
tímidos de coração: Sede fortes, não temais; eis que há de vir o vosso Deus com
35.4
Is 1.24
47.3
61.2
63.4
vingança, com
35.4
Is 34.8
59.18
recompensa de Deus; ele virá
35.4
Is 33.22
35.4
Sl 145.19
e vos salvará.

5Então, se abrirão

35.5
Is 29.18
32.3-4
42.7,16
50.4
Mt 11.5
Jo 9.6-7
os olhos dos cegos, e se desimpedirão os ouvidos dos surdos. 6Então, saltará
35.6
Mt 15.30
Jo 5.8-9
At 3.8
o coxo como veado, e
35.6
Mt 9.32
Lc 11.14
a língua dos mudos cantará de júbilo. Pois águas arrebentarão
35.6
Is 35.1
41.18
43.19
49.10
51.3
Jo 7.38
no deserto, e torrentes, no ermo. 7A miragem tornar-se-á em lagos, e a terra sedenta, em
35.7
Is 49.10
mananciais de água;
35.7
Is 13.22
34.13
na habitação onde se deitam os chacais, nascerá a erva com canas e juncos. 8Haverá ali
35.8
Is 11.16
19.23
40.3
49.11
62.10
uma estrada,
35.8
Is 30.21
51.10
um caminho, que se chamará o Caminho
35.8
Is 4.3
52.1
Mt 7.13-14
1Pe 1.15-16
Santo; não passará por ele o imundo, porém será para eles;
35.8
Is 33.8
Jr 14.8
dos que caminham por ele, até os loucos,
35.8
Is 29.24
não errarão. 9Ali,
35.9
Is 5.29
21.8
30.6
não haverá leão, por ali não subirão
35.9
Is 13.22
34.14
feras de rapina; elas não se acharão ali, mas por ali andarão
35.9
Is 51.10
62.12
63.4
os remidos. 10Os
35.10
Is 1.27
51.11
resgatados por Jeová voltarão e virão a Sião com cânticos de júbilo, e sobre as suas cabeças haverá alegria sempiterna; obterão alegria e gozo, e deles fugirá
35.10
Is 25.8
30.19
65.19
Ap 7.17
21.4
a tristeza e o gemido.

36

Senaqueribe invade Judá

(Ver 2Rs 18.13-37)

361

36.1
2Rs 18.13
Ora, no décimo quarto ano do
36.1
Is 1.1
rei Ezequias, subiu Senaqueribe, rei da Assíria, contra as cidades fortificadas de Judá e as tomou. 2
36.2
Is 36.2—38.8
2Rs 18.17—20.11
2Cr 32.9-24
O rei da Assíria enviou de Laquis a Jerusalém ao rei Ezequias Rabsaqué com um grande exército. Este parou junto ao
36.2
Is 7.3
aqueduto da piscina superior no caminho do campo do lavandeiro. 3Então, saíram a ter com ele
36.3
Is 22.20
Eliaquim, filho de Hilquias, mordomo,
36.3
Is 22.15
Sebna, secretário, e Joá, filho de Asafe, cronista-mor.

4Disse-lhes

36.4
2Rs 18.19
Rabsaqué: Dizei a Ezequias: Assim diz o grande rei, o rei da Assíria: Que confiança é essa em que te estribas? 5Digo, o teu conselho e poder para a guerra são tão somente palavras vãs. Em quem, pois, agora, confias, visto que
36.5
2Rs 18.7
hás rebelado contra mim? 6Eis que confias no Egito,
36.6
Ez 29.6-7
no bordão desse caniço esmagado, sobre o qual, se o homem se firmar, ele se lhe meterá pela mão e a traspassará;
36.6
Is 30.3,5,7
Sl 146.3
assim é Faraó, rei do Egito, para todos os que nele confiam. 7Mas, se me disseres: Confiamos em Jeová, nosso Deus, não é este aquele
36.7
Dt 12.2-5
2Rs 18.4-5
cujos altos e altares Ezequias tirou, dizendo a Judá e a Jerusalém: Diante deste altar adorareis? 8Agora, pois, dá penhores ao rei da Assíria, meu amo, e dar-te-ei dois mil cavalos, se da tua parte puderes achar homens para montar neles. 9Como, então, poderás
36.9
Is 37.29
pôr em fuga um só capitão dos menores dos servos do meu amo e
36.9
Is 20.5
30.2-5,7
31.3
confiar no Egito para obteres cavalos e carros? 10Porventura, subi eu, agora, sem Jeová contra esta terra para a destruir?
36.10
1Rs 13.18
22.6,12
Disse-me Jeová: Sobe contra esta terra e destrói-a.

11Então, disseram Eliaquim, Sebna e Joá a Rabsaqué: Rogamos-te que fales aos teus servos na

36.11
Ed 4.7
Dn 2.4
língua aramaica, pois nós a entendemos; e não nos fales
36.11
Is 36.13
na língua dos judeus aos ouvidos do povo que está em cima do muro. 12Mas Rabsaqué respondeu-lhes: Enviou-me, porventura, o meu amo ao teu amo e a ti para falar essas palavras? Não me enviou aos homens que estão sentados em cima do muro, para que, juntamente convosco, comam o seu excremento e bebam a sua urina?

13Então, Rabsaqué se pôs em pé

36.13
2Cr 32.18
e, gritando em alta voz na língua dos judeus, disse: Ouvi as palavras do grande rei, do rei da Assíria. 14Assim diz o rei:
36.14
Is 37.10
Não vos engane Ezequias, porque não vos poderá livrar. 15Nem tampouco vos faça Ezequias
36.15
Is 36.18,20
37.10-11
confiar em Jeová, dizendo: Jeová, na verdade, nos livrará; esta cidade não será entregue nas mãos do rei da Assíria. 16Não deis ouvidos a Ezequias. Pois assim diz o rei da Assíria: Fazei as vossas pazes comigo e saí para mim; coma cada um de vós da sua
36.16
1Rs 4.25
Mq 4.4
Zc 3.10
vinha e da sua figueira e beba cada um
36.16
Pv 5.15
as águas da sua cisterna; 17até que eu venha e vos transfira para uma terra que é semelhante a vossa terra, terra de trigo e de mosto, terra de pão e de vinho. 18Guardai-vos não vos iluda Ezequias, dizendo:
36.18
Is 36.15
Jeová nos livrará. Acaso, os deuses das nações livraram cada um a sua terra das mãos do rei da Assíria? 19Onde estão os deuses de
36.19
Is 10.9-11
37.11-13
Jr 49.23
Hamate e Arpade? Onde estão os deuses de Sefarvaim? Livraram
36.19
2Rs 17.6
eles de minha mão a Samaria? 20
36.20
1Rs 20.23,28
Entre todos os deuses das terras, quais são os que livraram da minha mão a sua terra, para que
36.20
Is 36.15
Jeová possa livrar da minha mão a Jerusalém?

21Eles, porém, se calaram e não lhe responderam palavra. Pois o rei ordenou, dizendo: Não lhe respondais. 22Então,

36.22
Is 36.3
22.20
Eliaquim, filho de Hilquias, mordomo, e
36.22
Is 22.15
Sebna, secretário, e Joá, filho de Asafe, cronista-mor, vieram ter com Ezequias, rasgados os vestidos, e lhe referiram as palavras de Rabsaqué.