Tradução Brasileira (2010) (TB)
22

Quadro profético do cerco de Jerusalém

221

22.1
Is 13.1
A sentença acerca do
22.1
Sl 125.2
Jr 21.13
Jl 3.12,14
vale da Visão.

Que tens agora, pois, com todos os teus, subiste aos

22.1
Is 15.3
telhados? 2Ó tu que estás cheia de clamor, cidade turbulenta,
22.2
Is 23.7
32.13
cidade alegre; os teus mortos
22.2
Jr 14.18
Lm 2.20
não são mortos à espada, nem mortos em guerra. 3
22.3
Is 21.15
Todos os teus principais homens, à uma, fugiram e, abandonados os seus arcos, deixaram-se ficar presos. Todos os que se acharam em ti foram presos juntamente; eles estavam fugindo para longe. 4Portanto, disse eu: Virai de mim a vista,
22.4
Is 15.3
Jr 4.19
9.1
Mq 1.8
Lc 19.41
para que eu chore amargamente; não vos esforceis por me consolar sobre a destruição da filha do meu povo.

5Pois é

22.5
Is 37.3
um dia de destroço,
22.5
Is 10.6
63.3
de atropelamento e de perplexidade
22.5
Lm 1.5
2.2
da parte de Jeová dos Exércitos
22.5
Is 22.1
no vale da Visão: derrubamento de muros e gritos aos montes. 6
22.6
Is 21.2
Jr 49.35
Elão tomou a aljava, juntamente com tropas de homens e de cavaleiros,
22.6
2Rs 16.9
Am 1.5
9.7
e Quir descobriu o escudo. 7Os teus vales escolhidos ficaram
22.7
2Cr 32.1
cheios de tropas, e os cavaleiros postaram-se em direção da porta. 8Foi tirada
22.8
Is 22.8-11
2Cr 32.3-5,30
a coberta de Judá, e, naquele dia, olhaste para as armas
22.8
1Rs 7.2
10.17
na Casa do Bosque. 9Vistes que as brechas da Cidade de Davi eram muitas
22.9
Ne 3.16
e ajuntastes as águas da piscina de baixo. 10Contastes as casas de Jerusalém e as demolistes, para fortificar a muralha. 11Também fizestes um reservatório
22.11
2Rs 25.4
Jr 39.4
entre os dois muros para a água
22.11
2Rs 20.20
2Cr 32.3-4
da piscina velha. Porém não
22.11
Is 5.12
37.26
olhastes para aquele que isso tinha feito, nem tivestes respeito ao que o formou de longe.

12O Senhor, Jeová dos Exércitos, chamou naquele dia

22.12
Is 32.11
Jl 1.13
2.17
para chorar e prantear,
22.12
Is 15.2
Mq 1.16
para rapar a cabeça e cingir o saco; 13porém só se vê
22.13
Is 5.11,22
28.7-8
Lc 17.26-29
gozo e alegria, matar bois, degolar ovelhas, comer carne e beber vinho;
22.13
Is 56.12
1Co 15.32
comamos e bebamos, porque amanhã morreremos. 14Jeová dos Exércitos revelou-se
22.14
Is 5.9
aos meus ouvidos, dizendo:
22.14
Is 13.11
26.21
30.13-14
65.7
Não se vos perdoará por certo esta iniquidade
22.14
Is 65.20
até que morrais, diz o Senhor, Jeová dos Exércitos.

Sebna é degradado. Eliaquim é exaltado

15Assim diz o Senhor, Jeová dos Exércitos: Vai, entra a falar com esse administrador, com

22.15
Is 36.3,11,22
37.2
2Rs 18.18,26,37
Sebna, o mordomo, e pergunta-lhe: 16Que fazes tu aqui? Que parente tens tu aqui,
22.16
2Sm 18.18
2Cr 16.14
Mt 27.60
para lavrares aqui um sepulcro, lavrando em lugar alto o seu sepulcro, gravando na penha a sua morada? 17Eis que Jeová te atirará violentamente, dobrar-te-á inteiramente. 18Ele te enrolará como uma bola e te
22.18
Is 17.13
Jó 18.18
atirará para um país espaçoso. Ali, morrerás, e para ali irão os carros da tua glória, ó opróbrio da casa do teu senhor. 19Eu
22.19
Jó 40.11-12
Ez 17.24
te deitarei fora do teu posto, e serás derribado do teu estado. 20Naquele dia, chamarei o teu servo
22.20
Is 36.3,22
37.2
2Rs 18.18
Eliaquim, filho de Hilquias; 21vesti-lo-ei da tua túnica, cingi-lo-ei com o teu cinto e entregarei nas suas mãos o teu governo; e ele será como
22.21
Gn 45.8
pai para os habitantes de Jerusalém e para a casa de Judá. 22Porei sobre o seu ombro
22.22
Ap 3.7
a chave da
22.22
Is 7.2,13
casa de Davi; ele abrirá, e ninguém fechará; fechará, e ninguém
22.22
Jó 12.14
abrirá. 23Fincá-lo-ei como uma
22.23
Ed 9.8
Zc 10.4
estaca num lugar firme, e ele será como um
22.23
1Sm 2.8
Jó 36.7
trono de glória para a casa de seu pai. 24Nele, pendurarão toda a glória da casa de seu pai, a prole e a progênie, todos os pequenos vasos, desde os vasos de taças até os vasos de odres. 25Naquele dia, diz Jeová dos Exércitos, cederá
22.25
Is 22.23
a estaca que foi fincada num lugar firme, será
22.25
Et 9.24-25
cortada e cairá; e será exterminada, e a carga que dela estava pendente, porque
22.25
Is 46.11
Mq 4.4
Jeová o disse.

23

Oráculo acerca de Tiro

231A sentença acerca de

23.1
Js 19.29
1Rs 5.1
Jr 25.22
47.4
Ez 26.1—28.26
Am 1.9
Zc 9.2-4
Tiro.

Uivai,

23.1
Is 2.16
navios de
23.1
Gn 10.4
1Rs 10.22
Társis, porque ela está desolada, de modo que não há casa
23.1
Is 24.10
nem entrada. Da terra de
23.1
Is 23.12
Gn 10.4
Ez 27.6
Quitim foi-lhes isso revelado. 2
23.2
Is 47.5
Calai-vos, habitantes da região da costa, e tu que foste enriquecido pelos negociantes de Sidom, que passam pelo mar. 3Por sobre grandes águas, foi-lhe trazida
23.3
Is 19.7-9
a semente de
23.3
Js 13.3
1Cr 13.5
Jr 2.18
Sior, a messe do Nilo; ela se tornou
23.3
Ez 27.3-23
o mercado das nações. 4Envergonha-te,
23.4
Gn 10.15,19
Js 11.8
Jz 10.6
Jr 25.22
27.3
47.4
Ez 28.21-22
Jl 3.4
Zc 9.2
Sidom, porque o mar, a fortaleza do mar, disse: Não tive dores de parto, nem dei à luz, nem criei mancebos, nem eduquei donzelas. 5Quando chegar essa notícia ao Egito,
23.5
Êx 15.14-16
Js 2.9-11
doer-se-ão os homens pela notícia de Tiro. 6Passai a
23.6
Is 23.1
Társis; uivai, habitantes da região da costa. 7É esta, porventura, a vossa
23.7
Is 22.2
32.13
cidade alegre, cuja origem é dos dias antigos, cujos pés a levavam para longe a peregrinar?

8Quem formou esse desígnio contra Tiro, distribuidora de coroas, cujos negociantes são príncipes e cujos mercadores os ilustres da terra? 9

23.9
Is 2.11
13.11
Jeová dos Exércitos formou esse desígnio
23.9
Jó 40.11-12
Dn 4.37
para profanar a soberba de toda a glória e para reduzir à ignomínia todos os
23.9
Is 5.13
9.15
ilustres da terra. 10Inunda a tua terra como o Nilo, filha de Társis; já não há mais o que te cinja. 11
23.11
Is 14.26
Êx 14.21
A sua mão, ele a estendeu
23.11
Is 19.5
50.2
sobre o mar,
23.11
Is 13.13
abalou os reinos; Jeová deu ordens a respeito de Canaã, que se lhe
23.11
Is 25.2
Zc 9.3-4
destruíssem as fortalezas. 12Ele disse: Não continuarás mais a te regozijar, ó oprimida
23.12
Is 47.1
filha virgem de Sidom; levanta-te e passa a
23.12
Is 23.1
Quitim; ainda ali não terás descanso.

13Eis a terra dos caldeus; esse povo não existe mais;

23.13
Is 10.5
a Assíria tem-na destinado
23.13
Is 13.21
18.6
para as feras do deserto. Levantaram as suas torres de sítio, derrubaram os palácios dela;
23.13
Is 10.7
ela ficou reduzida a ruínas. 14
23.14
Is 23.1
Uivai, navios de Társis, porque está desolada a vossa fortaleza. 15Naquele dia, Tiro será posta em esquecimento por setenta anos, como os dias de um só rei. Depois de findos
23.15
Jr 25.11,22
os setenta anos, sucederá a Tiro o que se diz no cântico da meretriz: 16Toma a harpa e anda em torno da cidade, ó meretriz entregue ao esquecimento; toca bem, canta muitos cânticos, para que haja memória de ti. 17
23.17
Is 23.15
Findos os setenta anos, visitará Jeová a Tiro; ela tornará à sua ganância
23.17
Ez 16.25-29
Na 3.4
e fornicará com todos os reinos do mundo sobre a face da terra. 18Serão as suas
23.18
Is 60.5-9
Sl 72.10-11
Mq 4.13
negociações e as suas ganâncias
23.18
Êx 28.36
Zc 14.20
consagradas a Jeová. Não serão entesouradas, nem guardadas, porque as suas negociações serão para os que habitam perante Jeová, a fim de que comam até se saciarem e tenham vestimenta esplêndida.

24

Julgamento das nações por Jeová

241Eis que Jeová

24.1
Is 24.19-20
2.19
13.13
30.32
33.9
despejará a terra, e a esvaziará, e a transtornará, e
24.1
Is 13.14
espalhará os seus habitantes. 2Assim
24.2
Is 24.2
3.2-8
Ez 7.12-13
Os 4.9
1Co 7.29-31
como suceder ao povo, assim sucederá ao sacerdote; como ao servo, assim ao seu senhor; como à serva, assim à sua senhora; como ao comprador, assim ao vendedor; como ao que empresta, assim ao que toma emprestado; como ao
24.2
Lv 25.36-37
Dt 23.19-20
credor, assim ao devedor. 3A terra será de
24.3
Is 6.11-12
todo despejada e de todo saqueada, porque Jeová proferiu essa palavra. 4A terra
24.4
Is 3.26
33.9
pranteia e se murcha; o mundo enfraquece e se murcha: enfraquecem
24.4
Is 24.21
2.12
os mais altos da terra. 5Também a terra
24.5
Is 9.17
10.6
Gn 3.17
Nm 35.33
está contaminada debaixo dos seus habitantes, porque
24.5
Is 59.12
transgrediram as leis,
24.5
Is 10.1-2
mudaram a ordenança e
24.5
Is 33.8
romperam a aliança sempiterna. 6Por isso,
24.6
Is 34.5
43.28
Js 23.15
Zc 5.3-4
a maldição tem devorado a terra, e os que nela habitam são tidos por culpados; por isso, são queimados
24.6
Is 1.31
5.24
9.19
os habitantes da terra, e ficam de resto poucos homens. 7
24.7
Is 16.10
Jl 1.10,12
O mosto pranteia, a vide enfraquece, todos os alegres de coração gemem. 8
24.8
Is 5.12,14
Jr 7.34
16.9
25.10
Ez 26.13
Os 2.11
Ap 18.22
Cessa a alegria dos tambores, acaba a algazarra dos que exultam, cessa a alegria da harpa. 9Não beberão vinho cantando árias;
24.9
Is 5.11,22
a bebida forte será
24.9
Is 5.20
amarga para os que a beberem. 10
24.10
Is 34.11
Gn 1.2
Demolida está a cidade de caos; fechada está
24.10
Is 23.1
toda a casa, de modo que não se pode entrar. 11Há um
24.11
Jr 14.2
46.12
lamento nos campos por causa do vinho; já escureceu
24.11
Is 16.10
32.13
toda a alegria, já se foi o prazer da terra. 12A desolação reina na cidade,
24.12
Is 14.31
45.2
e a porta está reduzida a ruínas. 13Pois
24.13
Is 17.6
27.12
assim será no meio da terra entre os povos, como ao varejar de oliveira, como ao rebuscar uvas, quando está acabada a vindima.

14

24.14
Is 12.6
48.20
52.8
54.1
Estes levantarão a sua voz, darão gritos; por causa da majestade de Jeová, clamarão
24.14
Is 42.10
60.5
desde o mar em altas vozes. 15Pelo que
24.15
Is 25.3
glorificai no Oriente a Jeová,
24.15
Ml 1.11
ao nome de Jeová, Deus de Israel,
24.15
Is 11.11
42.4,10,12
49.1
51.5
60.9
66.19
nas ilhas do mar. 16Desde
24.16
Is 11.12
42.10
as extremidades da terra, temos ouvido cânticos,
24.16
Is 28.5
60.21
louvores ao justo.

Porém eu disse:

24.16
Lv 26.39
Desgraçado de mim! Desgraçado de mim! ai de mim!
24.16
Is 21.2
33.1
Jr 3.20
5.11
Os prevaricadores têm prevaricado, sim, os prevaricadores têm prevaricado excessivamente. 17
24.17
Is 8.14
Dt 32.23-25
1Rs 19.17
Jr 48.43-44
Am 5.19
O pavor, e a cova, e o laço estão para cair sobre ti, morador da terra. 18Aquele que fugir da voz do pavor cairá na cova; e o que subir do meio da cova ficará preso no laço; porque
24.18
Gn 7.11
as janelas lá do alto já se abriram, e
24.18
Is 2.19,21
13.13
Sl 18.7
46.2
os fundamentos da terra tremem. 19
24.19
Is 24.1
A terra está de todo despedaçada, a terra está
24.19
Nm 16.31-32
Dt 11.6
de todo esmigalhada, a terra está de todo abalada. 20A terra
24.20
Is 24.1
19.14
28.7
cambaleará como um bêbado e balanceará como uma rede de dormir; sobre ela será pesada
24.20
Is 1.28
43.27
66.24
a sua transgressão; ela cairá
24.20
Dt 11.19
Am 8.14
e não se levantará.

21Naquele dia, Jeová

24.21
Is 10.12
13.11
castigará o exército dos
24.21
Is 24.4
altos nas alturas e
24.21
Sl 76.12
os reis da terra, sobre a terra. 22Serão ajuntados, como
24.22
Is 10.4
42.22
presos são ajuntados na cova, serão encarcerados na prisão e, depois de muitos dias,
24.22
Ez 38.8
Zc 9.11-12
serão visitados. 23Então,
24.23
Is 13.10
a lua se confundirá, e o sol se envergonhará, porque
24.23
Is 60.19-20
Zc 14.6-7
Ap 21.23
22.5
Jeová dos Exércitos reinará
24.23
Mq 4.7
Hb 12.22
no monte de Sião e em Jerusalém, e na presença dos seus anciãos haverá glória.