Tradução Brasileira (2010) (TB)
14

A restauração de Israel

141Pois Jeová

14.1
Is 49.13,15
54.7-8
Sl 102.13
se compadecerá de Jacó, ainda
14.1
Is 41.8-9
44.1
49.7
Zc 1.17
2.12
escolherá a Israel e pô-los-á na própria terra deles. Agregar-se-ão a eles
14.1
Is 45.14
49.23
56.3,6
60.4-5,10
Zc 8.22-23
Ef 2.12-19
os estrangeiros, e estes se apegarão à casa de Jacó. 2
14.2
Is 49.22
Os povos os tomarão e os levarão ao lugar deles,
14.2
Is 45.14
49.23
54.3
e a casa de Israel os possuirá na terra de Jeová
14.2
Is 60.10
61.5
Dn 7.18,27
para servos e para servas. Cativarão aqueles que os haviam cativado e dominarão sobre os seus opressores.

Um cântico de triunfo sobre Babilônia

3No dia em que Jeová te der

14.3
Is 11.10
40.2
Ed 9.8-9
Jr 30.10
46.27
descanso do teu trabalho, da tua inquietação e da dura escravidão em que foste obrigado a servir, 4usarás desta parábola contra o rei de
14.4
Is 13.1,19
Babilônia e dirás: Como tem cessado
14.4
Is 9.4
13.11
16.4
49.26
51.13
54.14
o opressor! Como tem cessado a tirania! 5Jeová quebrou o bordão dos perversos, a vara dos dominadores, 6
14.6
Is 10.14
47.6
que furiosa e incessantemente feria os povos com açoites e que em ira dominava as nações com uma perseguição irresistível. 7A terra toda descansa e está sossegada;
14.7
Sl 47.1-3
98.1-9
126.1-3
rompem em júbilo. 8Até os ciprestes e os cedros do Líbano se regozijam sobre ti, dizendo: Desde que caíste por terra, não sobe quem nos corte. 9
14.9
Is 5.14
O Sheol, lá embaixo, está por tua causa turbado, para te encontrar na tua vinda; por tua causa, desperta as sombras, os principais da terra e faz levantar-se dos seus tronos a todos os reis das nações. 10
14.10
Ez 32.21
Todos eles responderão e te dirão: Também tu estás fraco como nós? Tornas-te semelhante a nós? 11Abatida está até o Sheol
14.11
Is 5.14
Ez 28.13
a tua pompa, o som das tuas harpas; debaixo de ti, estendem-se os
14.11
Is 51.8
66.24
Jó 17.14
24.20
gusanos, e os bichos te servem de coberta.

12Como

14.12
Is 34.4
Lc 10.18
Ap 9.1
caíste do céu,
14.12
2Pe 1.19
Ap 2.28
22.16
ó estrela radiante, filho da alva! Como estás cortado até a terra, tu que
14.12
Is 10.13
abatias as nações! 13Tu dizias no teu coração:
14.13
Ez 28.2
Subirei ao céu,
14.13
Dn 5.22
8.10
2Ts 2.4
exaltarei o meu trono acima das estrelas de Deus e sentar-me-ei no monte da congregação, nas extremidades do Norte. 14Subirei acima das alturas das nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. 15Todavia, serás
14.15
Is 47.11
Ez 28.8
Mt 11.23
Lc 10.15
precipitado para o Sheol, para as extremidades do abismo. 16Os que te virem te contemplarão, em ti
14.16
Ap 18.9,18
fitarão os olhos e dirão:
14.16
Is 14.6
Sl 52.7
Jr 50.23
Acaso é este o homem que fez estremecer a terra e tremer os reinos? 17Que tornou o mundo em
14.17
Jl 2.3
deserto e destruiu as suas cidades? E
14.17
Is 45.13
2Rs 15.29
24.14-16
que a seus presos não os deixou ir soltos para suas casas? 18Todos os reis das nações, sim, todos eles, dormem com glória, cada um em sua casa. 19Mas tu
14.19
Is 22.16-18
1Rs 21.19
Jr 8.1-2
és lançado para longe do teu sepulcro como um renovo abominável, coberto com os mortos que são traspassados pela espada e descem às pedras
14.19
Jr 41.7,9
da cova; como um
14.19
Is 5.25
cadáver pisado aos pés. 20Tu te unirás com eles na sepultura, porque destruíste a tua terra, mataste o teu povo.
14.20
Is 1.4
31.2
Jó 18.16,19
Sl 21.10
37.28
A semente dos malfeitores não será nomeada para sempre.

21Preparai uma matança para seus filhos por causa da

14.21
Is 13.16
Êx 20.5
Lv 26.39
Mt 23.35
iniquidade de seus pais, para que não se levantem, e possuam a terra, e
14.21
Is 27.6
encham de cidades a face do mundo. 22Levantar-me-ei contra eles, diz Jeová dos Exércitos;
14.22
Is 26.14
exterminarei de Babilônia
14.22
Pv 10.7
o nome e os sobreviventes,
14.22
Is 47.9
Jó 18.19
o filho e o neto, diz Jeová. 23Reduzi-la-ei a uma possessão
14.23
Is 13.21
34.11-15
Sf 2.14
de ouriços e a lagoas de águas e varrê-la-ei com a vassoura
14.23
Is 13.6
1Rs 14.10
da destruição, diz Jeová dos Exércitos.

Oráculo concernente à Assíria

24

14.24
Is 45.23
49.18
54.9
62.8
Jurou Jeová dos Exércitos, dizendo: Deveras,
14.24
Is 46.11
55.8-9
Jó 23.13
At 4.28
como pensei, assim subsistirá. 25
14.25
Is 10.12
30.31
31.8
37.7,36-38
Quebrantarei o assírio na minha terra e, nos meus montes, o pisarei aos pés. Então, ser-lhes-á tirado
14.25
Is 9.4
10.27
Na 1.13
o jugo dele, e o peso dele se descarregará dos ombros deles. 26Este é o
14.26
Is 23.9
Sf 3.6,8
propósito que se formou sobre toda a terra; e esta é
14.26
Êx 15.12
a mão que está estendida sobre todas as nações. 27Pois
14.27
Is 43.13
2Cr 20.6
Dn 4.31,35
Jeová dos Exércitos formou o propósito, e quem o invalidará? A sua mão está estendida, e quem a fará voltar para trás?

Oráculo concernente à Filístia

28

14.28
2Rs 16.20
2Cr 28.27
No ano em que o rei Acaz morreu, houve esta
14.28
Is 13.1
sentença.

29Não te regozijes,

14.29
Is 2.6
11.14
Jr 47.1-7
Filístia toda, por se ter quebrado a vara
14.29
2Cr 26.6
que te feria. Pois da raiz da cobra sairá
14.29
Is 11.8
um basilisco, e o seu fruto será
14.29
Is 30.6
uma serpente voadora. 30Serão apascentados os primogênitos
14.30
Is 3.14-15
7.21-22
11.4
dos pobres, e se deitarão em segurança os necessitados. Farei morrer de
14.30
Is 8.21
9.20
51.19
fome a tua raiz, e os teus sobreviventes serão
14.30
Jr 25.16,20
Zc 9.5-6
mortos. 31Dá uivos,
14.31
Is 3.26
24.12
45.2
ó porta; grita, ó cidade; tu,
14.31
Is 14.29
Filístia toda, estás derretida; porque do Norte vem um
14.31
Jr 1.14
fumo,
14.31
Is 34.16
e não há quem se afaste das fileiras.

32Que se responderá, então, aos

14.32
Is 37.9
mensageiros da nação? Que
14.32
Is 26.1
28.16
44.28
54.11
Sl 87.1,5
102.16
Jeová fundou a Sião, e
14.32
Is 4.6
25.4
57.13
Sf 3.12
Hb 11.10
Tg 2.5
nela acharão refúgio os aflitos do seu povo.

15

Oráculo concernente a Moabe

151A sentença acerca de

15.1
Is 11.14
25.10-11
Jr 48
Ez 25.8-11
Am 2.1-3
Sf 2.8-11
Moabe.

Certamente, de noite, Ar-Moabe é devastada, é aniquilada; certamente, de noite,

15.1
Jr 48.41
Quir-Moabe é devastada, é aniquilada. 2
15.2
Jr 48.18,22
Dibom sobe ao templo, aos altos, para chorar; no cume de Nebo e de Medeba, pranteia Moabe. Em todas as suas cabeças, há
15.2
Lv 21.5
Jr 48.37
calva, e toda barba, é rapada. 3Nas suas ruas cingem-se de
15.3
Jn 3.6-8
saco;
15.3
Jr 48.38
sobre os seus telhados e nas suas praças, todos pranteiam, desatando-se
15.3
Is 22.4
em lágrimas. 4Grita
15.4
Nm 21.28,30
Jr 48.34
Hesbom, bem como Eleale; a sua voz ouve-se até Jaaz. Por isso, os armados de Moabe gritam em alta voz; estremece-lhe a alma. 5O meu coração geme sobre Moabe, cujos fugitivos vão até
15.5
Jr 48.34
Zoar, novilha de três anos; pois vão subindo com choro
15.5
Jr 48.5
pela encosta de Luíte, porque no caminho de Horonaim levantam um grito
15.5
Is 59.7
Jr 4.20
de destruição. 6
15.6
Is 19.5-7
Jr 48.34
As águas de Ninrim tornam-se desoladas, porquanto já se secou a relva, se foi a erva verde, e
15.6
Jl 1.10-12
2.3
não há verdura alguma. 7Portanto, a
15.7
Is 30.6
Jr 48.36
abundância que têm adquirido, e o que têm guardado, levam-nos para além das torrentes dos salgueiros. 8O grito de pranto já se fez ouvir em torno dos confins de Moabe; chegou até Eglaim o seu pranto, e até Beer-Elim, o seu pranto. 9As águas de Dimom estão cheias de sangue; porque ainda trarei mais sobre Dimom: um
15.9
2Rs 17.25
Jr 50.17
leão sobre aquele que escapa de Moabe e sobre o que resta da terra.

16

Devastação de Moabe

161De

16.1
Is 42.11
2Rs 14.7
Sela, que olha para o deserto,
16.1
2Rs 3.4
Ed 7.17
enviai ao
16.1
Is 10.32
monte da filha de Sião os cordeiros para quem domina a terra. 2Pois,
16.2
Pv 27.8
como os pássaros que vagueiam, como o ninho espalhado, assim serão as filhas de
16.2
Jr 48.19-20,46
Moabe junto aos vaus de
16.2
Nm 21.13-14
Arnom. 3Dá conselhos, executa juízo no meio da luz meridiana, faze
16.3
Is 25.4
32.2
1Rs 18.4
a tua sombra como a noite; esconde os desterrados e não traias aquele que foge. 4Habitem contigo os meus desterrados; quanto a Moabe, serve-lhe de esconderijo da face do devastador; porque já teve seu fim o que pratica extorsão, terminada está a destruição, consumidos da terra estão
16.4
Is 9.4
14.4
49.26
51.13
54.14
os opressores. 5Será estabelecido em benignidade
16.5
Is 9.6-7
32.1
55.4
Dn 7.14
Mq 4.7
Lc 1.33
um trono, e sobre ele se assentará em verdade na tenda de
16.5
Is 9.7
Davi quem julgue, procure juízo e seja versado em retidão.

6

16.6
Jr 48.29
Am 2.1
Ob 3-4
Sf 2.8,10
Temos ouvido a soberba de Moabe e que é em extremo soberbo; temos ouvido a sua arrogância, e a sua soberba, e a sua indignação;
16.6
Jr 48.30
de nada valem as suas jactâncias. 7Portanto, Moabe pranteará em alta voz por Moabe, todos, à uma, prantearão; pelos
16.7
1Cr 16.3
cachos de passas de
16.7
2Rs 3.25
Jr 48.31
Quir-Haresete suspirareis, inteiramente desanimados. 8Na verdade, são murchos os campos de
16.8
Is 15.4
Hesbom, e a vide de
16.8
Nm 32.38
Sibma, cujas melhores plantas derrubaram os senhores das nações, chegaram até Jazer e penetraram no deserto,
16.8
Jr 48.32
estendendo-se os seus renovos e passando à outra banda do mar. 9Por isso,
16.9
Jr 48.32
chorarei com o choro de Jazer pela vide de Sibma; com as minhas lágrimas, regar-te-ei, ó
16.9
Is 15.4
Hesbom, ó Eleale, pois,
16.9
Jr 40.10,12
48.32
sobre a tua ceifa e sobre a tua vindima, já caiu o grito da batalha. 10
16.10
Is 24.8
Jr 48.33
A alegria e o regozijo são tirados do fértil campo;
16.10
Is 24.7
Jz 9.27
Am 5.11,17
nas vinhas, não há cântico nem júbilo;
16.10
Jó 24.11
Am 9.13
o pisador não pisa vinho nos lagares; fiz cessar os gritos da vindima. 11Por essa razão, as minhas entranhas
16.11
Is 15.5
63.15
Jr 48.36
Os 11.8
Fp 2.1
fazem por Moabe ruído como harpa, e o meu interior, por Quir-Heres, 12Quando Moabe se
16.12
Nm 22.39-41
Jr 48.35
apresentar,
16.12
1Rs 18.29
se cansar
16.12
Is 15.2
nos altos e entrar no seu santuário para orar,
16.12
2Rs 19.12
Sl 115.4-7
Jr 10.5
1Co 8.4
10.20
não prevalecerá.

13Esta é a palavra que Jeová antes falou acerca de Moabe. 14Agora, porém, acaba Jeová de falar: Dentro de três anos, como os anos

16.14
Is 21.16
Jó 7.1
14.6
de jornaleiros, virá a ser desprezada a glória de
16.14
Is 25.10
Jr 48.42
Moabe, juntamente com toda a sua grande multidão; e o que lhe resta será pequeno e de nenhum valor.