Tradução Brasileira (2010) (TB)
7

O sacerdócio de Melquisedeque era figura do sacerdócio eterno de Cristo

71Pois este

7.1
Gn 14.18-20
Hb 7.6
Melquisedeque, rei de Salém, sacerdote do
7.1
vd.
Deus Altíssimo, que encontrou a Abraão quando voltava da matança dos reis e o abençoou, 2a quem também Abraão repartiu o dízimo de tudo (sendo, por interpretação, primeiramente Rei de justiça e depois também Rei de Salém, que é Rei de paz, 3sem pai, nem mãe,
7.3
cp.
sem genealogia, que não tem princípio de dias, nem fim de vida, mas feito semelhante ao
7.3
Hb 7.28Hb 7.1
Mt 4.3
Filho de Deus), permanece sacerdote continuamente.

Melquisedeque maior do que Abraão. Levi pagou-lhe dízimos

4Considerai quão grande era este a quem Abraão,

7.4
vd.
o patriarca, deu o dízimo do melhor dos despojos. 5Com efeito, os que, dentre os
7.5
Nm 18.21,26
2Cr 31.4
filhos de Levi recebem o sacerdócio, têm mandamento de receber, segundo a Lei, dízimos do povo, isto é, de seus irmãos, embora estes tenham saído dos lombos de Abraão; 6mas aquele
7.6
Hb 7.3
cuja genealogia não é contada destes
7.6
vd.
recebeu dízimos de Abraão e abençoou ao que
7.6
Rm 4.13
tem as promessas. 7Porém está fora de toda questão que o menor é abençoado pelo maior. 8Aqui, na verdade, recebem dízimos homens que morrem, mas ali os recebe aquele
7.8
Hb 5.6
6.20
de quem é testificado que vive. 9E, por assim dizer, por meio de Abraão, até o mesmo Levi, o recebedor de dízimos, pagou dízimos; 10pois ele estava ainda nos lombos de seu pai, quando Melquisedeque encontrou a Abraão.

As imperfeições do sacerdócio judaico

11

7.11
Hb 7.18Hb 8.7
Ora, se o aperfeiçoamento fosse pelo sacerdócio levítico (pois sob este
7.11
cp.
o povo recebeu a Lei), que necessidade havia ainda de que um outro sacerdote se levantasse
7.11
Hb 7.17Hb 5.6
segundo a ordem de Melquisedeque e de que não fosse contado segundo a ordem de Arão? 12Pois, mudado que seja o sacerdócio, é necessário que se faça também mudança da Lei. 13Pois
7.13
Hb 7.14
aquele de quem
7.13
Hb 7.11
isso se diz pertence a outra tribo, da qual ninguém tem servido ao altar; 14pois é evidente que
7.14
Ap 5.5
Mt 2.6
Mq 5.2Is 11.1
Nm 24.17
da linhagem de Judá nasceu nosso Senhor, da qual tribo Moisés nada disse acerca de sacerdotes. 15Ainda isso se manifesta mais claramente, se à semelhança de Melquisedeque se levanta outro sacerdote, 16o qual não se tem tornado sacerdote segundo a lei de um
7.16
cp.
mandamento carnal, mas segundo o poder de
7.16
cp.
uma vida indissolúvel. 17Pois dele se testifica:

7.17
Hb 7.21
Sl 110.4Hb 5.6
Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.

18Pois, na verdade, é ab-rogado o mandamento prévio,
7.18
Hb 7.11Rm 8.3
Gl 3.21
por causa da sua fraqueza e inutilidade 19(pois
7.19
Hb 9.9
10.1At 13.39
Rm 3.20
7.7Gl 2.16
3.21
a Lei nada fez perfeito), e é introduzida uma melhor
7.19
vd.
esperança, pela qual nos
7.19
Hb 7.25
Hb 4.16
10.1-22
Lm 3.57
Tg 4.8
chegamos a Deus. 20Porquanto não é sem prestar juramento 21(pois aqueles, na verdade, foram feitos sacerdotes sem juramento, mas este com juramento por aquele que lhe disse:

7.21
Hb 7.17
Sl 110.4
O Senhor jurou
7.21
Nm 23.19
1Sm 15.29
Rm 11.29
e não se arrependerá:

Tu és sacerdote

7.21
Hb 7.23-24,28
para sempre);

22portanto, também Jesus se tem tornado
7.22
Sl 119.122
Is 38.14
fiador de uma
7.22
vd.
melhor aliança. 23Aqueles, na verdade, foram feitos sacerdotes em grande número, porque a morte não permitiu que permanecessem; 24mas este, porque permanece para sempre, tem o seu sacerdócio inviolável. 25Por isso, também pode
7.25
vd.
salvar completamente os que por ele
7.25
vd.
se chegam a Deus, vivendo sempre para
7.25
vd.
interceder por eles.

Cristo, o nosso sumo sacerdote, é perfeito e sem pecado

26Pois nos convinha tal

7.26
vd.
sumo sacerdote
7.26
vd.
santo,
7.26
1Pe 2.22
inocente, imaculado, separado dos pecadores e
7.26
vd.
feito mais alto que os céus, 27que não tem necessidade, como aqueles sumos sacerdotes, de
7.27
cp.
oferecer sacrifícios diariamente,
7.27
vd.
primeiro, pelos seus próprios pecados e, depois, pelos do povo; porque isso fez
7.27
Hb 9.12
10.10Hb 9.28
uma só vez para sempre, quando
7.27
Ef 5.2
Hb 9.14,28
10.10,12
se ofereceu a si mesmo. 28Pois a Lei constitui sumos sacerdotes a homens
7.28
cp.
que têm enfermidades, mas a palavra do juramento, que veio depois da Lei, constitui ao
7.28
vd.
Filho,
7.28
vd.
para sempre aperfeiçoado.

8

A antiga aliança era um símbolo transitório; Cristo é mediador de uma aliança melhor e eterna

81No que estamos dizendo, o ponto principal é este: temos um tal

8.1
vd.
sumo sacerdote que se assentou à
8.1
vd.
destra do trono da
8.1
vd.
Majestade nos céus, 2
8.2
cp.
ministro do santuário e do
8.2
cp.
verdadeiro tabernáculo, que o Senhor
8.2
cp.
armou, e não o homem. 3Pois todo sumo sacerdote é constituído
8.3
vd.
para oferecer dons e sacrifícios, porquanto é necessário que esse sumo sacerdote também tenha alguma coisa que oferecer. 4Se ele estivesse, pois, sobre a terra, nem sacerdote seria, havendo os que oferecem dons segundo a Lei; 5os quais servem ao que é
8.5
Hb 9.23
modelo e
8.5
vd.
sombra das coisas celestiais, como Moisés foi
8.5
Hb 11.7
12.25Mt 2.12
divinamente avisado, quando estava para construir o tabernáculo; pois diz ele:
8.5
Êx 25.40
Vê que faças todas as coisas conforme o modelo que te foi mostrado no monte. 6Mas, agora, este tem conseguido tanto melhor ministério, quanto é
8.6
vd.
Mediador ainda de
8.6
Hb 7.22Hb 8.8
Hb 9.15
12.24Lc 22.20
uma melhor aliança, a qual tem sido decretada sobre melhores promessas. 7Pois,
8.7
vd.
se aquela primeira aliança tivesse sido livre de defeito, não se teria buscado ocasião para uma segunda. 8Pois, repreendendo-os, diz:

8.8
Jr 31.33
Eis aí vêm dias, diz o Senhor,

e estabelecerei com a casa de Israel e com a casa de Judá

8.8
Hb 8.13
Hb 9.15
12.24
2Co 3.6Lc 22.20Hb 7.22
8.6
uma nova aliança,

9não conforme a aliança que fiz com seus pais,

no dia em que

8.9
cp.
os tomei pela mão para os conduzir para fora da terra do Egito;

pois eles não perseveraram na minha aliança,

e eu não atentei para eles, diz o Senhor.

10

8.10
Hb 10.16Rm 11.27
Esta é a aliança que estabelecerei com a casa de Israel:

depois daqueles dias, diz o Senhor,

imprimindo as minhas leis na mente deles,

eu as escreverei também

8.10
cp.
sobre os seus corações;

serei para eles Deus,

e eles serão para mim povo.

11Cada um não ensinará ao seu concidadão,

nem cada um ao seu irmão, dizendo:

Conhece ao Senhor;

pois

8.11
cp.
todos me conhecerão,

desde o menor até o maior deles.

12Pois eu lhes perdoarei as suas iniquidades

8.12
Hb 10.17
e não me lembrarei mais dos seus pecados.

13Dizendo
8.13
vd.
Nova aliança, ele tem feito antiquada a primeira;
8.13
cp.
mas aquilo que se está tornando antiquado e envelhecendo perto está de desaparecer.
9

A descrição do santuário, dos sacrifícios que, por serem imperfeitos, deviam repetir-se

91Até a primeira aliança, na verdade, teve as suas

9.1
cp.
ordenanças de serviço sagrado e
9.1
Êx 25.8
o seu santuário
9.1
cp.
terrestre. 2Pois havia um
9.2
Êx 25.8-9
tabernáculo preparado, o primeiro em que estava o
9.2
Êx 25.31-39
candeeiro, e
9.2
Êx 25.23-29
a mesa, e
9.2
Êx 25.30
Lv 24.5-9Mt 12.4
os pães da proposição, e este se chama o Santo Lugar; 3mas, atrás do
9.3
Êx 26.31-33
segundo véu, o tabernáculo que se chama
9.3
Êx 26.33
o Santo dos Santos, 4tendo um
9.4
Êx 30.1-5
37.25
altar de ouro para o incenso e
9.4
Êx 25.1037.1
a arca da aliança, coberta de ouro ao redor por todas as partes, na qual estava
9.4
Êx 16.32
um vaso de ouro, que continha o maná, e
9.4
Nm 17.10
a vara de Arão, que brotou, e
9.4
Êx 31.18
32.15
Dt 9.9,11,15
as tábuas da aliança, 5e, por cima dela,
9.5
Êx 25.18
os querubins de glória,
9.5
Êx 25.17,20
que cobriam o propiciatório, das quais coisas não é oportuno, agora, falar individualmente. 6Preparadas assim essas coisas,
9.6
Nm 28.3
entram continuamente no primeiro tabernáculo os sacerdotes, para celebrar os serviços sagrados, 7mas,
9.7
cp.
no segundo, entra, a sós,
9.7
Lv 16.12
o sumo sacerdote,
9.7
Êx 30.10
Lv 16.34Hb 10.3
uma vez por ano,
9.7
Lv 16.11,14
não sem sangue, que
9.7
vd.
oferece por si e pelas
9.7
Nm 15.25Hb 5.2
ignorâncias do povo, 8
9.8
vd.
significando, com isso, o Espírito Santo que
9.8
Hb 10.20Jo 14.6
o caminho do Santo lugar não se tem manifestado, enquanto subsiste o primeiro tabernáculo, 9o qual é
9.9
Hb 11.19Hb 10.1
uma parábola para o tempo presente, conforme a qual
9.9
vd.
se oferecem tanto dons como sacrifícios, que não podem, quanto à consciência,
9.9
vd.
tornar perfeito o adorador, 10sendo somente (com
9.10
Lv 11.2Cl 2.16
comidas
9.10
cp.
e bebidas e várias
9.10
Lv 11.25Nm 19.13Mc 7.4
abluções) umas
9.10
cp.
ordenanças da carne impostas até um
9.10
cp.
tempo de reforma.

O sacrifício de Cristo não se repete, é perfeito e eficaz

11Mas Cristo, tendo vindo como

9.11
vd.
sumo sacerdote dos
9.11
Hb 10.1
bens já realizados, por meio do
9.11
Hb 9.24Hb 8.2
maior e mais perfeito tabernáculo,
9.11
Mc 14.58
2Co 5.1
não feito por mãos de homens, isto é,
9.11
cp.
não desta criação, 12nem pelo
9.12
Lv 4.3
16.6,15Hb 9.19
sangue de bodes e bezerros, mas
9.12
Hb 9.14
Hb 13.12
pelo seu próprio sangue,
9.12
Hb 9.24
entrou,
9.12
vd.
uma vez para sempre, no Santo Lugar, havendo obtido uma
9.12
cp.
redenção eterna. 13Pois, se
9.13
Hb 9.12,19Hb 10.4
o sangue de bodes e de touros e
9.13
Nm 19.9,17
as cinzas de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, os santificam para a purificação da carne, 14quanto mais o sangue de Cristo, que, pelo
9.14
cp.
Espírito eterno,
9.14
Ef 5.2
Hb 7.27
10.10,12
se ofereceu sem defeito a Deus,
9.14
At 15.9
Tt 2.14
Hb 10.2,22Hb 1.3
purificará a nossa consciência de
9.14
Hb 6.1
obras mortas, para servirmos
9.14
vd.
ao Deus vivo! 15Por isso,
9.15
vd.
ele é
9.15
vd.
Mediador de
9.15
vd.
uma nova aliança, para que, tendo intervindo a morte para a redenção das transgressões que havia debaixo da primeira aliança, os que têm sido
9.15
vd.
chamados
9.15
Hb 6.15
10.36Hb 11.39
recebam a promessa da
9.15
vd.
eterna herança. 16Pois, onde há um testamento, é necessário que intervenha a morte do testador; 17pois um testamento não tem força senão pela morte, visto que nunca tem valor enquanto o testador vive. 18Por isso, nem a primeira aliança foi celebrada sem sangue. 19Pois, quando
9.19
vd.
Moisés havia falado a todo o povo todos os mandamentos segundo a Lei,
9.19
Êx 24.6
tomou o
9.19
vd.
sangue dos bezerros e dos bodes, com
9.19
cp.
água e lã tinta de escarlata e hissopo e aspergiu não só
9.19
cp.
o próprio livro como também a todo o povo, 20dizendo:
9.20
cp.
Este é o sangue da aliança, que Deus ordenou para vós. 21Também, da mesma maneira, aspergiu
9.21
cp.
o tabernáculo e todos os vasos do serviço sagrado. 22Segundo a Lei,
9.22
cp.
quase todas as coisas são purificadas com sangue, e,
9.22
Lv 17.11
sem derramamento de sangue, não há remissão.

Cristo oferece-se a si mesmo uma vez para sempre

23Era necessário, portanto, que as

9.23
Hb 8.5
figuras das coisas celestiais fossem purificadas com tais sacrifícios, mas
9.23
Hb 8.5
as mesmas coisas celestiais, com sacrifícios melhores que estes. 24Pois Cristo
9.24
Hb 9.12Hb 4.14
não entrou num santo lugar feito por mãos de homens, figura do
9.24
Hb 8.2
verdadeiro, mas no
9.24
Hb 9.12
mesmo céu, para, agora,
9.24
cp.
aparecer diante de Deus por nós; 25nem a fim de se oferecer muitas vezes a si mesmo, como
9.25
vd.
o sumo sacerdote entra
9.25
Hb 9.2
Hb 10.19
no Santo Lugar
9.25
Hb 9.7
de ano em ano com sangue alheio; 26de outra forma, lhe seria necessário ter sofrido muitas vezes desde
9.26
vd.
o fundamento do mundo; mas, agora, tem sido
9.26
1Jo 3.5,8
manifestado
9.26
Hb 9.12
Hb 7.27
uma vez para sempre
9.26
vd.
na consumação dos séculos, para abolição do pecado
9.26
Hb 9.12,14
pelo sacrifício de si mesmo. 27Porquanto
9.27
Gn 3.19
é ordenado aos homens que morram uma só vez (e, depois disso,
9.27
2Co 5.10
1Jo 4.17
vem o juízo), 28assim também Cristo, tendo sido
9.28
vd.
imolado uma vez para sempre, a fim de
9.28
1Pe 2.24
levar os pecados de muitos, aparecerá
9.28
At 1.11
segunda vez,
9.28
Hb 4.15
sem pecado, aos que
9.28
vd.
o aguardam para
9.28
Hb 5.9
a salvação.