Tradução Brasileira (2010) (TB)
4

Entrada na Canaã celestial pela fé

41Temamos, portanto, que, sendo-nos feita uma promessa de entrarmos no seu descanso, não haja algum de vós, porventura, que pareça

4.1
Hb 12.15
ter falhado. 2Pois, na verdade, a nós nos tem sido evangelizado, como a eles; mas
4.2
1Ts 2.13
a palavra da mensagem não lhes aproveitou, não sendo unida com a fé naqueles que a ouviram. 3Pois nós, que cremos, entramos no descanso, assim como ele tem dito:

4.3
Sl 95.11
Hb 3.11
Assim, jurei na minha ira:

não entrarão no meu descanso,

embora fossem completadas as obras
4.3
vd.
desde a fundação do mundo. 4Pois,
4.4
Gn 2.2
Hb 2.6
em certo lugar, disse assim acerca do dia sétimo: E
4.4
Êx 20.11
31.17
descansou Deus, no dia sétimo, de todas as suas obras. 5E outra vez neste lugar:

4.5
Sl 95.11
Hb 3.11
Não entrarão no meu descanso.

6Visto, portanto, que resta que alguns entrem nele e que os que foram anteriormente evangelizados não entraram, por causa da
4.6
vd.
desobediência, 7outra vez determina um certo dia, hoje, dizendo
4.7
cp.
por Davi, depois de tanto tempo
4.7
Sl 95.7Hb 3.7
(como antes se disse):

Hoje, se ouvirdes a sua voz,

não endureçais os vossos corações.

8Pois,
4.8
cp.
se Josué lhes houvesse dado descanso, não teria, depois,
4.8
vd.
falado de outro dia. 9Portanto, resta um sabatismo para o povo de Deus. 10Pois aquele que entrou no descanso dele, este também
4.10
cp.
descansou das suas obras, assim
4.10
vd.
como Deus das suas. 11Portanto, esforcemo-nos por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia segundo o mesmo
4.11
2Pe 2.6
exemplo de desobediência. 12Pois
4.12
1Pe 1.23Jr 23.29
Hb 6.5
Ef 5.26
a palavra de Deus é
4.12
cp.
viva, e
4.12
1Ts 2.13
eficaz, e mais cortante que qualquer
4.12
Ef 6.17
espada de dois gumes, e que penetra até a divisão de
4.12
vd.
alma e espírito, e de juntas e medulas, e
4.12
cp.
pronta para discernir as disposições e pensamentos do coração. 13
4.13
2Cr 16.9
Sl 33.13-15
Não há criatura que não seja manifesta diante dele, mas todas as coisas estão
4.13
cp.
nuas e descobertas aos olhos daquele a quem havemos de dar contas.

A terna simpatia do nosso sumo sacerdote

14Tendo, portanto, um grande

4.14
vd.
sumo sacerdote que
4.14
vd.
penetrou os céus, a saber, Jesus,
4.14
Hb 6.6
7.3
10.29Mt 4.3Hb 1.2
Filho de Deus, guardemos firmes a nossa
4.14
vd.
confissão. 15Pois não temos
4.15
vd.
um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas enfermidades, mas que tem sido
4.15
Hb 2.18
tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas
4.15
vd.
sem pecado. 16
4.16
vd.
Cheguemo-nos, portanto, com
4.16
vd.
confiança, ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos em tempo oportuno.

5

Cristo é superior aos sumos sacerdotes da antiga aliança

51Pois todo sumo sacerdote,

5.1
Êx 28.1
sendo escolhido dentre os homens, é constituído a favor dos homens nas
5.1
vd.
coisas pertencentes a Deus, para que
5.1
Hb 8.39.9Hb 7.27
10.11
ofereça tanto dons como sacrifícios
5.1
Hb 7.27
10.121Co 15.3
pelos pecados, 2
5.2
cp.
o qual possa condoer-se dos
5.2
cp.
ignorantes e
5.2
Tg 5.191Pe 2.25
dos que erram, pois que ele também está
5.2
cp.
cercado de enfermidades, 3e, por essa razão deve,
5.3
Hb 7.27
9.7
Lv 9.7
16.6
tanto pelo povo como também por si mesmo, oferecer sacrifício pelos pecados. 4
5.4
Nm 16.40
18.7
2Cr 26.18
Ninguém arroga para si essa honra, senão quando é chamado por Deus,
5.4
Êx 28.1
1Cr 23.13
como também foi Arão. 5Assim, também Cristo
5.5
Jo 8.54
não se exaltou a si mesmo para ser feito
5.5
cp.
sumo sacerdote, mas aquele que lhe
5.5
vd.
disse:

Tu és meu Filho,

hoje eu te gerei;

6
5.6
Hb 7.17
Sl 110.4
como também em outro lugar diz:

Tu és sacerdote para sempre segundo

5.6
Hb 5.10
Hb 6.20
Hb 77.11,17
a ordem de Melquisedeque.

7Ele, nos dias da sua carne,
5.7
Mt 26.39,42,44
Mc 14.36,39
Lc 22.41,44
tendo oferecido preces, e súplicas com
5.7
Mt 27.46,50
Mc 15.34,37
Lc 23.46
forte clamor, e lágrimas ao que
5.7
Mc 14.36
podia salvá-lo da morte e tendo sido ouvido pela sua
5.7
Hb 12.28Hb 11.7
reverência, 8embora fosse
5.8
vd.
Filho, aprendeu
5.8
vd.
a obediência pelas coisas que sofreu, 9e, tendo sido
5.9
vd.
aperfeiçoado, tornou-se autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem, 10chamado por Deus
5.10
cp.
sumo sacerdote segundo
5.10
Hb 5.6
Hb 6.20
Hb 77.11,17
a ordem de Melquisedeque.

Os cristãos hebreus não tinham progredido

11Acerca deste muito temos que dizer e difícil de explicar, visto que vos tendes tornado tardios em ouvir. 12Pois, devendo já ser mestres em razão do tempo, tendes ainda mister de que alguém vos ensine

5.12
vd.
os rudimentos dos
5.12
Hb 6.1
princípios elementares dos
5.12
vd.
oráculos de Deus e vos tendes tornado tais, que tendes precisão de
5.12
1Co 3.21Pe 2.2
leite e não de mantimento sólido. 13Todo o que usa de leite é inexperiente na palavra da justiça, pois é
5.13
1Co 3.11Co 14.20
1Pe 2.2
criança; 14mas o mantimento sólido é para
5.14
vd.
os adultos, para aqueles que têm, pela prática, as suas faculdades
5.14
cp.
exercitadas para
5.14
cp.
discernirem tanto o bem como o mal.

6

Exortação ao progresso

61Por isso,

6.1
vd.
deixando a doutrina dos
6.1
Hb 5.12
princípios elementares de Cristo, passemos à
6.1
vd.
perfeição, não lançando de novo o fundamento de arrependimento de
6.1
Hb 9.14Jo 8.21
obras mortas e de fé em Deus, 2
6.2
cp.
o ensino sobre batismos e
6.2
vd.
imposição de mãos, sobre
6.2
vd.
ressurreição de mortos e sobre juízo eterno. 3Isso faremos,
6.3
vd.
se Deus o permitir. 4Pois é impossível que os que uma vez foram
6.4
Hb 10.322Co 4.4,6
iluminados, e provaram
6.4
Ef 2.8Jo 4.10
o dom celestial, e se tornaram
6.4
Hb 2.4Gl 3.2
participantes do Espírito Santo, 5
6.5
cp.
e provaram a boa
6.5
vd.
palavra de Deus e os poderes do
6.5
cp.
mundo vindouro, 6e depois caíram,
6.6
Hb 10.261Jo 5.16
2Pe 2.21
Mt 19.26
impossível é renová-los outra vez para o arrependimento,
6.6
cp.
visto que eles crucificam de novo para si o Filho de Deus e o expõem à ignomínia. 7Pois a terra que tem embebido a chuva que cai muitas vezes sobre ela e produz ervas úteis àquelas
6.7
cp.
por quem é também lavrada recebe de Deus a bênção; 8mas, se produz espinhos e abrolhos, é rejeitada, está
6.8
cp.
perto de maldição, e o seu fim é ser queimada.

Espera melhorar as coisas deles

9Porém, quanto a vós,

6.9
1Co 10.14
2Co 7.1
12.19
1Pe 2.11
2Pe 3.1
1Jo 2.7
Jd 3
amados, estamos persuadidos de coisas melhores e mais vizinhas à salvação, ainda que assim falamos. 10Pois
6.10
Pv 19.17
Mt 10.42
25.40At 10.4
Deus não é injusto para se esquecer do
6.10
cp.
vosso trabalho e da caridade que mostrastes para com seu nome, quando
6.10
Hb 10.32-34Rm 15.25
servistes e ainda servis aos santos. 11Desejamos que cada um de vós mostre o mesmo zelo, para
6.11
cp.
complemento da sua
6.11
vd.
esperança até o fim; 12para que não vos torneis indolentes, mas
6.12
Hb 13.7
imitadores daqueles que, por
6.12
2Ts 1.4
Tg 1.3
Ap 13.10
fé e por paciência,
6.12
cp.
herdam as promessas.

A promessa de Deus com juramento

13Pois,

6.13
cp.
quando Deus fez a promessa a Abraão, como não teve outro maior por quem jurasse,
6.13
Gn 22.16Lc 1.73
jurou por si mesmo, 14dizendo: Certamente, abençoando, te abençoarei e, multiplicando, te multiplicarei; 15assim,
6.15
cp.
tendo Abraão esperado com paciência, alcançou a promessa. 16
6.16
cp.
Pois os homens juram pelo que é maior que eles, e
6.16
cp.
o juramento para confirmação é para eles o fim de todas as contendas. 17Por isso, Deus, determinando mais abundantemente mostrar aos
6.17
Hb 11.9
herdeiros da promessa
6.17
Sl 110.4
Pv 19.21
Hb 6.18
a imutabilidade do seu conselho, interpôs um juramento, 18para que, por duas coisas imutáveis, nas quais é
6.18
Tt 1.2Nm 23.19
impossível que Deus minta, tenhamos uma poderosa consolação, nós que, como refúgio, nos temos apressado em lançar mão da
6.18
Hb 3.6
7.19
esperança proposta, 19a qual temos como âncora segura e firme da alma e que
6.19
Lv 16.2
Hb 9.2
entra também no interior do véu, 20
6.20
vd.
onde Jesus, como precursor, entrou por nós, quando se tornou
6.20
vd.
sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.