Tradução Brasileira (2010) (TB)
4

Entrada na Canaã celestial pela fé

41Temamos, portanto, que, sendo-nos feita uma promessa de entrarmos no seu descanso, não haja algum de vós, porventura, que pareça

4.1
Hb 12.15
ter falhado. 2Pois, na verdade, a nós nos tem sido evangelizado, como a eles; mas
4.2
1Ts 2.13
a palavra da mensagem não lhes aproveitou, não sendo unida com a fé naqueles que a ouviram. 3Pois nós, que cremos, entramos no descanso, assim como ele tem dito:

4.3
Sl 95.11
Hb 3.11
Assim, jurei na minha ira:

não entrarão no meu descanso,

embora fossem completadas as obras
4.3
vd.
desde a fundação do mundo. 4Pois,
4.4
Gn 2.2
Hb 2.6
em certo lugar, disse assim acerca do dia sétimo: E
4.4
Êx 20.11
31.17
descansou Deus, no dia sétimo, de todas as suas obras. 5E outra vez neste lugar:

4.5
Sl 95.11
Hb 3.11
Não entrarão no meu descanso.

6Visto, portanto, que resta que alguns entrem nele e que os que foram anteriormente evangelizados não entraram, por causa da
4.6
vd.
desobediência, 7outra vez determina um certo dia, hoje, dizendo
4.7
cp.
por Davi, depois de tanto tempo
4.7
Sl 95.7Hb 3.7
(como antes se disse):

Hoje, se ouvirdes a sua voz,

não endureçais os vossos corações.

8Pois,
4.8
cp.
se Josué lhes houvesse dado descanso, não teria, depois,
4.8
vd.
falado de outro dia. 9Portanto, resta um sabatismo para o povo de Deus. 10Pois aquele que entrou no descanso dele, este também
4.10
cp.
descansou das suas obras, assim
4.10
vd.
como Deus das suas. 11Portanto, esforcemo-nos por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia segundo o mesmo
4.11
2Pe 2.6
exemplo de desobediência. 12Pois
4.12
1Pe 1.23Jr 23.29
Hb 6.5
Ef 5.26
a palavra de Deus é
4.12
cp.
viva, e
4.12
1Ts 2.13
eficaz, e mais cortante que qualquer
4.12
Ef 6.17
espada de dois gumes, e que penetra até a divisão de
4.12
vd.
alma e espírito, e de juntas e medulas, e
4.12
cp.
pronta para discernir as disposições e pensamentos do coração. 13
4.13
2Cr 16.9
Sl 33.13-15
Não há criatura que não seja manifesta diante dele, mas todas as coisas estão
4.13
cp.
nuas e descobertas aos olhos daquele a quem havemos de dar contas.

A terna simpatia do nosso sumo sacerdote

14Tendo, portanto, um grande

4.14
vd.
sumo sacerdote que
4.14
vd.
penetrou os céus, a saber, Jesus,
4.14
Hb 6.6
7.3
10.29Mt 4.3Hb 1.2
Filho de Deus, guardemos firmes a nossa
4.14
vd.
confissão. 15Pois não temos
4.15
vd.
um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas enfermidades, mas que tem sido
4.15
Hb 2.18
tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas
4.15
vd.
sem pecado. 16
4.16
vd.
Cheguemo-nos, portanto, com
4.16
vd.
confiança, ao trono da graça, para que recebamos misericórdia e achemos graça, a fim de sermos socorridos em tempo oportuno.