Tradução Brasileira (2010) (TB)

José interpreta os sonhos de Faraó

411Passados dois anos inteiros, teve Faraó um sonho; e eis que estava em pé junto ao Nilo. 2Subiam do Nilo sete vacas, formosas à vista e gordas de carne, que pastavam no

41.2
Jó 8.11
Is 19.6-7
carriçal. 3Depois delas, subiam do Nilo outras sete vacas, feias à vista e magras de carne, que estavam paradas juntos às outras, à beira do Nilo. 4As vacas feias à vista e magras de carne comiam as sete vacas formosas à vista e gordas. Então, acordou Faraó. 5Depois, adormeceu e sonhou outra vez: saíam duma só cana sete espigas gradas e boas. 6Depois delas, nasciam sete espigas delgadas e queimadas do vento oriental. 7As espigas delgadas devoravam as sete espigas gradas e cheias. Então, acordou Faraó, e eis que era um sonho. 8De manhã,
41.8
Dn 2.1,3
achava-se perturbado o seu espírito; e mandou chamar todos
41.8
Êx 7.11,22
os magos do Egito e todos os seus sábios. Faraó contou-lhes o seu sonho,
41.8
Dn 2.27
4.7
porém não havia quem lhos interpretasse.

9Então, disse o copeiro-mor a Faraó:

41.9
Gn 40.23
Hoje, vou confessar as minhas ofensas. 10Tendo-se irado Faraó com os seus servos, mandou meter-me a mim e ao padeiro-mor em detenção na casa do capitão da guarda. 11Tivemos um sonho na mesma noite, eu e ele; sonhamos cada um conforme a interpretação do seu sonho. 12Achava-se ali um mancebo hebreu, servo do capitão da guarda; contamos-lhe os nossos sonhos, e ele nô-los interpretou; a cada um conforme o seu sonho os interpretou. 13Assim aconteceu,
41.13
Gn 40.21-22
como ele no-los interpretou: eu fui restituído ao meu cargo, e ele foi enforcado.

14

41.14
Sl 105.20
Mandou Faraó chamar a José, e fizeram-lhe sair
41.14
Dn 2.25
apressadamente da masmorra. Ele se barbeou, mudou a roupa e foi apresentar-se a Faraó. 15Disse Faraó a José. Tive um sonho, e
41.15
Gn 41.8
não há quem o possa interpretar. Ouvi dizer de ti que, quando ouves um sonho, podes interpretá-lo. 16Respondeu-lhe José:
41.16
Dn 2.30
Zc 4.6
At 3.12
2Co 3.5
De modo nenhum;
41.16
Gn 40.8
41.25,28,32
Deus há de dar a Faraó uma resposta de paz. 17Disse Faraó a José: Eis que, em meu sonho, estava eu em pé, à beira do Nilo. 18Subiam do Nilo sete vacas gordas de carne e formosas à vista, que pastavam no carriçal; 19depois delas, subiam outras sete vacas, fracas, mui feias de parecer e magras de carne, tão ruins, que nunca as vi tais em toda a terra do Egito. 20As vacas magras e ruins comiam as primeiras sete vacas gordas; 21e, depois de as terem consumido, não se podia saber que as tinham consumido; pois o seu aspecto era tão feio como no princípio. Então, acordei. 22Depois, vi em meu sonho, e eis que duma só cana saíam sete espigas cheias e boas, 23e, depois delas, nasciam sete espigas murchas, delgadas e queimadas do vento oriental, 24e as espigas delgadas devoravam as sete espigas boas. Contei-o aos magos, porém não houve quem mo pudesse explicar.

25Respondeu-lhe José: O sonho de Faraó é um só; manifestou Deus a Faraó o

41.25
Gn 41.28,32
que está para fazer. 26As sete vacas boas são sete anos, e as sete espigas boas são sete anos: o sonho é um só. 27Também as sete vacas magras e ruins, que subiam depois delas, são sete anos, e as sete espigas vazias e queimadas do vento oriental
41.27
2Rs 8.1
serão sete anos de fome. 28É isto o que eu disse a Faraó;
41.28
Gn 41.25,32
manifestou Deus a Faraó o que está para fazer. 29Eis que vêm
41.29
Gn 41.47
sete anos de grande abundância por toda a terra do Egito; 30e a estes seguirão
41.30
Gn 41.30
47.13
sete anos de fome. Toda aquela abundância será esquecida na terra do Egito, e a fome consumirá a terra; 31não será conhecida a abundância na terra por causa daquela fome que seguirá, porque será gravíssima. 32
41.32
Gn 41.25,28
O sonho de Faraó foi repetido duas vezes, porque a coisa é estabelecida por Deus, e ele a fará brevemente. 33Agora, se proveja Faraó de um homem
41.33
Gn 41.39
entendido e sábio e o ponha sobre a terra do Egito. 34Faça isso Faraó: nomeie administradores sobre a terra e tome a quinta parte dos frutos da terra do Egito, nos sete anos de abundância. 35
41.35
Gn 41.49
Ajuntem os administradores toda a colheita destes bons anos que vêm, recolham o trigo debaixo do poder de Faraó, para mantimento nas cidades, e o guardem. 36Assim, o mantimento será para o provimento da terra nos sete anos da fome que haverá na terra do Egito; para que não pereça a terra por causa da fome.

Faraó põe José como governador do Egito

37O conselho pareceu bom aos olhos de Faraó e aos olhos de todos os seus servos. 38Perguntou Faraó aos seus servos: Porventura, poderemos achar um homem como este,

41.38
Dn 4.8-9,18
5.11,14
em quem há o Espírito de Deus? 39Disse Faraó a José: Visto que Deus te fez saber tudo isso,
41.39
Gn 41.33
ninguém há tão entendido e sábio como tu. 40
41.40
Sl 105.21-22
At 7.10
Tu estarás sobre a minha casa, e à tua voz obedecerá todo o meu povo; somente no trono serei eu maior que tu. 41Disse mais Faraó a José: Vê, eu te hei posto
41.41
Gn 42.6
sobre toda a terra do Egito. 42Faraó
41.42
Et 3.10
tirou da mão o seu anel de selar, e pô-lo na mão de José, fez-lhe vestir vestidos de linho fino, e
41.42
Dn 5.7,16,29
pôs-lhe à roda do pescoço um colar de ouro. 43Fê-lo subir ao seu segundo carro, e clamavam diante dele: Ajoelhai-vos. Ele o constituiu sobre toda a terra do Egito. 44Ainda disse Faraó a José: Eu sou Faraó, e
41.44
Sl 105.22
sem a tua ordem não levantará ninguém mão ou pé em toda a terra do Egito. 45Faraó chamou a José Zafenate-Paneia e deu-lhe por mulher Azenate, filha de Potífera, sacerdote de
41.45
Jr 43.13
Ez 30.17
Om. Saiu José a percorrer a terra do Egito.

46José era da

41.46
Gn 37.2
idade de trinta anos, quando se apresentou a Faraó, rei do Egito. Saiu José da presença de Faraó e passou por toda a terra do Egito. 47Durante os sete anos de abundância, produziu a terra a mãos cheias. 48Durante estes sete anos que houve na terra do Egito, ajuntou José todo o mantimento e o guardou nas cidades; o mantimento do campo que estava ao redor de cada cidade, o guardou dentro da mesma. 49Recolheu José trigo como a areia do mar, em grande abundância, até que cessou de contar; porque a cópia excedia toda a medida. 50Antes que viessem os anos da fome, nasceram dois filhos a José, os quais lhe deu Azenate, filha de Potífera, sacerdote de Om. 51Chamou José ao primogênito Manassés, pois disse: Deus me fez esquecer de todo o meu trabalho e de toda a casa de meu pai. 52Ao segundo chamou Efraim, pois disse:
41.52
Gn 17.6
28.3
49.22
Deus me fez crescer na terra da minha aflição. 53Acabaram-se os sete anos de abundância que houve na terra do Egito, 54e
41.54
Gn 41.30
Sl 105.16
At 7.11
começaram a vir os sete anos de fome, como José tinha dito. Havia fome em todas as terras, mas em toda a terra do Egito havia pão. 55Tendo toda a terra do Egito fome, clamou pedindo pão a Faraó; e Faraó disse a todos os egípcios: Ide a José; fazei tudo o que ele vos disser. 56Havendo, pois, fome sobre toda a terra, abriu José todos os celeiros e vendia aos egípcios. A fome prevaleceu na terra do Egito. 57Vinham todas as terras ao Egito, para comprarem de José, porque a fome prevaleceu em todo o mundo.

Os irmãos de José descem ao Egito

421Sabendo

42.1
At 7.12
Jacó que havia trigo no Egito, disse a seus filhos: Por que estais olhando uns para os outros? 2E continuou: Tenho ouvido que há trigo no Egito. Descei e lá comprai-o para nós,
42.2
Gn 43.8
a fim de que vivamos e não morramos. 3Então desceram os dez irmãos de José para comprar trigo no Egito. 4A
42.4
Gn 35.24
Benjamim, porém, irmão de José, não enviou Jacó com seus irmãos; pois disse: Para que, porventura, não lhe suceda algum desastre. 5Entre os que iam para lá foram também os filhos de Israel a comprar;
42.5
Gn 41.57
At 7.11
porque havia fome na terra de Canaã. 6
42.6
Gn 41.41,55
José era o governador da terra; era ele quem vendia a todo o povo. Vieram os irmãos de José e
42.6
Gn 37.8-10
41.43
prostraram-se diante dele com o rosto em terra. 7Quando José viu seus irmãos, reconheceu-os, mas portou-se para com eles como estranho,
42.7
Gn 42.30
falou-lhes asperamente e perguntou-lhes: Donde vindes? Responderam eles: Da terra de Canaã, para comprarmos mantimento. 8Ora, José reconheceu seus irmãos, mas
42.8
Gn 37.2
41.46,53
eles não o reconheceram a ele. 9José
42.9
Gn 37.6-9
lembrou-se dos sonhos que tivera a respeito deles e disse-lhes: Vós sois espias; para verdes a nudez da terra é que tendes vindo. 10Responderam-lhe: Não,
42.10
Gn 37.8
senhor meu, mas para comprarem mantimentos vieram os teus servos. 11Todos nós somos filhos do mesmo homem; somos
42.11
Gn 42.16,19,31,34
homens retos, os teus servos não são espias. 12Tornou-lhes: Não, mas sois vindos para ver a nudez da terra. 13Eles disseram: Nós, teus servos, somos doze irmãos, filhos de um homem na terra de Canaã; eis que o mais pequeno está hoje com
42.13
Gn 43.7
nosso pai, e o outro
42.13
Gn 37.30
42.32
44.20
já não existe. 14Então, lhes respondeu José: É o que vos tenho dito, quando disse que sois espias. 15Nisto sereis provados: pela vida de Faraó, não saireis daqui, sem que venha para cá vosso irmão mais pequeno. 16Enviai a um dentre vós que traga vosso irmão e vós ficareis presos para que sejam provadas as vossas palavras, se há
42.16
Gn 42.11
verdade em vós; ou senão, pela vida de Faraó, vós sois espias. 17Meteu-os juntos
42.17
Gn 40.4,7
em detenção por três dias.

18Ao terceiro dia, disse-lhes José: Fazei isso e vivereis, porque

42.18
Gn 39.9
temo a Deus. 19Se sois homens retos, fique um de vós preso na casa de vossa prisão; mas ide vós, levai o trigo preciso por causa da fome das vossas casas, 20e
42.20
Gn 42.34
trazei-me vosso irmão mais pequeno: assim, serão verificadas as vossas palavras, e não morrereis. Eles assim o fizeram. 21Então, disseram uns aos outros:
42.21
Gn 37.26-28
45.3
Nós, na verdade, somos culpados no tocante a nosso irmão, porquanto vimos a angústia da sua alma, quando ele nos suplicava, e não o queríamos atender; por isso, é vinda sobre nós esta angústia. 22Respondeu-lhes Rúben:
42.22
Gn 37.22
Porventura, não vos disse eu: Não pequeis contra o menino; e não queríeis ouvir? Por isso, também eis que o seu sangue é requerido. 23Eles não sabiam que José os entendia, porque havia intérprete entre eles. 24Voltando-se,
42.24
Gn 43.30
45.14-15
chorou; depois, tornou a eles, e lhes falou, e,
42.24
Gn 43.14,23
tirando a Simeão, o ligou na presença deles. 25
42.25
Gn 44.1
José ordenou que lhes enchessem de trigo os sacos, e repusessem o dinheiro de cada um no seu saco, e lhes dessem provisões para o caminho; assim lhes foi feito.

Os irmãos de José voltam do Egito

26Eles carregaram o trigo sobre os seus jumentos e partiram dali. 27Abrindo um deles o seu saco para dar de comer ao seu jumento na estalagem, deu com o seu dinheiro, pois estava na boca do seu saco. 28E disse a seus irmãos: O meu dinheiro foi restituído; ei-lo aqui está no meu saco. Desfaleceu-lhes o coração e, tremendo, viraram-se uns para os outros, dizendo:

42.28
Gn 43.23
Que é isso que Deus nos fez? 29Vieram a seu pai Jacó, na terra de Canaã, e contaram-lhe tudo o que lhes havia acontecido, dizendo: 30O homem, o senhor da terra, falou conosco asperamente e nos teve por espias da terra. 31Dissemos-lhe: Nós somos
42.31
Gn 42.11
homens retos, não somos espias; 32somos doze irmãos, filhos de nosso pai; um já não existe, e o mais pequeno está hoje com nosso pai, na terra de Canaã. 33Respondeu-nos o homem, o senhor da terra: Nisto conhecerei que sois homens retos: deixai comigo um de vossos irmãos, levai o trigo necessário por causa da fome das vossas casas e ide-vos embora; 34trazei-me vosso irmão mais pequeno, então saberei que não sois espias, mas que sois homens retos. Assim, vos entregarei vosso irmão, e negociareis na terra.

35Aconteceu que, despejando eles os seus sacos, eis

42.35
Gn 43.12,15
que cada um tinha o seu pacote de dinheiro no seu saco; quando eles e seu pai viram os seus pacotes de dinheiro, tiveram medo. 36Então, lhes disse seu pai Jacó: Tendes-me desfilhado; já não existe José, e não existe Simeão, e haveis de levar a Benjamim! É sobre mim que são vindas todas estas coisas! 37Rúben disse a seu pai: Tira a vida a meus dois filhos, se eu to não trouxer; entrega-o a mim, e eu to restituirei. 38Ele, porém, disse: Não descerá meu filho convosco; porque seu irmão é morto e só ele foi deixado; se lhe suceder algum desastre pelo caminho em que fordes,
42.38
Gn 37.35
44.29,31
fareis descer com tristeza as minhas cãs ao Sheol.

Os irmãos de José descem outra vez ao Egito com Benjamim

431A

43.1
Gn 41.56-57
fome era gravíssima na terra. 2Tendo eles acabado de comer o trigo que trouxeram do Egito, disse-lhes seu pai: Voltai, comprai-nos um pouco de mantimento. 3Respondeu-lhe Judá:
43.3
Gn 43.5
44.23
Fortemente nos protestou o homem, dizendo: Não vereis a minha face, se vosso irmão não estiver convosco. 4Se queres enviar conosco nosso irmão, desceremos e te compraremos mantimento; 5mas, se não queres enviá-lo, não desceremos, pois o homem nos disse: Não vereis a minha face, se vosso irmão não estiver convosco. 6Perguntou Israel: Por que me fizestes este mal, fazendo saber ao homem que tínheis outro irmão? 7Responderam eles: O homem perguntou particularmente por nós e pela nossa parentela, dizendo:
43.7
Gn 42.13
43.27
Vive ainda vosso pai? Tendes ainda outro irmão? Respondemos-lhe segundo o teor destas palavras; podíamos, porventura, saber com certeza que ele havia de dizer: Fazei descer vosso irmão? 8Então, disse Judá a Israel, seu pai: Envia o moço comigo, e levantar-nos-emos e iremos;
43.8
Gn 42.2
para que vivamos e não morramos, nem nós, nem tu, nem nossos filhinhos. 9
43.9
Gn 42.37
Eu serei fiador dele, da minha mão o requererás: se eu to não trouxer e o não colocar diante da tua face, serei réu de crime para contigo em todo o tempo. 10Se não nos tivéssemos demorado, certamente, já segunda vez teríamos estado de volta. 11Respondeu-lhes Israel, seu pai: Se é assim, então, fazei isso: tomai dos melhores frutos da terra nas vossas vasilhas e levai ao homem um
43.11
Gn 43.25-26
presente: um pouco de
43.11
Gn 37.25
bálsamo, e um pouco de mel, tragacanto, e ládano, nozes de pistácia, e amêndoas. 12Levai também em vossas mãos dinheiro em dobro;
43.12
Gn 43.21-22
o dinheiro que foi posto na boca dos vossos sacos, tornai a levá-lo em vossas mãos; bem pode ser que fosse engano. 13Levai também vosso irmão, levantai-vos e ide ter com o homem; 14Deus
43.14
Gn 17.1
28.3
35.11
Todo-Poderoso vos
43.14
Sl 106.46
dê misericórdia diante do homem, para que ele vos restitua
43.14
Gn 42.24
vosso irmão Benjamim. Mas, quanto a mim,
43.14
Gn 42.36
se eu ficar sem filhos, sem filhos ficarei. 15Tomaram, pois, os homens
43.15
Gn 43.11
aquele presente, e o dinheiro em dobro, e a Benjamim; levantando-se, desceram ao Egito e apresentaram-se a José.

Os irmãos de José jantam com ele

16Vendo José a Benjamim com eles, disse ao despenseiro de sua casa: Conduze os homens para casa, mata reses e apronta tudo; pois eles hão de comer comigo ao meio-dia. 17Fez o homem como José ordenara e levou os homens para a casa de José. 18Os homens tiveram medo, porque foram levados à casa de José; e disseram: É por causa do dinheiro que da outra vez foi reposto em nossos sacos que somos trazidos aqui, para nos assaltar, e cair sobre nós, e reduzir-nos à escravidão, tanto a nós como aos nossos jumentos. 19Tendo-se chegado ao despenseiro da casa de José, disseram-lhe à porta da casa: 20Senhor meu, na verdade, descemos dantes a comprar mantimento; 21quando chegamos à estalagem, abrimos os nossos sacos, e eis

43.21
Gn 42.35
que o dinheiro de cada um estava na boca do seu saco, nosso dinheiro por seu peso;
43.21
Gn 43.12,15
tornamos a trazê-lo em nossas mãos. 22Outro dinheiro trouxemos em nossas mãos para comprarmos mantimento; não sabemos quem tenha posto o nosso dinheiro em nossos sacos. 23Ele disse: Paz seja convosco, não temais;
43.23
Gn 42.28
o vosso Deus e o Deus de vossos pais deu-vos um tesouro nos vossos sacos; o vosso dinheiro chegou a mim.
43.23
Gn 42.24
Ele lhes trouxe fora Simeão. 24Então, os conduziu para a casa de José e
43.24
Gn 18.4
19.2
24.32
deu-lhes água, e eles lavaram os pés; também deu de comer aos jumentos deles. 25Eles prepararam o
43.25
Gn 43.11,15
presente para quando José viesse ao meio-dia, pois ouviram que ali haviam de comer.

26Tendo José entrado em casa, trouxeram-lhe para dentro o presente que tinham nas suas mãos e

43.26
Gn 37.7,10
prostraram-se perante ele com o rosto em terra. 27Ele lhes perguntou como estavam e disse:
43.27
Gn 43.7
Gn 45.3
Vai bem vosso pai, o velho de quem me falastes? Ainda vive? 28Responderam eles: Vai bem o teu servo, nosso pai; ele ainda vive.
43.28
Gn 37.7,10
E inclinaram as cabeças e prostraram-se. 29José levantou os olhos, e viu a Benjamim, seu irmão, filho de sua mãe, e perguntou: Este é o
43.29
Gn 42.13
vosso irmão mais pequeno, de quem me falastes? E disse:
43.29
Nm 6.25
Sl 67.1
Deus se compadeça de ti, meu filho. 30José apressou-se, porque se lhe comoveram as entranhas por causa de seu irmão. Procurou onde chorar e, entrando na sua câmara,
43.30
Gn 42.24
45.2,14-15
46.29
chorou ali. 31Tendo lavado o rosto, saiu; e
43.31
Gn 45.1
conteve-se e disse: Ponde a comida na mesa. 32Serviram-lhe a ele à parte, e a eles também, à parte, e, à parte, aos egípcios que comiam com ele; os egípcios não podiam comer com os hebreus, porquanto é isso
43.32
Gn 46.34
abominação aos egípcios. 33Sentaram-se diante dele,
43.33
Gn 42.7
o primogênito segundo a sua primogenitura, e o mais moço segundo a sua mocidade; e os homens se maravilharam entre si. 34Enviou-lhes as porções que estavam diante dele; mas
43.34
Gn 35.24
a porção de Benjamim era cinco vezes maior do que qualquer porção deles. Eles beberam e se regalaram com ele.