Tradução Brasileira (2010) (TB)

José, na prisão, interpreta dois sonhos

401Depois destas coisas, o

40.1
Gn 40.11,13
copeiro do rei do Egito e o seu padeiro ofenderam ao seu senhor, o rei do Egito. 2Indignou-se Faraó contra os seus dois oficiais, contra o padeiro-mor e contra o copeiro-mor. 3Mandou detê-los na casa do
40.3
Gn 39.1-20
capitão da guarda, no cárcere, no lugar onde José estava preso. 4O capitão da guarda deu a José o cargo deles; e estiveram por algum tempo em detenção. 5Tiveram ambos um sonho, cada qual o seu sonho numa só noite, cada qual segundo a interpretação do seu sonho, o copeiro e o padeiro do rei do Egito, que se achavam presos na casa do cárcere. 6Pela manhã, entrou José a eles e os viu, e eis que estavam turbados. 7Perguntou, pois, aos oficiais de Faraó, que com ele estavam detidos na casa do seu senhor:
40.7
Ne 2.2
Por que estão hoje tão tristes os vossos semblantes? 8Responderam-lhe:
40.8
Gn 41.15
Tivemos um sonho e não há quem o possa interpretar. Disse-lhes José:
40.8
Gn 41.16
Dn 2.27-28
Porventura, não pertencem a Deus as interpretações? Contai-mo.

O sonho do copeiro-mor

9O copeiro-mor contou o seu sonho a José e lhe disse: Eis que, em meu sonho, havia uma vide diante de mim, 10e, na vide, três varas. Ao brotar a vide, saíram as suas flores, e produziram os seus cachos uvas maduras. 11O copo de Faraó estava na minha mão; e, tomando as uvas, espremi-as no copo de Faraó e entreguei-o a Faraó. 12Respondeu José: Esta é a interpretação do sonho: as três varas são três dias; 13dentro ainda de três dias, levantará Faraó a tua cabeça e te restituirá ao teu cargo; darás o copo de Faraó na sua mão, conforme o costume antigo, quando eras o seu copeiro. 14Porém, lembra-te de mim quando te for bem, e usa para comigo de compaixão, faze menção de mim a Faraó, e tira-me desta casa. 15Pois, na verdade,

40.15
Gn 37.26-28
fui roubado da terra dos hebreus; e também aqui nada tenho feito para que me pusessem na masmorra.

O sonho do padeiro-mor

16Vendo o padeiro-mor que a interpretação era boa, disse a José: Eu também sonhei, e eis que três cestos de pão branco estavam sobre a minha cabeça. 17No cesto mais alto havia para Faraó manjares de todas as qualidades que fazem os padeiros; as aves comiam-nos do cesto que estava sobre a minha cabeça. 18Respondeu-lhe José: Esta é a interpretação do sonho: os três cestos são três dias; 19dentro ainda de três dias, te tirará Faraó a cabeça e te suspenderá num madeiro; e as aves te comerão as carnes. 20Ao terceiro dia, que era o dia natalício de Faraó, deu este um banquete a todos os seus servos.

40.20
2Rs 25.27
Jr 52.31
Levantou a cabeça do copeiro-mor e a cabeça do padeiro-mor, no meio de seus servos. 21Restituiu ao copeiro-mor o seu cargo de copeiro,
40.21
Gn 40.13
para que entregasse o copo a Faraó, 22mas
40.22
Gn 40.19
enforcou ao padeiro-mor, como José lhes havia interpretado. 23Contudo, o copeiro-mor não se lembrou de José, porém dele se esqueceu.