Tradução Brasileira (2010) (TB)

Morte e sepultura de Sara

231Foi a vida de Sara cento e vinte e sete anos; estes foram os anos da vida de Sara. 2Morrendo Sara em

23.2
Js 14.15
15.13
21.11
Quiriate-Arba, que é Hebrom, na terra de Canaã, veio Abraão para carpi-la e chorar por ela. 3Depois de se levantar de diante da sua falecida mulher, disse aos filhos de
23.3
Gn 10.15
15.20
Hete: 4
23.4
Lv 25.23
1Cr 29.15
Sl 39.12
Hb 11.9,13
Peregrino e forasteiro sou entre vós. Dai-me entre vós a posse dum lugar de sepultura, para que eu sepulte o meu defunto de diante da minha face. 5Responderam-lhe os filhos de Hete: 6Ouve-nos, meu senhor. Tu és
23.6
Gn 14.14
20.7
príncipe de Deus entre nós; enterra na melhor de nossas sepulturas o teu defunto; nenhum de nós te vedará a sua sepultura, para enterrares o teu defunto. 7Levantou-se Abraão e fez reverência ao povo da terra, aos filhos de Hete. 8Falou com eles, dizendo: Se é do vosso agrado que eu sepulte o meu defunto de diante da minha face, ouvi-me e intercedei por mim junto a
23.8
Gn 25.9
Efrom, filho de Zoar, 9para que ele me dê a cova de Macpela, que tem no fim do seu campo; que ma dê pelo preço justo para uma posse entre vós de um lugar de sepultura. 10Ora, Efrom estava sentado no meio dos filhos de Hete; respondeu Efrom, o heteu, a Abraão, ouvindo-o os filhos de Hete, a saber,
23.10
Gn 23.18
34.20,24
Rt 4.1,11
todos os que entravam pela porta da sua cidade: 11De nenhuma sorte, meu senhor, ouve-me. O campo te dou, também te dou a cova que nele está; na presença dos filhos do meu povo, te dou; sepulta o teu defunto. 12Abraão fez uma reverência diante do povo da terra. 13E disse a Efrom, aos ouvidos do povo da terra: Mas, se te agrada, ouve-me. Darei o preço do campo; toma-o de mim, e ali sepultarei o meu defunto. 14Respondeu-lhe Efrom: 15Meu senhor, ouve-me. Um terreno que vale quatrocentos
23.15
Êx 30.13
siclos de prata! Que é isso entre mim e ti? Sepulta ali o teu defunto. 16Abraão ouviu a Efrom; e
23.16
2Sm 14.26
Jr 32.9
Zc 11.12
pesou-lhe a prata de que este tinha falado aos ouvidos dos filhos de Hete, quatrocentos siclos de prata, moeda corrente entre os mercadores.

17Assim,

23.17
Gn 25.9
49.29-30
50.13
o campo de Efrom, que estava em Macpela, em frente de Manre, o campo e a cova que nele havia e todas as árvores que no campo havia, por todos os seus limites ao redor, se confirmaram 18a Abraão como posse
23.18
Gn 23.10
na presença dos filhos de Hete, a saber, de todos os que entravam pela porta da sua cidade. 19Depois, sepultou Abraão a Sara, sua mulher, na cova do campo de Macpela, em frente de Manre (esta é Hebrom), na terra de Canaã. 20Assim, o campo e a cova que nele estava foram confirmados a Abraão pelos filhos de Hete, para posse de um lugar de sepultura.

Como Isaque recebeu a Rebeca por mulher

241Abraão era velho e de idade avançada; e Jeová o

24.1
Gn 24.35
Gn 12.2
tinha, em tudo, abençoado. 2Abraão disse ao seu servo, o mais antigo da sua casa, que tinha o governo sobre tudo o que possuía:
24.2
Gn 47.29
Põe a tua mão por baixo da minha coxa, 3e te farei jurar por Jeová,
24.3
Gn 14.19,22
Deus do céu e da terra, que não tomarás mulher para meu filho das filhas
24.3
Gn 10.18-19
26.34-35
28.1-2,8
dos cananeus, entre os quais habito; 4mas irás à
24.4
Gn 12.1
Hb 11.15
minha terra e à minha parentela e daí tomarás mulher para meu filho Isaque. 5Perguntou-lhe o servo: Porventura, a mulher não quererá seguir-me para esta terra; farei, pois, tornar teu filho para a terra donde saíste? 6Respondeu-lhe Abraão:
24.6
Gn 24.8
Guarda-te, não faças tornar para lá meu filho. 7
24.7
Gn 24.3
Jeová, Deus do céu, que me tirou da casa de meu pai e da terra do meu nascimento, e que me falou, e jurou, dizendo:
24.7
Gn 12.7
13.15
15.18
À tua semente darei esta terra; ele enviará
24.7
Gn 16.7
21.17
22.11
Êx 23.20,23
o seu anjo diante de ti, e tomarás dali mulher para meu filho. 8Se a mulher não quiser seguir-te, serás livre deste teu juramento;
24.8
Gn 24.6
somente não farás tornar para lá meu filho. 9Então,
24.9
Gn 24.2
pôs o servo a mão por baixo da coxa de Abraão, seu senhor, e sobre esta palavra prestou-lhe juramento.

10Tomou o servo dez camelos dos camelos de seu senhor e partiu, tendo na sua mão

24.10
Gn 24.22,53
todos os bens de seu senhor; levantou-se e foi à Mesopotâmia,
24.10
Gn 11.31-32
à cidade de Naor. 11Fez ajoelhar os camelos fora da cidade, junto
24.11
Gn 24.42
ao poço de água, à hora da tarde
24.11
1Sm 9.11
em que as mulheres saem para tirar água. 12E disse:
24.12
Gn 24.27,42,48
Ó Jeová, Deus do meu senhor Abraão,
24.12
Gn 27.20
rogo-te que me acudas hoje e uses de benevolência para com o meu senhor Abraão. 13Eis
24.13
Gn 24.43
que estou em pé junto à fonte de água, e as filhas dos homens desta cidade estão saindo para tirar água. 14A donzela a quem eu disser: Abaixa o teu cântaro, para que eu beba, e que responder: Bebe, e também darei de beber aos teus camelos, seja a que destinaste para o teu servo Isaque. Por isso, conhecerei que usaste de benevolência para com o meu senhor. 15
24.15
Gn 24.45
Antes que tivesse ele acabado de falar, saiu
24.15
Gn 22.20,23
Rebeca, filha de Betuel, filho de Milca, mulher de Naor, irmão de Abraão, levando sobre o ombro o seu cântaro. 16A donzela era
24.16
Gn 12.11
29.17
muito formosa à vista, virgem a quem homem nenhum havia conhecido; ela desceu à fonte, encheu o seu cântaro e subiu. 17O servo correu-lhe ao encontro e disse: Rogo-te me dês de beber um pouco de água do teu cântaro. 18
24.18
Gn 24.14,46
Respondeu ela: Bebe, meu senhor. Apressou-se, desceu o seu cântaro sobre a mão e deu-lhe de beber. 19Quando ela tinha acabado de lhe dar de beber,
24.19
Gn 24.14
disse: E também para os teus camelos tirarei água, até que acabem de beber. 20Apressou-se, vazou o seu cântaro no tanque, correu outra vez ao poço para tirar água e tirou para todos os camelos dele. 21
24.21
Gn 24.12-14,27,52
O homem a contemplava atentamente, em silêncio, para saber se Jeová havia tornado próspera a sua jornada ou não. 22Depois que os camelos acabaram de beber, tomou o homem um
24.22
Gn 24.47
pendente de ouro de meio siclo de peso e duas pulseiras para as mãos dela, do peso de dez siclos de ouro; 23e perguntou: De quem és filha? Rogo-te que mo digas. Há lugar em casa de teu pai para nós pousarmos? 24Respondeu-lhe ela:
24.24
Gn 24.15
Sou filha de Betuel, filho de Milca, o qual ela deu à luz a Naor. 25Disse-lhe mais: Temos também palha, e pasto bastante, e lugar para pousar. 26Então,
24.26
Gn 24.48,52
se prostrou o homem e adorou a Jeová. 27E disse:
24.27
Gn 24.12,42,48
Bendito seja Jeová, Deus do meu senhor Abraão, que não retirou do meu senhor a sua benevolência e a sua verdade; Quanto a mim,
24.27
Gn 24.21
Jeová guiou-me no caminho à casa dos irmãos do meu senhor.

28A

24.28
Gn 29.12
donzela correu e relatou aos da casa de sua mãe estas coisas. 29Ora, Rebeca tinha um irmão que se chamava
24.29
Gn 29.13
Labão; ele correu ao encontro do homem até a fonte. 30Quando viu o pendente e as pulseiras sobre as mãos de sua irmã e ouviu as palavras de Rebeca, sua irmã, que dizia: Assim me falou o homem; foi ter com ele. Eis que estava ele em pé junto à fonte e aos camelos. 31Labão disse:
24.31
Gn 29.14
Entra, bendito de Jeová; por que estás da parte de fora? Pois
24.31
Gn 18.3-5
19.2-3
eu tenho preparado a casa e lugar para os camelos. 32Então, o homem entrou na casa, e desapertou os camelos; deu palha e pasto para os camelos, e água para lavar os pés dele e dos homens que com ele estavam. 33Diante dele puseram comida; porém ele disse: Eu não comerei até que tenha dito o meu negócio. Labão respondeu-lhe: Dize. 34Então, disse: Eu sou
24.34
Gn 24.2
servo de Abraão. 35
24.35
Gn 24.1
Jeová tem abençoado muito ao meu senhor, o qual se tem engrandecido; deu-lhe
24.35
Gn 13.2
rebanhos e gado, prata e ouro, escravos e escravas, camelos e jumentos. 36
24.36
Gn 21.1-7
Sara, mulher do meu senhor, sendo já velha, deu à luz um filho; e a
24.36
Gn 25.5
este deu ele tudo quanto tem. 37
24.37
Gn 24.2-4
O meu senhor fez-me jurar, dizendo: Não tomarás mulher para meu filho das filhas dos cananeus, em cuja terra habito; 38mas irás à casa de meu pai e à minha parentela e tomarás mulher para meu filho. 39
24.39
Gn 24.5
Respondi ao meu senhor: Porventura, a mulher não me seguirá. 40Ele me disse:
24.40
Gn 24.7
Jeová, diante de quem ando, enviará o seu Anjo contigo e tornará próspero o teu caminho; e da minha parentela e da casa de meu pai tomarás mulher para meu filho. 41
24.41
Gn 24.8
Então, serás livre do meu juramento, quando fores ter com a minha parentela; e, se não ta derem, livre serás do meu juramento. 42Cheguei,
24.42
Gn 24.11-12
pois, hoje, à fonte e disse: Ó Jeová, Deus do meu senhor Abraão, se é assim que tornas próspero o caminho que eu sigo; 43eis
24.43
Gn 24.13
que estou em pé junto à fonte de água. A donzela que sair para tirar água, a quem eu disser:
24.43
Gn 24.14
Dá-me de beber um pouco de água do teu cântaro, 44e que me responder: Bebe tu, e também tirarei água para os teus camelos, seja a mulher que Jeová destinou para o filho do meu senhor. 45Antes que eu tivesse acabado
24.45
1Sm 1.13
de falar comigo mesmo,
24.45
Gn 24.15
saiu Rebeca levando sobre o ombro o seu cântaro. Ela desceu à fonte e tirou água, e
24.45
Gn 24.17
eu lhe disse: Rogo-te que me dês de beber. 46Ela apressou-se, baixou do ombro o cântaro e disse:
24.46
Gn 24.18
Bebe, e darei de beber aos teus camelos. Assim, bebi, e ela também deu de beber aos camelos. 47
24.47
Gn 24.23-24
Perguntei-lhe: De quem és filha? Respondeu ela: Sou filha de Betuel, filho de Naor, o qual lhe deu à luz Milca. Então, eu pus o pendente em seu nariz e as pulseiras, em suas mãos. 48Prostrei-
24.48
Gn 24.26,52
me, e adorei a Jeová, e bendisse a Jeová, Deus do meu senhor Abraão,
24.48
Gn 24.27
que me havia conduzido por um caminho direito para tomar para seu filho a filha do parente do meu senhor. 49Agora, se vós
24.49
Gn 47.29
Js 2.14
haveis de usar de benevolência e de verdade para com o meu senhor, declarai-mo; e, se não, declarai-mo; para que eu vá ou para a direita ou para a esquerda.

50Então, responderam Labão e Betuel: De Jeová procede este negócio;

24.50
Gn 31.24,29
nós não podemos falar-te coisa nenhuma. 51Eis que Rebeca está diante de ti, toma-a e vai-te, e seja ela a mulher do filho do teu senhor, conforme disse Jeová. 52Quando o servo de Abraão ouviu as palavras deles,
24.52
Gn 24.26,48
prostrou-se em terra diante de Jeová. 53Tirou o servo
24.53
Gn 24.10,22
joias de ouro e de prata e vestidos, e deu-os a Rebeca; também deu coisas preciosas a seu irmão e a sua mãe. 54Então, comeram, e beberam, ele e os homens que estavam com ele, e passaram a noite. Quando se levantaram de manhã, disse o servo:
24.54
Gn 24.56
Gn 30.25
Deixai-me ir ao meu senhor. 55Disseram o irmão e a mãe da donzela:
24.55
Jz 19.4
Fique ela conosco alguns dias, ao menos dez; e, depois, irá. 56Ele, porém, lhes respondeu: Não me detenhais, visto que Jeová tornou próspero o meu caminho; deixai-me ir para que eu vá ter com o meu senhor. 57E disseram: Chamaremos a donzela e saberemos a sua vontade. 58Chamaram, pois, a Rebeca e perguntaram-lhe: Queres ir com este homem? Respondeu ela: Irei. 59Então, despediram a Rebeca, sua irmã, e
24.59
Gn 35.8
a ama dela, e o servo de Abraão, e seus homens. 60Abençoaram a Rebeca e disseram-lhe: Irmã nossa, sê tu a
24.60
Gn 17.16
mãe de milhares de miríades, e
24.60
Gn 22.17
possua a tua semente a porta dos que te aborrecem.

61Levantou-se Rebeca com suas moças, e, montando nos camelos, seguiram o homem. O servo tomou a Rebeca e partiu. 62Ora, Isaque tinha vindo do caminho de

24.62
Gn 16.14
25.11
Beer-Laai-Roi; pois habitava na terra do
24.62
Gn 20.1
Neguebe. 63Saíra Isaque a
24.63
Sl 119.15,27,48
143.5
145.5
meditar no campo à tarde;
24.63
Gn 18.2
levantando os olhos, viu, e eis que vinham camelos. 64Rebeca também levantou os olhos e, quando viu a Isaque, desceu do camelo. 65Perguntou ela ao servo: Quem é aquele homem que vem pelo campo ao nosso encontro? Respondeu o servo: É meu senhor. Ela tomou o seu véu e se cobriu. 66O servo relatou a Isaque tudo o que havia feito. 67Isaque trouxe a Rebeca para a tenda de Sara, sua mãe, e tomou-a, e ela lhe foi por mulher.
24.67
Gn 29.18
Ele a amou. Assim, Isaque foi consolado depois
24.67
Gn 23.1-2
25.20
da morte de sua mãe.

25

Morte de Abraão

251Abraão tomou outra mulher, que se chamava Quetura. 2

25.2
1Cr 1.32-33
Ela lhe deu à luz a Zinrã, Jocsã, Medã, Midiã, Jisbaque e Sua. 3Jocsã gerou a Sebá e a Dedã. Os filhos de Dedã foram Assurim, Letusim e Leumim. 4Os filhos de Midiã foram Efá, Éfer, Enoque, Abida e Elda. Todos estes foram os filhos de Quetura. 5
25.5
Gn 24.35-36
Abraão deu a Isaque tudo quanto possuía. 6Porém, deu dádivas aos filhos das concubinas que tinha; e, ainda em vida, os separou de seu filho Isaque, enviando-os ao Oriente, à terra oriental. 7Foram os dias da vida de Abraão
25.7
Gn 12.4
cento e setenta e cinco anos. 8Abraão, exalando o seu espírito, morreu
25.8
Gn 15.15
numa boa velhice, ancião e cheio de dias, e
25.8
Gn 25.17
Gn 35.29
49.29,33
foi reunido ao seu povo. 9Sepultaram-no na
25.9
Gn 23.17-18
cova de Macpela, no campo de Efrom, filho de Zoar, o heteu, que estava em frente de Manre, 10o campo que Abraão havia comprado aos filhos de Hete. Ali foi sepultado Abraão, e Sara, sua mulher. 11Depois da morte de Abraão,
25.11
Gn 12.2-3
22.17
26.3
abençoou Deus a Isaque, seu filho; e habitava Isaque junto a
25.11
Gn 24.62
Beer-Laai-Roi.

Descendentes de Ismael

12Estas são as gerações de

25.12
Gn 16.15
Ismael, filho de Abraão, que Agar, a egípcia, serva de Sara, lhe deu à luz; 13e estes são os nomes
25.13
1Cr 1.29-31
dos filhos de Ismael, pelos seus nomes, segundo as suas gerações: o primogênito de Ismael foi Nebaiote, depois Quedar, Abdeel, Mibsão, 14Misma, Dumá, Massá, 15Hadade, Tema, Jetur, Nafis e Quedemá. 16Estes são os filhos de Ismael, e estes são os seus nomes pelas suas vilas e pelos seus aduares:
25.16
Gn 17.20
doze príncipes segundo as suas nações. 17Estes são os anos da vida de Ismael,
25.17
Gn 16.16
cento e trinta e sete anos; e exalando o seu espírito,
25.17
Gn 25.8
foi reunido ao seu povo. 18Habitaram desde Havilá até
25.18
Gn 20.1
Sur, que está em frente do Egito, como quem vai em direção da Assíria;
25.18
Gn 16.12
Ismael estabeleceu-se diante de todos os seus irmãos.

Os dois filhos de Isaque: Esaú e Jacó

19Estas são as gerações de Isaque, filho de Abraão: Abraão gerou a Isaque; 20e Isaque tinha quarenta anos, quando recebeu por mulher a

25.20
Gn 24.15,29
Rebeca, filha de Betuel, o siro de Padã-Arã, irmão de Labão, o siro. 21Isaque orou instantemente a Jeová por sua mulher, porque ela era estéril;
25.21
Sl 127.3
1Sm 1.17
atendeu Jeová às orações de Isaque, e Rebeca, mulher de Isaque, concebeu. 22Os filhos lutavam no ventre dela; e ela disse: Se é assim, por que vivo eu? E foi consultar a Jeová. 23Respondeu-lhe Jeová:

25.23
Gn 17.4-6,16
Nm 20.14
Dt 2.4,8
Duas nações há no teu ventre,

e dois povos se dividirão das tuas entranhas:

25.23
Gn 27.29
um povo será mais forte que o outro,

25.23
Gn 27.40
Ml 1.2-3
Rm 9.12
e o mais velho servirá ao mais moço.

24Cumpridos que foram os dias para ela dar à luz, eis que gêmeos estavam no seu ventre. 25Saiu o primeiro, ruivo, todo ele como um vestido de pelo; e chamaram-lhe Esaú. 26Depois, saiu seu irmão

25.26
Os 12.3
e agarrava com a mão o calcanhar de Esaú; pelo que foi chamado Jacó. Isaque tinha
25.26
Gn 25.20
sessenta anos, quando Rebeca deu à luz.

Esaú vende o seu direito de primogenitura

27Cresceram os meninos: Esaú saiu perito caçador, homem do campo; e Jacó, homem simples, que habitava em tendas. 28Isaque amava a Esaú, porque comia da sua caça; mas Rebeca amava a Jacó. 29Tendo Jacó feito um

25.29
2Rs 4.38
cozinhado, veio Esaú do campo, muito cansado, 30e disse-lhe: Deixa-me comer uma parte deste cozinhado vermelho, pois estou cansado. Por isso, se chamou Edom. 31Respondeu Jacó: Vende-me hoje o teu
25.31
Dt 21.16-17
1Cr 5.1-2
direito de primogenitura. 32Replicou Esaú: Eis que estou para morrer; que me aproveitará o direito de primogenitura? 33Então, disse Jacó: Jura-me primeiro. Jurou-lhe e
25.33
Hb 12.16
vendeu o seu direito de primogenitura a Jacó. 34Deu Jacó a Esaú pão e o cozinhado de lentilhas; ele comeu, e bebeu e, levantando-se, foi seu caminho. Assim, desprezou Esaú o seu direito de primogenitura.