Tradução Brasileira (2010) (TB)
26

Paulo perante o rei Agripa

261

26.1
cp.
Agripa disse a Paulo: A ti se te permite fazer a tua defesa. Então, Paulo, estendendo a mão, começou a defender-se: 2Julgo-me feliz, ó rei Agripa, por ter de fazer hoje, perante ti, a minha defesa de tudo o que me acusam os judeus, 3mormente porque és versado em todos os
26.3
cp.
costumes e questões que há entre eles; pelo que te rogo que me ouças com paciência. 4
26.4
Gl 1.13Fp 3.5
Quanto à minha vida durante a mocidade, que passei desde o princípio entre o meu povo e em Jerusalém, sabem-na todos os judeus, 5conhecendo-me desde o princípio (se quiserem dar disso testemunho), como vivi
26.5
At 23.6
fariseu
26.5
At 22.3
conforme a
26.5
At 15.5
seita mais severa da nossa religião. 6Agora, estou aqui para ser julgado
26.6
At 28.2024.15
pela esperança da
26.6
At 13.32
promessa feita por Deus a nossos pais, 7a qual as
26.7
cp.
nossas doze tribos, servindo a Deus fervorosamente de noite e de dia, esperam alcançar; por causa dessa esperança, ó rei, sou
26.7
At 26.2
acusado pelos judeus. 8Por que é que se julga entre vós coisa incrível
26.8
cp.
ressuscitar Deus aos mortos? 9Eu,
26.9
1Tm 1.13
Jo 16.2
na verdade, entendia que devia fazer toda a oposição ao
26.9
cp.
nome de Jesus, o Nazareno; 10e assim o
26.10
At 8.3
9.13
fiz em Jerusalém. Tendo
26.10
cp.
recebido autoridade dos principais sacerdotes, eu não somente encarcerei muitos santos, como também
26.10
At 22.20
dei o meu voto contra estes quando os matavam; 11e, muitas vezes,
26.11
At 22.19
Mt 10.17
castigando-os por todas as sinagogas, obrigava-os a blasfemar
26.11
At 9.1
e, enfurecido cada vez mais contra eles, perseguia-os
26.11
At 22.5
até nas cidades estrangeiras. 12Nesse intuito,
26.12
At 26.12-18
At 9.3-8
22.6-11
indo a Damasco com autoridade e comissão dos principais sarcedotes, 13ao meio-dia, ó rei, vi no caminho uma luz do céu, mais brilhante que o sol, a qual resplandeceu em torno de mim e dos que iam comigo. 14
26.14
cp.
Caindo nós por terra, ouvi uma voz que me dizia em
26.14
At 21.40
língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa te é recalcitrar contra os aguilhões. 15Eu perguntei: Quem és, Senhor? Respondeu-me o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. 16Mas levanta-te e
26.16
Ez 2.1
Dn 10.11
fica em pé; pois para isso te apareci a fim de
26.16
At 22.14
te constituir
26.16
Lc 1.2
ministro e
26.16
At 22.15
testemunha das coisas em que me viste e daquelas em que me hei de manifestar, 17
26.17
Jr 1.8,19
livrando-te
26.17
1Cr 16.35At 9.15
do povo e dos gentios, aos quais eu te envio, 18para lhes
26.18
Is 35.5
42.7,16
Ef 5.8
Cl 1.13
1Pe 2.9
abrir os olhos, a fim de que se convertam das
26.18
Jo 1.5
Ef 5.8
Cl 1.121Ts 5.5
1Pe 2.9
trevas à luz e, do poder de
26.18
Mt 4.10
Satanás, a Deus, para que,
26.18
At 20.21
pela fé em mim, recebam
26.18
Lc 24.47
At 2.38
remissão de pecados e
26.18
At 20.32
herança entre os santificados. 19Por isso, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial, 20mas anunciei primeiramente não só
26.20
At 9.19
aos de Damasco e em
26.20
At 9.26-29
22.17-20
Jerusalém e por toda a terra da Judeia, como também
26.20
vd.
aos gentios, que
26.20
At 3.19
se arrependessem e se convertessem a Deus, praticando obras
26.20
Mt 3.8
Lc 3.8
dignas de seu arrependimento. 21Por isso, alguns judeus
26.21
At 21.27,30
me prenderam no templo e procuravam
26.21
At 21.31
matar-me. 22Tendo, pois, obtido socorro da parte de Deus, permaneço até hoje,
26.22
Lc 16.28
dando testemunho tanto a pequenos como a grandes, nada dizendo senão o que os
26.22
At 10.43
24.14
profetas e Moisés disseram haver de acontecer, 23isto é,
26.23
cp.
haver de sofrer o Cristo e que seria
26.23
1Co 15.20,23
Cl 1.18
Ap 1.5
ele o primeiro que, pela ressurreição dos mortos, havia de anunciar
26.23
Lc 2.322Co 4.4
a luz ao povo e aos gentios.

Paulo é interrompido por Festo

24Aduzindo ele essas coisas em sua defesa, disse Festo em alta voz: Estás louco, Paulo!

26.24
Jo 7.152Tm 3.15
As muitas letras tiram-te o juízo. 25Porém Paulo disse: Não estou louco,
26.25
At 23.26
24.3
potentíssimo Festo, mas profiro palavras de verdade e de perfeito juízo. 26Pois dessas coisas
26.26
cp.
tem conhecimento o rei, a quem falo também com franqueza, como persuadido estou de que nada disso lhe é oculto; porque isso não foi feito a um canto. 27Crês, ó rei Agripa, os profetas? Eu sei que crês. 28Agripa disse a Paulo: Com pouco me persuades a fazer-me
26.28
At 11.26
cristão. 29Paulo respondeu: Prouvera a Deus que com pouco ou com muito não somente tu, mas ainda todos os que hoje me ouvem se tornassem tais qual eu sou, menos estas
26.29
At 21.33
cadeias.

Paulo teria sido solto, se não tivesse apelado para César

30

26.30
At 25.23
O rei levantou-se, e também o governador, e Berenice, e os que estavam sentados com eles; 31e, havendo-se retirado, falavam uns com os outros, dizendo:
26.31
At 23.29
Este homem nada tem feito que mereça morte ou prisão. 32Agripa disse a Festo: Ele podia
26.32
At 28.18
ser solto, se não tivesse
26.32
At 25.11
apelado para César.