Tradução Brasileira (2010) (TB)
21

Paulo chega a Tiro

211Depois de

21.1
At 21.1-18
At 16.10
nos apartarmos deles, fizemo-nos à vela, e, indo em
21.1
At 16.11
direitura, chegamos a Cós, no dia seguinte, a Rodes, e, dali, a Pátara; 2e, tendo encontrado um navio que passava para
21.2
At 11.19At 21.3
Fenícia, embarcando nele, seguimos viagem. 3Tendo avistado a
21.3
At 4.36
At 21.16
Chipre, deixando-a à esquerda, navegamos para a
21.3
Mt 4.24
Síria e desembarcamos em
21.3
At 12.20
At 21.7
Tiro; pois
21.3
At 21.2
aí se devia descarregar o navio. 4Tendo achado
21.4
At 21.1611.26
os discípulos, permanecemos aí sete dias; e eles,
21.4
At 21.11
20.23
pelo Espírito, diziam a Paulo que não entrasse em Jerusalém. 5Quando findaram esses dias, partimos e seguimos a nossa viagem,
21.5
At 15.3
acompanhados por todos, com suas mulheres e filhos, até fora da cidade;
21.5
At 9.40
20.36
Lc 22.41
ajoelhados na praia, oramos e, despedindo-nos uns dos outros, 6embarcamos, e eles voltaram
21.6
Jo 19.27
para suas casas.

Paulo em Cesareia

7Concluída a viagem de

21.7
At 12.20
At 21.3
Tiro, chegamos a Ptolemaida; depois de saudarmos
21.7
At 1.15
At 21.17
os irmãos, passamos um dia com eles. 8Partindo no dia seguinte, fomos a
21.8
At 8.40
At 21.16
Cesareia; e, entrando na casa de
21.8
At 6.5
Filipe, o
21.8
Ef 4.11
2Tm 4.5
evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele. 9Este tinha quatro filhas virgens, que
21.9
cp.
profetizavam. 10Demorando-nos ali por muitos dias, desceu da Judeia um profeta chamado
21.10
At 11.28
Ágabo, 11e, vindo ter conosco,
21.11
cp.
tomou a cinta de Paulo, ligou com ela os seus próprios pés e mãos e disse: Isto diz o
21.11
At 8.29
Espírito Santo: Assim os judeus, em Jerusalém,
21.11
At 9.16At 21.33
ligarão o homem a quem pertence esta cinta e
21.11
cp.
o entregarão nas mãos dos gentios. 12Quando ouvimos isso, nós e os daquele lugar rogamos a Paulo que
21.12
At 21.15
não subisse a Jerusalém. 13Então, ele respondeu: Que fazeis chorando e magoando-me o coração? Pois
21.13
At 20.24
eu estou pronto não só para ser ligado, mas até para morrer em Jerusalém
21.13
At 5.41
9.16
pelo nome do Senhor Jesus. 14Como não pudéssemos persuadi-lo, desistimos, dizendo:
21.14
cp.
Faça-se a vontade do Senhor!

Paulo sobe a Jerusalém

15Depois desses dias, tendo feito os preparativos,

21.15
At 21.12
subimos a Jerusalém; 16e alguns
21.16
At 21.4
discípulos foram também conosco de Cesareia, levando consigo um certo Mnasom, de
21.16
At 4.36
At 21.3
Chipre, discípulo antigo, com quem nos deveríamos hospedar.

Paulo chega a Jerusalém

17Tendo nós chegado a Jerusalém,

21.17
At 1.15
At 21.7
os irmãos nos receberam alegremente. 18No dia seguinte, Paulo foi, em nossa companhia, ter com
21.18
At 12.17
Tiago; e estavam presentes
21.18
At 11.30
todos os presbíteros. 19Paulo, tendo-os saudado,
21.19
At 14.27
contou uma por uma as coisas que Deus fizera entre os gentios pelo seu
21.19
cp.
ministério. 20Eles, depois de o ouvir,
21.20
Mt 9.8
glorificaram a Deus e disseram-lhe: Bem vês, irmão, quantos milhares há que têm crido entre os judeus; e todos são
21.20
At 15.1
22.3
Rm 10.2
Gl 1.14
zelosos da Lei 21e têm sido informados a teu respeito de que
21.21
At 21.28
ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a apostatarem de Moisés, dizendo-lhes que
21.21
cp.
não circuncidem seus filhos, nem andem segundo
21.21
At 6.14
os nossos ritos. 22Que se há de fazer, pois? Certamente, saberão que tu és chegado. 23Faze, pois, isto que te vamos dizer: temos quatro homens que
21.23
At 18.18
fizeram voto; 24toma-os,
21.24
At 21.26
At 24.18Jo 11.55
purifica-te com eles e faze a despesa necessária para raparem a cabeça; e saberão todos que não é verdade aquilo de que têm sido informados a teu respeito, mas que andas também retamente, guardando a Lei. 25Mas, quanto aos gentios que têm crido, já escrevemos,
21.25
At 15.19-20,29
ordenando que se abstenham do que é sacrificado aos ídolos, de sangue, de animais sufocados e de fornicação. 26Então, Paulo, tomando aqueles homens, no dia seguinte, purificou-se com eles e
21.26
Nm 6.13
At 24.18
entrou no templo, notificando o cumprimento dos dias da purificação em que cada um deles deveria trazer a oferenda.

Paulo arrastado do templo e preso

27Mas, quando

21.27
cp.
os sete dias estavam findando,
21.27
At 24.1820.19
os judeus vindos da
21.27
At 16.6
Ásia, tendo visto Paulo no templo, alvoroçaram todo o povo e agarraram-no, 28gritando: Israelitas, acudi!
21.28
cp.
Este é o homem que por toda parte prega a todos contra o povo, contra a Lei e contra esse lugar; e, além disso, introduziu gregos no templo e
21.28
At 24.6
Mt 24.15
At 6.13
tem profanado este lugar santo. 29Pois, antes, tinham visto com ele na cidade
21.29
At 20.4
Trófimo, de
21.29
cp.
Éfeso, e julgavam que Paulo o introduzira no templo. 30Alvoroçou-se toda a cidade, e houve ajuntamento do povo; e, agarrando a Paulo,
21.30
At 26.212Rs 11.15
At 16.19
arrastaram-no para fora do templo; e imediatamente foram fechadas as portas. 31Procurando eles matá-lo, o tribuno da
21.31
At 10.1
coorte foi avisado de que toda a Jerusalém estava amotinada; 32e este,
21.32
At 23.27
levando logo soldados e centuriões consigo, correu a eles, os quais, tendo visto ao tribuno e aos soldados, cessaram de espancar a Paulo. 33Então, chegando-se o tribuno, prendeu-o, e ordenou que fosse
21.33
At 20.33At 21.11
22.29
26.29
28.20
2Tm 1.16
2.9
Ef 6.20
acorrentado com
21.33
At 12.6
duas cadeias, e perguntou-lhe quem era e o que tinha feito. 34Na multidão
21.34
At 19.32
uns gritavam de um modo; outros, de outro; e, não podendo, por causa do tumulto, saber a verdade, mandou que Paulo fosse recolhido
21.34
At 21.37
22.24
23.10,16,32
à cidadela. 35Ao chegar às
21.35
At 21.40
escadas, foi ele carregado pelos soldados por causa da violência do povo; 36pois a multidão o seguia, gritando:
21.36
At 22.22Lc 23.18
Jo 19.15
Mata-o!

37Quando Paulo estava para ser recolhido à cidadela, perguntou ao tribuno: É-me permitido dizer-te alguma coisa? Respondeu ele: Sabes grego? 38Porventura, não és tu o

21.38
cp.
egípcio que há tempos sublevou e conduziu
21.38
cp.
ao deserto os quatro mil sicários? 39Paulo, porém, replicou:
21.39
At 22.3
At 9.11
Eu sou judeu, cidadão de Tarso, cidade não insignificante da
21.39
At 6.9
Cilícia; e rogo-te que me permitas falar ao povo. 40Tendo-lho permitido, Paulo, em pé na escada,
21.40
At 12.17
fez sinal ao povo com a mão; e, feito um grande silêncio, falou
21.40
At 22.2
26.14At 1.19
Jo 5.2
em língua hebraica, dizendo:

22

Paulo apresenta a sua defesa

221

22.1
At 7.2
Irmãos e pais, ouvi a minha defesa, que agora vos faço.

2(Quando ouviram que ele lhes falava em

22.2
At 21.40
hebraico, guardaram ainda maior silêncio. E continuou:)

3

22.3
At 2.3-16At 9.1-22
26.9-18
Eu sou
22.3
At 21.39
judeu, nasci em
22.3
At 21.39
At 9.11
Tarso da
22.3
At 21.39
At 6.9
Cilícia, mas criei-me nesta cidade e instruí-me
22.3
Dt 33.3
2Rs 4.38Lc 10.39
aos pés de
22.3
At 5.34
Gamaliel, conforme
22.3
At 26.5
Fp 3.6At 23.6
o rigor da Lei de nossos pais, sendo zeloso para com Deus, assim como
22.3
At 21.20
todos vós o sois no dia de hoje; 4
22.4
At 8.3
At 22.19
e persegui este
22.4
At 9.2
Caminho até a morte, acorrentando e entregando à prisão não só homens, mas também mulheres, 5como são testemunhas
22.5
At 9.1
o sumo sacerdote e todo o
22.5
Lc 22.661Tm 4.14At 5.21
conselho dos anciãos, dos quais
22.5
At 9.2
recebi cartas para
22.5
At 2.29
3.17
13.26
23.1
28.17,21
Rm 9.3
os irmãos e segui para
22.5
At 9.2
Damasco com o fim de trazer algemados a Jerusalém os que também ali se achassem, para que fossem punidos. 6
22.6
At 22.6-11
At 9.3-8
26.12-18
Quando eu ia no caminho, e me aproximava de Damasco, pelo meio-dia, brilhou do céu repentinamente em volta de mim uma grande luz, 7e caí por terra, e ouvi uma voz que me dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? 8Eu perguntei: Quem és tu, Senhor? Respondeu-me ele: Eu sou
22.8
At 26.9
Jesus o Nazareno, a quem tu persegues. 9Os que estavam comigo
22.9
cp.
viram, na verdade, a luz, mas
22.9
cp.
não ouviram as palavras de quem falava comigo. 10Eu perguntei:
22.10
cp.
Que farei, Senhor? O Senhor respondeu-me: Levanta-te e vai a Damasco, e ali se te dirá tudo o que te é ordenado fazer. 11Como eu
22.11
At 9.8
não pudesse ver, por causa da intensidade daquela luz, guiado pela mão daqueles que me acompanhavam, cheguei a Damasco. 12Um homem chamado
22.12
At 9.10
Ananias, temente a Deus segundo a Lei
22.12
cp.
e que tinha bom testemunho de todos os judeus que ali habitavam, 13vindo ter comigo e pondo-se ao meu lado, disse-me: Saulo,
22.13
At 9.17
irmão, recebe a vista.
22.13
At 9.18
Nessa mesma hora, recebendo a vista, olhei para ele. 14Ele disse:
22.14
At 3.13
O Deus de nossos pais
22.14
At 9.15
26.16
te designou de antemão para conhecer a sua vontade,
22.14
At 9.17
26.16
1Co 9.1
15.8
ver
22.14
At 7.52
o Justo e ouvires uma voz da sua boca, 15por que hás de ser sua
22.15
At 23.11
26.16
testemunha para com todos os homens das
22.15
At 22.14
coisas que tens visto e ouvido. 16Agora, por que te demoras?
22.16
At 9.18
Levanta-te, recebe o batismo e
22.16
1Co 6.11
Hb 10.22
At 2.38Ef 5.26
lava os teus pecados,
22.16
At 7.59
invocando o seu nome. 17Tendo eu
22.17
At 9.26
26.20
voltado para Jerusalém, enquanto estava orando no templo,
22.17
At 10.10
veio-me um êxtase, 18e vi aquele que me dizia:
22.18
cp.
Apressa-te e sai logo de Jerusalém, porque não receberão o teu testemunho a meu respeito. 19Eu disse: Senhor, eles sabem que
22.19
At 8.3
At 22.4
eu encarcerava e
22.19
At 26.11
Mt 10.17
açoitava pelas sinagogas os que criam em ti; 20
22.20
At 7.588.1
26.10
quando se derramou o sangue de Estêvão, tua testemunha, eu também estava presente, consentia nisso e guardei as capas daqueles que o matavam. 21Disse-me ele: Vai, porque eu te enviarei para longe,
22.21
cp.
aos gentios.

Paulo não é açoitado, por ser cidadão romano

22Escutaram-no até esta palavra, e levantaram a voz, e disseram:

22.22
At 21.361Ts 2.16
Tira do mundo semelhante homem; pois
22.22
At 25.24
não convém que ele viva. 23Clamando eles e
22.23
cp.
arrojando de si as capas e
22.23
2Sm 16.13
lançando pó para o ar, 24o tribuno mandou recolher a Paulo
22.24
At 21.34
à cidadela, ordenando que fosse
22.24
At 22.29
interrogado debaixo de açoites, para se saber por que motivo clamavam assim contra ele. 25Depois de estendido para receber os açoites, perguntou Paulo ao centurião que estava presente: É permitido açoitardes um
22.25
At 16.37
romano e que não foi condenado? 26O centurião, tendo ouvido isso, foi ter com o tribuno e disse-lhe: Que vais fazer? Pois este homem é romano. 27Vindo o tribuno, perguntou a Paulo: Dize-me, és tu romano? Respondeu ele: Sou. 28O tribuno disse: Eu adquiri esse direito de cidadão por grande soma de dinheiro. Paulo declarou então: Pois eu o sou de nascimento. 29Aqueles, pois, que o
22.29
At 22.24
iam interrogar apartaram-se logo dele; o tribuno também ficou
22.29
At 16.38
receoso, quando soube que Paulo era romano e porque o mandara
22.29
At 22.24
acorrentar.

A reunião do Sinédrio

30No dia seguinte,

22.30
At 23.28
querendo saber com certeza a causa por que ele era acusado pelos judeus,
22.30
cp.
soltou-o, e ordenou que se reunissem os principais sacerdotes e todo o
22.30
Mt 5.22
Sinédrio, e, mandando trazer Paulo, apresentou-o diante deles.

23

Paulo perante o Sinédrio

231Paulo, fixando os olhos no

23.1
At 22.30
At 23.6,15,20,28
Sinédrio, disse:
23.1
At 22.5
Irmãos,
23.1
At 24.16
2Co 1.12
2Tm 1.3
eu me tenho portado diante de Deus com toda a boa consciência até o dia de hoje. 2
23.2
At 24.1
Ananias, sumo sacerdote, mandou aos que estavam ao lado de Paulo que
23.2
cp.
lhe dessem na boca. 3Então, Paulo lhe disse: Deus te ferirá,
23.3
Mt 23.27
parede branqueada;
23.3
Lv 19.15
Dt 25.2Jo 7.51
tu estás aí sentado para me julgar segundo a Lei e, contra a Lei, mandas que eu seja ferido. 4Os que estavam ali perguntaram: Injurias tu o sumo sacerdote de Deus? 5Respondeu Paulo: Eu não sabia, irmãos, que ele era sumo sacerdote; porque escrito está:
23.5
Êx 22.28
Não falarás mal do chefe do teu povo. 6Paulo, sabendo que uma parte pertencia aos
23.6
Mt 22.233.7
saduceus, e a outra, aos fariseus, clamou no Sinédrio: Irmãos,
23.6
At 26.5
Fp 3.5
eu sou fariseu, filho de fariseus; por causa da
23.6
At 24.15,21
26.8
esperança e da ressurreição dos mortos é que eu estou sendo julgado. 7Dizendo isso, houve dissensão entre os fariseus e saduceus, e a multidão dividiu-se. 8Pois
23.8
Mt 22.233.7
os saduceus dizem que não há ressurreição, e que não há anjos nem espíritos, mas os fariseus confessam uma e outra coisa. 9Suscitou-se grande clamor, e, levantando-se alguns
23.9
Mc 2.16
Lc 5.30
escribas do partido dos fariseus, altercavam, dizendo:
23.9
cp.
Não achamos neste homem mal algum;
23.9
cp.
e quem sabe se lhe falou algum espírito ou algum anjo? 10Tornando-se grande a dissensão, o tribuno, temendo que Paulo fosse despedaçado pelo povo, mandou que os soldados descessem, e o tirassem do meio deles, e o levassem para a
23.10
At 21.34
At 23.16,32
cidadela.

O Senhor aparece a Paulo

11Na

23.11
cp.
noite seguinte, o Senhor, pondo-se ao lado dele, disse:
23.11
Mt 9.2
Tem bom ânimo! Pois
23.11
cp.
assim como
23.11
At 28.23
Lc 16.28
deste testemunho de mim em Jerusalém, assim importa também que o dês em Roma.

A cilada dos judeus

12Quando amanheceu,

23.12
At 23.30At 9.23
1Ts 2.16
os judeus coligaram-se e
23.12
At 23.14,21
juraram, sob pena de anátema, que não comeriam, nem beberiam, enquanto não matassem a Paulo. 13Os que fizeram esta conjuração eram mais de quarenta; 14e estes, indo ter com os principais sacerdotes e os anciãos, disseram: Juramos, sob pena de anátema, não provar coisa alguma, enquanto não matássemos a Paulo. 15Agora, vós, com o
23.15
At 22.30
At 23.1,6,20,28
Sinédrio, notificai ao tribuno que vo-lo apresente, como se houvesse de investigar com mais precisão a sua causa; e nós, antes que ele chegue, estamos prontos para o matar. 16Mas o filho da irmã de Paulo, sabendo da cilada, foi, entrou na
23.16
At 21.34
At 23.10,32
cidadela e avisou a Paulo. 17Então, Paulo, chamando um dos centuriões, disse: Leva este moço ao tribuno, porque tem alguma coisa a comunicar-lhe. 18Assim, pois, tomando-o ele consigo, levou-o ao tribuno e disse:
23.18
Ef 3.1
O preso Paulo, chamando-me, pediu que eu trouxesse à tua presença este moço que tem alguma coisa que dizer-te. 19O tribuno, tomando-o pela mão e retirando-se à parte, perguntou-lhe em particular: Que é o que tens a comunicar-me? 20Respondeu ele:
23.20
At 23.14
Os judeus combinaram rogar-te que amanhã apresentes Paulo ao Sinédrio, como se houvesse de inquirir com mais precisão alguma coisa a seu respeito. 21Tu, pois, não te deixes persuadir por eles; porque mais de quarenta homens dentre eles
23.21
Lc 11.54
lhe armam ciladas, os quais
23.21
At 23.12,14
juraram, sob pena de anátema, não comer, nem beber, enquanto o não matarem; e, agora, estão prontos, esperando a tua promessa. 22O tribuno, pois, despediu o moço, recomendando-lhe que a ninguém dissesse que o havia informado disso. 23Chamando dois centuriões, disse: Tende prontos, desde a hora terceira da noite, duzentos soldados de infantaria, setenta de cavalaria e duzentos lanceiros, para irem até
23.23
At 8.40
At 23.33
Cesareia; 24e ordenou-lhes que aprontassem animais, para que Paulo montasse, e que o levassem, salvo, ao
23.24
At 23.26,33
At 24.1,3,10
25.14
governador Félix, 25a quem escreveu uma carta nestes termos:

Carta de Cláudio a Félix

26Cláudio Lísias ao

23.26
At 24.3
26.25Lc 1.3
potentíssimo governador Félix,
23.26
At 15.23
saúde. 27Este homem foi preso pelos judeus
23.27
At 21.32
e estava prestes a ser morto por eles, quando
23.27
At 21.32
eu, sobrevindo com a tropa, o livrei,
23.27
cp.
ao saber que era romano. 28
23.28
At 22.30
Querendo saber a causa por que o acusavam,
23.28
cp.
levei-o ao
23.28
At 22.30
At 23.1,6,15,20
Sinédrio; 29e achei que era acusado de
23.29
At 18.1525.19
questões da lei deles, mas que
23.29
At 25.25
26.31
28.18At 23.9
não havia acusação alguma que merecesse morte ou prisão. 30Sendo eu
23.30
At 23.20
informado de que haveria uma
23.30
At 23.12
At 9.24
cilada contra este homem, envio-to sem demora, intimando também
23.30
At 23.35At 24.19
25.16
aos acusadores que digam perante ti o que há contra ele.

Paulo no Pretório de Herodes

31Os soldados, pois, conforme lhes fora ordenado, tomaram a Paulo e conduziram-no de noite a Antipátride; 32e, no dia seguinte, voltaram para

23.32
At 23.10
a cidadela, deixando os soldados de
23.32
At 23.23
cavalaria para o acompanhar; 33os quais, chegando a
23.33
At 8.40
At 23.23
Cesareia, entregaram a carta
23.33
At 23.24,26
At 24.1,3,10
25.14
ao governador e apresentaram-lhe também Paulo. 34Ele, depois de a ler e perguntar de que
23.34
At 25.1
província era, e sabendo que
23.34
At 21.396.9
era, da Cilícia, disse: 35Ouvir-te-ei, quando chegarem os teus
23.35
At 23.30At 24.19
25.16
acusadores; e mandou que fosse
23.35
cp.
retido no Pretório de Herodes.