Tradução Brasileira (2010) (TB)
17

Paulo e Silas em Tessalônica

171Tendo passado por Anfípolis e Apolônia, chegaram a

17.1
At 17.11,13
At 27.2
Fp 4.16
2Tm 4.10At 20.4
1Ts 1.1
2Ts 1.1
Tessalônica, onde havia uma sinagoga de judeus. 2Paulo,
17.2
At 9.20
At 17.10,17
segundo o seu costume, ali entrou e, por três
17.2
At 13.14
sábados, discutiu com eles, tirando argumentos das
17.2
At 8.35
Escrituras, 3expondo e demonstrando
17.3
At 3.18
ser necessário que o Cristo padecesse
17.3
Jo 20.9
e ressurgisse dentre os mortos.
17.3
At 9.22
18.5,28
Este Jesus, que eu vos anuncio, dizia ele, é o Cristo. 4
17.4
At 14.4
Alguns deles ficaram persuadidos e se associaram com
17.4
At 17.10
At 15.40
At 15.22
At 17.14
Paulo e Silas, bem como uma grande multidão de
17.4
Jo 7.35
gregos
17.4
At 17.17
At 13.43
devotos e não poucas
17.4
At 13.50
mulheres de qualidade. 5Porém
17.5
At 17.13
1Ts 2.16
os judeus, movidos de inveja, tomando consigo alguns homens maus dentre o vulgacho e ajuntando a turba, amotinaram a cidade e, assaltando a casa de
17.5
At 17.6-7,9
Rm 16.21
Jasom, procuravam-nos para os entregar ao povo. 6Porém, não os achando,
17.6
cp.
levaram a Jasom e alguns irmãos à presença das autoridades da cidade, clamando: Estes que têm transtornado
17.6
At 17.31
Mt 24.14
o mundo chegaram também aqui, 7aos quais Jasom
17.7
cp.
recolheu. Todos eles vão
17.7
Lc 23.2
de encontro aos decretos de César, dizendo haver outro rei, que é Jesus. 8Ao ouvirem isso, ficaram perturbadas a multidão e as autoridades da cidade; 9e, tendo
17.9
At 17.5
Jasom e os mais prestado fiança, foram soltos.

Paulo e Silas em Bereia

10Logo pela noite,

17.10
At 17.6,14At 1.15
os irmãos enviaram a
17.10
At 17.4
Paulo e Silas para
17.10
At 17.13
At 20.4
Bereia; e, tendo eles aí chegado, foram
17.10
At 17.2
à sinagoga dos judeus. 11Ora, estes eram mais nobres do que os de
17.11
At 17.1
Tessalônica, porque receberam a palavra com toda a avidez, indagando diariamente nas Escrituras se essas coisas eram assim. 12
17.12
At 2.47
Muitos deles creram, bem como não poucas
17.12
At 13.50
mulheres gregas
17.12
Mc 15.43
de boa posição e homens. 13Quando os judeus de Tessalônica souberam que também em
17.13
At 17.10
At 20.4
Bereia era anunciada por Paulo a palavra de Deus, foram lá excitar e perturbar o povo. 14Então,
17.14
At 17.6,10
At 1.15
os irmãos fizeram logo sair a Paulo para que fosse até o mar. Porém
17.14
At 17.4,10
At 15.22
Silas e
17.14
At 16.1
Timóteo ficaram ali. 15
17.15
cp.
Os que conduziam a Paulo levaram-no até
17.15
At 17.16,21At 18.1
1Ts 3.1
Atenas e, tendo eles recebido ordem para comunicar a
17.15
At 17.14
Silas e Timóteo que
17.15
At 18.5
fossem ter com ele o mais depressa possível, partiram.

O discurso de Paulo em Atenas

16Enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito revoltava-se dentro de si mesmo, vendo a cidade cheia de ídolos. 17Assim,

17.17
At 9.20At 17.2
na sinagoga, discutia ele com os judeus e
17.17
At 17.4
com os que temiam a Deus e, na praça, todos os dias, discutia com os que ali se achavam. 18Mas alguns filósofos epicureus e estoicos contendiam com ele, e uns diziam: Que quererá dizer
17.18
cp.
este paroleiro? E outros: Parece ser proclamador de deuses estranhos; pois pregava a
17.18
At 4.2
At 17.31
Jesus e a ressurreição. 19
17.19
cp.
Segurando-o, levaram-no ao
17.19
At 17.22
Areópago, dizendo: Podemos saber que
17.19
cp.
nova doutrina é esta que anuncias? 20Pois tu nos trazes aos ouvidos coisas estranhas; queremos saber que vem a ser isso. 21Ora, todos os atenienses e os
17.21
At 17.15
estrangeiros que ali moravam não se ocupavam em outra coisa senão em contar ou em ouvir alguma novidade. 22Paulo, posto em pé no meio do Areópago, disse:

17.22
At 17.15
Atenienses, em tudo vos vejo muitíssimo tementes aos deuses. 23Pois, passando e observando os
17.23
2Ts 2.4
objetos do vosso culto, achei um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. O que, pois,
17.23
cp.
adorais sem o conhecer é o que eu vos anuncio. 24
17.24
Is 42.5
At 14.15
O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo ele
17.24
Mt 11.25Dt 10.14
Sl 115.16
o Senhor do céu e da terra,
17.24
At 7.48
não habita em santuários feitos por mãos dos homens, 25nem é servido por mãos humanas,
17.25
Sl 50.10-12Jó 22.2
como se necessitasse de alguma coisa, visto ele mesmo dar a todos vida, respiração e todas as coisas; 26
17.26
Ml 2.10
e de um só fez todo o gênero humano para habitar sobre toda a face da terra, havendo
17.26
Dt 32.8
Jó 12.23
fixado os seus tempos determinados e os limites da sua habitação; 27para buscarem a Deus, se, porventura, apalpando, o achassem,
17.27
Dt 4.7
Jr 23.2314.17
ainda que não esteja longe de cada um de nós. 28Pois
17.28
Jó 12.10
Dn 5.23
nele vivemos, e nos movemos, e existimos, como até alguns dos vossos poetas o têm dito:

Porque dele também somos geração.

29Sendo, pois, geração de Deus,
17.29
Is 40.18Rm 1.23
não devemos pensar que a divindade é semelhante ao ouro, ou à prata, ou à pedra lavrada por arte e gênio do homem. 30
17.30
cp.
Dissimulando, pois, os tempos da
17.30
cp.
ignorância,
17.30
Lc 24.47
At 26.20
Tt 2.11
Deus manda agora que todos os homens, em todo lugar, se arrependam, 31porquanto tem fixado
17.31
Mt 10.15
um dia em que
17.31
Jo 5.22,27
At 10.42Sl 9.8
96.13
98.9
há de julgar
17.31
Mt 24.14
At 17.6
o mundo com justiça, pelo varão que para isso
17.31
cp.
destinou, do que tem dado certeza a todos,
17.31
At 2.24
ressuscitando-o dentre os mortos.

Uns zombam, outros creem

32Mas, quando ouviram falar

17.32
At 17.18,31
da ressurreição dos mortos, uns zombavam, e outros diziam: Sobre isso te ouviremos ainda outra vez. 33Assim, Paulo saiu do meio deles. 34Porém alguns homens agregaram-se a ele e creram; entre os quais, Dionísio, o
17.34
cp.
areopagita, e uma mulher chamada Dâmaris, e, com eles, outros.

18

Paulo em Corinto

181Depois disso, Paulo partiu de

18.1
At 17.15
Atenas e foi a
18.1
At 19.1
1Co 1.2
2Co 1.1-23
2Tm 4.20At 18.8
2Co 6.11
Corinto. 2Achando um judeu por nome
18.2
At 18.18,26
Rm 16.3
1Co 16.19
2Tm 4.19
Áquila, natural do
18.2
At 2.9
Ponto, recém-chegado da
18.2
At 27.1,6
Hb 13.24
Itália, e Priscila, sua mulher (por ter
18.2
At 11.28
Cláudio decretado que todos os judeus saíssem de Roma), foi ter com eles 3e, por ser do mesmo ofício, com eles morava, e
18.3
At 20.34
1Co 4.12
1Ts 2.9
2Ts 3.81Co 9.15
2Co 11.7
12.13
1Ts 4.11
ali trabalhavam; pois o ofício deles era fabricar tendas. 4Todos os
18.4
At 13.14
sábados discutia ele
18.4
At 9.20
At 18.19
na sinagoga e persuadia a
18.4
At 14.1
judeus e a gregos.

Paulo prega a Jesus

5Quando

18.5
At 17.1415.22
16.1
Silas e Timóteo
18.5
At 17.15
desceram da
18.5
At 16.9
Macedônia, Paulo estava ativamente ocupado com a palavra,
18.5
At 20.21
Lc 16.28
testificando aos judeus que
18.5
At 17.3
At 18.28
Jesus era o Cristo. 6Mas, como eles se opusessem e blasfemassem,
18.6
cp.
sacudindo ele as vestes, disse-lhes:
18.6
2Sm 1.16
1Rs 2.33
Ez 18.13
33.4,6,8
Mt 27.25At 20.26
O vosso sangue venha sobre a vossa cabeça; eu estou limpo e desde agora vou
18.6
At 13.46
para os gentios. 7Saindo dali, entrou em casa de um homem chamado Tício Justo,
18.7
At 16.14At 13.43
que era temente a Deus, e cuja casa era contígua à sinagoga. 8
18.8
1Co 1.14
Crispo,
18.8
Mc 5.22
chefe da sinagoga, creu no Senhor,
18.8
At 11.14
com toda a sua casa; e muitos
18.8
At 18.1
coríntios, ouvindo, criam e eram batizados. 9De noite, disse o Senhor a Paulo, em
18.9
At 9.10
uma visão: Não temas, mas fala e não te cales; 10porque eu sou contigo, e ninguém te porá a mão para te fazer mal, pois tenho muito povo nesta cidade. 11Ali ficou um ano e seis meses, ensinando entre eles a palavra de Deus.

Paulo perante Gálio

12Sendo Gálio

18.12
At 13.7
procônsul da
18.12
At 18.27
At 19.21
Rm 15.26
1Co 16.15
2Co 1.1
9.2
11.10
1Ts 1.7
Acaia, levantaram-se
18.12
1Ts 2.16
os judeus de comum acordo contra Paulo e, levando-o ao
18.12
Mt 27.19
tribunal, 13disseram: Este persuade os homens a adorar a Deus de um modo contrário
18.13
At 18.15Jo 19.7
à Lei. 14Estando Paulo para falar, disse Gálio aos judeus: Se fosse, com efeito, alguma injustiça ou crime perverso, ó judeus, de razão seria atender-vos; 15mas, se são
18.15
At 23.29
25.19
questões de palavras, de nomes e da vossa Lei, cuidai vós lá disso; eu não quero ser juiz dessas coisas. 16E fê-los sair do
18.16
Mt 27.19
tribunal. 17Todos pegaram em
18.17
1Cr 1.1
Sóstenes,
18.17
At 18.8
chefe da sinagoga, e o espancavam diante do tribunal; e Gálio não se importava com nenhuma dessas coisas.

Paulo leva consigo Priscila e Áquila até Éfeso. A terceira viagem missionária

18Paulo, tendo ficado ali ainda muitos dias,

18.18
Mc 6.46
despediu-se dos
18.18
At 1.15
At 18.27
irmãos e navegou com
18.18
At 18.2,26
Priscila e Áquila para a
18.18
Mt 4.24
Síria, depois de haver mandado
18.18
Nm 6.2,5,9,18
At 21.24
rapar a cabeça em
18.18
Rm 16.1
Cencreia, pois tinha voto. 19Chegados a
18.19
At 18.21,24
At 19.1,17,26,28,34-35
20.16-17
21.29
1Co 15.32
16.8
Ef 1.1
1Tm 1.3
2Tm 1.18
4.12
Ap 1.11
2.1
Éfeso, deixou-os ali; mas ele, entrando
18.19
At 18.4
na sinagoga, discutiu com os judeus. 20Rogando-lhe estes que ficasse mais tempo, não anuiu, 21mas despediu-se, dizendo:
18.21
1Co 4.19
16.7
Hb 6.3
Tg 4.15Rm 1.10
15.32
1Pe 3.17
Se Deus permitir, de novo, voltarei a vós. Navegou de Éfeso, 22e, chegando
18.22
At 8.40
a Cesareia, depois de subir a Jerusalém e saudar a igreja, desceu a
18.22
At 11.19
Antioquia. 23Havendo estado ali algum tempo, saiu, atravessando sucessivamente a região
18.23
At 16.6
gálata e a Frígia, fortalecendo a todos os discípulos.

Apolo chega a Éfeso

24Chegou a

18.24
At 18.19
Éfeso um judeu chamado
18.24
At 19.1
1Co 1.12
3.5-6,22
4.6
16.12
Tt 3.13
Apolo, natural de
18.24
At 6.9
Alexandria, homem eloquente e muito versado nas Escrituras. 25Era ele instruído no
18.25
cp.
Caminho do Senhor, e, sendo fervoroso de espírito, falava, e ensinava com precisão as coisas concernentes a Jesus, apesar de conhecer somente
18.25
cp.
o batismo de João; 26e ele começou a falar ousadamente na sinagoga. Mas, quando
18.26
At 18.2,18
Priscila e Áquila o ouviram, levaram-no consigo e expuseram-lhe com mais precisão o
18.26
cp.
Caminho de Deus. 27Querendo ele passar para a
18.27
At 18.1219.1
Acaia,
18.27
At 18.18
os irmãos animaram-no e escreveram aos
18.27
At 11.26
discípulos que o recebessem. Tendo ele chegado, auxiliou muito aqueles que, pela graça, haviam crido; 28pois com grande poder refutava publicamente os judeus, mostrando,
18.28
At 8.35
pelas Escrituras, que
18.28
At 18.5
Jesus era o Cristo.

19

Paulo em Éfeso

191Enquanto

19.1
At 18.24
1Co 1.12
3.5-6,22
4.6
16.12
Tt 3.13
Apolo estava em
19.1
At 18.1
Corinto, Paulo, tendo atravessado as
19.1
cp.
regiões mais altas, foi a
19.1
At 18.19,21,24
At 19.17,26,28,34-35
20.16-17
21.29
1Co 15.32
16.8
Ef 1.1
1Tm 1.3
2Tm 1.18
4.12
Ap 1.11
2.1
Éfeso e, achando ali alguns discípulos, 2perguntou-lhes:
19.2
cp.
Recebestes o Espírito Santo, quando crestes? Responderam-lhe eles: Não.
19.2
cp.
Nem sequer ouvimos falar que o Espírito Santo é dadoou, que há Espírito Santo.. 3Que batismo, pois, recebestes? — perguntou ele. Responderam-lhe eles:
19.3
cp.
O batismo de João. 4Paulo, porém, disse:
19.4
At 13.24
João batizou com o batismo de arrependimento, dizendo ao povo
19.4
cp.
que cresse naquele que havia de vir depois dele, isto é, em Jesus. 5Eles, tendo ouvido isso, foram
19.5
At 8.12,16
10.48
batizados em o nome do Senhor Jesus. 6Havendo-lhes Paulo
19.6
At 6.68.17
imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e
19.6
At 2.4
10.46Mc 16.17
falavam em diversas línguas e
19.6
cp.
profetizavam. 7Eram todos cerca de doze homens.

Paulo na escola de Tirano

8Paulo, entrando na

19.8
At 9.2018.26
sinagoga, falou ousadamente por espaço de três meses, discutindo com os ouvintes e persuadindo-os
19.8
At 1.3
acerca do reino de Deus. 9Mas, como
19.9
At 14.4
alguns ficassem endurecidos e incrédulos, falando mal do
19.9
At 9.2
At 19.23
Caminho diante da multidão, apartou-se deles e separou os
19.9
At 11.26
At 19.30
discípulos, discutindo diariamente na escola de Tirano. 10Isso continuou por
19.10
cp.
dois anos, de modo que todos os que habitavam na
19.10
At 16.6
At 19.22,26-27
Ásia, tanto judeus como gregos, ouviram
19.10
cp.
a palavra do Senhor. 11Deus fazia
19.11
cp.
milagres extraordinários por meio de Paulo, 12
19.12
cp.
de sorte que eram do seu corpo levados lenços e aventais aos enfermos, e as enfermidades os deixavam, e deles
19.12
cp.
saíam os espíritos malignos. 13Também alguns judeus
19.13
cp.
exorcistas, ambulantes, tentaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que estavam possessos de espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus, a quem Paulo prega. 14Os que faziam isso eram sete filhos de um judeu chamado Ceva, um dos principais sacerdotes. 15Mas o espírito maligno respondeu-lhes: Conheço a Jesus e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois? 16O homem no qual estava o espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois e prevaleceu contra eles, de tal modo que, nus e feridos, fugiram daquela casa. 17Isso tornou-se conhecido de todos os judeus e gregos que moravam
19.17
At 18.19
em Éfeso, e veio o temor sobre todos, e o nome do Senhor Jesus era engrandecido; 18e muitos dos que haviam crido vinham, confessando e declarando os seus atos. 19Muitos também que tinham exercido artes mágicas ajuntaram os seus livros e queimaram-nos na presença de todos; e, calculando o seu valor, acharam que montava a cinquenta mil
19.19
Lc 15.8
dracmasUma dracma valia 315 réis, moeda brasileira. de prata. 20Assim,
19.20
At 6.7
12.24
crescia e prevalecia em poder
19.20
At 19.10
a palavra do Senhor.

Paulo envia à Macedônia Timóteo e Erasto

21Concluídas essas coisas, resolveu Paulo, em seu espírito,

19.21
At 20.16,22
21.15
Rm 15.25
2Co 1.16
ir a Jerusalém,
19.21
1Co 16.5At 20.1
depois de haver atravessado
19.21
Rm 15.26
1Ts 1.7
a
19.21
At 16.9
At 19.22,29
Macedônia e a
19.21
At 18.12
Acaia, dizendo: Depois de ter eu estado ali,
19.21
Rm 15.24,28At 23.11
é-me necessário que veja também Roma. 22Enviando à Macedônia dois
19.22
At 19.29At 13.5
20.34
2Co 8.19
dos que lhe ministravam,
19.22
At 16.1
Timóteo e
19.22
Rm 16.232Tm 4.20
Erasto, ele mesmo ficou algum tempo na
19.22
At 19.10
Ásia.

Demétrio excita um grande tumulto

23Por esse tempo, houve grande alvoroço acerca do

19.23
At 19.9
Caminho. 24Pois um homem chamado Demétrio, ourives, que fazia de prata santuários de Diana,
19.24
cp.
dava muito lucro aos artífices; 25e ele, reunindo-os com os oficiais de obras semelhantes, disse: Senhores, sabeis que deste ofício vem a nossa riqueza, 26e estais vendo e ouvindo que não só em
19.26
At 18.19
Éfeso, mas em quase toda a
19.26
At 19.10
Ásia, este Paulo tem persuadido e desencaminhado muita gente, dizendo
19.26
At 17.29
1Co 8.4
10.19Dt 4.28
Sl 115.4
Is 44.10-20
Jr 10.3Ap 9.20
não serem deuses os que são feitos por mãos de homens. 27Não somente há perigo de que esta nossa profissão caia em descrédito, como também que o templo da grande deusa Diana seja desconsiderado, e que venha mesmo a ser privada da sua grandeza aquela a quem toda a Ásia e o
19.27
Mt 24.14
mundo adora. 28Ouvindo isso, se encheram de ira e clamavam: Grande é a Diana dos efésios! 29A cidade encheu-se de confusão, e todos correram ao teatro, arrebatando os
19.29
At 16.9
At 19.21-22
macedônios
19.29
não
Gaio e
19.29
At 20.4
27.2
Cl 4.10
Fm 24
Aristarco,
19.29
At 19.22At 13.5
20.34
2Co 8.19
companheiros de Paulo em viagem. 30Querendo Paulo apresentar-se ao povo,
19.30
At 19.9
os discípulos não lho permitiram; 31também alguns principais da Ásia, que eram seus amigos, mandaram rogar-lhe que não se aventurasse a ir ao teatro. 32
19.32
At 21.34
Uns, pois, gritavam de um modo, outros, de outro; porque a assembleia estava em confusão, e a maior parte não sabia por que causa se havia ali reunido. 33Eles tiraram Alexandre do meio da turba, e os judeus impeliram-no na frente. Alexandre,
19.33
At 12.17
acenando com a mão, queria apresentar uma defesa ao povo. 34Mas, quando perceberam que ele era judeu, todos a uma voz gritaram por espaço de quase duas horas: Grande é a Diana dos efésios! 35O secretário, tendo apaziguado a multidão, disse: Efésios, que homem há que não saiba que a cidade de Éfeso é zeladora do templo da grande Diana e da imagem que caiu de Júpiter. 36Assim, não podendo ser isso contestado, convém que fiqueis quietos e nada façais precipitadamente. 37Pois estes homens que trouxestes aqui não são
19.37
Rm 2.22
sacrílegos nem blasfemadores da nossa deusa. 38Se, pois, Demétrio e os artífices que estão com ele têm alguma queixa contra alguém, os tribunais estão abertos, e há
19.38
At 13.7
procônsules; acusem-se uns aos outros. 39Mas, se alguma outra coisa requereis, será resolvida em assembleia regular. 40Pois nos arriscamos a ser acusados pela sedição de hoje, não havendo motivo algum que nos permita justificar este ajuntamento. 41Dito isso, despediu a assembleia.