Tradução Brasileira (2010) (TB)
19

O profeta Jeú repreende a Josafá

191Josafá, rei de Judá, voltou em paz para sua casa, em Jerusalém. 2Jeú, filho de Hanani, o vidente, saiu-lhe ao encontro e disse ao rei Josafá: Deves tu socorrer aos iníquos e amar os que aborrecem a Jeová? Por isso, veio sobre ti grande ira da parte de Jeová. 3Contudo, em ti se acharam boas coisas, porque tiraste para fora da terra as Aserotes, e dispuseste o teu coração a buscar a Deus.

4Habitou Josafá em Jerusalém; tornou a passar pelo povo desde Berseba até a região montanhosa de Efraim e fez que ele tornasse a Jeová, Deus de seus pais. 5Estabeleceu juízes em todas as cidades fortificadas de Judá, de cidade em cidade. 6Disse aos juízes: Vede o que fazeis, pois não julgais da parte do homem, mas da parte de Jeová. Em julgardes, ele está convosco. 7Agora, seja o temor de Jeová sobre vós; tomai cuidado e fazei-o, porque não há, em Jeová, nosso Deus, iniquidade, nem acepção de pessoas, nem aceitação de dádivas.

Nomeação de juízes

8Também estabeleceu Josafá, em Jerusalém, alguns dos levitas, e dos sacerdotes, e dos cabeças das famílias de Israel, para julgarem da parte de Jeová e para decidirem as controvérsias. E voltaram para Jerusalém. 9Ordenou-lhes, dizendo: Assim procedereis no temor de Jeová, com fidelidade e com um coração perfeito. 10Todas as vezes que vos submeterem alguma controvérsia de vossos irmãos que habitam nas cidades, entre sangue e sangue, entre lei e mandamento, estatutos e juízos, admoestá-los-eis, para que não sejam culpados para com Jeová, e deste modo venha a ira sobre vós e sobre vossos irmãos. Fazei isso e não sereis culpados. 11Eis que o sumo sacerdote Amarias está sobre vós em todos os negócios de Jeová; e Zebadias, filho de Ismael, príncipe da casa de Judá, em todos os negócios do rei. Também os levitas serão oficiais diante de vós. Procedei corajosamente, e seja Jeová com os bons.

20

Josafá ora a Deus por auxílio contra Moabe e Amom

201Depois disso, os filhos de Moabe e os filhos de Amom, com alguns dos amonitas, vieram contra Josafá para lhe fazerem guerra. 2Então, vieram alguns que avisaram a Josafá, dizendo: Uma grande multidão vem contra ti dalém do mar, da Síria; eis que já estão em Hazazom-Tamor, que é En-Gedi. 3Josafá teve medo, e pôs-se a buscar a Jeová, e fez publicar um jejum em todo o Judá. 4Judá ajuntou-se para pedir socorro a Jeová; de todas as cidades de Judá vieram a buscar a Jeová.

5Josafá pôs-se em pé diante da congregação de Judá e de Jerusalém, na Casa de Jeová, diante do átrio novo, 6e disse: Jeová, Deus de nossos pais, não és tu Deus no céu? Não és tu que dominas sobre todos os reinos das nações? E na tua mão está o poder e a força, de modo que ninguém te pode resistir. 7Não desapossaste tu, nosso Deus, os habitantes desta terra de diante do teu povo de Israel e não a deste para sempre à semente de Abraão, teu amigo? 8Habitaram nela e te edificaram um santuário ao teu nome, dizendo: 9Se nos sobrevier algum mal, espada, juízo, peste ou fome, nós nos apresentaremos diante desta casa e diante de ti (pois o teu nome está nesta casa) e clamaremos a ti em nossa aflição, e tu nos ouvirás e salvarás. 10Agora, eis que os filhos de Amom, de Moabe e do monte Seir, cujas terras não permitiste a Israel invadir, quando saíam da terra do Egito, mas deles se desviaram e não os destruíram; 11eis como nos dão o pago, vindo para nos lançarem fora da tua possessão, que nos deste em herança. 12Não os julgarás, nosso Deus? Porque não temos força para resistirmos a esta grande multidão que vem contra nós, nem sabemos o que havemos de fazer; mas voltamos para ti os nossos olhos. 13Todo o Judá estava em pé, diante de Jeová, com os seus pequeninos, mulheres e filhos.

14Então, no meio da congregação veio o Espírito de Jeová sobre Jaaziel, filho de Zacarias, filho de Benaia, filho de Jeiel, filho de Matanias, levita, dos filhos de Asafe; 15e disse: Ouvi todos vós, povo de Judá, e vós os que habitais em Jerusalém, e tu, ó rei Josafá; assim vos diz Jeová: Não tenhais medo, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois não é vossa a peleja, mas sim de Deus. 16Amanhã, descereis contra eles. Eis que sobem pela subida de Ziz; achá-los-eis na extremidade do vale, defronte do deserto de Jeruel. 17Nesta batalha, não tereis que pelejar; postai-vos, ficai parados e vede a salvação que Jeová vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não tenhais medo, nem vos assusteis; amanhã saí-lhes ao encontro, pois Jeová está convosco. 18Josafá prostrou-se com o rosto em terra; e todo o Judá e os moradores de Jerusalém prostraram-se diante de Jeová, adorando-o. 19Os levitas dos filhos dos coatitas e dos filhos dos coreítas levantaram-se para louvarem a Jeová, Deus de Israel, em voz bem alta.

O inimigo é derrotado

20Levantando-se cedo de manhã, saíram para o deserto de Tecoa. Ao saírem eles, pôs-se em pé Josafá e disse: Ouvi-me, Judá e vós os que habitais em Jerusalém. Crede em Jeová, vosso Deus e assim sereis estabelecidos; crede os seus profetas e assim prosperareis. 21Tendo ele tomado conselho com o povo, designou os que haviam de cantar a Jeová, e louvar a beleza da santidade, quando saíram diante do exército, e dizer: Dai graças a Jeová, porque a sua misericórdia dura para sempre. 22Quando começaram a cantar e a dar louvores, pôs Jeová emboscadas contra os filhos de Amom, de Moabe e do monte Seir, que tinham vindo contra Judá; e foram desbaratados. 23Porque os filhos de Amom e de Moabe se levantaram contra os habitantes do monte Seir, para os matar e destruir por completo; e, tendo acabado com os habitantes do monte Seir, feriram-se uns aos outros.

Moabe e Amom saqueadas

24Tendo Judá chegado à atalaia do deserto, olharam para a multidão. Eis que tudo eram corpos mortos jazendo em terra, e não houve ninguém que escapasse. 25Quando Josafá e seu povo vieram para tirar os despojos deles, acharam entre eles fazenda, e cadáveres em abundância, e joias preciosas que tomaram para si, mais do que podiam levar; e gastaram três dias em saquearem o despojo, tão grande era. 26Ao quarto dia, eles se ajuntaram no vale de Beraca, pois ali bendisseram a Jeová. Por isso, aquele lugar ficou sendo chamado o vale de Beraca até o dia de hoje. 27Então, voltaram para Jerusalém com alegria todos os homens de Judá e de Jerusalém, com Josafá à frente, porque Jeová os tinha feito regozijar-se sobre os seus inimigos. 28Vieram a Jerusalém com alaúdes, harpas e trombetas para a Casa de Jeová. 29O terror da parte de Deus veio sobre todos os reinos dos países, quando ouviram que Jeová tinha pelejado contra os inimigos de Israel. 30Assim, o reino de Josafá ficou em paz, porque o seu Deus lhe deu repouso ao redor.

31Josafá reinou sobre Judá. Ele tinha trinta e cinco anos quando começou a reinar e reinou vinte e cinco anos em Jerusalém. Sua mãe chamava-se Azuba, filha de Sili. 32Ele andou nos caminhos de seu pai Asa, e deles não se afastou, fazendo o que era reto aos olhos de Jeová. 33Contudo, os altos não se tiraram; nem tinha ainda o povo disposto o seu coração para o Deus de seus pais. 34Ora, o restante dos atos de Josafá, tanto os primeiros como os últimos, eis que estão escritos na História de Jeú, filho de Hanani, que está inserta no Livro dos Reis de Israel.

35Depois disso, aliou-se Josafá, rei de Judá, com Acazias, rei de Israel, que procedeu mui iniquamente. 36Aliou-se com ele para construírem navios que fossem a Társis; e construíram os navios em Eziom-Geber. 37Então, Eliézer, filho de Dodava, de Maresa, profetizou contra Josafá, dizendo: Pois que te aliaste com Acazias, destruiu Jeová as tuas obras. Os navios despedaçaram-se e não puderam ir a Társis.

21

A morte de Josafá e a impiedade de Jeorão

211Adormeceu Josafá com seus pais e foi sepultado com eles na Cidade de Davi. Em seu lugar, reinou seu filho Jeorão. 2Este teve por irmãos os filhos de Josafá: Azarias, Jeiel, Zacarias, Azarias, Micael e Sefatias; todos foram filhos de Josafá, rei de Israel. 3Seu pai deu-lhes grandes dádivas em prata, ouro e coisas preciosas, juntamente com cidades fortificadas em Judá; mas entregou o reino a Jeorão, por ser o primogênito. 4Tendo Jeorão se levantado sobre o reino de seu pai e tendo-se fortificado, matou todos os seus irmãos à espada, como também alguns dos príncipes de Israel. 5Jeorão tinha trinta e dois anos quando começou a reinar e reinou oito anos em Jerusalém. 6Andou nos caminhos dos reis de Israel, como fez a casa de Acabe, porque tinha a filha de Acabe por mulher. Ele fez o mal à vista de Jeová. 7Contudo, Jeová não quis destruir a casa de Davi, por causa da aliança que havia feito com Davi e porque tinha prometido que lhe daria uma lâmpada a ele e aos seus filhos, para sempre.

8Nos dias de Jeorão, rebelou-se Edom para não ser sujeito a Judá, e constituíram para si rei. 9Então Jeorão marchou com todos os seus capitães e com todos os seus carros; levantou-se de noite e desbaratou os edomitas, que o cercaram a ele e aos comandantes dos carros. 10Assim, se rebelou Edom contra Judá até o dia de hoje. Nesse tempo, também rebelou-se Libna contra ele, porque tinha abominado a Jeová, Deus de seus pais.

A carta ameaçadora de Elias

11Além disso, fez altos nos montes de Judá, induziu os habitantes de Jerusalém à idolatria e fez desgarrar a Judá. 12Então, lhe chegou às mãos uma carta do profeta Elias, em que estava escrito: Assim diz Jeová, Deus de teu pai Davi: Porque não andaste nos caminhos de teu pai Josafá, nem nos caminhos de Asa, rei de Judá, 13mas andaste nos caminhos dos reis de Israel e fizeste cair na idolatria a Judá e aos habitantes de Jerusalém, assim como caiu na idolatria a casa de Acabe; e, de mais a mais, mataste teus irmãos da casa de teu pai, os quais eram melhores do que tu, 14eis que Jeová ferirá com grande flagelo o teu povo, teus filhos, tuas mulheres e toda a tua fazenda; 15e tu terás uma grande enfermidade nas tuas entranhas, até que elas saiam de dia em dia por força do mal.

As perdas e a morte de Jeorão

16Suscitou Jeová contra Jeorão o espírito dos filisteus e dos árabes que confinam com os etíopes. 17Subiram contra Judá, deram sobre ele e levaram toda a fazenda que se achou na casa do rei, como também seus filhos e suas mulheres, de sorte que não lhe ficou filho algum, senão Jeoacaz, o mais moço deles.

18Depois de tudo isso, o feriu Jeová com uma doença incurável nas entranhas. 19No decorrer do tempo, no fim de dois anos, saíram-lhe as entranhas por causa da sua enfermidade, e morreu de graves moléstias. O seu povo não lhe fez uma queima de perfumes, como se fez aos seus maiores. 20Tinha Jeorão trinta e dois anos quando começou a reinar e reinou oito anos em Jerusalém. Morreu sem deixar de si saudades; e sepultaram-no na Cidade de Davi, porém não nos sepulcros dos reis.