Tradução Brasileira (2010) (TB)
12

Roboão segue maus conselhos

121Foi Roboão a Siquém, pois todo o Israel lá se congregara para o fazer rei. 2Tendo Jeroboão, filho de Nebate, ouvido isso (pois estava ainda no Egito, para onde tinha fugido da presença do rei Salomão, onde habitava, 3e donde mandaram chamá-lo.), veio com toda a congregação de Israel, e falaram a Roboão, dizendo: 4Teu pai fez pesado o nosso jugo; agora, alivia a dura servidão de teu pai e o pesado jugo que nos impôs, e nós te serviremos. 5Ele lhes respondeu: Ide-vos e, depois de três dias, voltai a mim. Retirou-se o povo.

6Teve o rei Roboão conselho com os velhos que tinham assistido diante de seu pai Salomão, quando este ainda vivia, dizendo: Que me aconselhais vós que eu responda a este povo? 7Eles lhe disseram: Se te tornares hoje servo deste povo, e o servires, e lhe atenderes, e lhe falares boas palavras, eles se farão teus servos para sempre. 8Ele, porém, abandonou o conselho que os velhos lhe tinham dado e teve conselho com os mancebos que haviam crescido com ele e lhe assistiam. 9Perguntou-lhes: Que aconselhais vós que respondamos a este povo, que me disse: Alivia o jugo que teu pai nos impôs? 10Responderam-lhe os mancebos que haviam crescido com ele: Assim dirás a este povo que te falou: Teu pai fez pesado o nosso jugo, porém alivia-o de sobre nós; assim lhe falarás: Meu dedo mínimo é mais grosso do que os lombos de meu pai. 11Assim que, se meu pai vos carregou de um jugo pesado, eu hei de acrescentar ainda sobre o vosso jugo; meu pai vos castigou com açoites, porém eu hei de vos castigar com escorpiões.

12Veio Jeroboão com todo o povo a Roboão, no terceiro dia, como o rei lhes ordenou, dizendo: Voltai a mim ao terceiro dia. 13O rei respondeu asperamente ao povo e deixou o conselho que os velhos lhe tinham dado; 14e falou-lhe segundo o conselho dos mancebos, dizendo: Meu pai fez pesado o vosso jugo, porém eu hei de acrescentar sobre o vosso jugo; meu pai vos castigou com açoites, porém eu hei de vos castigar com escorpiões. 15O rei não deu ouvidos ao povo, porque isso veio da parte de Jeová, para confirmar a palavra que Jeová falou a Jeroboão, filho de Nebate, por intermédio de Aías, silonita.

Dez tribos rebelam-se e aclamam Jeroboão como seu rei

16Vendo o povo que o rei não lhe dava ouvidos, respondeu-lhe: Que parte temos nós em Davi? Nem temos herança no filho de Jessé. Às vossas tendas, ó Israel! Agora, cuida da tua casa, ó Davi! Assim, Israel se foi para as suas tendas. 17Mas, quanto aos filhos de Israel que habitavam nas cidades de Judá, sobre eles reinou Roboão. 18Então, o rei Roboão enviou Adorão, que estava sobre a leva dos trabalhadores forçados; e todo o Israel o apedrejou até que ele morreu. O rei Roboão, a toda a pressa, montou no seu carro, a fim de fugir para Jerusalém. 19Assim, Israel se rebelou contra a casa de Davi até o dia de hoje. 20Tendo ouvido todo o Israel que Jeroboão tinha voltado, mandaram chamá-lo para a congregação e fizeram-no rei sobre todo o Israel; não houve ninguém que seguisse a casa de Davi, senão somente a tribo de Judá.

21Tendo Roboão chegado a Jerusalém, fez ajuntar toda a casa de Judá e a tribo de Benjamim, cento e oitenta mil homens escolhidos, que eram guerreiros, para pelejar contra a casa de Israel, a fim de restituir o reino a Roboão, filho de Salomão. 22Veio, porém, a palavra de Deus a Semaías, homem de Deus, dizendo: 23Fala a Roboão, filho de Salomão, rei de Judá, e a toda a casa de Judá e de Benjamim, e ao restante do povo: 24Assim diz Jeová: Não subireis, nem pelejareis contra vossos irmãos, filhos de Israel; volte cada um para casa, porque isso veio da minha parte. Ouviram a palavra de Jeová, voltaram e se foram em obediência a ela.

A idolatria de Jeroboão

25Então, edificou Jeroboão a Siquém, na região montanhosa de Efraim, e residiu ali; dali saiu e edificou a Penuel. 26Disse Jeroboão no seu coração: Agora, tornará o reino para a casa de Davi. 27Se este povo subir para oferecer sacrifícios na Casa de Jeová, em Jerusalém, o coração dele se tornará para o seu senhor Roboão, rei de Judá; a mim me matarão e voltarão para Roboão, rei de Judá. 28Pelo que o rei, depois de conselhos tomados, fez de ouro dois bezerros e disse ao povo: Basta de subirdes a Jerusalém; eis os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito. 29Pôs um em Betel e o outro colocou ele em Dã. 30Isso se tornou em pecado, pois o povo ia até Dã a adorar o bezerro. 31Nos altos, fez casas e, dentre todo o povo, constituiu sacerdotes que não eram dos filhos de Levi. 32Jeroboão ordenou uma festa no oitavo mês, aos quinze dias do mês, como a festa que se celebrava em Judá, e subiu ao altar. Assim fez em Betel, oferecendo sacrifícios aos bezerros que tinha fabricado; e estabeleceu em Betel os sacerdotes dos altos que fizera. 33Subiu ao altar que ele fizera em Betel, ao décimo quinto dia do oitavo mês, isto é, do mês que ele tinha escolhido a seu bel prazer; e ordenou uma festa para os filhos de Israel e subiu ao altar para queimar incenso.

13

Um profeta admoesta a Jeroboão

131Eis que, por ordem de Deus, veio de Judá a Betel um homem de Deus (E Jeroboão estava ao lado do altar para queimar incenso.). 2Por ordem de Jeová, exclamou contra o altar e disse: Altar, altar! Assim diz Jeová: Eis que nascerá na casa de Davi um filho que se chamará Josias; ele sacrificará sobre ti os sacerdotes dos altos que sobre ti queimaram incenso, e ossos de homens se queimarão sobre ti. 3Naquele mesmo dia, deu um sinal, dizendo: Este é o sinal de que Jeová falou: Eis que se fenderá o altar, e se espalhará a cinza que está por cima dele. 4Tendo o rei ouvido as palavras que o homem de Deus proferira contra o altar em Betel, Jeroboão estendeu, do altar, a mão, dizendo: Prendei-o. A mão que ele estendera contra o homem de Deus secou, de sorte que ele não a pôde trazer a si. 5O altar também se fendeu, e a cinza se espalhou do altar, conforme o sinal que, por ordem de Jeová, havia dado o homem de Deus. 6Então, respondeu o rei ao homem de Deus: Consegue o favor de Jeová, teu Deus, e ora por mim, para que se me restitua a minha mão. Conseguiu o homem de Deus o favor de Jeová, e a mão do rei se lhe restituiu e tornou-se como dantes era. 7Disse o rei ao homem de Deus: Vem comigo para casa e conforta-te, e dar-te-ei uma recompensa. 8Respondeu o homem de Deus ao rei: Se me deres a metade da tua casa, não entrarei na tua casa, nem comerei pão, nem beberei água neste lugar. 9Pois assim me foi intimado por ordem de Jeová, dizendo: Não comerás pão, nem beberás água, nem voltarás pelo caminho por que vieste. 10Ele, pois, se foi por outro caminho e não voltou a Betel pelo caminho por que viera.

O profeta é induzido à desobediência

11Ora, morava em Betel um velho profeta; veio um de seus filhos e contou-lhe tudo o que o homem de Deus fizera aquele dia em Betel; as palavras que tinha dito ao rei, contaram-nas também a seu pai. 12Perguntou-lhes seu pai: Por que caminho se foi ele? Ora, tinham visto seus filhos o caminho por que voltara o homem de Deus, que tinha vindo de Judá. 13Ele disse a seus filhos: Albardai-me o jumento. Albardaram-lhe o jumento, no qual ele montou. 14Foi após o homem de Deus e o achou sentado debaixo do terebinto. Perguntou-lhe: És tu o homem de Deus que vieste de Judá? Ele respondeu: Sou. 15Então, lhe disse: Vem comigo para casa e come pão. 16Porém ele respondeu: Não posso voltar contigo, nem entrar na tua casa; não comerei pão, nem beberei água contigo neste lugar, 17porque me foi dito por ordem de Jeová: Não comerás pão, nem beberás água ali, nem tornarás a ir pelo caminho por que foste. 18Tornou-lhe: Eu também sou profeta como tu, e por ordem de Jeová falou-me um anjo, dizendo: Faze-o voltar contigo para a casa, para que ele coma pão e beba água. Mentiu-lhe. 19Assim, voltou com ele, e comeu pão na sua casa, e bebeu água.

Um leão mata ao profeta

20Estando eles à mesa, veio a palavra de Jeová ao profeta que o tinha feito voltar; 21e clamou ao homem de Deus que tinha vindo de Judá, dizendo: Assim diz Jeová: Porquanto não obedeceste a ordem de Jeová e não guardaste o mandamento que Jeová, teu Deus, te ordenou, 22mas voltaste, e comeste pão, e bebeste água no lugar de que te disse: Não comas pão, nem bebas água, o teu cadáver não entrará no sepulcro de teus pais. 23Quando o profeta a quem tinha feito voltar havia comido pão e bebido água, albardou o jumento para ele. 24Foi-se, e, no caminho, um leão saiu-lhe ao encontro e matou-o; o seu cadáver ficou estendido no caminho, o jumento estava parado junto a ele, e também o leão ficou perto do cadáver. 25Eis que, passando por ali certos homens, viram o cadáver estendido no caminho, e o leão posto em pé ao lado; foram e contaram-no na cidade onde morava o velho profeta.

26Tendo ouvido isso o profeta que o tinha feito voltar do caminho, disse: É o homem de Deus que desobedeceu à palavra de Jeová; por isso, Jeová o entregou ao leão, que o despedaçou e matou, conforme a palavra que Jeová lhe falou. 27Disse a seus filhos: Albardai-me o jumento. Eles o fizeram. 28Então, foi e achou o cadáver estendido no caminho, e o jumento e o leão que estavam ao lado; não tinha o leão devorado o cadáver, nem despedaçado ao jumento. 29O profeta tomou o cadáver do homem de Deus, pô-lo em cima do jumento e levou-o consigo; e chegou à cidade do profeta velho para o chorar e para o enterrar. 30Meteu o cadáver no seu sepulcro; e eles o choraram, dizendo: Ai! Meu irmão! 31Depois de o haver enterrado, disse a seus filhos: Quando eu morrer, enterrai-me no sepulcro em que está enterrado o homem de Deus; ponde os meus ossos junto aos seus ossos. 32Porque certamente se cumprirão as palavras que por ordem de Jeová exclamou contra o altar em Betel e contra todas as casas dos altos que estão nas cidades de Samaria.

33Depois disso, não tornou Jeroboão do seu mau caminho, porém, dentre todo o povo, fez ainda sacerdotes dos altos; e consagrou a todo aquele que o queria, para que houvesse sacerdotes dos altos. 34Isso se tornou em pecado à casa de Jeroboão, para a cortar e para a destruir da face da terra.

14

Aías prediz a ruína da casa de Jeroboão

141Naquele tempo, adoeceu Abias, filho de Jeroboão. 2Disse Jeroboão à sua mulher: Levanta-te, e disfarça-te para que não conheçam que és mulher de Jeroboão, e vai-te a Siló. Eis que lá está o profeta Aías, que a meu respeito falou que eu reinaria sobre este povo. 3Leva contigo dez pães, e bolos, e uma botija de mel e vai ter com ele, que te declarará o que há de acontecer a este menino. 4A mulher de Jeroboão assim fez; levantou-se, foi a Siló e chegou à casa de Aías. Aías não podia ver, porque os olhos já se lhe tinham obscurecido por causa da sua muita idade. 5Disse, porém, Jeová a Aías: Eis que vem a mulher de Jeroboão a consultar-te sobre seu filho, que está doente. Assim e assim lhe falarás, porque, quando ela entrar, há de fingir-se outra.

6Ouvindo Aías o som de seus pés, ao entrar ela pela porta, disse: Entra mulher de Jeroboão; porque finges tu ser outra? Pois eu sou enviado para te dar uma dura nova. 7Vai e dize a Jeroboão: Assim diz Jeová, Deus de Israel: Porquanto te exaltei do meio do povo, e te constituí príncipe sobre o meu povo de Israel, 8e da casa de Davi tirei o reino, e to dei a ti, contudo não tens sido como o meu servo Davi, que guardou os meus mandamentos e que me seguiu de todo o seu coração, fazendo o que era reto aos meus olhos; 9mas tens praticado maiores males do que os que foram antes de ti, e foste e fabricaste para ti outros deuses e imagens de fundição, para me provocares à ira, e a mim me lançaste para trás das costas; 10portanto, eis que trarei o mal sobre a casa de Jeroboão e lhe exterminarei todo homem, escravo ou livre, em Israel, e de todo varrerei a casa de Jeroboão, como se costuma varrer o esterco, até não ficar vestígio. 11Quem morrer a Jeroboão na cidade, comê-lo-ão os cães; e quem lhe morrer no campo, comê-lo-ão as aves do céu, pois Jeová o disse. 12Tu, levanta-te e vai para tua casa; e, ao entrarem os teus pés na cidade, morrerá o menino. 13Todo o Israel o chorará e o sepultará, porque ele é o único da casa de Jeroboão que entrará na sepultura. Pois dos da casa de Jeroboão nele se achou alguma coisa boa para com Jeová, Deus de Israel. 14Também Jeová suscitará para si um rei sobre Israel, que há de exterminar a casa de Jeroboão nesse dia. Mas que digo eu? Há de ser já. 15Pois Jeová ferirá a Israel, fazendo-o tal como uma cana que se agita nas águas; e desarraigará a Israel desta boa terra que deu aos seus pais e os espalhará além do rio, porque fizeram os seus Aserins, provocando Jeová à ira. 16Entregará a Israel nas mãos dos seus inimigos, por causa dos pecados de Jeroboão, que pecou e fez pecar a Israel.

17Levantou-se a mulher de Jeroboão, foi e veio para Tirza; e, ao chegar ela ao limiar da casa, morreu o menino. 18Todo o Israel o sepultou e o chorou, conforme a palavra que Jeová falou por intermédio do profeta Aías, seu servo.

19O restante dos atos de Jeroboão, como fazia guerras e como reinava, eis que está escrito no Livro das Crônicas dos Reis de Israel. 20Os dias que reinou Jeroboão foram vinte e dois anos. Adormeceu com seus pais, e, em seu lugar, reinou seu filho Nadabe.

A impiedade de Roboão

21Roboão, filho de Salomão, reinou em Judá. Roboão tinha quarenta e um anos de idade, quando começou a reinar e reinou dezessete anos em Jerusalém, cidade que Jeová escolhera, dentre todas as tribos de Israel, para nela pôr o seu nome. Era o nome de sua mãe Naamá, amonita. 22Judá fez o mal à vista de Jeová; e, com os pecados que cometeram, provocaram-no a zelos muito mais do que tinham feito seus pais. 23Pois também edificaram para si altos, colunas e Aserins em cima de todos os elevados outeiros e debaixo de todas as árvores verdes; 24e havia também sodomitas na terra; fizeram conforme todas as abominações das gentes que expulsou Jeová diante dos filhos de Israel.

25No quinto ano do rei Roboão, subiu contra Jerusalém Sisaque, rei do Egito. 26Levou os tesouros da Casa de Jeová e os tesouros da casa do rei; levou tudo. Também levou todos os escudos de ouro que Salomão tinha feito. 27Em lugar destes, fez Roboão escudos de bronze e os entregou nas mãos dos capitães da guarda, que guardavam a porta da casa do rei. 28Todas as vezes que entrava o rei na Casa de Jeová, os da guarda levavam os escudos e os tornavam a pôr na câmara da guarda.

29Ora, o restante dos atos de Roboão, e tudo o que ele fez não estão, porventura, escritos no Livro das Crônicas dos Reis de Judá? 30Houve guerra sempre entre Roboão e Jeroboão. 31Roboão adormeceu com seus pais e, com eles, foi sepultado na Cidade de Davi. O nome de sua mãe era Naamá, amonita. Em seu lugar, reinou seu filho Abias.