Tradução Brasileira (2010) (TB)
13

A caridade é o supremo dom

131Se eu falar as

13.1
1Co 12.10
línguas dos homens e dos
13.1
cp.
anjos e não tiver caridade, tenho-me tornado como o bronze que soa ou como o
13.1
cp.
címbalo que retine. 2Se eu tiver o dom de
13.2
At 13.1
1Co 11.4
1Co 13.8
1Co 14.1,39Mt 7.22
profecia e souber todos os
13.2
1Co 14.2
15.51
mistérios e
13.2
Rm 15.14
toda a ciência; se tiver
13.2
1Co 12.9
toda a fé, a ponto de
13.2
Mt 17.20
21.21
remover montes, e não tiver caridade, nada sou. 3Se eu
13.3
cp.
distribuir todos os meus bens em sustento dos pobres e
13.3
Dn 3.28
se entregar o meu corpo para ser queimado, se, todavia, não tiver caridade, isso nada me aproveita. 4A caridade
13.4
Pv 10.12
17.9
1Ts 5.14
1Pe 4.8
é longânima, é benigna; a caridade
13.4
cp.
não é invejosa, não
13.4
1Co 4.6
se jacta, não se ensoberbece, 5não se porta inconvenientemente,
13.5
1Co 10.24Fp 2.21
não busca os seus próprios interesses, não se irrita,
13.5
2Co 5.19
não suspeita mal, 6
13.6
cp.
não se regozija com a injustiça, mas
13.6
cp.
regozija-se com a verdade; 7
13.7
1Co 9.12
tudo suporta, tudo crê, tudo espera, tudo sofre. 8A caridade jamais se acaba; mas, quer haja
13.8
1Co 13.2
profecias, desaparecerão; quer
13.8
1Co 13.1
línguas, cessarão; quer ciência, desaparecerá. 9Pois,
13.9
1Co 13.12
1Co 8.2
em parte, conhecemos e, em parte, profetizamos; 10mas, quando vier o que é perfeito, o que é em parte desaparecerá. 11Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; desde que me tornei homem, dei de mão às coisas de menino. 12Pois, agora,
13.12
cp.
vemos como por um espelho, em enigma; mas, então,
13.12
Gn 32.30
Nm 12.8
1Jo 3.2
face a face; agora, conheço em parte, mas, então, conhecerei
13.12
1Co 8.3
plenamente, assim como fui plenamente conhecido. 13Mas, agora, permanecem estas três: a fé, a esperança, a caridade; porém a maior destas é a
13.13
cp.
caridade.

14

O dom de profecia é superior ao dom de línguas

141

14.1
1Co 16.14
Segui a caridade; contudo,
14.1
1Co 12.31
1Co 14.39
aspirai aos
14.1
1Co 12.1
dons espirituais, porém, sobre todos, ao de
14.1
1Co 13.2
profecia. 2O que
14.2
1Co 12.10,28,30
13.1
1Co 14.18-19,26Mc 16.17
fala em língua não fala a homens, senão a Deus; pois ninguém o entende, mas em espírito fala
14.2
1Co 13.2
mistérios. 3Porém aquele que profetiza fala a homens para
14.3
1Co 14.5,12,17,26
Rm 14.19
edificação,
14.3
At 4.36
exortação e consolação. 4Aquele que fala em língua edifica-se a si mesmo; mas o que
14.4
1Co 13.2
profetiza edifica a igreja. 5Quero que todos vós faleis em línguas, mas,
14.5
Nm 11.29
antes, que profetizeis; maior é aquele que profetiza do que aquele que fala em línguas, a não ser que as interprete, para que a igreja receba edificação. 6Agora, porém, irmãos, se eu for ter convosco, falando em línguas, de que vos aproveitarei, se não vos falar por meio de
14.6
1Co 14.26
Ef 1.17
revelação, ou de
14.6
1Co 12.8
ciência, ou de profecia, ou de
14.6
1Co 14.26At 2.42
Rm 6.17
instrução? 7Até as coisas inanimadas, quando emitem som, quer flauta quer cítara, se não fizerem diferença de sons, como se conhecerá o que se toca na flauta ou na cítara? 8Porque,
14.8
cp.
se a trombeta der um som incerto, quem se preparará para a batalha? 9Assim também vós, se pela língua não proferirdes discurso fácil de se entender, como se conhecerá o que se fala? Pois estareis
14.9
cp.
falando ao ar. 10Há, como acontece, tantas espécies de vozes no mundo, e nenhuma há sem significação. 11Se, portanto, eu não souber a significação da voz, serei um estrangeiro para aquele que fala; e aquele que fala será um estrangeiro para mim. 12Assim também vós, desde que estais desejosos de dons espirituais, procurai abundar neles, para a edificação da igreja. 13Por isso, quem fala em língua, ore para que a interprete. 14Pois, se eu orar em língua, o meu espírito ora, mas o meu entendimento não dá fruto. 15
14.15
1Co 14.26At 21.22
Que farei, então? Orarei com o espírito e orarei também com o entendimento;
14.15
cp.
cantarei salmos com o espírito e cantarei também com o entendimento. 16De outra forma, se bendisseres com o espírito, como dirá o
14.16
cp.
amém às tuas
14.16
Mt 15.36
ações de graças aquele que ocupa o lugar de indouto, visto que não sabe o que dizes? 17Tu, na verdade, dás bem as graças, mas o outro não é
14.17
1Co 14.4-5,12,26
Rm 14.19
edificado. 18Dou graças a Deus que falo em línguas mais que todos vós; 19mas, na igreja, eu, antes, quero falar cinco palavras com o meu entendimento, para que instrua também a outros, do que dez mil palavras em língua.

20

14.20
Rm 1.13
Irmãos,
14.20
Ef 4.14Hb 5.12
não vos torneis meninos no juízo. Na malícia, contudo,
14.20
cp.
sede crianças; mas no juízo tornai-vos homens feitos. 21
14.21
Jo 10.341Co 14.34
Is 28.11
Na Lei está escrito: Por homens de outras línguas e por lábios de estrangeiros, falarei a este povo, e nem assim me ouvirá, diz o Senhor. 22Assim línguas são para sinal, não aos que creem, mas aos incrédulos;
14.22
1Co 14.1
a profecia, porém, não aos incrédulos, mas aos que creem. 23Se, portanto, a igreja inteira se reunir num mesmo lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou incrédulos, não dirão que
14.23
cp.
estais loucos? 24Se, porém, todos profetizarem, e entrar algum incrédulo ou indouto, por todos é
14.24
Jo 16.8
convencido, por todos é julgado. 25Os
14.25
cp.
segredos do seu coração se tornam manifestos; e, assim,
14.25
Lc 17.16
caindo com o rosto em terra, adorará a Deus,
14.25
Is 45.14
Lc 8.23Dn 2.47
At 4.13
declarando que realmente Deus está entre vós.

A necessidade de ordem no culto

26

14.26
1Co 14.15
Que farei, pois,
14.26
Rm 1.13
irmãos? Quando vos congregais,
14.26
cp.
cada um tem
14.26
Ef 5.19
salmo, tem
14.26
1Co 14.6
ensino, tem revelação, tem
14.26
1Co 14.2
língua, tem
14.26
1Co 14.5,13,271Co 12.10
interpretação. Que
14.26
Rm 14.19
tudo se faça para edificação. 27Se alguém falar em língua, não falem senão dois ou, quando muito, três, e cada um por sua vez; haja um que interprete; 28mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja e fale consigo e com Deus. 29Falem
14.29
cp.
os profetas, dois ou três, e os outros
14.29
cp.
julguem. 30Se for dada alguma revelação a outrem que estiver sentado, cale-se o primeiro. 31Pois todos, um após outro, podeis profetizar, para que todos aprendam e todos sejam exortados. 32Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas, 33porque Deus não é Deus de
14.33
cp.
confusão, mas de paz.

Como em

14.33
cp.
todas as igrejas dos
14.33
At 9.13
santos, 34as mulheres
14.34
cp.
estejam caladas nas igrejas, pois não lhes é permitido falar;
14.34
cp.
mas estejam em sujeição, como também diz
14.34
cp.
a Lei. 35Se, porém, querem aprender alguma coisa, perguntem-na em casa a seus maridos porque é vergonhoso para uma mulher o falar na igreja. 36Porventura, saiu de vós a palavra de Deus ou não veio ela senão para vós?

37

14.37
cp.
Se alguém se considera profeta ou
14.37
1Co 2.15
espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo
14.37
cp.
são mandamentos do Senhor; 38mas, se alguém desconhece, é ele desconhecido.

39Assim, meus irmãos,

14.39
1Co 12.31
aspirai
14.39
1Co 14.113.2
a profetizar e não proibais o falar em línguas. 40Mas
14.40
1Co 14.33
faça-se tudo com decência e ordem.

15

A ressurreição dos mortos. A ressurreição de Cristo

151

15.1
Gl 1.11Rm 2.16
Eu vos lembro, irmãos, o
15.1
1Co 3.6
4.15Rm 2.16
evangelho que vos anunciei, o qual também recebestes,
15.1
Rm 5.2Rm 11.20
2Co 1.24
e no qual estais firmes, 2e pelo qual sois salvos,
15.2
Rm 11.22
se é que o conservais, como vo-lo preguei,
15.2
Gl 3.4
salvo se crestes em vão. 3Pois
15.3
1Co 11.23
eu vos entreguei primeiramente o que também recebi: que Cristo morreu
15.3
Jo 1.29
Gl 1.4
Hb 5.1,3
1Pe 2.24
por nossos pecados,
15.3
Is 53.5-12
Mt 26.24
Lc 24.25-27
At 8.3217.226.22
segundo as Escrituras, e que foi sepultado, 4e que foi
15.4
Mt 16.21
Jo 2.21At 2.24
ressuscitado ao terceiro dia, segundo
15.4
Sl 16.8At 2.31
26.22
as Escrituras, 5e que
15.5
Lc 24.34
apareceu a
15.5
1Co 1.12
Cefas e então
15.5
Mc 16.14
aos doze. 6Depois, apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma vez, dos quais a maior parte permanece até agora, mas alguns
15.6
At 7.60
1Co 15.18,20
já dormiram. 7Depois, apareceu a
15.7
At 12.17
Tiago e, então,
15.7
cp.
a todos os apóstolos; 8e, por último de todos,
15.8
1Co 9.1At 9.3,8
22.6-11
26.12-18
apareceu também a mim, como a um abortivo. 9Pois eu sou
15.9
Ef 3.82Co 12.11
1Tm 1.15
o mínimo dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, porque
15.9
At 8.3
persegui a igreja de Deus; 10mas,
15.10
Rm 12.3
pela graça de Deus, sou o que sou, e a sua graça, que me foi concedida, não se tornou vã; antes,
15.10
2Co 11.23
Cl 1.29
1Tm 4.10
trabalhei mais abundantemente que todos eles;
15.10
cp.
não eu, contudo, mas a graça de Deus comigo. 11Portanto, seja eu ou sejam eles, assim pregamos, e assim crestes.

12Ora, se se prega que Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós que

15.12
cp.
não há ressurreição de mortos? 13Mas, se não há ressurreição de mortos, nem Cristo foi ressuscitado; 14e,
15.14
1Ts 4.14
se Cristo não foi ressuscitado, é logo vã a nossa pregação, é também vã a vossa fé. 15Somos conhecidos também por falsas testemunhas de Deus, porque testificamos contra Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual ele não
15.15
At 2.24
ressuscitou, se, com efeito, os mortos não são ressuscitados. 16Pois, se os mortos não são ressuscitados, nem Cristo foi ressuscitado; 17mas, se Cristo não foi ressuscitado, a vossa fé é vã, e
15.17
Rm 4.25
estais ainda em vossos pecados. 18Também, por conseguinte,
15.18
1Ts 4.16
Ap 14.13
1Co 15.6
os que dormiram em Cristo pereceram. 19Se nesta vida temos unicamente esperado em Cristo, somos
15.19
cp.
de todos os homens os mais dignos de lástima.

Cristo, as primícias dos que dormem

20Mas, agora,

15.20
1Pe 1.3
At 2.24
Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, sendo ele as
15.20
1Co 15.23
At 26.23
Ap 1.5
primícias dos que dormem. 21Pois, desde que a morte veio
15.21
Rm 5.12
por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. 22Pois,
15.22
Rm 5.14-18
assim como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos serão vivificados. 23Mas cada um na sua ordem. As primícias, Cristo; depois,
15.23
1Co 15.52
1Co 6.14
1Ts 4.16
os que são de Cristo,
15.23
1Ts 2.19
na sua vinda. 24Então, virá o fim, quando ele entregar
15.24
cp.
o reino ao
15.24
Ef 5.20
Deus e Pai, quando houver destruído
15.24
Rm 8.38
todo domínio e toda autoridade e poder. 25Pois é necessário que ele reine,
15.25
Sl 110.1Mt 22.44
até que ponha todos os seus inimigos debaixo dos seus pés. 26O último inimigo que será
15.26
2Tm 1.10Ap 20.14
21.4
destruído é a morte. 27Porque:
15.27
Sl 8.6
Todas as coisas sujeitou debaixo dos pés dele. Mas, quando se diz que
15.27
Ef 1.22
Hb 2.8
Mt 11.27
28.18
todas as coisas lhe estão sujeitas, claro é que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. 28Quando
15.28
Fp 3.21
tudo lhe estiver sujeito, então, também o mesmo Filho estará sujeito àquele que lhe sujeitou todas as coisas, para que
15.28
1Co 12.63.23
Deus seja em todas as coisas.

O batismo pelos mortos

29De outra maneira, que farão os que se batizam pelos mortos? Se, realmente, os mortos não são ressuscitados, por que, então, se batizam por eles? 30Por que nos expomos também nós

15.30
2Co 11.26
a perigos a toda hora? 31Declaro, irmãos, pelo regozijo que tenho a vosso respeito em Cristo Jesus, nosso Senhor, que
15.31
Rm 8.36
morro todos os dias. 32Se eu, como homem,
15.32
2Co 1.8
combati com as feras em
15.32
1Co 16.8At 18.19
Éfeso, que me aproveita isso? Se os mortos não são ressuscitados,
15.32
Is 22.1356.12
Lc 12.19
comamos e bebamos, porque amanhã morreremos. 33
15.33
1Co 6.9
Não vos deixeis enganar: más companhias corrompem bons costumes. 34
15.34
Rm 13.11
Despertai para a justiça e não pequeis; pois alguns
15.34
cp.
não têm conhecimento de Deus;
15.34
1Co 6.5
digo isso para vos envergonhar.

Os mortos terão corpos apropriados

35Mas

15.35
cp.
alguém dirá: Como são
15.35
cp.
ressuscitados os mortos? E em que qualidade de corpo veem? 36
15.36
Lc 11.40
Insensato, o que tu
15.36
Jo 12.24
semeias não se vivifica sem que morra; 37e o que semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o mero grão, como, por exemplo, de trigo ou de alguma outra coisa; 38Deus, porém, lhe dá um corpo como lhe aprouve e,
15.38
Gn 1.11
a cada uma das sementes, um corpo próprio. 39Nem toda carne é a mesma carne, mas uma é a dos homens, outra, a dos animais, outra, a das aves, e outra, a dos peixes. 40Também há corpos celestes e corpos terrestres; mas uma é a glória dos celestes, e outra, a dos terrestres. 41Uma é a glória do sol, outra, a glória da lua, e outra, a glória das estrelas; porque uma estrela difere de outra em glória. 42
15.42
Dn 12.3Mt 13.43
Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se em
15.42
1Co 15.50
Rm 8.21
Gl 6.8
corrupção, é ressuscitado em
15.42
Rm 2.7
incorrupção; semeia-se em vileza, é ressuscitado em
15.42
Fp 3.21Cl 3.4
glória; 43semeia-se em fraqueza, é ressuscitado em poder; 44semeia-se
15.44
cp.
corpo animal, é ressuscitado
15.44
cp.
corpo espiritual. Se há corpo animal, também o há espiritual. 45Assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em
15.45
Gn 2.7
alma vivente; o
15.45
Rm 5.14
último Adão, em
15.45
Jo 5.21
6.57Rm 8.2
espírito vivificante. 46Mas não é primeiro o espiritual, senão o animal; depois, o espiritual. 47O primeiro homem é da
15.47
Jo 3.31
terra, é
15.47
Gn 2.7
3.19
terreno; o segundo homem é do céu. 48Qual o terreno, tais também os terrenos; qual o celestial, tais
15.48
Fp 3.20
também os celestiais; 49e,
15.49
Gn 5.3
como trouxemos a imagem do terreno, também
15.49
Rm 8.29
traremos a imagem do celestial.

Seremos mudados

50Ora, digo isto, irmãos, que a

15.50
Mt 16.17Jo 3.5
carne e o sangue não podem
15.50
1Co 6.9
herdar o reino dos céus, nem a corrupção herdar a
15.50
Rm 2.7
incorrupção. 51Eis que vos digo
15.51
1Co 13.2
um mistério: nem todos dormiremos, mas todos
15.51
cp.
seremos mudados, 52num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta.
15.52
Mt 24.31
A trombeta soará,
15.52
Jo 5.28
os mortos serão ressuscitados incorruptíveis,
15.52
1Ts 4.15,17
e nós seremos mudados. 53Pois é necessário que este corpo corruptível se revista da incorruptibilidade e que
15.53
2Co 5.4
este corpo mortal se revista da imortalidade. 54Mas, quando este corpo corruptível se revestir da incorruptibilidade e este corpo mortal se revestir da imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita:
15.54
Is 25.8
Tragada foi a morte na vitória. 55
15.55
Os 13.14
Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? 56O aguilhão
15.56
Rm 5.12
da morte é o pecado, e a
15.56
Rm 3.20
4.15
7.8
força do pecado é a lei; 57mas,
15.57
2Co 2.14
Rm 7.25
graças a Deus, que nos dá a
15.57
cp.
vitória por nosso Senhor Jesus Cristo. 58Portanto,
15.58
cp.
meus amados irmãos, sede firmes, constantes, aplicando-vos cada vez mais
15.58
1Co 16.10
à obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.