Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
74

A assolação do santuário, e oração para que Deus se lembrasse do seu povo aflito

Masquil de Asafe

741Ó DEUS, por que nos rejeitaste para sempre? Por que se acende a tua ira contra as ovelhas do teu pasto? 2Lembra-te da tua congregação, que compraste

74.2:
Êx 15.16
Dt 9.29
desde a antiguidade; 74.2: ou da triboda tua herança que remiste, deste monte de Sião, em que habitaste. 3Levanta-te contra as perpétuas assolações, contra tudo o que o inimigo tem feito de mal no santuário. 4Os teus inimigos bramam
74.4:
Lm 2.7
no meio dos lugares santos; põem neles as suas insígnias por sinais. 5Parecem-se com o homem que avança com o seu machado através da espessura do arvoredo. 6Eis que toda a obra entalhada quebram com machados e martelos. 7Lançaram fogo ao teu santuário; profanaram, derribando-a até ao chão, a morada do teu nome. 8Disseram nos seus corações: Despojemo-los duma vez. Queimaram todos os lugares santos de Deus na terra. 9Já não vemos os nossos sinais, já não profeta: nem entre nós alguém que saiba até quando isto durará. 10Até quando, ó Deus, nos afrontará o adversário? Blasfemará o inimigo o teu nome para sempre? 11Por que retiras a tua mão, sim a tua destra? tira-a do teu seio, e consome-os. 12Todavia, Deus é o meu Rei desde a antiguidade, operando a salvação no meio da terra. 13Tu dividiste o
74.13:
Êx 14.21
mar pela tua força; quebrantaste as cabeças dos monstros das águas. 14Fizeste em pedaços as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto. 15Fendeste a fonte e o ribeiro: secaste os rios impetuosos. 16Teu é o dia e tua é a noite:
74.16:
Gn 1.14
preparaste a luz e o sol. 17Estabeleceste todos os limites da terra;
74.17:
Gn 8.22
verão e inverno tu os formaste. 18Lembra-te disto:
74.18:
Ap 16.19
que o inimigo afrontou ao Senhor, e que um povo louco blasfemou o teu nome. 19Não entregues às feras a alma da tua rola: não te esqueças para sempre da vida dos teus aflitos. 20Atenta para o teu concerto; pois os lugares tenebrosos da terra estão cheios de moradas de 74.20: Hebr. violênciacrueldade. 21Oh! não volte envergonhado o oprimido: Louvem o teu nome o aflito e o necessitado. 22Levanta-te, ó Deus, pleiteia a tua própria causa; lembra-te da afronta que o louco te faz cada dia. 23Não te esqueças 74.23: ou da vozdos gritos dos teus inimigos: o tumulto daqueles que se levantam contra ti aumenta continuamente.

75

O profeta louva a Deus e promete fazer observar a justiça

Para o cantor-mor Al-Tachete. Salmo e cântico de Asafe

751A TI, ó Deus, glorificamos, a ti damos louvor, pois o teu nome está perto, as tuas maravilhas o declaram. 2Quando eu ocupar o lugar determinado, julgarei retamente. 3Dissolve-se a terra e todos os seus moradores, mas eu fortaleci as suas colunas. (Selá.) 4Disse eu aos loucos: Não enlouqueçais; e aos ímpios: Não levanteis a fronte: 5Não levanteis a vossa fronte altiva, nem faleis com cerviz dura; 6Porque nem do oriente, nem do ocidente, nem do deserto vem a exaltação. 7Mas Deus é o Juiz; a um abate, e a outro exalta. 8Porque na mão do Senhor há um cálice cujo vinho ferve, cheio de mistura, e dá a beber dele; certamente todos os ímpios da terra sorverão e beberão as suas fezes. 9Mas, quanto a mim, anunciarei para sempre; cantarei louvores ao Deus de Jacó. 10E 75.10: Hebr. serrarei todos os chifresquebrantarei todas as forças dos ímpios, mas as forças dos justos serão exaltadas.

76

A majestade e o poder de Deus

Salmo e cântico de Asafe, para o cantor-mor sobre Neginote

761CONHECIDO é Deus em Judá: grande é o seu nome em Israel. 2E em Salém está o seu tabernáculo, e a sua morada em Sião. 3Ali quebrou as frechas do arco; o escudo, e a espada, e a guerra. (Selá.) 4Tu és mais ilustre, e glorioso, do que os montes de presa. 5Os que são ousados de coração foram despojados; dormiram o seu sono, e nenhum dos homens de força achou as suas mãos. 6À tua repreensão,

76.6:
Êx 15.1,21
Ez 39.20
ó Deus de Jacó, carros e cavalos são lançados num sono profundo. 7Tu, tu és terrível; e quem subsistirá à tua vista, se te irares? 8Desde os céus fizeste ouvir o teu juízo; a terra tremeu e se aquietou, 9Quando Deus se levantou para julgar, para livrar a todos os mansos da terra. (Selá.) 10Porque a cólera do homem redundará em teu louvor, o restante da cólera tu o restringirás. 11Fazei votos, e pagai ao Senhor, vosso Deus: tragam presentes, os que estão em redor dele, àquele que é tremendo. 12Ele ceifará o espírito dos príncipes: é tremendo para com os reis da terra.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]