Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
71

Davi confia em Deus, e roga-lhe que o livre dos seus inimigos, e o proteja

711EM ti, Senhor, confio; nunca seja eu confundido. 2Livra-me na tua justiça, e faze que eu escape: inclina os teus ouvidos para mim, e salva-me. 3Sê tu a minha habitação forte, à qual possa recorrer continuamente: deste um mandamento que me salva, pois tu és a minha rocha e a minha fortaleza. 4Livra-me, meu Deus, das mãos do ímpio, das mãos do homem injusto e cruel. 5Pois tu és a minha esperança, Senhor Deus; tu és a minha confiança desde a

71.5:
Jr 17.7,17
minha mocidade. 6Por ti tenho sido sustentado desde o ventre: tu és aquele que me tiraste das entranhas de minha mãe: o meu louvor será para ti constantemente. 7Sou como um prodígio para muitos, mas tu és o meu refúgio forte. 8Encha-se a minha boca do teu louvor e da tua glória todo o dia. 9Não me rejeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se for acabando a minha força. 10Porque os meus inimigos falam contra mim, e os que espiam a minha alma consultam juntos, 11Dizendo: Deus o desamparou: persegui-o prendei-o, pois não quem o livre. 12Ó Deus, não te alongues de mim: meu Deus, apressa-te em ajudar-me. 13Sejam confundidos e consumidos os que são adversários da minha alma; cubram-se de opróbrio e de confusão aqueles que procuram o meu mal. 14Mas eu esperarei continuamente, e te louvarei cada vez mais. 15A minha boca relatará as bênçãos da tua justiça e da tua salvação todo o dia, posto que não conheça o seu número. 16Sairei na força do Senhor Deus; farei menção da tua justiça, e só dela. 17Ensinaste-me, ó Deus, desde a minha mocidade; e até aqui tenho anunciado as tuas maravilhas. 18Agora também, quando estou velho e de cabelos brancos, não me desampares, ó Deus, até que tenha anunciado a tua força a esta geração, e o teu poder a todos os vindouros. 19Também a tua justiça, ó Deus, está muito alta, pois fizeste grandes cousas: Ó Deus, quem é semelhante a ti? 20Tu, que me tens feito ver muitos males e angústias, me
71.20:
Os 6.1-2
darás ainda a vida, e me tirarás dos abismos da terra. 21Aumentarás a minha grandeza, e de novo me consolarás. 22Também eu te louvarei com o saltério bem como à tua verdade, ó meu Deus; cantar-te-ei com a harpa, ó
71.22:
Is 60.9
Santo de Israel. 23Os meus lábios exultarão quando eu te cantar, assim como a minha alma que tu remiste. 24A
71.24:
Sl 71.8,15
minha língua falará da tua justiça todo o dia: pois estão confundidos e envergonhados aqueles que procuram o meu mal.

72

A excelência, justiça e glória do reino de Salomão prefiguram as do Messias

Salmos 72, título: ou por Salomãode Salomão

721Ó DEUS, dá ao rei os teus juízos, e a tua justiça ao filho do rei. 2Ele julgará

72.2:
Is 11.2-4
32.1
ao teu povo com justiça, e aos teus pobres com juízo. 3Os montes trarão paz ao povo e os outeiros justiça. 4Julgará os aflitos do povo, salvará os filhos do necessitado, e quebrantará o opressor. 5Temer-te-ão enquanto durar o sol e a lua, de geração em geração. 6Ele descerá
72.6:
Os 6.3
como a chuva sobre a erva ceifada, como os chuveiros que umedecem a terra. 7Nos seus dias florescerá o justo,
72.7:
Is 2.4
Dn 2.44
e abundância de paz haverá enquanto durar a lua. 8Dominará de mar a mar, e desde o rio até às extremidades da terra. 9Aqueles que habitam no deserto se inclinarão ante ele, e os seus inimigos lamberão o pó. 10Os reis de Tarsis e das ilhas trarão presentes; os reis de Seba e de Sabá oferecerão dons. 11E todos os reis se prostrarão perante ele; todas as nações o servirão. 12Porque ele livrará ao necessitado quando clamar, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude. 13Compadecer-se-á do pobre e do aflito, e salvará as almas dos necessitados. 14Libertará as suas almas do engano e da violência, e precioso será o seu sangue aos olhos dele. 15E viverá, e se lhe dará do ouro de Seba; e continuamente se fará por ele oração; e todos os dias o bendirão. 16Haverá um punhado de trigo na terra sobre os cumes dos montes; o seu fruto se moverá como o Líbano, e os da cidade florescerão como a erva da terra. 17O seu nome permanecerá eternamente; o seu nome se irá propagando de pais a filhos, enquanto o sol durar; e os homens serão abençoados nele: todas as nações lhe chamarão bem-aventurado. 18Bendito
72.18:
Gn 12.3
22.18
Jr 4.2
seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas. 19E bendito seja para sempre o seu nome glorioso: e encha-se toda a terra da sua glória. Amém e Amém. 20Findam aqui as orações de Davi, filho de Jessé.

73

A prosperidade dos ímpios faz duvidar da justiça de Deus, mas o fim deles a demonstra

Salmo de Asafe

731VERDADEIRAMENTE bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração. 2Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos. 3Pois eu tinha inveja dos soberbos, ao ver a prosperidade dos ímpios. 4Porque não apertos na sua morte, mas firme está a sua força. 5Não se acham em trabalhos como outra gente, nem são afligidos como outros homens. 6Pelo que a soberba os cerca como um colar; vestem-se de violência como de um adorno. 7Os olhos deles estão inchados de gordura: superabundam as imaginações do seu coração. 8São corrompidos e tratam maliciosamente de opressão;

73.8:
Os 7.16
2Pe 2.18
falam arrogantemente. 9Erguem a sua boca contra os céus, e a sua língua percorre a terra. 10Pelo que o seu povo volta aqui, e águas de copo cheio se lhes espremem. 11E dizem: Como o sabe Deus? ou há conhecimento no Altíssimo? 12Eis que estes são ímpios; e, todavia, estão sempre em segurança, e se lhes aumentam as riquezas. 13Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração
73.13:
Ml 3.14
e lavado as minhas mãos na inocência. 14Pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã. 15Se eu dissesse: Também falarei assim; eis que ofenderia a geração de teus filhos. 16Quando pensava em compreender isto,
73.16:
Ec 8.17
fiquei sobremodo perturbado; 17Até que entrei no santuário de Deus: então entendi eu o fim deles. 18Certamente tu os puseste em lugares escorregadios: tu os lanças em destruição. 19Como caem na desolação, quase num momento! ficam totalmente consumidos de terrores. 20Como faz com um sonho, o que acorda, assim, ó Senhor, quando acordares desprezarás a aparência deles. 21Assim o meu coração se azedou, e sinto picadas nos meus rins. 22Assim me embruteci, e nada sabia; era como animal perante ti. 23Todavia estou de contínuo contigo; tu me seguraste pela minha mão direita. 24Guiar-me-ás com o teu conselho, e depois me receberás em glória. 25A quem tenho
73.25:
Cl 3.8
eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti. 26A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a 73.26: Hebr. rochafortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre. 27Pois eis que os que se alongam de ti, perecerão; tu
73.27:
Êx 34.15
tens destruído todos aqueles que, apostatando, se desviam de ti. 28Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor Deus, para anunciar todas as tuas obras.