Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
59

Davi suplica a Deus que o livre, e protesta a sua inocência

Mictão de Davi para o cantor-mor Al-Tachete, quando Saul lhes mandou que guardassem a sua casa para o matarem

591LIVRA-ME, meu Deus, dos meus inimigos, defende-me daqueles que se levantam contra mim. 2Livra-me dos que praticam a iniquidade, e salva-me dos homens sanguinários. 3Pois eis que armam ciladas à minha alma; os fortes se ajuntam contra mim, sem transgressão minha ou pecado meu, ó Senhor. 4Eles correm, e se preparam, sem culpa minha; desperta para me ajudares, e olha. 5Tu, pois, ó Senhor, Deus dos Exércitos, Deus de Israel, desperta para visitares todas as nações: não tenhas misericórdia de nenhum dos pérfidos que praticam a iniquidade. (Selá.) 6Voltam à tarde; dão ganidos como cães, rodeando a cidade. 7Eis que eles dão gritos com as suas bocas; espadas estão nos seus lábios; porque (dizem eles), quem ouve? 8Mas tu, Senhor, te rirás deles: zombarás de todos os gentios. 9Por causa da sua força eu te aguardarei; pois Deus é a minha alta defesa. 10O Deus da minha misericórdia me prevenirá; Deus me fará ver o meu desejo sobre os meus inimigos. 11Não os mates, para que o meu povo se não esqueça: espalha-os pelo teu poder e abate-os, ó Senhor, nosso escudo. 12Pelo pecado da sua boca e pelas palavras dos seus lábios fiquem presos na sua soberba; e pelas maldições e pelas mentiras que proferem. 13Consome-os na tua indignação, consome-os, de modo que não existam mais; para que saibam que Deus reina em Jacó até aos fins da terra. (Selá.) 14E tornem a vir à tarde, e deem ganidos como cães, rodeando a cidade. 15Vagueiem buscando o que comer, passem a noite sem se fartarem. 16Eu porém cantarei a tua força; pela manhã louvarei com alegria a tua misericórdia: porquanto tu foste o meu alto refúgio, e proteção no dia da minha angústia. 17A ti, ó fortaleza minha, cantarei louvores; porque Deus é a minha defesa, é o Deus da minha misericórdia.

60

Ação de graças por várias vitórias

Mictão de Davi, de doutrina, para o cantor-mor, sobre Susã-Edute, quando pelejou com os siros de Mesopotâmia, e com os siros de Zobá, e quando Joabe, voltando, feriu no Vale do Sal a doze mil dos idumeus

601Ó DEUS, tu nos rejeitaste, tu nos espalhaste, tu tens estado indignado: oh! volta-te para nós. 2Abalaste a terra, e a fendeste; sara as suas fendas, pois ela treme. 3Fizeste ver ao teu povo duras cousas;

60.3:
Is 51.17
Jr 51.17,22
fizeste-nos beber o vinho da perturbação. 4Deste um estandarte aos que te temem, para o arvorarem no alto, pela causa da verdade. (Selá.) 5Para que os teus amados sejam livres, salva-nos com a tua destra, e ouve-nos; 6Deus disse na sua santidade: Eu me regozijarei,
60.6:
Gn 12.6
Js 1.6
repartirei a Siquém e medirei o vale de Sucote. 7Meu é Galaade, e meu é Manassés; Efraim é a força da minha cabeça; Judá é o meu legislador. 8Moabe é a minha bacia de lavar; sobre Edom lançarei o meu sapato; alegra-te, ó Palestina, por minha causa. 9Quem me conduzirá à cidade forte? Quem me guiará até Edom? 10Não serás tu, ó Deus, que nos tinhas rejeitado? tu, ó Deus, que não saíste com os nossos exércitos? 11Dá-nos auxílio na angústia, porque vão é 60.11: ou a salvaçãoo socorro do homem. 12Em Deus faremos proezas; porque ele é que pisará os nossos inimigos.

61

Davi confia em Deus como seu refúgio

Salmo de Davi para o cantor-mor, sobre Neginote

611OUVE, ó Deus, o meu clamor; atende à minha oração. 2Desde o fim da terra clamo a ti, por estar abatido o meu coração; leva-me para a rocha que é mais alta do que eu. 3Pois tens sido o meu refúgio, e uma torre forte contra o inimigo. 4Habitarei no teu tabernáculo para sempre: abrigar-me-ei no oculto das tuas asas. (Selá.) 5Pois tu, ó Deus, ouviste os meus votos: deste-me a herança dos que temem o teu nome. 6Prolongarás os dias do rei; e os seus anos serão como muitas gerações. 7Ele permanecerá diante de Deus para sempre; prepara-lhe misericórdia e verdade que o preservem. 8Assim cantarei salmos ao teu nome perpetuamente, para pagar os meus votos de dia em dia.