Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
53

O ímpio nega a existência de Deus e se corrompe

Masquil de Davi para o cantor-mor sobre Maalate

531DISSE o 53.1: ou louconéscio no seu coração: Não Deus. Têm-se corrompido,

53.1:
Rm 3.10
e têm cometido abominável iniquidade: não ninguém que faça o bem. 2Deus olhou desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus. 3Desviaram-se todos, e juntamente se fizeram imundos; não quem faça o bem, não há sequer um. 4Acaso não têm conhecimento
53.4:
Jr 4.22
estes obreiros da iniquidade, os quais comem o meu povo como se comessem pão? eles não invocam a Deus. 5Eis que se acharam em grande temor, onde temor não havia,
53.5:
Ez 6.5
porque Deus espalhou os ossos daquele que te cercava; tu os confundiste, porque Deus os rejeitou. 6Oh! se de Sião já viesse a salvação de Israel! Quando Deus fizer voltar os cativos do seu povo, então se regozijará Jacó e se alegrará Israel.

54

Davi roga a Deus que o salve dos seus inimigos

Masquil de Davi para o cantor-mor sobre Neginote, quando os zifeus vieram e disseram a Saul: Porventura não está escondido entre nós?

541SALVA-ME, ó Deus, pelo teu nome, e faze-me justiça pelo teu poder. 2Ó Deus, ouve a minha oração, inclina os teus ouvidos às palavras da minha boca. 3Porque estranhos se levantam contra mim, e tiranos procuram a minha vida: não põem a Deus perante os seus olhos. (Selá.) 4Eis que Deus é o meu ajudador; o Senhor está com aqueles que sustêm a minha alma. 5Ele pagará o mal daqueles que me andam espiando: destrói-os por tua verdade. 6Eu te oferecerei voluntariamente sacrifícios; louvarei o teu nome, ó Senhor, porque é bom, 7Porque me livrou de toda a angústia; e os meus olhos viram cumprido o meu desejo acerca dos meus inimigos.

55

Davi queixa-se da malícia dos seus inimigos; persevera em oração, e lança a sua carga sobre o Senhor

Masquil de Davi para o cantor-mor, sobre Neginote

551INCLINA, ó Deus, os teus ouvidos à minha oração, e não te escondas da minha súplica. 2Atende-me, e ouve-me: lamento-me e

55.2:
Is 38.14
rujo. 3Por causa do clamor do inimigo e da opressão do ímpio: pois lançam sobre mim iniquidade, e com furor me aborrecem. 4O meu coração está dorido dentro de mim, e terrores de morte sobre mim caíram. 5Temor e tremor me sobrevêm; e o horror me cobriu. 6Pelo que disse: Ah! quem me dera asas como de pomba! voaria, e estaria em descanso. 7Eis que fugiria para longe, e pernoitaria no deserto. (Selá.) 8Apressar-me-ia a escapar da fúria do vento e da tempestade. 955.9: Hebr. Devora-osDespedaça,
55.9:
Jr 6.7
Senhor, e divide as suas línguas, pois tenho visto violência e contenda na cidade. 10De dia e de noite andam ao redor dela, sobre os seus muros; iniquidade e malícia estão no meio dela. 11Maldade lá dentro: astúcia e engano não se apartam das suas ruas. 12Pois não era um inimigo que me afrontava: então eu o teria suportado; nem era o que me aborrecia que se engrandecia contra mim, porque dele me teria escondido. 13Mas eras tu, homem meu igual, meu guia e meu íntimo amigo. 14Praticávamos juntos suavemente,
55.14:
Sl 42.5
e íamos com a multidão à casa de Deus. 15A morte os assalte, e vivos 55.15: Hebr. desçam ao Sheolos engula a terra; porque maldade nas suas habitações e no seu próprio interior. 16Mas eu invocarei a Deus, e o Senhor me salvará. 17De tarde
55.17:
Dn 6.10
Lc 18.1
e de manhã e ao meio-dia orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz. 18Livrou em paz a minha alma da guerra que me moviam; pois eram muitos contra mim. 19Deus ouvirá; e os afligirá Aquele que preside desde a antiguidade (Selá), porque não há neles nenhuma mudança, e tão pouco temem a Deus. 20
55.20:
At 12.1
Puseram suas mãos nos que tinham paz com ele: romperam a sua aliança. 21A sua boca era mais macia do que a manteiga, mas no seu coração, guerra; as suas palavras eram mais brandas do que o azeite: todavia, eram espadas nuas. 22Lança
55.22:
Mt 6.25
o teu cuidado sobre o Senhor, e ele te susterá: nunca permitirá que o justo seja abalado. 23Mas tu, ó Deus, os farás descer ao poço da perdição; homens de sangue e de fraude não viverão metade dos seus dias; mas eu em ti confiarei.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]