Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
3

Davi confia em Deus na sua adversidade

Salmo de Davi, quando fugiu de diante da face de Absalão seu filho

31SENHOR, como se têm

3.1:
2Sm 15.12
16.15
multiplicado os meus adversários! São muitos os que se levantam contra mim. 2Muitos dizem da minha alma: Não salvação
3.2:
2Sm 16.8
para ele em Deus. (Selá.) 3Mas tu, Senhor, és um escudo
3.3:
Gn 15.1
para mim, a minha glória, e o que exalta a minha cabeça. 4Com a minha voz clamei ao Senhor, ele ouviu-me desde o seu santo monte. (Selá.) 5Eu me deitei e dormi;
3.5:
Lv 26.6
Pv 3.24
acordei, porque o Senhor me sustentou. 6Não terei medo de dez milhares de pessoas que se puseram contra mim ao meu redor. 7Levanta-te, Senhor; salva-me, Deus meu, pois
3.7:
Jó 16.10
29.17
Lm 3.30
feriste a todos os meus inimigos nos queixos; quebraste os dentes aos ímpios. 8A salvação vem
3.8:
Pv 21.31
Is 43.11
Jr 3.23
Os 13.4
Ap 7.10
19.1
do Senhor; sobre o teu povo seja a tua bênção. (Selá.)

4

Davi ora a Deus na sua angústia

Salmo de Davi para o cantor-mor, sobre Neginote

41OUVE-ME quando eu clamo, ó Deus da minha justiça; na angústia me deste largueza; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração. 2Filhos dos homens, até quando convertereis a minha glória em infâmia? Até quando amareis a vaidade e buscareis a mentira? (Selá.) 3Sabei

4.3:
2Tm 2.19
2Pe 2.9
pois que o Senhor separou para si aquele que lhe é querido; o Senhor ouvirá quando eu clamar a ele. 4Perturbai-vos
4.4:
2Cr 13.5
Ef 4.26
e não pequeis; falai com o vosso coração sobre a vossa cama, e calai-vos. (Selá.) 5Oferecei sacrifícios
4.5:
Dt 33.19
de justiça, e confiai no Senhor. 6Muitos dizem: Quem nos mostrará o bem? Senhor,
4.6:
Nm 6.26
exalta sobre nós a luz do teu rosto. 7Puseste alegria no meu coração, mais do que no tempo em que se multiplicaram
4.7:
Is 9.3
o seu trigo e o seu vinho. 8Em paz também me deitarei e dormirei,
4.8:
Jó 11.18-19
porque só tu,
4.8:
Lv 25.18-19
Senhor, me fazes habitar em segurança.

5

Deus aborrece os ímpios e abençoa os justos

Salmo de Davi para o cantor-mor, sobre Neilote

51DÁ ouvidos às minhas palavras, ó Senhor; atende à minha meditação. 2Atende à voz do meu clamor, Rei meu e Deus meu, pois a ti orarei. 3Pela manhã ouvirás a minha voz, ó Senhor; pela manhã me apresentarei a ti, e vigiarei. 4Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniquidade, nem contigo habitará o mal. 5Os loucos não

5.5:
Hc 1.13
pararão à tua vista;
5.5:
Ap 21.8
aborreces a todos os que praticam a maldade. 6Destruirás aqueles que proferem a mentira; o Senhor aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento. 7Mas eu entrarei em tua casa pela grandeza da tua benignidade; e em teu temor me inclinarei para o teu santo templo. 8Senhor, guia-me na tua justiça, por causa dos meus inimigos; aplana diante de mim o teu caminho. 9Porque não retidão na boca deles; as suas entranhas são verdadeiras maldades, a sua garganta é um sepulcro aberto; lisonjeiam com a sua língua. 10Declara-os culpados, ó Deus; caiam
5.10:
2Sm 15.31
17.14,23
por seus próprios conselhos; lança-os fora por causa da multidão de suas transgressões, pois se revoltaram contra ti. 11Mas alegrem-se
5.11:
Is 65.14
todos os que confiam em ti; exultem eternamente, porquanto tu os defendes; e em ti se gloriem os que amam o teu nome. 12Pois tu, Senhor, abençoarás ao justo; circundá-lo-ás da tua benevolência, como de um escudo.