Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
34

Davi louva a Deus, que respondeu às suas súplicas, e exorta a confiar nele

Salmo de Davi, quando mudou o seu semblante perante Abimeleque, que o expulsou, e ele se foi

341LOUVAREI

34.1:
Ef 5.20
1Ts 5.18
ao Senhor em todo o tempo: o seu louvor estará continuamente na minha boca. 2A minha alma se
34.2:
Jr 9.24
1Co 1.31
gloriará no Senhor: os mansos o ouvirão e se alegrarão. 3Engrandecei ao Senhor comigo, e juntos exaltemos o seu nome. 4Busquei
34.4:
Mt 7.7
Lc 11.9
ao Senhor, e ele me respondeu: livrou-me de todos os meus temores. 5Olharam para ele, e foram iluminados; e os seus rostos não ficarão confundidos. 6Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu, e o salvou de todas as suas angústias. 7O anjo
34.7:
Dn 6.22
Hb 1.14
do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra. 8Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia. 9Temei ao Senhor, vós, os seus santos, pois não têm falta alguma aqueles que o temem. 10Os filhos dos leões necessitam e sofrem fome, mas aqueles que buscam ao Senhor de nada têm falta. 11Vinde, meninos, ouvi-me: eu vos ensinarei o temor do Senhor. 12Quem
34.12:
1Pe 3.10-11
é o homem que deseja a vida, que quer largos dias para ver o bem? 13Guarda
34.13:
1Pe 2.22
a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem enganosamente. 14Aparta-te do mal, e faze o bem: procura a paz e segue-a. 15Os olhos
34.15:
1Pe 3.12
do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor. 16A face
34.16:
Lv 17.10
Jr 44.11
Am 9.4
do Senhor está contra os que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória deles. 17Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias. 18Perto
34.18:
Is 57.15
61.1
está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito. 19Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas. 20Ele lhe guarda
34.20:
Jo 19.36
todos os seus ossos; nem sequer um deles se quebra. 21A malícia matará o ímpio, e os que aborrecem o justo serão punidos. 22O Senhor resgata a alma dos seus servos, e nenhum dos que nele confiam será condenado.

35

Davi pede o castigo dos ímpios; descrição da miséria destes e súplica para que Deus os julgue

Salmo de Davi

351PLEITEIA, Senhor, com aqueles que pleiteiam comigo; peleja contra os que pelejam contra

35.1:
Êx 14.25
Lm 3.58
mim. 2Pega do escudo e da rodela, e levanta-te em minha ajuda. 3Tira da lança e 35.3: ou da acha de armas contra os queobstrui o caminho aos que me perseguem; dize à minha alma: Eu sou a tua salvação. 4Sejam
35.4:
Is 29.5
Os 13.3
confundidos e envergonhados os que buscam a minha vida: voltem atrás e envergonhem-se os que contra mim intentam o mal. 5Sejam como pragana perante o vento, o anjo do Senhor os faça fugir. 6Seja o seu caminho tenebroso e escorregadio, e o anjo do Senhor os persiga. 7Porque sem causa encobriram de mim a rede na cova, que sem razão cavaram para a minha alma. 8Sobrevenha-lhe destruição sem o saber, e prenda-o a rede que ocultou; caia ele nessa mesma destruição. 9E a minha alma se alegrará no Senhor; alegrar-se-á na sua salvação. 10Todos os meus ossos dirão: Senhor, quem é como tu, que livras o pobre daquele que é mais forte do que ele? sim, o pobre e o necessitado daquele que o rouba. 11Falsas testemunhas se levantaram: depuseram contra mim cousas que eu não sabia. 12Tornaram-me o mal pelo bem, roubando a minha alma. 13Mas, quanto a mim, quando estavam enfermos, o meu vestido era o saco; humilhava a minha alma com o jejum, e a minha oração voltava para o meu seio. 14Portava-me com ele como se fora meu irmão ou amigo; andava lamentando e muito encurvado, como quem chora por sua mãe. 15Mas eles com a minha adversidade se alegravam e se congregavam: os abjetos se congregavam contra mim, e eu não o sabia; 35.15: ou dilaceravam-serasgavam-me, e não cessavam. 16Como hipócritas zombadores nas festas, rangiam os dentes contra mim. 17Senhor,
35.17:
Hc 1.13
até quando verás isto? resgata a minha alma das suas assolações, e a minha 35.17: Hebr. únicapredileta dos leões. 18Louvar-te-ei na grande congregação: entre muitíssimo povo te celebrarei. 19Não se alegrem de mim os meus inimigos sem razão, nem pisquem os olhos aqueles que me aborrecem sem causa. 20Pois não falam de paz; antes projetam 35.20: ou palavras enganosas contra os quietosenganar os quietos da terra. 21Abrem a boca de par em par contra mim, e dizem: Ah! Ah! os nossos olhos o viram. 22Tu, Senhor, o viste, não te cales; Senhor, não te alongues de mim; 23Desperta e acorda para o meu julgamento, para a minha causa, Deus meu, e Senhor meu. 24Julga-me segundo a tua justiça, Senhor Deus meu, e não deixes que se alegrem de mim. 25Não digam em seus corações: Eia sus, alma nossa! não digam: Nós o havemos devorado. 26Envergonhem-se
35.26:
Sl 35.4
e confundam-se à uma os que se alegram com o meu mal; vistam-se de vergonha e de confusão os que se engrandecem contra mim. 27Cantem
35.27:
Rm 12.15
1Co 12.26
e alegrem-se os que amam a minha justiça, e digam continuamente: O Senhor, que ama a prosperidade do seu servo, seja engrandecido. 28E assim a minha língua falará a tua justiça e do teu louvor todo o dia.

36

A malícia dos ímpios. Nosso refúgio está em Deus, que salva os retos

Salmo de Davi, servo do Senhor, para o cantor-mor

361A PREVARICAÇÃO do ímpio diz no íntimo do seu coração: Não temor

36.1:
Rm 3.18
de Deus perante os seus olhos. 2Porque em seus olhos se lisonjeia, até que a sua iniquidade se mostre detestável. 3As palavras da sua boca são malícia e engano: deixou de entender e de fazer o bem. 4Maquina o mal na sua cama; põe-se em caminho que não é bom: não aborrece o mal. 5A tua misericórdia, Senhor, está nos céus, e a tua fidelidade chega até às mais excelsas nuvens. 6A tua justiça é como as grandes montanhas; os teus juízos são um grande abismo; Senhor, tu conservas os homens e os animais. 7Quão preciosa, é, ó Deus, a tua benignidade, e por isso os filhos dos homens se abrigam à sombra das tuas asas. 8Eles se fartarão da gordura da tua casa, e os farás
36.8:
Ap 22.1
beber da corrente das tuas delícias; 9Porque
36.9:
Jr 2.13
Jo 4.10,14
em ti está o manancial da vida; na tua luz veremos a luz. 10Estende a tua benignidade sobre os que te conhecem, e a tua justiça sobre os retos de coração. 11Não venha sobre mim o pé dos soberbos, e não me mova a mão dos ímpios. 12Ali caem os obreiros da iniquidade; cairão, e não se poderão levantar.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]