Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
135

Deus é louvado pela sua bondade, poder e justiça. A vaidade dos ídolos

1351135.1: Hebr. AleluiaLOUVAI ao Senhor. Louvai o nome do Senhor; louvai-o, servos do Senhor. 2Vós que assistis na casa do Senhor, nos átrios da casa do nosso Deus. 3Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom: cantai louvores ao seu nome, porque é agradável. 4Porque

135.4:
Êx 19.5
Dt 7.6-7
10.15
o Senhor escolheu para si a Jacó, e a Israel para seu tesouro peculiar. 5Porque eu conheço que o Senhor é grande e que o nosso Deus está acima de todos os deuses. 6Tudo o que o Senhor quis, ele o fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos. 7Faz
135.7:
Jr 10.13
51.16
subir os vapores das extremidades da terra: faz os relâmpagos para a chuva: tira os ventos dos seus tesouros. 8Foi ele que feriu os primogênitos do Egito, desde os homens até aos animais; 9Que operou sinais e prodígios no meio de ti, ó Egito, contra Faraó e contra os seus servos; 10Que feriu
135.10:
Nm 21.24-26,34-35
muitas nações, e deu a morte a poderosos reis; 11A Seom, rei dos amorreus, e a Ogue, rei de Basã, e a todos os reinos de Canaã. 12E deu a sua terra em herança, em herança a Israel, seu povo. 13O teu nome, ó Senhor, permanece perpetuamente: e a tua memória, ó Senhor, de geração em geração. 14Pois o Senhor julgará o seu povo, e se arrependerá em atenção aos seus servos. 15Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens. 16Têm boca, mas não falam; têm olhos, e não veem. 17Têm ouvidos, mas não ouvem, nem há respiro algum nas suas bocas. 18Semelhantes a eles se tornem os que os fazem, e todos os que confiam neles. 19Casa de Israel, bendizei ao Senhor; casa de Aarão, bendizei ao Senhor. 20Casa de Levi, bendizei ao Senhor: vós, os que temeis ao Senhor, louvai ao Senhor. 21Bendito seja o Senhor desde Sião, que habita em Jerusalém. Louvai ao Senhor.

136

Deus é louvado pelas suas obras e por sua permanente benignidade

1361136.1: Hebr. AleluiaLOUVAI ao Senhor, porque ele é bom; porque

136.1:
1Cr 16.34,41
2Cr 20.21
a sua benignidade é para sempre. 2Louvai ao Deus dos deuses; porque a sua benignidade é para sempre. 3Louvai ao Senhor dos senhores; porque a sua benignidade é para sempre. 4Aquele que só faz maravilhas; porque a sua benignidade é para sempre. 5Aquele que com entendimento fez os céus;
136.5:
Gn 1.1
Pv 3.19
porque a sua benignidade é para sempre. 6Aquele que estendeu a terra sobre as águas; porque a sua benignidade é para sempre. 7Aquele que fez os grandes luminares; porque a sua benignidade é para sempre. 8O sol
136.8:
Gn 1.16
para governar de dia; porque a sua benignidade é para sempre. 9A lua e as estrelas para presidirem à noite; porque a sua benignidade é para sempre. 10Que feriu
136.10:
Êx 12.29
o Egito no seus primogênitos; porque a sua benignidade é para sempre. 11E tirou a
136.11:
Êx 12.15
13.3,17
Israel do meio deles; porque a sua benignidade é para sempre. 12Com mão
136.12:
Êx 6.6
forte, e com braço estendido; porque a sua benignidade é para sempre. 13Aquele que dividiu o Mar Vermelho em
136.13:
Êx 14.21-22
duas partes; porque a sua benignidade é para sempre. 14E fez passar Israel pelo meio dele; porque a sua benignidade é para sempre. 15Mas derribou
136.15:
Êx 14.27
a Faraó com o seu exército no Mar Vermelho; porque a sua benignidade é para sempre. 16Aquele que guiou
136.16:
Dt 8.15
o seu povo pelo deserto; porque a sua benignidade é para sempre. 17Aquele que feriu
136.17:
Dt 29.7
os grandes reis; porque a sua benignidade é para sempre. 18E deu a morte a reis famosos; porque a sua benignidade é para sempre. 19Seom, rei dos amorreus; porque a sua benignidade é para sempre. 20E Ogue, rei de Basã; porque a sua benignidade é para sempre. 21E deu a terra deles em herança; porque a sua benignidade é para sempre. 22Sim, em herança a Israel, seu servo; porque a sua benignidade é para sempre. 23Que se lembrou da
136.23:
Gn 8.1
Dt 32.36
nossa humilhação; porque a sua benignidade é para sempre. 24E nos remiu dos nossos inimigos; porque a sua benignidade é para sempre. 25Que dá mantimento a toda a carne; porque a sua benignidade é para sempre. 26Louvai ao Deus dos céus; porque a sua benignidade é para sempre.

137

Saudades da pátria

1371JUNTO aos rios de Babilônia nos assentamos e choramos, lembrando-nos de Sião. 2Nos salgueiros, que há no meio dela, penduramos as nossas harpas. 3Porquanto aqueles que nos levaram cativos, nos pediam uma canção; e os que nos destruíram, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos um dos cânticos de Sião. 4Mas como entoaremos o cântico do Senhor em terra estranha? 5Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça-se a minha destra da sua destreza. 6Apegue-se-me a língua ao paladar, se me não lembrar de ti, se não preferir Jerusalém à minha maior alegria. 7Lembra-te, Senhor, dos filhos de Edom

137.7:
Jr 49.7
no dia de Jerusalém, porque diziam: Arrasai-a, arrasai-a até aos seus alicerces. 8Ah! filha de Babilônia, que vais ser assolada; feliz aquele que te retribuir consoante nos fizeste a nós. 9Feliz aquele que pegar em teus filhos e der
137.9:
Jr 50.15,29
com eles nas pedras.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]