Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
28

281FOGEM os

28.1:
Lv 26.17,36
ímpios, sem que ninguém os persiga; mas qualquer justo está confiado como o filho do leão. 2Por causa da transgressão da 28.2: ou naçãoterra, muitos são os seus príncipes, mas por virtude de homens prudentes e entendidos, ela continuará. 3O homem pobre que oprime aos pobres é como chuva impetuosa, que não deixa nenhum trigo. 4Os que deixam a lei louvam o ímpio;
28.4:
2Rs 18.18,21
Mt 3.7
Rm 1.32
Ef 5.11
mas os que guardam a lei pelejam contra eles. 5Os homens maus não entendem o juízo,
28.5:
Jo 7.17
1Co 2.15
1Jo 2.20,27
mas os que buscam ao Senhor entendem tudo. 6Melhor
28.6:
Pv 19.1
28.18
é o pobre que anda na sua sinceridade do que o de caminhos perversos, ainda que seja rico. 7O
28.7:
Pv 29.3
que guarda a lei é filho entendido, mas o companheiro dos comilões envergonha a seu pai. 8O
28.8:
Jó 27.6,17
Pv 13.22
Ec 2.26
que aumenta a sua fazenda com usura e onzena, ajunta-a para o que se compadece do pobre. 9O
28.9:
Pv 15.8
Zc 7.11
que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável. 10O
28.10:
Pv 26.27
Mt 6.33
que faz com que os retos se desviem para um mau caminho, ele mesmo cairá na sua cova: mas os sinceros herdarão o bem. 11O homem rico é sábio aos seus próprios olhos; mas o pobre que é entendido o examina. 12Quando os justos
28.12:
Pv 11.10
28.28
29.2
Ec 10.6
triunfam há grande alegria; mas quando os ímpios sobem, os homens escondem-se. 13O que encobre as suas transgressões, nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia. 14Bem-aventurado
28.14:
Pv 23.17
Rm 2.5
11.20
o homem que continuamente teme: mas o que endurece o seu coração virá a cair no mal. 15Como leão bramidor,
28.15:
Mt 2.16
1Pe 5.8
e urso faminto assim é o ímpio que domina sobre um povo pobre. 16O príncipe falto de inteligência também multiplica as opressões, mas o que aborrece a avareza prolongará os seus dias. 17O
28.17:
Gn 9.6
Êx 21.14
homem carregado do sangue de qualquer pessoa fugirá até à cova: ninguém o detenha. 18O
28.18:
Pv 10.9,25
28.6
que anda sinceramente salvar-se-á, mas o perverso em seus caminhos cairá logo. 19O
28.19:
Pv 12.11
que lavrar a sua terra virá a fartar-se de pão, mas o que segue a ociosos se fartará de pobreza. 20O homem fiel abundará em bênçãos,
28.20:
Pv 13.11
20.21
23.4
1Tm 6.9
mas o que se apressa a enriquecer não ficará sem castigo. 21Ter respeito
28.21:
Pv 18.5
24.23
Ez 13.19
à aparência de pessoas não é bom, porque até por um bocado de pão o homem prevaricará. 22Aquele
28.22:
Pv 28.20
que tem um olho mau corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a pobreza. 23O
28.23:
Pv 27.5-6
que repreende ao homem achará depois mais favor do que aquele que lisonjeia com a língua. 24O que rouba a seu pai, ou a sua mãe, e diz: Não transgressão, companheiro é do destruidor. 25O altivo de ânimo
28.25:
Pv 13.10
levanta contendas, mas o que confia no Senhor engordará. 26O que confia no seu próprio coração é insensato, mas o que anda sabiamente escapará. 27O
28.27:
Dt 15.7
Pv 19.17
22.9
que dá ao pobre não terá necessidade, mas o que esconde os seus olhos terá muitas maldições. 28Quando
28.28:
Jó 24.4
Pv 28.12
29.2
os ímpios sobem, os homens se escondem, mas quando eles perecem, os justos se multiplicam.

29

291O

29.1:
1Sm 2.25
2Cr 36.16
Pv 1.24,27
HOMEM que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, será quebrantado de repente sem que haja cura. 2Quando os justos se
29.2:
Et 8.15
Pv 11.10
28.12,28
engrandecem, o povo se alegra, mas quando o ímpio domina, o povo suspira. 3O homem
29.3:
Pv 10.1
15.20
27.11
28.7
Lc 15.3,30
que ama a sabedoria alegra a seu pai, mas o companheiro de prostitutas desperdiça a fazenda. 4O rei com juízo sustém a terra, mas o amigo de peitas a transtorna. 5O homem que lisonjeia a seu próximo, arma uma rede aos seus passos. 6Na transgressão do homem mau há laço, mas o justo canta e regozija-se. 7Informa-se o
29.7:
Jó 29.16
justo da causa dos pobres, mas o ímpio não compreende isso. 8Os homens escarnecedores
29.8:
Pv 11.11
Ez 22.30
abrasam a cidade, mas os sábios desviam a ira. 9O homem sábio que pleiteia com o tolo,
29.9:
Mt 11.17
quer se perturbe quer se ria, não terá descanso. 10Os homens sanguinários
29.10:
Gn 4.5,8
1Jo 3.12
aborrecem aquele que é sincero, mas os retos procuram o seu bem. 11Um tolo expande toda a sua ira
29.11:
Pv 12.16
14.33
mas o sábio a encobre e reprime. 12O governador que dá atenção às palavras mentirosas, achará que todos os seus servos são ímpios. 13O pobre e o usurário
29.13:
Pv 22.2
se encontram, e o Senhor alumia os olhos de ambos. 14O
29.14:
Pv 20.28
25.5
rei, que julga os pobres conforme a verdade, firmará o seu trono para sempre. 15A vara e a repreensão dão sabedoria,
29.15:
Pv 10.1
17.21,25
mas o rapaz entregue a si mesmo envergonha a sua mãe. 16Quando os ímpios se multiplicam, multiplicam-se as transgressões, mas os justos verão a sua queda. 17Castiga
29.17:
Pv 13.24
19.18
22.15
23.13-14
29.15
a teu filho, e te fará descansar; e dará delícias à tua alma. 18Não havendo profecia,
29.18:
1Sm 3.1
Am 8.11-12
o povo se corrompe; mas o que guarda a lei
29.18:
Jo 13.17
Tg 1.25
esse é bem-aventurado. 19O servo não se emendará com palavras, porque, ainda que te entenda, não te atenderá. 20Tens visto um homem precipitado nas suas palavras?
29.20:
Pv 26.12
maior esperança dum tolo do que dele. 21Quando alguém cria delicadamente o seu servo desde a mocidade, por derradeiro ele quererá ser seu filho. 22O homem iracundo
29.22:
Pv 15.18
26.21
levanta contendas; e o furioso multiplica as transgressões. 23A soberba
29.23:
Jó 22.29
Pv 15.33
Mt 23.12
Lc 14.11
18.14
Tg 4.6,10
1Pe 5.5
do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra. 24O que tem parte com o ladrão aborrece a sua própria alma: ouve maldições,
29.24:
Lv 5.1
e não o denuncia. 25O receio do homem armará laços, mas o que confia no Senhor será posto em alto retiro. 26Muitos buscam a face do príncipe, mas o juízo de cada um vem do Senhor. 27Abominação é para os justos o homem iníquo, e abominação é para o ímpio o de retos caminhos.

30

As palavras de Agur

301PALAVRAS de Agur, filho de Jaque, o oráculo.

30.1:
Pv 31.1
Disse este varão a Itiel; a Itiel e a Ucal: 2Na verdade que eu sou mais bruto do que ninguém; não tenho o entendimento do homem. 3Nem aprendi a sabedoria, nem tenho o conhecimento do Santo. 4Quem
30.4:
Jó 38.4
Is 40.12
Jo 3.13
subiu ao céu e desceu? quem encerrou os ventos nos seus punhos? quem amarrou as águas na sua roupa? quem estabeleceu todas as extremidades da terra? qual é o seu nome, e qual é o nome de seu filho, se é que o sabes? 5Toda a palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele. 6Nada acrescentes
30.6:
Dt 4.2
12.32
Ap 22.18-19
às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso. 7Duas cousas te pedi: não mas negues, antes que morra: 8Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza:
30.8:
Mt 6.11
mantém-me do pão da minha porção acostumada; 9Para
30.9:
Dt 8.12,14,17
31.20
32.15
Os 13.6
que porventura de farto te não negue, e diga: Quem é o Senhor? ou que, empobrecendo, não venha a furtar, e lance mão do nome de Deus. 10Não calunies o servo diante de seu senhor, para que te não amaldiçoe e fiques culpado. 11Há uma geração que amaldiçoa a seu pai, e que não bendiz a sua mãe. 12Há uma geração que é pura
30.12:
Lc 13.11
aos seus olhos, e que nunca foi lavada da sua imundícia. 13Há uma geração cujos olhos são altivos, e cujas pálpebras são levantadas para cima. 14Há uma geração
30.14:
Pv 12.18
Am 8.4
cujos dentes são espadas, e cujos queixais são facas, para consumirem na terra os aflitos, e os necessitados entre os homens. 15A sanguessuga tem duas filhas, a saber: Dá, Dá. Estas três cousas nunca se fartam; e quatro nunca dizem: Basta. 16A sepultura;
30.16:
Pv 27.20
Hc 2.5
a madre estéril; a terra que se não farta de água; e o fogo, nunca dizem: Basta. 17Os olhos
30.17:
Gn 9.22
Lv 20.9
Pv 20.20
23.32
que zombam do pai, ou desprezam a obediência da mãe, corvos do ribeiro os arrancarão e os pintãos da águia os comerão. 18Há três cousas que me maravilham; e a quarta não a conheço: 19O caminho da águia no céu; o caminho da cobra na penha; o caminho do navio no meio do mar; e o caminho do homem com uma virgem. 20Tal é o caminho da mulher adúltera: ela come, e limpa a sua boca, e diz: Não cometi maldade. 21Por três cousas se alvoroça a terra, e a quarta não a pode suportar: 22Pelo servo,
30.22:
Ec 10.7
quando reina; e pelo tolo, quando anda farto de pão: 23Pela mulher aborrecida, quando se casa; e pela serva, quando fica herdeira da sua senhora. 24Estas quatro cousas são das mais pequenas da terra, mas sábias, bem-providas de sabedoria: 25As formigas
30.25:
Pv 6.6
são um povo impotente; todavia no verão preparam a sua comida; 26Os coelhos são um povo débil; e contudo fazem a sua casa nas rochas; 27Os gafanhotos não têm rei; e contudo todos saem, e em bandos se repartem; 28A 30.28: ou lagartixaaranha apanha com as mãos, e está nos paços dos reis. 29Há três que têm um bom andar, e o quarto passeia muito bem: 30O leão, o mais forte entre os animais, que por ninguém torna atrás: 31O 30.31: ou o cão de caçacavalo de guerra, bem-cingido pelos lombos: e o bode também: e o rei a quem se não pode resistir. 32Se obraste loucamente, elevando-te, e se imaginaste o mal,
30.32:
Jó 21.1
Mq 7.16
põe a mão na boca. 33Porque o espremer do leite produz manteiga, e o espremer do nariz produz sangue, e o espremer da ira produz contenda.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]