Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
5

O leproso e o imundo são lançados fora do arraial

51E FALOU o Senhor a Moisés, dizendo: 2Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo

5.2:
Lv 13.3,46
15.2
Nm 9.6,10
12.14
19.11
o leproso, e a todo o que padece fluxo, e a todos os imundos por causa de contato com algum morto. 3Desde o homem até à mulher os lançareis: fora do arraial os lançareis, para que não contaminem os seus arraiais, no meio dos quais eu
5.3:
Lv 26.11
2Cr 6.16
habito. 4E os filhos de Israel fizeram assim, e os lançaram fora do arraial: como o Senhor falara a Moisés, assim fizeram os filhos de Israel. 5Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: 6Dize aos filhos de Israel:
5.6:
Lv 6.2-3
Quando homem ou mulher fizer algum de todos os pecados humanos, transgredindo contra o Senhor, tal alma culpada é. 7E confessarão o pecado
5.7:
Lv 5.5
26.40
Js 7.19
que fizeram; então restituirá pela sua culpa, segundo a soma total, e lhe acrescentará o seu quinto, e o dará àquele contra quem se fez culpado. 8Mas, se aquele homem não tiver resgatador, a quem se restitua pela culpa, então a culpa que se restituir ao Senhor será do sacerdote, além do carneiro
5.8:
Lv 6.6
7.7
da expiação com que por ele fizer expiação. 9Semelhantemente toda a
5.9:
Êx 29.28
Lv 6.17-18,26
Nm 18.8-9,19
Dt 18.3
Ez 44.29
oferta de todas as cousas santificadas dos filhos de Israel, que trouxerem ao sacerdote, será sua. 10E as cousas santificadas de cada um serão suas: o que alguém der ao sacerdote
5.10:
Lv 10.13
será seu.

A prova da mulher suspeita de adultério

11Falou mais o Senhor a Moisés, dizendo: 12Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando a mulher de algum se desviar, e prevaricar contra ele, 13De maneira que algum homem se houver

5.13:
Lv 18.20
deitado com ela, e for oculto aos olhos de seu marido, e ela o tiver ocultado, havendo-se ela contaminado, e contra ela não houver testemunha, e no feito não for apanhada, 14E o espírito de ciúmes vier sobre ele, e de sua mulher tiver ciúmes, por ela se haver contaminado, ou sobre ele vier o espírito de ciúmes, e de sua mulher tiver ciúmes, não se havendo ela contaminado, 15Então aquele varão trará a sua mulher perante o sacerdote, e juntamente trará a sua oferta por ela: uma décima de efa de farinha de cevada, sobre a qual não deitará azeite, nem sobre ela porá incenso, porquanto é oferta de manjares de ciúmes, oferta memorativa,
5.15:
1Rs 17.18
Ez 29.16
que traz a iniquidade em memória. 16E o sacerdote a fará chegar, e a porá perante a face do Senhor. 17E o sacerdote tomará água santa num vaso de barro; também tomará o sacerdote do pó que houver no chão do tabernáculo, e o deitará na água. 18Então o sacerdote apresentará a mulher perante o Senhor, e descobrirá a cabeça da mulher; e a oferta memorativa de manjares, que é a oferta de manjares dos ciúmes, porá sobre as suas mãos, e a água amarga, que traz consigo a maldição, estará na mão do sacerdote. 19E o sacerdote a conjurará, e dirá àquela mulher: Se ninguém contigo se deitou, e se não te apartaste de teu marido pela imundícia, destas águas amargas, amaldiçoantes, serás livre. 20Mas, se te apartaste de teu marido, e te contaminaste, e algum homem, fora de teu marido, se deitou contigo; 21Então o sacerdote conjurará à mulher com a conjuração da maldição; e o sacerdote dirá
5.21:
Js 6.26
1Sm 14.24
Ne 10.29
à mulher: O Senhor te ponha por maldição e por conjuração no meio do
5.21:
Jr 29.22
teu povo, fazendo-te o Senhor descair a coxa e inchar o ventre. 22E esta água
5.22:
Sl 109.18
amaldiçoante entre nas tuas entranhas, para te fazer inchar o ventre, e te fazer descair a coxa. Então a mulher dirá:
5.22:
Dt 27.15
Amém, Amém. 23Depois o sacerdote escreverá estas mesmas maldições num livro, e com a água amarga as apagará. 24E a água amarga, amaldiçoante, dará a beber à mulher, e a água amaldiçoante entrará nela para amargurar. 25E o sacerdote tomará a oferta de manjares dos ciúmes da mão da mulher, e moverá a oferta de manjares
5.25:
Lv 8.27
perante o Senhor; e a oferecerá sobre o altar. 26Também o sacerdote tomará um punhado
5.26:
Lv 2.2,9
da oferta de manjares, da oferta memorativa, e sobre o altar o queimará: e depois dará a beber a água à mulher. 27E, havendo-lhe dado a beber aquela água, será que, se ela se tiver contaminado, e contra seu marido tiver prevaricado, a água amaldiçoante entrará nela para amargura, e o seu ventre se inchará, e a sua coxa descairá; e aquela mulher será
5.27:
Dt 28.27
Jr 24.9
29.18,22
Zc 8.13
por maldição no meio do seu povo. 28E, se a mulher se não tiver contaminado, mas estiver limpa, então será livre, e conceberá semente. 29Esta é a lei dos ciúmes, quando a mulher, em poder de seu marido, se desviar
5.29:
Nm 5.19
e for contaminada; 30Ou quando sobre o homem vier o espírito de ciúmes, e tiver ciúmes de sua mulher, apresente a mulher perante o Senhor, e o sacerdote nela execute toda esta lei. 31E o homem será livre da iniquidade, porém a mulher levará
5.31:
Lv 20.17,19-20
a sua iniquidade.

6

A lei do nazireado

61E FALOU o Senhor a Moisés, dizendo: 2Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando um homem ou mulher se tiver separado, fazendo voto

6.2:
Lv 27.2
Jz 13.5
At 21.23
de nazireu, para se separar para o Senhor, 3de vinho e de bebida forte se apartará:
6.3:
Am 2.12
Lc 1.15
vinagre de vinho, ou vinagre de bebida forte não beberá; nem beberá alguma beberagem de uvas; nem uvas frescas nem secas comerá. 4Todos os dias do seu nazireado não comerá de cousa alguma, que se faz da vinha, desde os caroços até às cascas. 5Todos os dias do voto do seu nazireado sobre a sua cabeça não passará navalha:
6.5:
Jz 16.17
1Sm 1.11
até que se cumpram os dias, que se separou para o Senhor, santo será, deixando crescer as guedelhas do cabelo da sua cabeça. 6Todos os dias que se separar para o Senhor não
6.6:
Nm 19.11,16
se chegará a corpo dum morto. 7Por seu pai, ou por sua mãe, por seu irmão, ou por sua irmã, por eles se não contaminará,
6.7:
Lv 21.1-2,11
Nm 9.6
quando forem mortos; porquanto o nazireado do seu Deus está sobre a sua cabeça. 8Todos os dias do seu nazireado santo será ao Senhor. 9E se alguém vier a morrer junto a ele por acaso, subitamente, e contaminar a cabeça do seu nazireado, então no dia da sua purificação
6.9:
At 18.18
21.24
rapará a sua cabeça, e ao sétimo dia a rapará. 10E ao oitavo
6.10:
Lv 5.7
14.22
15.14,29
dia trará duas rolas, ou dois pombinhos, ao sacerdote, à porta da tenda da congregação: 11E o sacerdote oferecerá um para expiação do pecado, e o outro para holocausto; e fará propiciação por esse que pecou no corpo morto: assim naquele mesmo dia santificará a sua cabeça. 12Então separará os dias do seu nazireado ao Senhor, e para expiação da culpa trará um cordeiro dum ano:
6.12:
Lv 5.6
e os dias antecedentes serão perdidos, porquanto o seu nazireado foi contaminado. 13E esta é a lei do nazireu: no dia em que se
6.13:
At 21.26
cumprirem os dias do seu nazireado, trá-lo-ão à porta da tenda da congregação: 14E ele oferecerá a sua oferta ao Senhor, um cordeiro sem mancha dum ano em holocausto, e uma cordeira sem mancha de um ano para expiação da
6.14:
Lv 3.6
4.2,27,32
culpa, e um carneiro sem mancha por oferta pacífica; 15E um
6.15:
Lv 2.4
cesto de bolos asmos, bolos de flor de farinha com azeite, amassados, e coscorões asmos untados com azeite,
6.15:
Êx 29.2
Nm 15.5,7,10
como também a sua oferta de manjares, e as suas libações. 16E o sacerdote os trará perante o Senhor, e sacrificará a sua expiação do pecado, e o seu holocausto: 17Também sacrificará o carneiro em sacrifício pacífico ao Senhor, com o cesto dos bolos asmos: e o sacerdote oferecerá a sua oferta de manjares, e a sua libação. 18Então o nazireu à porta da tenda da congregação rapará a cabeça do seu nazireado, e tomará o
6.18:
At 21.24
cabelo da cabeça do seu nazireado, e o porá sobre o fogo que está debaixo do sacrifício pacífico. 19Depois o sacerdote tomará a espádua
6.19:
Êx 29.23-24
1Sm 2.15
cozida do carneiro, e um bolo asmo do cesto, e um coscorão asmo, e os porá nas mãos do nazireu, depois de haver rapado a cabeça do seu nazireado. 20E o sacerdote os moverá em oferta de movimento perante o Senhor; isto é santo
6.20:
Êx 29.27-28
para o sacerdote, juntamente com o peito da oferta de movimento, e com a espádua da oferta alçada; e depois o nazireu pode beber vinho. 21Esta é a lei do nazireu, que fizer voto da sua oferta ao Senhor pelo seu nazireado, além do que alcançar a sua mão: segundo o seu voto, que fizer, assim fará conforme à lei do seu nazireado.

O modo de abençoar os filhos de Israel

22E falou o Senhor a Moisés, dizendo: 23Fala a Aarão, e a seus filhos, dizendo:

6.23:
Lv 9.22
1Cr 23.13
Assim abençoareis os filhos de Israel, dizendo-lhes: 24O Senhor te abençoe e te guarde: 25O Senhor faça resplandecer o seu rosto
6.25:
Gn 43.29
Sl 31.16
119.135
Dn 9.17
sobre ti, e tenha misericórdia de ti. 26O Senhor sobre ti levante o seu rosto,
6.26:
Jo 14.27
2Ts 3.16
e te dê a paz. 27Assim porão o meu
6.27:
Dt 28.10
2Cr 7.14
Is 43.7
Dn 9.18
nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei.

7

As ofertas dos príncipes na dedicação do tabernáculo e do altar

71E ACONTECEU, no dia em que Moisés acabou

7.1:
Êx 40.18
Lv 8.10
de levantar o tabernáculo, e o ungiu, e o santificou, e todos os seus vasos; também o altar, e todos os seus vasos, e os ungiu, e os santificou, 2Que os príncipes
7.2:
Nm 1.4
de Israel, os cabeças da casa de seus pais, os que foram príncipes das tribos, que estavam sobre os que foram contados, ofereceram, 3E trouxeram a sua oferta perante o Senhor, seis carros cobertos, e doze bois; por dois príncipes um carro, e por cada um um boi: e os trouxeram diante do tabernáculo. 4E falou o Senhor a Moisés, dizendo: 5Toma os deles, e serão para servir no ministério da tenda da congregação: e os darás aos levitas, a cada qual segundo o seu ministério. 6Assim Moisés tomou os carros e os bois, e os deu aos levitas. 7Dois carros e quatro bois deu
7.7:
Nm 4.25
aos filhos de Gérson, segundo o seu ministério: 8E
7.8:
Nm 4.31
quatro carros e oito bois deu aos filhos de Merari, segundo o seu ministério, debaixo da mão
7.8:
Nm 4.28,33
de Itamar, filho de Aarão, o sacerdote. 9Mas aos filhos de Coate nada deu
7.9:
Nm 4.6,8,10,12,14-15
2Sm 6.13
porquanto a seu cargo estava o santuário e o levavam aos ombros. 10E ofereceram os príncipes para a consagração
7.10:
Dt 20.5
1Rs 8.63
2Cr 7.5,9
Ed 6.16
Ne 12.27
do altar, no dia em que foi ungido; ofereceram pois os príncipes a sua oferta perante o altar. 11E disse o Senhor a Moisés: Cada príncipe oferecerá a sua oferta (cada qual em seu dia) para a consagração do altar. 12O que pois no primeiro dia ofereceu a sua oferta foi Naassom,
7.12:
Nm 2.3
filho de Aminadabe, pela tribo de Judá. 13E a sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo
7.13:
Êx 30.13
o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha,
7.13:
Lv 2.1
amassada com azeite, para oferta de manjares; 14Uma 7.14: ou colhertaça de dez siclos de ouro
7.14:
Êx 30.34
cheia de incenso; 15Um novilho,
7.15:
Lv 1.2
um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 16Um bode
7.16:
Lv 4.23
para expiação do pecado; 17E para sacrifício
7.17:
Lv 3.1
pacífico dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Naassom, filho de Aminadabe. 18No segundo dia fez a sua oferta Natanael, filho de Suar, príncipe de Issacar. 19E pela sua oferta ofereceu um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário: ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para a oferta de manjares; 20Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 21Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 22Um bode para expiação do pecado; 23E para sacrifício pacífico dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Natanael, filho de Suar. 24No terceiro dia ofereceu o príncipe dos filhos de Zebulom, Eliabe, filho de Helom. 25A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 26Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 27Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 28Um bode para expiação do pecado; 29E para sacrifício pacífico dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Eliabe, filho de Helom. 30No quarto dia ofereceu o príncipe dos filhos de Rúben, Elizur, filho de Sedeur: 31A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 32Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 33Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 34Um bode para expiação do pecado; 35E para sacrifício pacífico dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Elizur, filho de Sedeur. 36No quinto dia ofereceu o príncipe dos filhos de Simeão, Selumiel, filho de Surisadai. 37A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 38Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 39Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 40Um bode para expiação do pecado. 41E para sacrifício pacífico dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Selumiel, filho de Surisadai. 42No sexto dia ofereceu o príncipe dos filhos de Gade, Eliasafe, filho de Deuel. 43A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 44Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 45Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 46Um bode para expiação do pecado; 47E para sacrifício pacífico dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Eliasafe, filho de Deuel. 48No sétimo dia ofereceu o príncipe dos filhos de Efraim, Elisama, filho de Amiúde. 49A sua oferta foi um prato de prata do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 50Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 51Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 52Um bode para expiação do pecado; 53E para sacrifício pacífico dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Elisama, filho de Amiúde. 54No oitavo dia ofereceu o príncipe dos filhos de Manassés, Gamaliel, filho de Pedazur: 55A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 56Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 57Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 58Um bode para expiação do pecado; 59E para sacrifício pacífico dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Gamaliel, filho de Pedazur. 60No dia nono ofereceu o príncipe dos filhos de Benjamim, Abidã, filho de Gideôni: 61A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 62Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 63Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 64Um bode para expiação do pecado; 65E para sacrifício pacífico, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano; esta foi a oferta de Abidã, filho de Gideôni. 66No décimo dia ofereceu o príncipe dos filhos de Dã, Aiezer, filho de Amisadai. 67A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 68Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 69Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano, para holocausto; 70Um bode para expiação do pecado; 71E para sacrifício pacífico, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Aiezer, filho de Amisadai. 72No dia undécimo ofereceu o príncipe dos filhos de Aser, Pagiel, filho de Ocrã. 73A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 74Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 75Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano para holocausto; 76Um bode para expiação do pecado; 77E para sacrifício pacífico, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Pagiel, filho de Ocrã. 78No duodécimo dia ofereceu o príncipe dos filhos de Naftali, Aíra, filho de Enã. 79A sua oferta foi um prato de prata, do peso de cento e trinta siclos, uma bacia de prata de setenta siclos, segundo o siclo do santuário; ambos cheios de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta de manjares; 80Uma taça de dez siclos de ouro, cheia de incenso; 81Um novilho, um carneiro, um cordeiro dum ano para holocausto; 82Um bode para expiação do pecado; 83E para sacrifício pacífico, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes, cinco cordeiros dum ano: esta foi a oferta de Aíra, filho de Enã. 84Esta é a consagração do altar, feita pelos príncipes de Israel, no dia em que foi ungido: doze pratos de prata, doze bacias de prata, doze 7.84: ou colherestaças de ouro. 85Cada prato de prata de cento e trinta siclos, e cada bacia de setenta: toda a prata dos vasos foi dois mil e quatrocentos siclos, segundo o siclo do santuário: 86Doze taças de ouro cheias de incenso, cada taça de dez siclos, segundo o siclo do santuário: todo o ouro das taças foi de cento e vinte siclos; 87Todos os bois para holocausto foram doze novilhos; carneiros doze, doze cordeiros dum ano, com a sua oferta de manjares, e doze bodes para expiação do pecado. 88E todos os bois para sacrifício pacífico foram vinte e quatro novilhos: os carneiros sessenta, os bodes sessenta, os cordeiros dum ano sessenta: esta é a consagração do altar, depois que
7.88:
Nm 7.1
foi ungido. 89E, quando Moisés entrava na tenda da congregação
7.89:
Êx 25.22
33.9,11
Nm 12.8
para falar com o Senhor, então ouvia a voz que lhe falava de cima do propiciatório, que está sobre a arca do testemunho entre os dois querubins: assim com ele falava.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]