Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
9

A celebração da páscoa no deserto de Sinai

91E FALOU o Senhor a Moisés no deserto de Sinai, no ano segundo da sua saída da terra do Egito, no mês primeiro, dizendo: 2Que os filhos de Israel celebrem a páscoa a

9.2:
Êx 12.1
Lv 23.5
Nm 28.16
Dt 16.1
seu tempo determinado. 3No dia catorze deste mês, pela tarde, a seu tempo determinado a celebrareis: segundo todos os seus estatutos, e segundo todos os seus ritos, a celebrareis. 4Disse pois Moisés aos filhos de Israel que celebrassem a páscoa. 5Então celebraram
9.5:
Js 5.10
a páscoa no dia catorze do mês primeiro, pela tarde, no deserto de Sinai; conforme a tudo o que o Senhor ordenara a Moisés, assim fizeram os filhos de Israel.

Segunda celebração para os ausentes e os imundos

6E houve alguns que estavam

9.6:
Nm 5.2
19.11,16
Jo 18.28
imundos pelo corpo de um homem morto; e no mesmo dia não podiam celebrar a páscoa; pelo que se chegaram perante
9.6:
Êx 18.15,19,26
Nm 27.2
Moisés e perante Aarão aquele mesmo dia. 7E aqueles homens disseram-lhe: Imundos estamos nós pelo corpo de um homem morto; por que seríamos privados de oferecer a oferta do Senhor a seu tempo determinado no meio dos filhos de Israel? 8E disse-lhes Moisés: Esperai, e ouvirei o que o Senhor
9.8:
Nm 27.5
vos ordenará. 9Então falou o Senhor a Moisés, dizendo: 10Fala aos filhos de Israel, dizendo: Quando alguém entre vós, ou entre as vossas gerações, for imundo por corpo morto, ou se achar em jornada longe de vós, contudo ainda celebrará a páscoa ao Senhor. 11No mês segundo, no dia
9.11:
2Cr 30.2,15
catorze, de tarde, a celebração:
9.11:
Êx 12.8
Com pães asmos e ervas amargas a comerão. 12Dela nada
9.12:
Êx 12.10,43,46
Jo 19.36
deixarão até à manhã, e dela não quebrarão osso algum: segundo todo o estatuto da páscoa a celebrarão. 13Porém, quando um homem for limpo, e não estiver de caminho, e deixar de celebrar a páscoa, tal alma dos
9.13:
Gn 17.14
Êx 12.15
Nm 5.31
9.7
seus povos será extirpada: porquanto não ofereceu a oferta do Senhor a seu tempo determinado; tal homem levará o seu pecado. 14E quando um estrangeiro peregrinar entre vós, e também celebrar a páscoa ao Senhor, segundo o estatuto da páscoa e segundo o seu rito assim a celebrará: um mesmo
9.14:
Êx 12.49
estatuto haverá para vós, assim para o estrangeiro como para o natural da terra.

A nuvem guiando a marcha dos israelitas

15E no dia

9.15:
Êx 40.34
Ne 9.12,19
Sl 78.14
de levantar o tabernáculo, a nuvem cobriu o tabernáculo sobre a tenda do testemunho: e à tarde
9.15:
Êx 13.21
40.38
estava sobre o tabernáculo como uma aparência de fogo até à manhã. 16Assim era de contínuo: a nuvem o cobria, e de noite havia aparência de fogo. 17Mas sempre
9.17:
Nm 10.11,33-34
Sl 80.2
que a nuvem se alçava sobre a tenda, os filhos de Israel após ela partiam: e no lugar onde a nuvem parava, ali os filhos de Israel assentavam o seu arraial. 18Segundo o dito do Senhor, os filhos de Israel partiam, e segundo o dito do Senhor assentavam o arraial: todos os dias
9.18:
1Co 10.1
em que a nuvem parava sobre o tabernáculo assentavam o arraial. 19E, quando a nuvem se detinha muitos dias sobre o tabernáculo, então os filhos de Israel tinham cuidado da guarda
9.19:
Nm 1.53
3.8
do Senhor, e não partiam. 20E era que, quando a nuvem poucos dias estava sobre o tabernáculo, segundo o dito do Senhor se alojavam, e segundo o dito do Senhor partiam. 21Porém era que, quando a nuvem desde a tarde até a manhã ficava ali, e a nuvem se alçava pela manhã, então partiam: quer de dia quer de noite, alçando-se a nuvem, partiam. 22Ou, quando a nuvem sobre o tabernáculo se detinha dois dias, ou um mês, ou um ano, ficando sobre ele,
9.22:
Êx 40.36-37
então os filhos de Israel se alojavam, e não partiam: e alçando-se ela partiam. 23Segundo o dito do Senhor se alojavam, e segundo o dito do Senhor partiam: da guarda
9.23:
Nm 9.19
do Senhor tinham cuidado segundo o dito do Senhor pela mão de Moisés.

10

As duas trombetas de prata

101FALOU mais o Senhor a Moisés, dizendo: 2Faze duas trombetas de prata: de obra batida as farás: e te serão para a

10.2:
Is 1.13
convocação da congregação, e para a partida dos arraiais. 3E, quando
10.3:
Jr 4.5
Jl 2.15
as tocarem ambas, então toda a congregação se congregará a ti à porta da tenda da congregação. 4Mas, quando tocar uma , então a ti se congregarão os príncipes, os
10.4:
Êx 18.21
Nm 1.16
7.2
cabeças dos milhares de Israel. 5Quando, retinindo, as tocardes, então partirão
10.5:
Nm 2.3
os arraiais que alojados estão da banda do oriente. 6Mas, quando a segunda vez, retinindo, as tocardes, então partirão os arraiais que se alojam da banda
10.6:
Nm 2.10
do sul: retinindo, as tocarão para as suas partidas. 7Porém, ajuntando a congregação, as tocareis; mas sem
10.7:
Nm 10.3
Jl 2.1
retinir. 8E os filhos
10.8:
Nm 31.6
Js 6.4
1Cr 15.24
de Aarão, sacerdotes, tocarão as trombetas: e a vós serão por estatuto perpétuo nas vossas gerações. 9E, quando na
10.9:
Nm 31.6
Js 6.5
Jz 2.18
4.3
6.9
10.8
1Sm 10.18
2Cr 13.14
Sl 106.42
vossa terra sairdes a pelejar contra o inimigo, que vos aperta, também tocareis as trombetas retinindo, e perante o Senhor vosso Deus haverá lembrança
10.9:
Gn 8.1
Sl 106.42
de vós, e sereis salvos de vossos inimigos. 10Semelhantemente, no dia
10.10:
Lv 23.24
Nm 29.1
2Cr 5.12
7.6
Ed 3.10
Ne 12.35
da vossa alegria, e nas vossas solenidades, e nos princípios dos vossos meses, também tocareis as trombetas sobre os vossos holocaustos, sobre os vossos sacrifícios pacíficos, e vos serão por lembrança perante vosso Deus: Eu sou o Senhor vosso Deus.

Os israelitas partem de Sinai

11E aconteceu, no ano segundo, no segundo mês, aos vinte do mês, que a nuvem se alçou

10.11:
Nm 9.17
de sobre o tabernáculo da congregação. 12E os filhos de Israel
10.12:
Êx 19.1
40.36
Nm 1.1
2.9,16,24,31
9.5
partiram segundo as suas jornadas do deserto de Sinai: e a nuvem parou
10.12:
Gn 21.21
Nm 12.16
13.3,26
Dt 1.1
no deserto de Parã. 13Assim partiram pela primeira vez segundo
10.13:
Nm 2.34
10.5-6
o dito do Senhor, pela mão de Moisés. 14Porque primeiramente partiu a bandeira do arraial dos filhos de Judá segundo os seus exércitos:
10.14:
Nm 1.7
2.3,9
e sobre o seu exército estava Naassom, filho de Aminadabe. 15E sobre o exército da tribo dos filhos de Issacar, Natanael, filho de Suar. 16E sobre o exército da tribo dos filhos de Zebulom, Eliabe, filho de Helom. 17Então desarmaram o
10.17:
Nm 1.51
4.24,31
7.6,8
tabernáculo, e os filhos de Gérson e os filhos de Merari partiram, levando o tabernáculo. 18Depois partiu
10.18:
Nm 2.10,16
a bandeira do arraial de Rúben segundo os seus exércitos: e sobre o seu exército estava Elizur, filho de Sedeur. 19E sobre o exército da tribo dos filhos de Simeão, Selumiel, filho de Surisadai. 20E sobre o exército da tribo dos filhos de Gade, Eliasafe, filho de Deuel. 21Então partiram os coatitas, levando o santuário; e os outros levantaram
10.21:
Nm 4.4,15
o tabernáculo, entretanto que estes vinham. 22Depois partiu a bandeira do arraial
10.22:
Nm 2.18,24
dos filhos de Efraim segundo os seus exércitos: e sobre o seu exército estava Elisama, filho de Amiúde. 23E sobre o exército da tribo dos filhos de Manassés, Gamaliel, filho de Pedazur. 24E sobre o exército da tribo dos filhos de Benjamim, Abidã, filho de Gideôni. 25Então partiu
10.25:
Nm 2.25,31
Js 6.9
a bandeira do arraial dos filhos de Dã, fechando todos os arraiais segundo os seus exércitos: e sobre o seu exército estava Aiezer, filho de Amisadai. 26E sobre o exército da tribo dos filhos de Aser, Pagiel, filho de Ocrã. 27E sobre o exército da tribo dos filhos de Naftali, Aíra, filho de Enã. 28Estas eram as partidas
10.28:
Nm 2.34
dos filhos de Israel segundo os seus exércitos, quando partiam.

Moisés roga a Hobabe que vá com eles

29Disse então Moisés a Hobabe, filho de Reuel,

10.29:
Êx 2.18
o midianita, sogro de Moisés: Nós caminhamos para aquele lugar, de que o Senhor disse: Vo-lo darei:
10.29:
Gn 12.7
vai conosco, e te faremos bem; porque o Senhor falou bem
10.29:
Gn 32.12
Êx 3.8
6.7-8
sobre Israel. 30Porém ele lhe disse: Não irei; antes irei à minha terra e à minha parentela. 31E ele disse: Ora não nos deixes: porque tu sabes que nós nos alojamos no deserto;
10.31:
Jó 29.15
de olhos nos servirás. 32E será que, vindo tu conosco, e sucedendo o bem que o Senhor
10.32:
Jz 1.16
nos fizer, também nós te faremos bem. 33Assim partiram
10.33:
Êx 3.1
do monte do Senhor caminho de três dias: e a arca do concerto do Senhor
10.33:
Dt 1.33
Js 3.3-4,6
Sl 132.8
caminhou diante deles caminho de três dias, para lhes buscar lugar de descanso. 34E a nuvem
10.34:
Êx 13.21
Ne 9.12,19
do Senhor ia sobre eles de dia, quando partiam do arraial. 35Era pois que, partindo a arca, Moisés dizia: Levanta-te,
10.35:
Sl 68.1-3
Senhor, e dissipados sejam os teus inimigos, e fujam diante de ti os aborrecedores. 36E, pousando ela, dizia: Volta, ó Senhor, para os muitos milhares de Israel.

11

As murmurações dos israelitas

111E ACONTECEU

11.1:
Dt 9.22
que, queixando-se o povo, era mal aos ouvidos do Senhor; porque o Senhor ouviu-o, e a sua ira se acendeu,
11.1:
Lv 10.2
Nm 16.35
2Rs 1.12
Sl 78.21
106.18
e o fogo do Senhor ardeu entre eles, e consumiu os que estavam na última parte do arraial. 2Então o povo clamou a Moisés, e Moisés orou
11.2:
Tg 5.16
ao Senhor, e o fogo se apagou. 3Pelo que chamou aquele lugar Tabera, porquanto o fogo do Senhor se acendera entre eles. 4E o vulgo,
11.4:
Êx 12.38
Sl 78.18
106.14
1Co 10.6
que estava no meio deles, veio a ter grande desejo: pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar, e disseram: Quem nos dará carne a comer? 5Lembramo-nos dos peixes
11.5:
Êx 16.3
que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos. 6Mas agora a
11.6:
Nm 21.5
nossa alma se seca; cousa nenhuma senão este maná diante dos nossos olhos. 7E era
11.7:
Gn 2.12
Êx 16.14,31
o maná como semente de coentro, e a sua cor como a cor de bdélio. 8Espalhava-se o povo, e o colhia, e em moinhos o moía, ou num gral o pisava, e em panelas o cozia, e dele fazia bolos: e o seu sabor
11.8:
Êx 16.31
era como o sabor de azeite fresco. 9E, quando o orvalho
11.9:
Êx 16.13-14
descia de noite sobre o arraial, o maná descia sobre ele. 10Então Moisés ouviu chorar o povo pelas suas famílias, cada qual à porta da sua tenda:
11.10:
Sl 78.21
e a ira do Senhor grandemente se acendeu, e pareceu mal aos olhos de Moisés.

Moisés acha pesado o seu cargo

11E disse

11.11:
Dt 1.12
Moisés ao Senhor: Por que fizeste mal a teu servo, e por que não achei graça aos teus olhos, que pusesses sobre mim o cargo de todo este povo? 12Concebi eu porventura todo este povo? Gerei-o
11.12:
Gn 26.3
50.24
Êx 13.5
Is 40.11
49.23
1Ts 2.7
eu para que me dissesses: leva-o ao teu colo, como o aio leva o que cria, à terra que juraste a seus pais? 13Donde
11.13:
Mt 15.33
Mc 8.4
teria eu carne para dar a todo este povo? porquanto contra mim choram, dizendo: Dá-nos carne a comer: 14Eu só não posso
11.14:
Êx 18.18
levar a todo este povo, porque muito pesado é para mim. 15E se assim fazes comigo, mata-me, eu to peço,
11.15:
1Rs 19.4
Jn 4.3
se tenho achado graça aos teus olhos; e não me deixes ver
11.15:
Sf 3.15
o meu mal.

Deus designa setenta anciãos para ajudarem Moisés

16E disse o Senhor a Moisés: Ajunta-me setenta homens dos anciãos de Israel,

11.16:
Êx 24.1,9
Dt 16.18
de quem sabes que são anciãos do povo, e seus oficiais: e os trarás perante a tenda da congregação, e ali se porão contigo. 17Então eu descerei
11.17:
Gn 11.5
18.21
Êx 19.20
Nm 11.25
e ali falarei contigo, e tirarei
11.17:
1Sm 10.6
2Rs 2.15
Ne 9.20
Is 44.3
Jl 2.28
do espírito que está sobre ti, e o porei sobre eles: e contigo levarão o cargo do povo, para que tu só o não leves. 18E dirás ao povo:
11.18:
Êx 19.10
Santificai-vos para amanhã, e comereis carne: porquanto chorastes aos ouvidos do Senhor, dizendo:
11.18:
Êx 16.7
Nm 11.5
At 7.39
Quem nos dará carne a comer, pois bem nos ia no Egito? Pelo que o Senhor vos dará carne, e comereis: 19Não comereis um dia, nem dois dias, nem cinco dias, nem dez dias, nem vinte dias: 20Mas um mês inteiro,
11.20:
Sl 78.29
106.15
até vos sair pelos narizes, até que vos enfastieis dela porquanto rejeitastes ao Senhor, que está no meio de vós, e chorastes diante dele dizendo: Por que
11.20:
Nm 21.5
saímos do Egito? 21E disse Moisés: Seiscentos mil homens de pé é este
11.21:
Gn 12.2
Êx 12.37
38.26
Nm 1.46
povo, no meio do qual estou: e tu tens dito: Dar-lhes-ei carne, e comerão um mês inteiro. 22Degolar-se-ão
11.22:
2Rs 7.2
Mt 15.33
Mc 8.4
Jo 6.7,9
para eles ovelhas e vacas, que lhes bastem? ou ajuntar-se-ão para eles todos os peixes do mar, que lhes bastem? 23Porém o Senhor disse a Moisés: Seria pois
11.23:
Is 50.2
59.1
encurtada a mão do Senhor? agora verás
11.23:
Nm 23.19
Ez 12.25
24.14
se a minha palavra te acontecerá ou não. 24E saiu Moisés, e falou as palavras do Senhor ao povo,
11.24:
Nm 11.6
e ajuntou setenta homens dos anciãos do povo e os pôs de roda da tenda. 25Então o Senhor desceu
11.25:
Nm 11.17
12.5
na nuvem, e lhe falou; e, tirando do espírito, que estava sobre ele, o pôs sobre aqueles setenta anciãos: e aconteceu que, quando o espírito repousou sobre eles,
11.25:
1Sm 10.5-6,10
19.20-21,23
2Rs 2.15
Jl 2.28
At 2.17
1Co 14.1
profetizaram; mas depois nunca mais. 26Porém no arraial ficaram dois homens; o nome dum era Eldade, e o nome do outro Medade; e repousou sobre eles o espírito (porquanto estavam entre os inscritos, ainda que não saíram
11.26:
1Sm 20.26
Jr 36.5
à tenda), e profetizavam no arraial. 27Então correu um moço, e o anunciou a Moisés, e disse: Eldade e Medade profetizam no arraial. 28E Josué, filho de Num, servidor de Moisés, um dos seus mancebos escolhidos, respondeu, e disse:
11.28:
Mc 9.38
Lc 9.49
Jo 3.26
Senhor meu, Moisés, proíbe-lho. 29Porém Moisés lhe disse: Tens tu ciúmes por mim? Oxalá que todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o seu espírito! 30Depois Moisés se recolheu ao arraial, ele e os anciãos de Israel. 31Então soprou um vento
11.31:
Êx 16.13
Sl 78.26
105.40
do Senhor, e trouxe codornizes do mar, e as espalhou pelo arraial quase caminho dum dia duma banda, e quase caminho dum dia da outra banda, à roda do arraial, e a quase dois côvados sobre a terra. 32Então o povo se levantou todo aquele dia e toda aquela noite, e todo o dia seguinte, e colheram as codornizes; o que menos tinha, colhera
11.32:
Êx 16.36
Ez 45.11
dez ômeres; e as estenderam para si ao redor do arraial. 33Quando a
11.33:
Sl 78.30-31
carne estava entre os seus dentes, antes que fosse mastigada, se acendeu a ira do Senhor contra o povo, e feriu o Senhor o povo com uma praga muito grande. 34Pelo que o nome daquele lugar se chamou 11.34: que significa os sepulcros da concupiscênciaQuibrote-Ataavá, porquanto ali enterraram
11.34:
Nm 33.17
o povo que teve o desejo. 35De Quibrote-Ataavá caminhou o povo para Hazerote, e pararam em Hazerote.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]