Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
26

Jó repreende Bildade e exalta o poder de Deus

261JÓ, porém, respondeu e disse: 2Como ajudaste aquele que não tinha força e sustentaste o braço que não tinha vigor! 3Como aconselhaste aquele que não tinha sabedoria, e plenamente lhe fizeste saber a causa, assim como era! 4Para quem proferiste palavras? E de quem é o espírito que saiu de ti? 5Os mortos tremem debaixo das águas com os seus moradores. 6O inferno está nu

26.6:
Pv 15.11
Hb 4.13
perante ele, e não há coberta para a perdição. 7O norte estende
26.7:
Jó 9.8
sobre o vazio; suspende a terra sobre o nada. 8Prende as
26.8:
Pv 30.4
águas em densas nuvens, e a nuvem não se rasga debaixo delas. 9Encobre a face do seu trono, e sobre ela estende a sua nuvem. 10Marcou um limite
26.10:
Jó 38.8
Pv 8.29
Jr 5.22
à superfície das águas em redor, até aos confins da luz e das trevas. 11As colunas do céu tremem, e se espantam da sua ameaça. 12Com a sua força
26.12:
Is 51.15
Jr 31.35
fende o mar, e com o seu entendimento abate a sua soberba. 13Pelo seu Espírito ornou os céus; a sua mão formou a serpente
26.13:
Is 27.1
enroscadiça. 14Eis que isto são apenas as orlas dos seus caminhos; e quão pouco é o que temos ouvido dele! Quem pois entenderia o trovão do seu poder?

27

Jó sustenta sua integridade e sinceridade

271E PROSSEGUINDO Jó em sua parábola, disse: 2Vive Deus,

27.2:
Jó 34.5
que desviou a minha causa, e o Todo-poderoso, que amargurou a minha alma. 3Enquanto em mim houver alento, e o sopro de Deus no meu nariz, 4Não falarão os meus lábios iniquidade, nem a minha língua pronunciará engano. 5Longe de mim que eu vos justifique;
27.5:
Jó 2.9
13.15
até que eu expire, nunca apartarei de mim a minha sinceridade. 6À minha justiça me apegarei
27.6:
At 24.16
e não a largarei; não me remorderá o meu coração em toda a minha vida. 7Seja como o ímpio o meu inimigo, e o que se levantar contra mim como o perverso. 8
27.8:
Mt 16.26
Lc 12.20
Porque qual será a esperança do hipócrita, havendo sido avaro, quando Deus lhe arrancar a sua alma? 9Porventura,
27.9:
Jó 35.12
Pv 1.28
28.9
Ez 8.18
Mq 3.4
Jo 9.31
Tg 4.3
Deus ouvirá o seu clamor, sobrevindo-lhe a tribulação? 10Ou deleitar-se-á no Todo-poderoso, ou invocará a Deus em todo o tempo? 11Ensinar-vos-ei
27.11:
Jó 22.26-27
o que é concernente à mão de Deus, e não vos encobrirei o que está com o Todo-poderoso. 12Eis que todos vós vistes isso; por que pois vos desvaneceis na vossa vaidade? 13Eis qual será da parte de Deus a
27.13:
Jó 20.29
porção do homem ímpio, e a herança, que os tiranos receberão do Todo-poderoso: 14Se
27.14:
Dt 28.41
Os 9.13
os seus filhos se multiplicarem, será para a espada, e os seus renovos se não fartarão de pão. 15Os que ficarem dele, na morte serão enterrados, e as suas viúvas não chorarão. 16Se amontoar prata como pó, e aparelhar vestidos como lodo; 17Ele os aparelhará, mas
27.17:
Pv 28.8
Ec 2.26
o justo os vestirá, e o inocente repartirá a prata. 18Ele edifica a sua casa como a traça, e como o guarda que faz a
27.18:
Is 1.8
Lm 2.6
cabana. 19Rico se deita, e não será recolhido; seus olhos abre, e ele não será. 20Pavores se
27.20:
Jó 18.11
apoderam dele como águas; de noite o arrebatará a tempestade. 21O vento oriental o levará, e ir-se-á; varrê-lo-á com ímpeto do seu lugar. 22E Deus lançará isto sobre ele, e não o poupará; irá fugindo da sua mão. 23Cada um baterá contra ele as palmas das mãos, e do seu lugar o assobiará.

28

O homem tem ciência das cousas da terra, mas a sabedoria é dom de Deus

281NA verdade, há veios donde se extrai a prata, e para o ouro lugar em que o derretem. 2O ferro tira-se da terra, e da pedra se funde o metal. 3Ele pôs fim às trevas, e toda a extremidade ele esquadrinha; as pedras da escuridão e da sombra da morte. 4Trasborda o ribeiro até ao que junto dele habita, de maneira que se não pode passar a pé; então intervém o homem, e as águas se vão. 5A terra, donde procede o pão, embaixo é revolvida como por fogo. 6As suas pedras são o lugar da safira, e têm pós de ouro. 7Essa vereda a ignora a ave de rapina, e não a viram os olhos da gralha. 8Nunca a pisaram filhos de animais altivos, nem o feroz leão passou por ela. 9Ele estende a sua mão contra o rochedo, e revolve os montes desde as suas raízes. 10Dos rochedos faz sair rios, e o seu olho descobre todas as cousas preciosas. 11Os rios tapa, e nem uma gota sai deles, e tira para a luz o que estava escondido. 12Mas onde se achará

28.12:
Jó 28.20
Ec 7.24
a sabedoria? E onde está o lugar da inteligência? 13O homem não lhe
28.13:
Pv 3.35
conhece o valor; não se acha na terra dos viventes. 14O abismo diz:
28.14:
Jó 28.22
Rm 11.32,34
Não está em mim; e o mar diz: Ela não está comigo. 15Não se
28.15:
Pv 3.13-15
8.10-11,19
16.16
dará por ela ouro fino, nem se pesará prata em câmbio dela. 16Nem se pode comprar por ouro fino de Ofir, nem pelo precioso ônix, nem pela safira. 17Com ela se não pode comparar o ouro ou o cristal; nem se trocará por joia de ouro fino. 18Ela faz esquecer o coral e as pérolas; porque a aquisição da sabedoria é melhor que a dos rubis. 19Não se lhe igualará o topázio da Etiópia, nem se pode comprar por ouro puro. 20Donde pois
28.20:
Jó 28.12
vem a sabedoria, e onde está o lugar da inteligência? 21Porque está encoberta aos olhos de todo o vivente, e oculta às aves do céu. 22A perdição
28.22:
Jó 28.14
e a morte dizem: Ouvimos com os nossos ouvidos a sua fama. 23Deus entende o seu caminho, e ele sabe o seu lugar. 24Porque ele vê as extremidades da terra; e vê tudo
28.24:
Pv 15.3
o que há debaixo dos céus. 25Quando deu peso ao vento, e tomou a medida das águas. 26Quando prescreveu uma
28.26:
Jó 38.25
lei para a chuva e caminho para o relâmpago dos trovões; 27Então a viu e a manifestou; estabeleceu-a e também a esquadrinhou. 28Mas disse ao homem: Eis que o temor
28.28:
Dt 4.6
Pv 1
9.10
Ec 12.13
do Senhor é a sabedoria, e apartar-se do mal é a inteligência.