Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
16

Continuação das últimas instruções aos discípulos — Jesus repete a promessa do Consolador e da sua própria volta

161TENHO-VOS dito estas coisas para que vos

16.1:
Mt 11.6
26.31
não escandalizeis. 2Expulsar-vos-ão
16.2:
Jo 9.22,34
12.42
das sinagogas; vem mesmo a hora
16.2:
At 8.1
9.1
em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. 3E
16.3:
Jo 15.21
Rm 10.2
isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim. 4Mas
16.4:
Jo 13.19
14.20
tenho-vos dito isto, a fim de que, quando chegar aquela hora, vos lembreis de que vo-lo tinha dito; e eu não
16.4:
Mt 9.15
vos disse isto desde o princípio, porque estava convosco. 5E
16.5:
Jo 16.10,16
14.28
agora vou para aquele que me enviou: e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais? 6Antes, porque isto vos tenho dito,
16.6:
Jo 16.22
14.1
o vosso coração se encheu de tristeza, 7Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for,
16.7:
Jo 7.39
14.16,26
o Consolador não virá a vós; mas,
16.7:
At 2.33
Ef 4.8
se eu for, enviar-vo-lo-ei. 8E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. 9Do
16.9:
At 2.22,37
pecado, porque não creem em mim; 10Da
16.10:
At 2.32
justiça,
16.10:
Jo 3.14
porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; 11E
16.11:
At 26.18
do juízo, porque
16.11:
Lc 10.18
Hb 2.14
o príncipe deste mundo está julgado. 12Ainda tenho muito que vos dizer,
16.12:
Mc 4.33
Hb 5.12
mas vós não o podeis suportar agora. 13Mas, quando vier aquele Espírito
16.13:
Jo 14.17
de verdade,
16.13:
Jo 14.26
1Jo 2.20,27
ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. 14Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. 15Tudo
16.15:
Mt 11.27
Jo 13.3
quanto o Pai tem é meu; por isso vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar. 16Um
16.16:
Jo 16.10
7.33
13.33
14.19
pouco, e não me vereis; e outra vez um pouco, e ver-me-eis; porquanto
16.16:
Jo 16.28
13.3
vou para o Pai. 17Então alguns dos seus discípulos disseram uns para os outros: Que é isto que nos diz? Um pouco, e não me vereis; e outra vez um pouco, e ver-me-eis; e: porquanto vou para o Pai? 18Diziam pois: Que quer dizer isto: Um pouco? não sabemos o que diz. 19Conheceu pois Jesus que o queriam interrogar, e disse-lhes: Indagais entre vós acerca disto que disse: Um pouco, e não me vereis, e outra vez um pouco, e ver-me-eis? 20Na verdade, na verdade vos digo que vós chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará, e vós estareis tristes; mas a vossa tristeza se converterá em alegria. 21A
16.21:
Is 26.17
mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas, depois de ter dado à luz a criança, já se não lembra da aflição, pelo prazer de haver nascido um homem no mundo. 22Assim
16.22:
Jo 16.6
também vós agora, na verdade, tendes tristeza; mas outra vez vos verei,
16.22:
Lc 24.41,52
1Pe 1.8
e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará. 23E naquele dia nada me perguntareis.
16.23:
Mt 7.7
Jo 14.13
Na verdade, na verdade vos digo que tudo quanto pedirdes a meu Pai, em meu nome, ele vo-lo há de dar. 24Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que
16.24:
Jo 15.11
o vosso gozo se cumpra. 25Disse-vos isto por parábolas: chega, porém, a hora em que vos não falarei mais por parábolas, mas abertamente vos falarei acerca do Pai. 26Naquele
16.26:
Jo 16.23
dia pedireis em meu nome, e não vos digo que eu rogarei por vós ao Pai; 27Pois
16.27:
Jo 14.21,23
o mesmo Pai vos ama; visto como vós me amastes,
16.27:
Jo 3.13
e crestes que saí de Deus. 28Saí
16.28:
Jo 13.3
do Pai, e vim ao mundo: outra vez deixo o mundo, e vou para o Pai. 29Disseram-lhe os seus discípulos: Eis que agora falas abertamente, e não dizes parábola alguma. 30Agora conhecemos que
16.30:
Jo 21.17
sabes tudo, e não hás mister de que alguém te interrogue. Por isso
16.30:
Jo 16.27
17.8
cremos que saíste de Deus. 31Respondeu-lhes Jesus: Credes agora? 32Eis
16.32:
Mt 26.31
Mt 14.27
que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada
16.32:
Jo 20.10
um para sua parte, e me deixareis só,
16.32:
Jo 8.29
mas não estou só, porque o Pai está comigo. 33Tenho-vos dito isto, para que
16.33:
Is 9.6
Rm 5.1
em mim tenhais paz;
16.33:
Jo 15.19-21
2Tm 3.12
no mundo tereis aflições,
16.33:
Jo 14.1
mas tende bom ânimo, eu
16.33:
Rm 8.37
venci o mundo.

17

Oração de Jesus pelos seus discípulos

171JESUS falou assim, e, levantando seus olhos ao céu, disse: Pai, é

17.1:
Jo 12.23
13.32
chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti; 2Assim
17.2:
Dn 7.14
Hb 2.8
como lhe deste poder sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos
17.2:
Jo 17.6,9,24
quantos lhe deste. 3E
17.3:
Is 53.11
a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só,
17.3:
1Co 8.4
por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo,
17.3:
Jo 3.34
a quem enviaste. 4
17.4:
Jo 13.31
14.13
Eu glorifiquei-te na terra,
17.4:
Jo 4.34
tendo consumado a obra
17.4:
Jo 14.31
que me deste a fazer. 5E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha
17.5:
Jo 1.1
Fp 2.6
contigo antes que o mundo existisse. 6Manifestei
17.6:
Jo 17.26
Sl 22.23
o teu nome aos homens
17.6:
Jo 17.2,9,11
que do mundo me deste: eram teus, e tu mos deste, e guardaram a tua palavra. 7Agora têm conhecido que tudo quanto me deste provém de ti; 8Porque lhes dei as palavras
17.8:
Jo 8.28
que tu me deste; e eles as receberam,
17.8:
Jo 17.25
16.27,30
e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti; e creram que me enviaste. 9Eu rogo por eles: não
17.9:
1Jo 5.19
rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. 10E todas as minhas coisas são tuas,
17.10:
Jo 16.15
e as tuas coisas são minhas; e nisso sou glorificado. 11E
17.11:
Jo 13.1
16.28
eu já não estou mais no mundo; mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo,
17.11:
1Pe 1.5
Jd 1
guarda em teu nome aqueles que me deste,
17.11:
Jo 17.21
para que sejam um,
17.11:
Jo 10.30
assim como nós. 12Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome.
17.12:
Jo 6.39
Hb 2.13
Tenho guardado aqueles que tu me deste,
17.12:
1Jo 2.19
e nenhum deles se perdeu, senão o
17.12:
Jo 6.70
filho da perdição,
17.12:
Sl 109.8
At 1.20
para que a Escritura se cumprisse. 13Mas agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos. 14Dei-lhes
17.14:
Jo 17.8
a tua palavra,
17.14:
Jo 15.18-19
1Jo 3.13
e o mundo os aborreceu, porque não são do mundo,
17.14:
Jo 8.23
assim como eu não sou do mundo. 15Não peço que os tires do mundo,
17.15:
Mt 6.13
2Ts 3.3
1Jo 5.18
mas que os livres do mal. 16Não
17.16:
Jo 17.14
são do mundo, como eu do mundo não sou. 17Santifica-os
17.17:
At 15.9
Ef 5.26
1Pe 1.22
na verdade:
17.17:
2Sm 7.28
Sl 119.142,151
a tua palavra é a verdade. 18Assim
17.18:
Jo 20.21
como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. 19E por eles
17.19:
1Co 1.2,30
1Ts 4.7
Hb 10.10
me santifico a mim mesmo, para que também eles sejam santificados na verdade. 20Eu não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; 21Para
17.21:
Jo 17.11,22-23
Rm 12.5
Gl 3.28
que todos sejam um,
17.21:
Jo 10.38
como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. 22E eu dei-lhes a glória que a mim me deste,
17.22:
Jo 14.20
1Jo 1.3
para que sejam um, como nós somos um. 23Eu neles, e tu em mim,
17.23:
Cl 3.14
para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. 24Pai,
17.24:
Jo 12.26
14.3
1Ts 4.16
aqueles que me deste quero que, onde eu estiver, também eles estejam comigo, para que vejam a minha glória que me deste:
17.24:
Jo 17.5
porque tu me hás amado antes da criação do mundo. 25Pai justo,
17.25:
Jo 15.21
16.3
o mundo não te conheceu; mas
17.25:
Jo 7.29
eu te conheci,
17.25:
Jo 17.8
Jo 16.27
e estes conheceram que tu me enviaste a mim. 26E eu
17.26:
Jo 17.6
15.15
lhes fiz conhecer o teu nome, e lho farei conhecer mais, para que o amor com
17.26:
Jo 15.9
que me tens amado esteja neles, e eu neles esteja.

18

Jesus preso em Getsêmani

Mateus 26.36-56 e refs.

181TENDO Jesus dito isto,

18.1:
Mc 14.32
saiu com os seus discípulos para
18.1:
2Sm 15.23
além do ribeiro de Cedrom, onde havia um horto, no qual ele entrou e seus discípulos. 2E Judas, que o traía, também conhecia aquele lugar,
18.2:
Lc 21.37
22.39
porque Jesus muitas vezes se ajuntava ali com os seus discípulos. 3Tendo
18.3:
Mt 26.47
Mc 14.43
At 1.16
pois Judas recebido a coorte e oficiais dos principais sacerdotes e fariseus, veio para ali com lanternas, e archotes e armas. 4Sabendo pois Jesus todas as coisas que sobre ele haviam de vir, adiantou-se, e disse-lhes: A quem buscais? 5Responderam-lhe: A Jesus Nazareno. Disse-lhes Jesus: Sou eu. E Judas, que o traía, estava também com eles. 6Quando pois lhes disse: Sou eu, recuaram, e caíram por terra. 7Tornou-lhes pois a perguntar: A quem buscais? E eles disseram: A Jesus Nazareno. 8Jesus respondeu: vos disse que sou eu: se pois me buscais a mim, deixai ir estes. 9Para que se cumprisse a palavra que tinha dito:
18.9:
Jo 17.12
dos que me deste nenhum deles perdi. 10Então
18.10:
Mt 26.51
Lc 22.49-50
Simão Pedro, que tinha espada, desembainhou-a, e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco. 11Mas Jesus disse a Pedro: Mete a tua espada na bainha;
18.11:
Mt 20.22
não beberei eu o cálice que o Pai me deu?

Jesus perante o sinédrio. Pedro nega-o

Mateus 26.57-75 e refs.

12Então a coorte, e o tribuno, e os servos dos judeus prenderam a Jesus e o manietaram. 13E conduziram-no primeiramente a

18.13:
Lc 3.2
Anás, por ser sogro de Caifás, que era o sumo sacerdote daquele ano. 14Ora Caifás
18.14:
Jo 11.50
era quem tinha aconselhado aos judeus que convinha que um homem morresse pelo povo. 15E
18.15:
Mt 26.58
Mc 14.54
Lc 22.54
Simão Pedro e outro discípulo seguiam a Jesus. E este discípulo era conhecido do sumo sacerdote, e entrou com Jesus na sala do sumo sacerdote. 16E
18.16:
Mt 26.69
Mc 14.66
Lc 22.54
Pedro estava da parte de fora, à porta. Saiu então o outro discípulo que era conhecido do sumo sacerdote, e falou à porteira, levando Pedro para dentro. 17Então a porteira disse a Pedro: Não és tu também dos discípulos deste homem? Disse ele: Não sou. 18Ora estavam ali os servos e os criados, que tinham feito brasas, e se aquentavam, porque fazia frio; e com eles estava Pedro, aquentando-se também. 19E o sumo sacerdote interrogou Jesus acerca dos seus discípulos e da sua doutrina. 20Jesus lhe respondeu:
18.20:
Mt 26.55
Lc 4.15
Eu falei abertamente ao mundo; eu sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde todos os judeus se ajuntam, e nada disse em oculto. 21Para que me perguntas a mim? pergunta aos que ouviram o que é que lhes ensinei; eis que eles sabem o que eu lhes tenho dito. 22E, tendo dito isto, um dos criados que ali estavam deu
18.22:
Jr 20.2
At 23.2
uma bofetada em Jesus, dizendo: Assim respondes ao sumo sacerdote? 23Respondeu-lhe Jesus: Se falei mal, dá testemunho do mal; e, se bem, porque me feres? 24
18.24:
Mt 26.57
Anás mandou-o manietado, ao sumo sacerdote Caifás. 25E Simão Pedro estava ali, e aquentava-se.
18.25:
Mt 26.69-71
Mc 14.69
Lc 22.58
Disseram-lhe pois: Não és também tu um dos seus discípulos? Ele negou, e disse: Não sou. 26E um dos servos do sumo sacerdote, parente daquele a quem Pedro cortara a orelha, disse: Não te vi eu no horto com ele? 27E Pedro negou outra vez, e
18.27:
Mt 26.74
Mc 14.72
logo o galo cantou.

Jesus perante Pilatos

Mateus 27.1-2,31 e refs.

28Depois levaram

18.28:
Mc 15.1
At 3.13
Jesus da casa de Caifás para a audiência. E era pela manhã cedo.
18.28:
At 10.28
11.3
E não entraram na audiência, para não se contaminarem, mas poderem comer a páscoa. 29Então Pilatos saiu fora e disse-lhes: Que acusação trazeis contra este homem? 30Responderam, e disseram-lhe: Se este não fosse malfeitor, não to entregaríamos. 31Disse-lhes pois Pilatos: Levai-o vós, e julgai-o segundo a vossa lei. Disseram-lhe então os judeus: A nós não nos é lícito matar pessoa alguma. 32(Para
18.32:
Mt 20.19
Jo 12.32-33
que se cumprisse a palavra que Jesus tinha dito, significando de que morte havia de morrer). 33Tornou
18.33:
Mt 27.11
pois a entrar Pilatos na audiência, e chamou a Jesus, e disse-lhe: Tu és o rei dos Judeus? 34Respondeu-lhe Jesus: Tu dizes isso de ti mesmo, ou disseram-to outros de mim? 35Pilatos respondeu: Porventura sou eu judeu? a tua nação e os principais dos sacerdotes entregaram-te a mim: que fizeste? 36Respondeu
18.36:
1Tm 6.13
Jesus:
18.36:
Dn 2.44
7.14
Lc 12.14
O meu reino não é deste mundo: se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus: mas agora o meu reino não é daqui. 37Disse-lhe pois Pilatos: Logo tu és rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Eu para isso nasci, e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que
18.37:
Jo 8.47
1Jo 3.19
é da verdade ouve a minha voz. 38Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? E, dizendo isto, tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes.
18.38:
Mt 27.24
Lc 23.4
Jo 19.4,6
Não acho nele crime algum; 39Mas
18.39:
Mt 27.15
Mc 15.6
Lc 23.17
vós tendes por costume que eu vos solte alguém pela páscoa. Quereis pois que vos solte o Rei dos Judeus? 40Então
18.40:
At 3.14
todos tornaram a clamar, dizendo: Este não, mas Barrabás.
18.40:
Lc 23.19
E Barrabás era um salteador.