Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
6

Servidão sob os midianitas

61PORÉM

6.1:
Jz 2.19
os filhos de Israel fizeram o que parecia mal aos olhos do Senhor: e o Senhor os deu na mão dos
6.1:
Hc 3.7
midianitas por sete anos. 2E, prevalecendo a mão dos midianitas sobre Israel, fizeram os filhos de Israel para si, por causa dos midianitas, as covas que estão
6.2:
1Sm 13.6
Hb 11.38
nos montes, e as cavernas e as fortificações. 3Porque sucedia que, semeando Israel, subiram os midianitas e os amalequitas;
6.3:
Gn 29.1
Jz 3.13
7.12
8.10
1Rs 4.30
Jó 1.3
e também os do oriente contra ele subiam. 4E punham-se
6.4:
Lv 26.16
Dt 28.30,33,51
Mq 6.15
contra eles em campo, e destruíam a novidade da terra, até chegarem a Gaza: e não deixavam mantimento em Israel, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos. 5Porque subiam com os seus gados e tendas; vinham como gafanhotos,
6.5:
Jz 7.12
em tanta multidão que não se podiam contar, nem a eles nem aos seus camelos: e entravam na terra, para a destruir. 6Assim Israel empobreceu muito pela presença dos midianitas: então os filhos de Israel clamaram ao Senhor. 7E sucedeu que,
6.7:
Jz 3.15
Os 5.15
clamando os filhos de Israel ao Senhor por causa dos midianitas, 8Enviou o Senhor um homem profeta aos filhos de Israel, que lhes disse: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Do Egito eu vos fiz subir, e vos tirei da casa da servidão; 9E vos livrei da mão dos egípcios, e da mão de todos quantos vos oprimiam; e os expeli
6.9:
Sl 44.3-4
de diante de vós, e a vós dei a sua terra; 10E vos disse: Eu sou o Senhor vosso Deus; não temais
6.10:
2Rs 17.35,37-38
Jr 10.2
aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais: mas não destes ouvidos à minha voz.

Um anjo fala com Gideão

11Então o anjo do Senhor veio, e assentou-se debaixo do carvalho que está em Ofra, que pertencia a Joás, abiezrita:

6.11:
Js 17.2
e Gideão, seu filho, estava malhando o trigo no lagar, para o salvar dos midianitas. 12Então o anjo
6.12:
Js 1.5
Jz 13.3
Lc 1.11,28
do Senhor lhe apareceu, e lhe disse: O Senhor é contigo, varão valoroso. 13Mas Gideão lhe respondeu: Ai, senhor meu, se o Senhor é conosco por que tudo isto nos sobreveio? e que é feito de todas as suas maravilhas
6.13:
2Cr 15.2
Sl 89.50
Is 59.1
63.15
que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o Senhor subir do Egito? Porém agora o Senhor nos desamparou, e nos deu na mão dos midianitas. 14Então o Senhor olhou para ele, e disse:
6.14:
1Sm 12.11
Hb 11.32,34
Vai nesta tua força e livrarás a Israel da mão dos midianitas:
6.14:
Js 1.9
Jz 4.6
porventura não te enviei eu? 15E ele lhe disse: Ai, senhor meu, com que livrarei a Israel? eis que o meu milheiro é o mais pobre em Manassés, e eu o menor na casa de meu pai. 16E o Senhor lhe disse: Porquanto eu hei de ser
6.16:
Êx 3.12
Js 1.5
contigo, tu ferirás aos midianitas como se fossem um homem. 17E ele lhe disse: Se agora tenho achado graça aos teus olhos, dá-me
6.17:
Êx 4.1,8
Jz 6.36-37
2Rs 20.8
Is 7.11
um sinal de que és o que comigo falas. 18Rogo-te
6.18:
Gn 18.3,5
Jz 13.15
que daqui te não apartes, até que eu venha a ti, e traga 6.18: ou a minha ofertao meu presente, e o ponha perante ti. E disse: Eu esperarei até que voltes. 19E entrou Gideão
6.19:
Gn 18.6-8
e preparou um cabrito e bolos asmos dum efa de farinha; a carne pôs num açafate e o caldo pôs numa panela: e trouxe-lho até debaixo do carvalho, e lho apresentou. 20Porém o anjo de Deus lhe disse: Toma a carne e os bolos asmos e põe-nos sobre esta
6.20:
Jz 13.19
1Rs 18.33-34
penha e verte o caldo. E assim o fez. 21E o anjo do Senhor estendeu a ponta do cajado, que estava na sua mão, e tocou a carne e os bolos asmos: então subiu fogo da penha,
6.21:
Lv 9.24
1Rs 18.38
2Cr 7.1
e consumiu a carne e os bolos asmos; e o anjo do Senhor desapareceu de seus olhos. 22Então
6.22:
Gn 16.13
32.30
Êx 33.20
Jz 13.21-22
viu Gideão que era o anjo do Senhor; e disse Gideão: Ah! Senhor, Jeová, que eu vi o anjo do Senhor face a face. 23Porém o Senhor lhe disse: Paz seja contigo:
6.23:
Dn 10.19
não temas: não morrerás. 24Então Gideão edificou ali um altar ao Senhor, e lhe chamou, Senhor é paz: e ainda até ao dia de hoje está em Ofra
6.24:
Jz 8.32
dos abiezritas. 25E aconteceu, naquela mesma noite, que o Senhor lhe disse: toma o boi de teu pai, a saber, o segundo boi de sete anos: e derriba o altar de Baal, que é de teu pai;
6.25:
Êx 34.13
Dt 7.5
e corta o bosque que está ao pé dele. 26E edifica ao Senhor teu Deus um altar no cume deste lugar forte, num lugar conveniente: e toma o segundo boi, e o oferecerás em holocausto com a lenha que cortares do bosque. 27Então Gideão tomou dez homens dentre os seus servos, e fez como o Senhor lhe dissera: e sucedeu que, temendo ele a casa de seu pai, e os homens daquela cidade, não o fez de dia, mas fê-lo de noite. 28Levantando-se pois os homens daquela cidade de madrugada, eis que estava o altar de Baal derribado, e o bosque, que estava ao pé dele, cortado: e o segundo boi foi oferecido no altar de novo edificado. 29E uns aos outros disseram: Quem fez esta cousa? E, esquadrinhando, e inquirindo, disseram: Gideão, o filho de Joás, fez esta cousa. 30Então os homens daquela cidade disseram a Joás: Tira para fora a teu filho para que morra, pois derribou o altar de Baal, e cortou o bosque que estava ao pé dele. 31Porém Joás disse a todos os que se puseram contra ele: Contendereis vós por Baal? livrá-lo-eis vós? qualquer que por ele contender ainda esta manhã será morto: se é deus, por si mesmo contenda; pois derribaram o seu altar. 32Pelo que naquele dia lhe chamaram Jerubaal,
6.32:
1Sm 12.11
2Sm 11.21
dizendo: Baal contenda contra ele, pois derribou o seu altar. 33E todos os midianitas
6.33:
Js 17.16
Jz 6.3
e amalequitas, e os filhos do oriente se ajuntaram num corpo, e passaram, e puseram o seu campo no vale de Jezreel. 34Então o espírito do
6.34:
Nm 10.3
Jz 3.10,27
1Cr 12.18
2Cr 24.20
Senhor revestiu a Gideão, o qual tocou a buzina, e os abiezritas se ajuntaram após dele. 35E enviou mensageiros por toda a tribo de Manassés, que também se convocou após dele: também enviou mensageiros a Eser, e a Zebulom, e a Naftali, e saíram-lhe ao encontro. 36E disse Gideão a Deus: Se hás de livrar a Israel por minha mão, como tens dito, 37Eis que eu porei
6.37:
Êx 4.3-4,6-7
um velo de lã na eira: se o orvalho estiver somente no velo, e secura sobre toda a terra, então conhecerei que hás de livrar a Israel por minha mão, como tens dito. 38E assim sucedeu: porque ao outro dia se levantou de madrugada, e apertou o velo: e do orvalho do velo espremeu uma taça cheia de água. 39E disse Gideão a Deus: Não se acenda contra mim
6.39:
Gn 18.32
a tua ira, se ainda falar só esta vez: rogo-te que só esta vez faça a prova com o velo; rogo-te que só no velo haja secura, e em toda a terra haja o orvalho. 40E Deus assim o fez naquela noite: pois só no velo havia secura, e sobre toda a terra havia orvalho.

7

Gideão com trezentos homens vence os midianitas

71ENTÃO Jerubaal

7.1:
Jz 6.32
(que é Gideão) se levantou de madrugada, e todo o povo que com ele havia, e se acamparam junto à fonte de Harode; de maneira que tinha o arraial dos midianitas para o norte, pelo outeiro de Moré no vale. 2E disse o Senhor a Gideão: Muito é o povo que está contigo, para eu dar aos midianitas em sua mão; a fim de que Israel
7.2:
Dt 8.17
Is 10.13
1Co 1.29
2Co 4.7
se não glorie contra mim, dizendo: A minha mão me livrou. 3Agora pois apregoa aos ouvidos do povo dizendo:
7.3:
Dt 20.8
Quem for covarde e medroso, volte, e vá-se apressadamente das montanhas de Gileade. Então voltaram do povo vinte e dois mil, e dez mil ficaram. 4E disse o Senhor a Gideão: Ainda muito povo : faze-os descer às águas, e ali tos provarei: e será que aquele de que eu te disser: Este irá contigo, esse contigo irá; porém todo aquele, de que eu te disser: Este não irá contigo, esse não irá. 5E fez descer o povo às águas. Então o Senhor disse a Gideão: Qualquer que lamber as águas com a sua língua, como as lambe o cão, esse porás à parte; como também a todo aquele que se abaixar de joelhos a beber. 6E foi o número dos que lamberam, levando a mão à boca, trezentos homens; e todo o resto do povo se abaixou de joelhos a beber as águas, 7E disse o Senhor a Gideão: Com estes trezentos homens
7.7:
1Sm 14.6
que lamberam as águas vos livrarei, e darei os midianitas na tua mão; pelo que toda a outra gente se vá cada um ao seu lugar. 8E o povo tomou na sua mão a provisão e as suas buzinas, e ele enviou todos os outros homens de Israel cada um à sua tenda, porém os trezentos homens reteve: e estava o arraial dos midianitas abaixo no vale. 9E sucedeu que, naquela mesma noite,
7.9:
Gn 46.2-3
o Senhor lhe disse: Levanta-te, e desce ao arraial, porque o tenho dado na tua mão. 10E, se ainda temes descer, desce tu e teu moço Pura ao arraial; 11E ouvirás
7.11:
Gn 24.14
Jz 7.13-15
1Sm 14.9-10
o que dizem, e então se esforçarão as tuas mãos e descerás ao arraial. Então desceu ele com o seu moço Pura até ao extremo das sentinelas que estavam no arraial. 12E os midianitas, e amalequitas,
7.12:
Jz 6.5,33
8.10
e todos os filhos do oriente jaziam no vale como gafanhotos em multidão: e eram inumeráveis os seus camelos, como a areia que na praia do mar em multidão. 13Chegando pois Gideão, eis que estava contando um homem ao seu companheiro um sonho, e dizia: Eis que um sonho sonhei, eis que um pão de cevada torrado rodava pelo arraial dos midianitas, e chegava até às tendas, e as feriu, e caíram, e as transtornou de cima para baixo, e ficaram abatidas. 14E respondeu o seu companheiro, e disse: Não é isto outra cousa, senão a espada de Gideão, filho de Joás, varão israelita. Deus tem dado na sua mão aos midianitas, e a todo este arraial. 15E sucedeu que, ouvindo Gideão a narração deste sonho, e a sua explicação, adorou; e tornou ao arraial de Israel, e disse: Levantai-vos, porque o Senhor tem dado o arraial dos midianitas nas vossas mãos. 16Então repartiu os trezentos homens em três esquadrões: e deu-lhes a cada um nas suas mãos buzinas, e cântaros vazios, com tochas neles acesas. 17E disse-lhes: Olhai para mim, e fazei como eu fizer: e eis que chegando eu ao extremo do arraial, será que como eu fizer, assim fareis vós. 18Tocando eu e todos os que comigo estiverem a buzina, então também vós tocareis a buzina ao redor de todo o arraial, e direis: Pelo Senhor, e Gideão. 19Chegou pois Gideão, e os cem homens que com ele iam, ao extremo do arraial, ao princípio da vigília da meia-noite, havendo-se já posto as guardas: e tocaram as buzinas, e partiram os cântaros, que tinham nas mãos. 20Assim tocaram os três esquadrões as buzinas, e partiram os cântaros, e tinham nas suas mãos esquerdas as tochas acesas, e nas suas mãos direitas as buzinas, que tocavam; e exclamaram: Espada do Senhor e de Gideão. 21E ficou-se cada um no
7.21:
Êx 14.13-14
2Rs 7.7
2Cr 20.17
seu lugar ao redor do arraial: então todo o exército deitou a correr, e, gritando, fugiram. 22Tocando
7.22:
Js 6.4,16,20
2Co 4.7
pois os trezentos as buzinas, o Senhor tornou
7.22:
1Sm 14.20
2Cr 20.23
Sl 83.10
Is 9.4
a espada dum contra o outro e isto em todo o arraial: e o exército fugiu para Zererá, até Bete-Sita, até aos limites de Abel-Meola, acima de Tabate. 23Então os homens de Israel, de Naftali, e de Aser e de todo o Manassés foram convocados, e perseguiram aos midianitas. 24Também Gideão enviou mensageiros a todas as montanhas de Efraim,
7.24:
Jz 3.27
dizendo: Descei ao encontro dos midianitas, e tomai-lhes as águas até Bete-Bara, a saber, o Jordão. Convocados pois todos os homens de Efraim,
7.24:
Jz 3.28
tomaram-lhes as águas até Bete-Bara e Jordão. 25E prenderam a dois príncipes dos midianitas, a
7.25:
Jz 8.3
Is 10.26
Orebe e a Zeebe; e mataram a Orebe na penha de Orebe, e a Zeebe mataram no lagar de Zeebe, e perseguiram aos midianitas: e trouxeram as cabeças de Orebe e de Zeebe a Gideão, dalém do Jordão.

8

Gideão apazigua os efraimitas e mata os reis dos midianitas

81ENTÃO os homens de Efraim lhes disseram:

8.1:
Jz 12.1
2Sm 19.41
Que é isto que nos fizeste, que não nos chamaste, quando foste pelejar contra os midianitas? E contenderam com ele fortemente. 2Porém ele lhes disse: Que mais fiz eu agora do que vós? não são porventura os rabiscos de Efraim melhores do que a vindima de Abiezer? 3Deus vos deu
8.3:
Jz 7.24-25
Fp 2.3
na vossa mão aos príncipes dos midianitas, Orebe e Zeebe; que mais pude eu logo fazer do que vós? então a sua ira
8.3:
Pv 15.1
se abrandou para com ele, quando falou esta palavra. 4E, como Gideão veio ao Jordão, passou com os trezentos homens que com ele estavam, já cansados, mas ainda perseguindo. 5E disse aos homens
8.5:
Gn 33.17
de Sucote: Dai, peço-vos, alguns pedaços de pão ao povo, que segue as minhas pisadas: porque estão cansados, e eu vou em alcance de Zeba e Salmuna, reis dos midianitas. 6Porém os príncipes de Sucote disseram: Está já a palma da mão
8.6:
1Sm 25.11
1Rs 20.11
de Zeba e de Salmuna na tua mão, para que demos pão ao teu exército? 7Então disse Gideão: Pois quando o Senhor der na minha mão a Zeba e a Salmuna, trilharei
8.7:
Jz 8.16
a vossa carne com os espinhos do deserto, e com os abrolhos. 8E dali subiu a
8.8:
Gn 32.30
1Rs 12.25
Penuel, e falou-lhes da mesma maneira; e os homens de Penuel lhe responderam como os homens de Sucote lhe haviam respondido. 9Pelo que também falou aos homens de Penuel, dizendo: Quando
8.9:
Jz 8.17
1Rs 22.27
eu voltar em paz, derribarei esta torre. 10Estavam pois Zeba e Salmuna em Carcor, e os seus exércitos com eles, uns quinze mil homens, todos os que ficaram do exército dos filhos
8.10:
Jz 7.12
do oriente: e os que caíram foram cento e vinte mil homens, que arrancavam a espada. 11E subiu Gideão pelo caminho dos que habitavam em tendas, para o oriente de Noba
8.11:
Nm 32.35,42
Jz 18.27
1Ts 5.3
e Jogbeá: e feriu aquele exército, porquanto o exército estava descuidado. 12E fugiram Zeba e Salmuna: porém ele os perseguiu, e tomou
8.12:
Sl 83.12
presos a ambos os reis dos midianitas, a Zeba e a Salmuna, e afugentou a todo o exército. 13Voltando pois Gideão, filho de Joás, da peleja, antes do nascer do sol, 14Tomou preso a um moço dos homens de Sucote, e lhe fez perguntas: o qual descreveu os príncipes de Sucote, e os seus anciãos, setenta e sete homens. 15Então veio aos homens de Sucote, e disse: Vedes aqui a Zeba e a Salmuna, dos quais desprezivelmente me deitastes em rosto,
8.15:
Jz 8.6
dizendo: Está já a palma da mão de Zeba e Salmuna na tua mão, para que demos pão aos teus homens, cansados? 16E tomou
8.16:
Jz 8.7
os anciãos daquela cidade, e espinhos do deserto, e abrolhos: e com eles ensinou aos homens de Sucote. 17E derribou
8.17:
Jz 8.9
1Rs 12.25
a torre de Penuel, e matou os homens da cidade. 18Depois disse a Zeba e a Salmuna: Que homens eram os que matastes em
8.18:
Jz 4.6
Tabor? E disseram: Qual tu, tais eram eles; cada um ao parecer, como filhos dum rei. 19Então disse ele: Meus irmãos eram filhos de minha mãe: vive o Senhor, que, se os tivésseis deixado em vida, eu não vos mataria a vós. 20E disse a Jéter, seu primogênito: Levanta-te, mata-os. Porém o mancebo não arrancou da sua espada, porque temia; porquanto ainda era mancebo. 21Então disseram Zeba e Salmuna: Levanta-te tu, e acomete-nos; porque, qual o homem, tal a sua valentia. Levantou-se pois Gideão, e matou
8.21:
Sl 83.12
a Zeba e a Salmuna, e tomou as 8.21: ou crescentesluetas, que estavam aos pescoços dos seus camelos.

Gideão recusa governar, faz um éfode e morre

22Então os homens de Israel disseram a Gideão: Domina sobre nós, tanto tu, como teu filho e o filho de teu filho; porquanto nos livraste da mão dos midianitas. 23Porém Gideão lhes disse: Sobre vós eu não dominarei, nem tão pouco meu filho sobre vós dominará: o Senhor sobre vós

8.23:
1Sm 8.7
10.19
12.12
dominará. 24E disse-lhes mais Gideão: Uma petição vos farei: dai-me cada um de vós os pendentes do seu despojo (porque
8.24:
Gn 25.13
37.25,28
tinham pendentes de ouro, porquanto eram ismaelitas). 25E disseram eles: De boa mente os daremos. E estenderam uma capa, e cada um deles deitou ali um pendente do seu despojo. 26E foi o peso dos pendentes de ouro que pediu, mil e setecentos siclos de ouro, afora as luetas, e as cadeias, e os vestidos de púrpura, que traziam os reis dos midianitas, e afora as coleiras que os camelos traziam ao pescoço. 27E fez Gideão disso um éfode
8.27:
Jz 6.24
17.5
Sl 106.39
e pô-lo na sua cidade, em Ofra; e todo o Israel se prostituiu ali após dele: e foi por tropeço a Gideão
8.27:
Dt 7.16
e à sua casa. 28Assim foram abatidos os midianitas diante dos filhos de Israel, e nunca mais levantaram a sua cabeça: e sossegou a terra
8.28:
Jz 5.31
quarenta anos nos dias de Gideão. 29E foi-se Jerubaal, filho de Joás, e habitou em sua casa. 30E teve Gideão setenta filhos, que procederam da sua coxa: porque tinha muitas mulheres. 31E sua concubina,
8.31:
Jz 9.1
que estava em Siquém, lhe deu também um filho: e pôs-lhe por nome Abimeleque. 32E faleceu Gideão, filho de Joás, numa boa velhice:
8.32:
Gn 25.8
Jz 6.24
8.27
Jó 5.26
e foi sepultado no sepulcro de seu pai Joás, em Ofra dos abiezritas. 33E sucedeu que,
8.33:
Jz 2.17,19
9.4,46
quando Gideão faleceu, os filhos de Israel se tornaram, e se prostituíram após dos baalins: e puseram a Baal-Berite por deus. 34E os filhos de Israel se não lembraram
8.34:
Sl 78.11,42
106.13,21
do Senhor seu Deus, que os livrara da mão de todos os seus inimigos em redor. 35Nem usaram
8.35:
Jz 9.16-18
Ec 9.14-15
de beneficência com a casa de Jerubaal, a saber, de Gideão, conforme a todo o bem que ele usara com Israel.

Utilizamos cookies de acordo com o nossa Política de Privacidade, respeitando todos as suas informações pessoais.[ocultar]