Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
24

Predição do castigo dos israelitas, e o seu bom efeito. A promessa de livramento e da ruína dos seus inimigos. Cântico de louvor pela misericórdia de Deus

241EIS que o Senhor esvazia a terra, e a desola, e transtorna a sua superfície, e dispersa os seus moradores. 2E o que suceder ao povo,

24.2:
Os 4.9
sucederá ao sacerdote; ao servo, como ao seu senhor; à serva, como à sua senhora;
24.2:
Ez 7.12-13
ao comprador, como ao vendedor; ao que empresta, como ao que toma emprestado; ao que dá usura, como ao que paga usura. 3De todo se esvaziará a terra, e de todo será saqueada, porque o Senhor pronunciou esta palavra. 4A terra pranteia e se murcha: o mundo enfraquece e se murcha: enfraquecem os mais altos do povo da terra. 5Na verdade a terra
24.5:
Gn 3.17
Nm 35.33
está contaminada por causa dos seus moradores; porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram a aliança eterna. 6Por isso
24.6:
Ml 4.6
a maldição consome a terra; e os que habitam nela serão desolados; por isso serão queimados os moradores da terra, e poucos homens restarão. 7Pranteia o mosto,
24.7:
Is 16.8-9
Jl 1.10,12
enfraquece a vide; e suspirarão todos os alegres de coração. 8Cessou o folguedo
24.8:
Jr 7.34
16.9
25.10
Ez 26.13
Os 2.11
Ap 18.22
dos tamboris, acabou o ruído dos que pulam de prazer, e descansou a alegria da harpa. 9Com canções não beberão vinho; a bebida forte será amarga para os que a beberem. 10Demolida está a cidade vazia, todas as casas fecharam, ninguém já pode entrar. 11Há lastimoso clamor nas ruas por causa do vinho; toda a alegria se escureceu, desterrou-se o gozo da terra. 12Na cidade só ficou a desolação, e com estalidos se quebra a porta. 13Porque será no interior da terra, no meio destes povos,
24.13:
Is 17.5-6
como a sacudidura da oliveira, e como os rabiscos, quando está acabada a vindima. 14Estes alçarão a sua voz, e cantarão com alegria; por causa da glória do Senhor clamarão desde o mar. 15Por isso glorificai ao Senhor nos vales,
24.15:
Ml 1.11
e nas ilhas do mar ao nome do Senhor Deus de Israel. 16Dos confins da terra ouvimos cantar: glória ao Justo; mas eu digo: Emagreço, emagreço, ai de mim!
24.16:
Jr 5.11
os pérfidos tratam perfidamente; sim, os pérfidos tratam perfidamente. 17O temor, e a cova, e o laço vem sobre ti,
24.17:
1Rs 19.17
Jr 48.43-44
Am 5.19
ó morador da terra. 18E será que aquele que fugir da voz do temor cairá na cova, e o que subir da cova o laço o prenderá;
24.18:
Gn 7.11
porque as janelas do alto se abriram, e os fundamentos da terra tremem. 19De todo será quebrantada a terra,
24.19:
Jr 4.23
de todo se romperá, e de todo se moverá a terra. 20De todo vacilará
24.20:
Is 19.14
a terra como o ébrio, e será movida e removida como a choça de noite; e a sua transgressão se agravará sobre ela, e cairá, e nunca mais se levantará. 21E será que naquele dia o Senhor visitará os exércitos do alto na altura, e os reis da terra sobre a terra. 22E serão amontoados como presos numa masmorra, e serão encerrados num cárcere: e serão visitados depois de muitos dias. 23E a lua
24.23:
Is 13.10
60.19
Ez 32.7
Jl 2.1
3.15
se envergonhará, e o sol se confundirá quando
24.23:
Ap 19.4,6
Hb 12.22
o Senhor dos Exércitos reinar no monte de Sião e em Jerusalém; e então perante os seus anciãos haverá glória.

25

251Ó SENHOR, tu és o meu Deus;

25.1:
Êx 15.2
exaltar-te-ei, a ti, e louvarei o teu nome, porque fizeste maravilhas: os teus conselhos antigos são verdade e firmeza. 2Porque da cidade fizeste
25.2:
Is 21.9
23.13
Jr 51.37
um montão de pedras, e da cidade forte uma ruína e do paço dos estranhos, que não seja mais cidade, e jamais se torne a edificar. 3Pelo que te glorificará
25.3:
Ap 11.13
um povo poderoso, e a cidade das nações formidáveis te temerá. 4Porque foste a fortaleza do pobre, e a fortaleza do necessitado na sua angústia: refúgio contra a tempestade,
25.4:
Is 4.6
e sombra contra o calor; porque o sopro dos opressores é como a tempestade contra o muro. 5Como o calor em lugar seco, tu abaterás o ímpeto dos estranhos; como se abranda o calor pela sombra da espessa nuvem, assim o cântico dos tiranos será humilhado. 6E o Senhor dos Exércitos
25.6:
Is 2.2-3
Pv 9.2
Mt 8.11
22.4
Dn 7.14
dará neste monte a todos os povos uma festa com animais gordos, uma festa com vinhos puros, com tutanos gordos, e com vinhos puros, bem purificados. 7E destruirá neste monte a máscara do rosto, com que todos os povos andam cobertos,
25.7:
2Co 3.15
e o véu com que todas as nações se escondem. 8Aniquilará
25.8:
Os 13.14
1Co 15.54
Ap 7.17
21.4
a morte para sempre,
25.8:
Ap 7.17
21.4
e assim enxugará o Senhor Jeová as lágrimas de todos os rostos, e tirará o opróbrio do seu povo de toda a terra; porque o Senhor o disse. 9E naquele dia se dirá:
25.9:
Gn 49.18
Tt 2.13
Eis que este é o nosso Deus, a quem aguardávamos, e ele nos salvará: este é o Senhor, a quem aguardávamos: na sua salvação gozaremos e nos alegraremos. 10Porque a mão do Senhor descansará neste monte; mas Moabe será trilhado debaixo dele, como se trilha a palha no monturo. 11E estenderá as suas mãos por entre eles, como as estende o nadador para nadar; e abaterá a sua altivez com a perícia das suas mãos deles. 12E abaixará as altas fortalezas dos teus muros; abatê-las-á e derribá-las-á por terra até ao pó.

26

261NAQUELE dia

26.1:
Is 2.11
60.18
se entoará este cântico na terra de Judá: Uma forte cidade temos, a que Deus pôs a salvação por muros e antemuros. 2Abri as portas, para que entre nela a nação justa, que observa a verdade. 3Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. 4Confiai no Senhor perpetuamente;
26.4:
Is 45.17
porque o Senhor Deus é uma rocha eterna. 5Porque ele abate os que habitam em lugares sublimes; a cidade exaltada
26.5:
Is 25.12
32.19
humilhará até ao chão, e a derribará até ao pó. 6O pé a pisará: os pés dos aflitos, e os passos dos pobres. 7O caminho do justo é todo plano: tu retamente pesas o andar do justo. 8Até no caminho dos teus juízos, Senhor, te esperamos;
26.8:
Is 64.4-5
no teu nome e na tua memória está o desejo da nossa alma. 9Com minha alma
26.9:
Ct 3.1
te desejei de noite, e com o meu espírito, que está dentro de mim, madrugarei a buscar-te; porque, havendo os teus juízos na terra, os moradores do mundo aprendem justiça. 10Ainda que se mostre favor
26.10:
Ec 8.12
Rm 2.4
ao ímpio, nem por isso aprende a justiça; até na terra da retidão ele pratica a iniquidade, e não atenta para a majestade do Senhor. 11Senhor, a tua mão está exaltada, mas
26.11:
Is 5.12
nem por isso a veem: vê-la-ão, porém, e confundir-se-ão por causa do zelo que tens do teu povo; e o fogo consumirá os teus adversários. 12Senhor, tu nos darás a paz, porque tu és o que fizeste em nós todas as nossas obras. 13Ó Senhor Deus nosso,
26.13:
2Cr 12.8
outros senhores têm tido domínio sobre nós; mas, por ti só, nos lembramos do teu nome. 14Morrendo eles, não tornarão a viver; falecendo, não ressuscitarão; por isso os visitaste e destruíste, e apagaste toda a sua memória. 15Tu, Senhor, aumentaste esta gente, tu aumentaste esta gente, fizeste-te glorioso; mas longe os lançaste, para todos os fins da terra. 16Senhor, no aperto te visitaram;
26.16:
Os 5.15
vindo sobre eles a tua correção, derramaram a sua oração secreta. 17Como
26.17:
Is 13.8
Jo 16.21
a mulher grávida, quando está próxima a sua hora, tem dores de parto, e dá gritos nas suas dores, assim fomos nós por causa da tua face, ó Senhor! 18Bem concebemos nós, e tivemos dores de parto, mas isso não foi senão vento: livramento não trouxemos à terra, nem caíram os moradores do mundo. 19Os
26.19:
Dn 12.2
teus mortos viverão, os teus mortos ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho será como o orvalho das ervas, e a terra lançará de si os mortos. 20Vai pois, povo meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas portas sobre ti:
26.20:
Is 54.7-8
2Co 4.17
esconde-te só por um momento, até que passe a ira. 21Porque eis que o Senhor
26.21:
Mq 1.3
Jd 14
sairá do seu lugar, para castigar os moradores da terra, por causa da sua iniquidade, e a terra descobrirá o seu sangue, e não encobrirá mais aqueles que foram mortos.