Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
21

O nascimento de Isaque

211E O Senhor

21.1:
1Sm 2.21
Lc 1.68
visitou a Sara, como tinha dito; e fez o Senhor a Sara como tinha falado. 2E
21.2:
Hb 11.11
concebeu Sara, e deu a Abraão um filho na sua velhice, ao tempo determinado, que Deus lhe tinha dito. 3E chamou Abraão o nome de seu filho que lhe nascera, que Sara lhe
21.3:
Gn 17.19
dera, Isaque. 4E Abraão circuncidou o seu filho Isaque, quando era da idade de oito dias, como Deus lhe tinha
21.4:
Lv 12.3
At 7.8
ordenado. 5E era Abraão da idade de cem anos, quando lhe nasceu Isaque seu filho. 6E disse Sara: Deus me tem feito riso; todo aquele que o ouvir, se rirá comigo. 7Disse mais: Quem diria a Abraão, que Sara daria de mamar a filhos? porque lhe dei um filho na sua velhice. 8E cresceu o menino, e foi desmamado; então Abraão fez um grande banquete no dia em que Isaque foi desmamado. 9E viu Sara
21.9:
Gl 4.29
que o filho de Hagar a egípcia, que esta tinha dado a Abraão, zombava. 10E disse a Abraão: Deita fora esta
21.10:
Gl 4.30
serva e o seu filho; porque o filho desta serva não herdará com meu filho, com Isaque. 11E pareceu esta palavra mui má aos olhos de Abraão, por causa de seu filho. 12Porém Deus disse a Abraão: Não te pareça mal aos teus olhos acerca do moço, e acerca da tua serva; em tudo o que Sara te diz, ouve a sua voz; porque
21.12:
Rm 9.7-8
Hb 11.18
em Isaque será chamada a tua semente. 13Mas também do
21.13:
Gn 16.10
filho desta serva farei uma nação, porquanto é tua semente.

O despedimento de Hagar e Ismael

14Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e tomou pão, e um odre de água, e os deu a Hagar, pondo-os sobre o seu ombro; também lhe deu o menino, e despediu-a; e ela foi-se, andando errante no deserto de Berseba. 15E consumida a água do odre, lançou o menino debaixo de uma das árvores. 16E foi-se, e assentou-se em frente, afastando-se a distância de um tiro de arco; porque dizia: Que não veja eu morrer o menino. E assentou-se em frente, e levantou a sua voz, e chorou. 17E ouviu Deus a voz do menino, e bradou o anjo de Deus a Hagar desde os céus, e disse-lhe: Que tens, Hagar? não temas, porque Deus ouviu a voz do rapaz desde o lugar onde está. 18Ergue-te, levanta o moço, e pega-lhe pela mão, porque dele farei uma

21.18:
Gn 21.13
grande nação. 19E
21.19:
Nm 22.31
2Rs 6.17,20
Lc 24.16,31
abriu-lhe Deus os olhos, e viu um poço d’água, e foi-se, e encheu o odre de água, e deu de beber ao moço. 20E era Deus com o moço, que cresceu; e habitou no deserto, e foi frecheiro. 21E habitou no deserto
21.21:
Nm 10.12
de Parã; e sua mãe tomou-lhe mulher da terra do Egito.

Abimeleque faz um pacto com Abraão

22E aconteceu naquele mesmo tempo que Abimeleque, com Ficol, 21.22: ou capitão-morpríncipe do seu exército, falou com Abraão, dizendo: Deus é

21.22:
Gn 26.28
39.2
contigo em tudo o que fazes; 23Agora pois, jura-me aqui por Deus que me não mentirás a mim, nem a meu filho, nem a meu neto; segundo a beneficência que te fiz, me farás a mim, e à terra onde peregrinaste. 24E disse Abraão: Eu jurarei. 25Abraão, porém, repreendeu a Abimeleque por causa de um poço de água, que os servos de Abimeleque haviam tomado por
21.25:
Gn 26.15,22
força. 26Então disse Abimeleque: Eu não sei quem fez isto; e também tu mo não fizeste saber, nem eu o ouvi senão hoje. 27E tomou Abraão ovelhas e vacas, e deu-as a Abimeleque; e fizeram ambos concerto. 28Pôs Abraão, porém, à parte sete cordeiras do rebanho. 29E Abimeleque disse a Abraão: Para que estão aqui estas sete cordeiras, que puseste à parte? 30E disse: Tomarás estas sete cordeiras de minha mão, para que sejam
21.30:
Gn 31.48
Js 22.27
em testemunho que eu cavei este poço. 31Por isso se chamou aquele lugar 21.31: Hebr. Beer-Seba, que significa poço do juramentoBerseba, porquanto ambos juraram ali. 32Assim fizeram concerto em Berseba. Depois se levantou Abimeleque e Ficol, príncipe do seu exército, e tornaram para a terra dos filisteus. 33E plantou um bosque em Berseba, e invocou lá o nome do Senhor, Deus
21.33:
Sl 90.2
eterno. 34E peregrinou Abraão na terra dos filisteus muitos dias.

22

Deus manda Abraão matar seu filho Isaque

221E ACONTECEU

22.1:
Dt 8.2
depois destas coisas, que tentou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis me aqui. 2E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. 3Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque, seu filho; e fendeu lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera. 4Ao terceiro dia levantou Abraão os seus olhos, e viu o lugar de longe. 5E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e havendo adorado, tornaremos a vós. 6E tomou Abraão a lenha do holocausto,
22.6:
Jo 19.17
e pô-la sobre Isaque, seu filho; e ele tomou o fogo e o cutelo na sua mão, e foram ambos juntos. 7Então falou Isaque a Abraão seu pai e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui meu filho! E ele disse: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? 8E disse Abraão: Deus proverá para si
22.8:
Jo 1.29
Ap 5.6
o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos. 9E vieram ao lugar que Deus lhes dissera, e edificou Abraão ali um altar, e pôs em ordem a lenha, e amarrou a Isaque seu filho,
22.9:
Hb 11.17
Tg 2.21
e deitou-o sobre o altar em cima da lenha. 10E estendeu Abraão a sua mão, e tomou o cutelo para imolar o seu filho; 11Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. 12Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único. 13Então levantou Abraão os seus olhos, e olhou; e eis um carneiro detrás dele, travado pelas suas pontas num
22.13:
1Co 10.13
2Co 1.9-10
mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho. 14E chamou Abraão o nome daquele lugar, 22.14: Hebr. Jeová Jireo Senhor proverá; donde se diz até ao dia de hoje: No monte do Senhor
22.14:
Gn 22.8
se proverá. 15Então o anjo do Senhor bradou a Abraão pela segunda vez desde os céus, 16E disse: Por mim mesmo,
22.16:
Lc 1.73
Hb 6.13-14
jurei, diz o Senhor: Porquanto fizeste esta ação, e não me negaste o teu filho, o teu único, 17Que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua semente como as
22.17:
Dt 1.10
Jr 33.22
estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar; e a tua semente possuirá a porta dos seus inimigos. 18E em tua semente serão benditas todas as nações da terra;
22.18:
1Sm 2.30
porquanto obedeceste à minha voz. 19Então Abraão tornou aos seus moços, e levantaram-se, e foram juntos para Berseba; e Abraão habitou em Berseba. 20E sucedeu depois destas cousas, que anunciaram a Abraão, dizendo: Eis que também
22.20:
Gn 11.29
Milca deu filhos a Naor teu irmão: 21Uz o seu primogênito, e Buz seu irmão, e Quemuel, pai de Arã, 22E Quesede, e Hazo, e Pildas, e Jidlafe, e Betuel. 23E Betuel
22.23:
Gn 24.15
gerou Rebeca. Estes oito deu Milca a Naor, irmão de Abraão. 24E a sua concubina, cujo nome era Reumá, ela lhe deu também a Tebá, e Gaã, e Taás e Maaca.

23

A morte de Sara

231E FOI a vida de Sara cento e vinte e sete anos; estes foram os anos da vida de Sara. 2E morreu Sara em

23.2:
Js 14.15
Gn 13.18
Quiriate-Arba, que é Hebrom, na terra de Canaã; e veio Abraão lamentar a Sara e chorar por ela. 3Depois se levantou Abraão de diante do seu morto, e falou aos filhos de Hete, dizendo: 4Estrangeiro e peregrino sou entre vós; dai-me
23.4:
At 7.5
possessão de sepultura convosco, para que eu sepulte o meu morto de diante da minha face. 5E responderam os filhos de Hete a Abraão, dizendo-lhe: 6Ouve-nos, meu senhor; príncipe de Deus és no meio de nós; enterra o teu morto na mais escolhida de nossas sepulturas; nenhum de nós te vedará a sua sepultura, para enterrares o teu morto. 7Então se levantou Abraão, e inclinou-se diante do povo da terra, diante dos filhos de Hete. 8E falou com eles, dizendo: Se é de vossa vontade que eu sepulte o meu morto de diante de minha face, ouvi-me e falai por mim a Efrom, filho de Zoar, 9Que ele me dê a cova de Macpela, que tem no fim do seu campo; que ma dê pelo devido preço em posse de sepulcro no meio de vós. 10Ora Efrom estava no meio dos filhos de Hete; e respondeu Efrom heteu a Abraão, aos ouvidos dos filhos de Hete, de todos os que entravam pela porta da sua cidade, dizendo: 11Não, meu senhor; ouve-me, o campo te dou, também te dou a cova que nele está, diante dos olhos dos filhos do meu povo ta dou; sepulta o teu morto. 12Então Abraão se inclinou diante da face do povo da terra, 13E falou a Efrom, aos ouvidos do povo da terra, dizendo: Mas se tu estás por isto, ouve-me, peço-te; o preço do campo o darei; toma-o de mim, e sepultarei ali o meu morto. 14E respondeu Efrom a Abraão, dizendo-lhe: 15Meu senhor, ouve-me, a terra é de quatrocentos siclos de prata; que é isto entre mim e ti? sepulta o teu morto. 16E Abraão deu ouvidos a Efrom, e Abraão pesou a Efrom a prata de que tinha falado aos ouvidos dos filhos de Hete, quatrocentos siclos de prata, correntes entre mercadores. 17Assim o campo de Efrom, que estava em Macpela, em frente de Manre, o campo e a cova que nele estava, e todo o arvoredo que no campo havia, que estava em todo o seu contorno ao redor, 18Se confirmou a Abraão em possessão diante dos olhos dos filhos de Hete, de todos os que entravam pela porta da sua cidade. 19E depois sepultou Abraão a Sara sua mulher na cova do campo de Macpela, em frente de Manre, que é Hebrom, na terra de Canaã. 20Assim o campo e a cova que nele estava se confirmou a Abraão em possessão de sepultura pelos filhos de Hete.