Almeida Revista e Corrigida (1969) (RC69)
6

Davi traz a arca para Jerusalém

61E TORNOU Davi a ajuntar todos os escolhidos de Israel, em número de trinta mil. 2E levantou-se Davi, e partiu com todo o povo que tinha consigo de Baalim de Judá, para levarem dali para cima a arca de Deus, sobre a qual se invoca o nome, o nome do Senhor dos exércitos, que se assenta entre os querubins. 3E puseram a arca de Deus em um carro novo, e a levaram da casa de Abinadabe, que está em Gibeá: e Uza e Aío, filhos de Abinadabe; guiavam o carro novo. 4E levando-o da casa de Abinadabe, que está em Gibeá, com a arca de Deus, Aío ia adiante da arca. 5E Davi, e toda a casa de Israel, alegravam-se perante o Senhor, com toda a sorte de instrumentos de pau de faia: como com harpas, e com saltérios, e com tamboris, e com pandeiros, e com címbalos. 6E, chegando à eira de Nacom, estendeu Uza a mão à arca de Deus, e teve mão nela; porque os bois a deixavam pender. 7Então a ira do Senhor se acendeu contra Uza, e Deus o feriu ali por esta imprudência: e morreu ali junto à arca de Deus. 8E Davi se contristou, porque o Senhor abrira rotura em Uzá; e chamou aquele lugar Perez-Uzá, até ao dia de hoje. 9E temeu Davi ao Senhor naquele dia; e disse: Como virá a mim a arca do Senhor? 10E não quis Davi retirar para si a arca do Senhor, para a cidade de Davi; mas Davi a fez levar à casa de Obede-Edom, o geteu. 11E ficou a arca do Senhor em casa de Obede-Edom, o geteu, três meses: e abençoou o Senhor a Obede-Edom, e a toda a sua casa. 12Então avisaram a Davi, dizendo: Abençoou o Senhor a casa de Obede-Edom, e tudo quanto tem, por amor da arca de Deus: foi pois Davi, e trouxe a arca de Deus para cima, da casa de Obede-Edom, à cidade de Davi, com alegria. 13E sucedeu que, quando os que levavam a arca do Senhor tinham dado seis passos, sacrificava bois e carneiros cevados. 14E Davi saltava com todas as suas forças diante do Senhor: e estava Davi cingido dum éfode de linho. 15Assim subindo, levavam Davi e todo o Israel a arca do Senhor, com júbilo, e ao som das trombetas. 16E sucedeu que, entrando a arca do Senhor na cidade de Davi Mical, a filha de Saul, estava olhando pela janela: e, vendo ao rei Davi, que ia bailando e saltando diante do Senhor, o desprezou no seu coração. 17E introduzindo a arca do Senhor, a puseram no seu lugar, na tenda que Davi lhe armara: e ofereceu Davi holocaustos e ofertas pacíficas perante o Senhor. 18E acabando Davi de oferecer os holocaustos e ofertas pacíficas, abençoou o povo em nome do Senhor dos exércitos. 19E repartiu a todo o povo, e a toda a multidão de Israel, desde os homens até às mulheres, a cada um, um bolo de pão, e um bom pedaço de carne, e um frasco de vinho: então foi-se todo o povo, cada um para sua casa. 20E, voltando Davi para abençoar a sua casa, Mical, a filha de Saul, saiu a encontrar-se com Davi e disse: Quão honrado foi o rei de Israel, descobrindo-se hoje aos olhos das servas de seus servos, como sem pejo se descobre qualquer dos vadios. 21Disse porém Davi a Mical: Perante o Senhor que me escolheu a mim antes do que a teu pai, e a toda a sua casa, mandando-me que fosse chefe sobre o povo do Senhor, sobre Israel: perante o Senhor me tenho alegrado. 22E ainda mais do que isto me envilecerei, e me humilharei aos meus olhos: e das servas, de quem falaste, delas serei honrado. 23E Mical, a filha de Saul, não teve filhos, até ao dia da sua morte.

7

Davi deseja edificar um templo ao Senhor

71E SUCEDEU que, estando o rei Davi em sua casa, e que o Senhor lhe tinha dado descanso de todos os seus inimigos em redor: 2Disse o rei ao profeta Natã: Ora olha, eu moro em casa de cedros e a arca de Deus mora dentro de cortinas. 3E disse Natã ao rei: Vai, e faze tudo quanto está no teu coração; porque o Senhor é contigo. 4Porém sucedeu naquela mesma noite, que a palavra do Senhor veio a Natã dizendo: 5Vai e dize a meu servo, a Davi: Assim diz o Senhor: Edificar-me-ias tu casa para minha habitação? 6Porque em casa nenhuma habitei desde o dia em que fiz subir os filhos de Israel do Egito até ao dia de hoje: mas andei em tenda e em tabernáculo. 7E em todo o lugar em que andei com todos os filhos de Israel, falei porventura alguma palavra com qualquer das tribos de Israel, a quem mandei apascentar o meu povo de Israel, dizendo: Por que me não edificais uma casa de cedros? 8Agora, pois, assim dirás ao meu servo, a Davi: Assim diz o Senhor dos exércitos: Eu te tomei da malhada, de detrás das ovelhas, para que fosses o chefe sobre o meu povo, sobre Israel. 9E fui contigo, por onde quer que foste, e destruí a teus inimigos diante de ti: e fiz para ti um grande nome, como o nome dos grandes que na terra. 10E prepararei lugar para o meu povo, para Israel, e o plantarei, para que habite no seu lugar, e não mais seja movido e nunca mais os filhos da perversidade o aflijam como dantes, 11E desde o dia em que mandei que houvesse juízes sobre o meu povo Israel: a ti porém te dei descanso de todos os teus inimigos: também o Senhor te faz saber que o Senhor te fará casa. 12Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então farei levantar depois de ti a tua semente, que sair das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino. 13Este edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu reino para sempre. 14Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho: e, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens. 15Mas a minha benignidade se não apartará dele; como a tirei de Saul, a quem tirei de diante de ti. 16Porém a tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti: teu trono será firme para sempre. 17Conforme a todas estas palavras, e conforme a toda esta visão, assim falou Natã a Davi. 18Então entrou o rei Davi, e ficou perante o Senhor, e disse: Quem sou eu, Senhor Jeová, e qual é a minha casa, que me trouxeste até aqui? 19E ainda foi isto pouco aos teus olhos, Senhor Jeová, senão que também falaste da casa de teu servo para tempos distantes: é isto o costume dos homens, ó Senhor Jeová? 20E que mais te falará ainda Davi? pois tu conheces bem a teu servo, ó Senhor Jeová. 21Por causa da tua palavra, e segundo o teu coração, fizeste toda esta grandeza: fazendo-a saber a teu servo. 22Portanto, grandioso és, ó Senhor Jeová, porque não semelhante a ti, e não há outro Deus senão tu só, segundo tudo o que temos ouvido com os nossos ouvidos. 23E quem como o teu povo, como Israel, gente única na terra? a quem Deus foi resgatar para seu povo; e a fazer-se um nome, e a fazer-vos estas grandes e terríveis cousas, para a tua terra, diante do teu povo, que tu resgataste do Egito desterrando as nações e a seus deuses. 24E confirmaste a teu povo Israel por teu povo para sempre, e tu, Senhor, te fizeste o seu Deus. 25Agora, pois, ó Senhor Jeová, esta palavra que falaste acerca de teu servo e acerca da sua casa, confirma-a para sempre, e faze como tens falado. 26E engrandeça-se o teu nome para sempre, para que se diga: O Senhor dos exércitos é Deus sobre Israel; e a casa de teu servo será confirmada diante de ti. 27Pois tu, Senhor dos exércitos, Deus de Israel, revelaste aos ouvidos de teu servo, dizendo: Edificar-te-ei casa. Portanto o teu servo achou no seu coração o fazer-te esta oração. 28Agora, pois, Senhor Jeová, tu és o mesmo Deus, e as tuas palavras são verdade, e tens falado a teu servo este bem. 29Sê pois agora servido de abençoar a casa de teu servo, para permanecer para sempre diante de ti, pois tu, ó Senhor Jeová, o disseste; e com a tua bênção será para sempre bendita a casa de teu servo.

8

As vitórias de Davi sobre várias nações

81E SUCEDEU depois disto que Davi feriu os filisteus, e os sujeitou: e Davi tomou a Mete-Gamá das mãos dos filisteus. 2Também feriu os moabitas, e os mediu com cordel, fazendo-os deitar por terra, e os mediu com dois cordéis para os matar, e com um cordel inteiro para os deixar em vida: ficaram assim os moabitas por servos de Davi, trazendo presentes. 3Feriu também Davi a Hadadezer, filho de Recobe, rei de Zobá, indo ele a virar a sua mão para o rio Eufrates. 4E tomou-lhe Davi mil e seiscentos cavaleiros e vinte mil homens de pé: e Davi jarretou a todos os cavalos dos carros, e reservou deles cem carros. 5E vieram os siros de Damasco a socorrer a Hadadezer, rei de Zobá: porém Davi feriu dos siros vinte e dois mil homens. 6E Davi pôs guarnições em Síria de Damasco, e os siros ficaram por servos de Davi, trazendo presentes: e o Senhor guardou a Davi por onde quer que ia. 7E Davi tomou os escudos de ouro que havia com os servos de Hadadezer, e os trouxe a Jerusalém. 8Tomou mais o rei Davi uma quantidade mui grande de bronze de Betá e de Berotai cidades de Hadadezer. 9Ouvindo então Toí, rei de Hamate, que Davi ferira a todo o exército de Hadadezer. 10Mandou Toí seu filho Jorão ao rei Davi, para lhe perguntar como estava, e para lhe dar os parabéns por haver pelejado contra Hadadezer, e por o haver ferido (porque Hadadezer de contínuo fazia guerra a Toí); e na sua mão trazia vasos de prata, e vasos de ouro, e vasos de bronze. 11Os quais também o rei Davi consagrou ao Senhor, juntamente com a prata e ouro que já havia consagrado de todas as nações que sujeitara. 12De Síria, e de Moabe, e dos filhos de Amom, e dos filisteus, e de Amaleque, e dos despojos de Hadadezer filho de Recobe rei de Zobá. 13Também Davi ganhou nome, voltando ele de ferir os siros no vale do Sal, a saber, a dezoito mil. 14E pôs guarnições em Edom, em todo o Edom pôs guarnições, e todos os edomeus ficaram por servos de Davi: e o Senhor ajudava a Davi por onde quer que ia. 15Reinou pois Davi sobre todo o Israel: e Davi julgava e fazia justiça a todo o seu povo. 16E Joabe, filho de Zeruia, era sobre o exército; e Josafá, filho de Ailude, era cronista. 17E Zadoque, filho de Aitube, e Aimeleque, filho de Abiatar, eram sacerdotes, e Seraías escrivão. 18Também Benaia filho de Joiada, estava com os quereteus e peleteus: porém os filhos de Davi eram príncipes.